Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Sex | 27.07.18

Cervejas à solta

 

Quando os planetas se alinham (e hoje até é dia de eclipse lunar) e somos convidados a participar num evento de comida (o que eu gosto de comida!) e de bebida (nem vos digo…) na Cerveja Vadia, só podem sair coisas boas, principalmente quando vamos pela mão do querido Amigo e Chefe Emídio Concha de Almeida.

Fizemos um ror de coisas, boas, muito boas. O mote era Peixe da Nossa Costa e Conservas e o desafio era fazer um ‘Beer Pairing’ que é como quem diz em português juntar uma boa cerveja Vadia aos pratos que confeccionámos.

Os peixes usados foram cavala e carapau (porque os peixes menos nobres também dão para fazer comida gourmet), e as conservas foram pota em caldeirada, filetes de cavala, filetes de carapau, sardinha em molho de tomate, entre outros. Tudo apresentado com grande esmero 

A sobremesa acabou por ser um desafio para usar a Fogaça que é típica daquela área, desde Santa Maria da Feira, onde é rainha, às terras mais próximas como Vale de Cambra e Oliveira de Azeméis. Optei por me inspirar num doce que a minha Mãe fazia quando eramos pequenos e que consistia em usar pão atrasado e que se chamava Pudim de Pão. Troquei o pão pela Fogaça e cá está, um Pudim de Fogaça!

O molho, além de abrilhantar o pudim, serviu para usar a cerveja também como ingrediente, e não apenas como acompanhamento (posso desde já dizer que a Vadia Rubi acompanha muito bem!)

 

Pudim 'Belita' de Fogaça

 

37888058_906898166164782_5786673119380897792_n.jpg

 

½ Fogaça de véspera cortada em fatias finas

2 copos de açúcar amarelo

4 ovos

200 ml de natas

600 ml de leite

1,5 colheres de chá de extracto de baunilha

 

Untar um pyrex e dispor as fatias de fogaça.

Numa taça bater o açúcar com os ovos e adicionar as natas, o leite e a baunilha. Deitar esta mistura sobre as fatias de fogaça e com uma colher empurrar as fatias para baixo de modo a que fiquem submersas. Deixar ensopar por uma hora (ou durante a noite) no frigorífico.

Aquecer o forno. Pôr o pyrex no forno e deixar cozer por 30 a 45 minutos (depende do forno). Servir com o molho.

 

Molho:

1 copo de açúcar amarelo

100 ml de natas

75 grs de manteiga

50 ml de cerveja preta (Vadia Preta)

1 colher de sopa de extracto de baunilha

1 pitada de sal

 

Levar o açúcar, as natas e a manteiga ao lume e deixar fervilhar em lume brando por cerca de 10 minutos.

Adicionar a cerveja, o sal e a baunilha e deixar ferver mais 2 minutos (atenção que faz muita espuma). Deixar arrefecer.

 

Nota: fiz um update para usar a foto da Vadia, muito melhor do que a que tirei 

 

2 comentários

Comentar post