Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Blogue de receitas flexitarianas (carne, peixe e assim-assim)

Belita, a Rainha dos Couratos

Blogue de receitas flexitarianas (carne, peixe e assim-assim)

Qui | 20.06.24

que b(r)oa

 

Para quem quiser variar das sardinhas

 

Bacalhau com Broa e Presunto

 

20240609_130045.jpg

 

300 grs de miolo de broa

2 dentes de alho

1 raminho de salsa

Pimenta preta q.b.

2 fatias de presunto

500 grs de espinafres

2 dentes de alho

2 colheres de sopa de azeite

1 cebola grande

100 ml de azeite

500 grs de migas de bacalhau demolhado (usei congelado)

Pimenta e Noz-moscada

300 grs de grão-de-bico cozido

 

Triturar 300 grs de miolo de broa com 2 dentes de alho, salsa, pimenta preta e 2 fatias de presunto. Reservar.

Amolecer 500 grs de espinafres numa frigideira com 2 colheres de sopa de azeite e 2 dentes de alho picados. Reservar.

Alourar uma cebola grande cortada em meias-luas em 100 ml de azeite, juntar 500 grs de migas de bacalhau e temperar a gosto com pimenta e noz-moscada (e sal, se for necessário).

Numa assadeira colocar em camadas os espinafres, 300 grs de grão-de-bico cozido, a cebolada com o bacalhau, a mistura da broa com presunto e por cima o azeite da cebolada.

Levar ao forno até tostar.

 

 

Ter | 18.06.24

variantes

 

Sempre gostei de atum em conserva mas só recentemente comecei a comer atum fresco (ou congelado, vá). É um novo mundo de oportunidades e, apesar de gostar imenso de fazer os bifes de atum no forno com coentros, desta vez optei por uma receita de cariz nipónico. Excelente.

 

Bifes de Atum com Sésamo

 

20240529_121047.jpg

 

1 colher de sopa de molho de soja

1 colher de sopa de óleo de sésamo

1 colher de sopa de vinagre de arroz (ou maçã)

1 colher de sopa de molho de peixe

2 dentes de alho esmagados

1 colher de chá de farinha maizena dissolvida em 2 colheres de sopa de água

2 bifes de atum

2 colheres de óleo de girassol

Sementes de sésamo q.b.

 

Fazer uma marinada misturando o molho de soja, óleo de sésamo, vinagre de arroz, molho de peixe, alho esmagado, e farinha maizena dissolvida em água. Colocar os bifes de atum nesta marinada e deixar por uma hora.

Aquecer um wok com óleo de girassol e fritar os bifes de atum. Dependendo da grossura, cinco a sete minutos são suficientes.

Servir polvilhado com sementes de sésamo e massa udon cozida (ou outra massa fina).

 

Seg | 17.06.24

evolução

 

Vi esta receita num filminho do Tiktok que me apareceu no Pinterest e fiquei fã porque quase só se suja um garfo. É uma receita específica para a Airfryer (que eu não tenho) e pareceu-me tão prática que tive que experimentar. Não, não fui a correr comprar uma Airfryer porque antes de existirem essas salvadoras dos problemas de primeiro mundo, já havia fornos...

Tiktok, Pinterest e Airfryer são palavras que até há pouco tempo (no grande esquema do universo) nunca tínhamos ouvido mas que agora fazem parte do léxico mundial...

 

Piza Aldrabada

 

20240615_195831.jpg

 

1 tortilha de trigo

2 ovos

2 colheres de sopa de requijão

Sal e pimenta q.b.

1 tomate maduro picado (sem as sementes)

1 mão-cheia de folhas de espinafre

75 grs de queijo ralado (usei mistura 4 queijos)

 

Colocar a tortilha num pyrex de modo a que fique com alguma altura nas beiras. Abrir os ovos para a tortilha e bater com um garfo. Juntar o requeijão e misturar. Temperar com sal e pimenta a gosto e por cima espalhar os pedacinhos de tomate e as folhas  de espinafres. Cobrir com o queijo ralado e levar ao forno (ou à airfryer) por cerca de 15 a 20 minutos. Cortar em quatro e servir enquanto quente.

 

Sex | 14.06.24

festa!

 

Este blogue fez 18 anos (dezoito anos!) no passado dia 9 de Junho. Nesse dia nasceu, maravilhosa, a minha sobrinha-neta mais nova.

Violeta. Que seja feliz pela vida toda.

