Quarta-feira, 2 de Novembro de 2011

petisco

Muito fácil de fazer e uma entrada que agradou a toda a gente. Perfeito para entreter enquanto a comida não vem para a mesa.

 

Cartuchos de Massa Filo

  

 

1 embalagem de massa Filo

1 queijo de cabra

Pimenta fresca

Azeite

 

Aquecer o forno.

Estender a massa e pincelar folha a folha com azeite.

Cortar tiras largas e rechear com o queijo esmigalhado e temperado de pimenta moída na altura.

Levar ao forno por cerca de 30 minutos.

Serve-se quente ou frio.

 

tags: ,
publicado por belitaarainhadoscouratos às 13:15
link do post | mandar uns bitaites | favorito
Sábado, 20 de Novembro de 2010

Desafios - Hoje a Moira vem Jantar

A Moira vem jantar.

Fez-se convidada, foi o que foi... com aquele ar de quem não parte um prato.

Bem, convém mesmo que não parta. Já só tenho quatro iguais e lá ficava a mesa desemparceirada...

E ela... ah e tal, que sou muito boa boca, que como qualquer coisa... pois, pois, já me tinham dito!

Merecia mesmo era que lhe desse Restdônté mas já não há, estava tão bom que não sobrou nada...

 

Agora a sério. Estou a responder ao desafio da Tertúlia de Sabores que celebra o seu 3º aniversário com o mote: Hoje a Moira vem jantar.

E esta foi a receita escolhida para a receber. Espero que goste.

 

Enroladinhos de Alheira e Espinafres em Massa Phyllo

 

 

 

1 embalagem de massa Phyllo (8 folhas)

1 alheira de caça

200 grs de espinafres frescos

azeite q.b.

 

Aquecer o forno.

Lavar os espinafres e cozê-los durante 5 minutos num tachinho com muito pouca água. Escorrer e reservar.

Numa frigideira salteia-se a alheira retirada da sua pele. Juntam-se os espinafres e tempera-se se necessário, com pimenta e uma pirtada de sal. Mexe-se bem para ficar uma pasta homogénea.

Abrem-se as folhas da massa phyllo e pincelam-se com azeite, uma a uma. Para não deixar secar as que não estão a uso devem ser tapadas com um pano da louça húmido.

Juntam-se duas folhas de massa, dobram-se e no meio põe-se um quarto da mistura da alheira e espinafres. Enrola-se e metem-se as pontas da massa para dentro, como se fossem uns cartuchinhos. Faz-se o mesmo com as restantes folhas, dá quatro rolinhos. Põem-se num tabuleiro e vai ao forno até ficarem bem tostados, cerca de 20 minutos.

Servir com bróculos cozidos em vapor.

publicado por belitaarainhadoscouratos às 18:00
link do post | mandar uns bitaites | ver bitaites (3) | favorito
Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2010

Portokali - Portogalia

Em grego, a palavra portokali (πορτοκάλι) quer dizer laranja e portogalia (Πορτογαλλία) significa Portugal. Interessante, não é?

Parece que deram o nome ao fruto a partir do país que o divulgou. Os portugueses foram os primeiros a trazer laranjas da Índia e China para a Europa e em algumas línguas as palavras do fruto e do país são idênticas (ex: na Roménia, Bulgária, algumas cidades de Itália, Turquia, etc.)

 

Tarte de Laranja (Portokalopita)

 

 

 

Tarte:

1/2 copo de açúcar

2 colheres de chá de fermento em pó

4 ovos

1/2 copo de óleo

raspa e sumo de uma laranja

1 copo de iogurte grego*

1 colher de chá de extracto de baunilha (opcional)

1 colher de sopa de Triple Sec (opcional)

1/2 copo de passas douradas (opcional)

1 embalagem de massa Phyllo (10 folhas)

 

Xarope:

1 copo de açúcar

1 1/2 copos de água

raspa e sumo de uma laranja

 

Fazer o xarope para que arrefeça enquanto se faz a tarte. Num tachinho juntar todos os ingredientes e levar ao lume até levantar fervura. Deixar apurar por 15 minutos. Retirar do lume e deixar arrefecer.

 

Desfazer a massa phyllo em bocados, folha a folha e deixar secar cerca de 15 minutos.

 

Numa taça bater muito bem todos os ingredientes e adicionar a massa phyllo aos bocados. Envolver bem e deitar numa forma previamente untada.

Vai ao forno cerca de 30 minutos, até estar cozido (experimentar com um palito. Retira-se do forno e enquanto quente deita-se o xarope frio por cima. Pode ser polvilhado com canela.

 

*4 iogurtes naturais deixados a escorrer num filtro de café durante a noite

 

 

   

 

Normalmente a massa phyllo é muito traiçoeira para usar porque é necessário que esteja sempre húmida para se poder trabalhar e tem que ser pincelada com manteiga. Neste caso, nada disso. É mesmo para secar e é mesmo a maneira mais fácil de a usar. Pode ser encontrada em qualquer hipermercado ao pé da massa folhada e da massa quebrada.

 

publicado por belitaarainhadoscouratos às 08:00
link do post | mandar uns bitaites | ver bitaites (3) | favorito

mais sobre mim


ver perfil

seguir perfil

. 98 seguidores

cuscar

digam qualquer coisa

coolinaria@sapo.pt

A Belita no Facebook!

My taste

mytaste.pt

favoritos

Amarelo vivo, amarelo neg...

armazém de receitas

tags

todas as tags

os meus livros de receitas, alguns...

blogs SAPO

subscrever feeds