Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Sex | 16.08.13

cá coisas...

Quando tenho tempo gosto de fazer as receitas de base, com tudo aquilo a que se tem direito. Nem sempre é possível, é a vida…

Nessas vezes em que não há tempo para fazer uma massa de tarte, para fazer um leite-creme a sério, usamos atalhos que não desrespeitem o nosso gosto pela cozinha e pelas boas receitas.

Ou seja, a minha ideia é: não é por nunca ter comido num restaurante com estrelas Michelin que tenho comido mal, longe disso!

Vou ali num instante para fim-de-semana que parece que me está a fazer falta {#emotions_dlg.sarcastic}

 

Tarteletes de Ruibarbo

 

 

1 embalagem de massa quebrada

300 grs de ruibarbo

3 colheres de sopa de açúcar

0,5 litro de leite

3 colheres de sopa de custarda em pó

3 colheres de sopa de açúcar

1 colher de chá de extracto de baunilha

100 grs de iogurte grego

100 grs de queijo de barrar

Mel ou açúcar qb para adoçar

 

Dividir a massa pelas quatro formas de tartelete. Picar o fundo com um garfo e levar ao forno por uns 20 minutos até estar cozida e alourada.

Cortar o ruibarbo em rodelas e levar ao lume com o açúcar por uns cinco minutos, até amolecer. Reservar.

Fazer um creme com o leite, o pó de custarda, o açúcar e o extracto de baunilha. Em alternativa pode-se usar uma embalagem de leite-creme instantâneo. Deixar arrefecer.

Pôr o creme já frio nas tartes também frias.

Misturar numa taça o iogurte grego com o queijo de barrar e adoçar a gosto com mel ou açúcar. Pôr esta mistura sobre o creme de custarda e por cima dividir o ruibarbo. Levar ao frigorífico até servir.

 

Nota: o ruibarbo pode ser substituído por amoras, framboesas ou mirtilos