 

Bolo de Chocolate com recheio de Natas e Morangos

 

20240213_120455-EDIT.jpg

 

Bolo:

1 copo de leite

1 colher de sopa de vinagre

1/2 copo de óleo de girassol

2 ovos

1 copo de açúcar amarelo

1 copo de farinha de trigo com fermento

3/4 de copo de cacau em pó

1 colher de chá de fermento em pó

1 pitada de sal

1/2 copo de café a ferver

Recheio:

200 grs de morangos

200 grs de natas

1 colher de sopa de açúcar em pó

Açúcar em pó para polvilhar

 

Numa taça misturar o leite e o vinagre. Mexer e deixar repousar por cinco minutos.

Adicionar o óleo de girassol, os ovos e o açúcar amarelo e mexer bem.

De seguida peneirar para a taça a farinha, o cacau, o fermento e o sal. Mexer bem até ter uma massa lisa e sem grumos.

Adicionar o café e envolver.

Dividir a massa por duas formas redondas sem buraco (20 cms) untadas e levar a forno médio por cerca de 35 a 40 minutos. Verificar a cozedura com um palito.

Retirar do forno e deixar arrefecer.

Cortar os morangos em pedacinhos. Bater as natas com uma colher de sopa de açúcar em pó até formar um creme firme.

Colocar um dos bolos num prato e por cima barrar metade do chantilly. Colocar os morangos picados sobre o creme e voltar a tapar com o restante. Colocar o outro bolo em cima e polvilhar com açúcar em pó.

 

Qui | 13.06.24

fresquinho

 

No outro dia fui lanchar com uma irmã, uma cunhada e uma sobrinha. Como nenhuma de nós gosta 'bué' de comer, experimentámos várias iguarias, cada qual a melhor. Para matar a sede, bebi um chá gelado que foi servido num copo parecido com este da foto.

O chá era de frutos exóticos (sabia a manga) e a curiosidade é que vinha com uma bela 'gravata' de espuma. Pensei logo em replicar em casa porque o efeito da espuma no copo era, além de bonito, agradável.

Não tinha chá de frutos exóticos mas tinha um chá preto de framboesa que em tempos me ofereceram e que ainda não tinha experimentado. Cá está ele, e ficou bem bom!

 

Chá Preto de Framboesa Gelado

 

20240606_160945.jpg

 

1 colher de sopa de chá preto de framboesa

500 ml de água a ferver

Açúcar ou outro adoçante (opcional)

Gelo e limão

 

Misturar as folhas de chá na água a ferver e deixar repousar até estar frio.

Coar e misturar mais 500 ml de água gelada e adoçar a gosto. Servir em copos largos com gelo e com uma rodela de limão.

Para o efeito espuma, usar aquela maquineta de pilhas que é própria para fazer espuma no leite ou a varinha mágica.

 

Seg | 10.06.24

das ervas

 

Beldroegas. Se antigamente as olhava de lado pois eram mais uma erva para arrancar (e se aquilo dá, até nas rachas do cimento!), de há alguns anos para cá, mais precisamente desde que vivi em Lisboa e de as ver em molhinhos no mercado de Algés, comecei a utilizá-las, quer em sopas quer em saladas.

São excelentes porque não têm manutenção nenhuma e aparecem pelo fim da primavera, quer se queira quer não! E nutricionalmente é só coisas boas: ricas em potássio e em ómega-3, vitaminas, magnésio, ferro e cálcio. Não lhes falta nada!!! Como a esta sopa, tradicional de algumas zonas do Alentejo. Um autêntico manjar, apesar da simplicidade.

 

Sopa de Beldroegas

 

20240607_201426.jpg

 

1 cebola picada

50 ml de azeite

1 molho de beldroegas

1 cabeça de alhos (inteira)

1 batata

Sal q.b.

2 ovos

1 pitada de colorau

1 queijinho curado de cabra

Pão alentejano em fatias

 

Alourar a cebola no azeite e de seguida adicionar as beldroegas em raminhos e a cabeça de alhos, lavada e sem as peles finas do exterior. Deixar levantar fervura, juntar a batata cortada em bocados não muito grossos, temperar de sal a gosto e cobrir com água. Deixar ferver em lume brando por quinze minutos e de seguida abrir dois buracos para escalfar os ovos.

Logo que os ovos estejam escalfados a gosto, retira-se a cabeça de alhos e separam-se os dentes da mesma. Serve-se a sopa ligeiramente polvilhada com colorau, alhos, pão e fatias de queijo de cabra.