Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Blogue de receitas flexitarianas (carne, peixe e assim-assim)

Belita, a Rainha dos Couratos

Blogue de receitas flexitarianas (carne, peixe e assim-assim)

Ter | 31.05.22

cool gadgets

 

Quando preciso de fazer bolos em camadas para rechear, prefiro dividir a massa por duas ou três formas do que fazer apenas numa e depois cortar o bolo em rodelas. Um dos problemas é que os bolos não costumam crescer uniformemente e fazem sempre uma cúpula que costuma ter que ser cortada para alisar o bolo.

Isto é uma coisa que me incomoda e por isso noutro dia decidi recorrer ao Stª Google para ver se havia solução para o caso. Uma das soluções, a custo zero e que me pareceu viável, foi a de usar umas tiras de pano molhadas à volta das formas. Ora nem de propósito, uns dias antes tinha queimado a ponta de um pano de cozinha na chama do fogão (por vezes levo o multitasking ao extremo e alguma coisa acaba por correr mal) e como não gosto de desperdiçar nada, cortei o pano em tiras para a experiência.

Funciona.

Ok, não ficam tão lisinhos como os das pastelarias mas a cúpula desceu consideravelmente e considerando que não me custou um tusto, acho que me vou ficar por esta solução. Experimentem também e digam se funcionou ou se têm outras alternativas para esta situação.

Como usar:

Molhar em água fria uma tira de pano da altura da forma e envolver prendendo com um alfinete. Deitar a massa na forma, bater ligeiramente na bancada para assentar a massa [antigamente achava que se batesse com a forma na bancada o bolo não crescia...] e levar ao forno normalmente.

 

20220519_134312.jpg

 

Seg | 30.05.22

ao sabor do tempo

 

Lentamente damos por nós a preparar comidas mais ligeiras, menos 'justificadas' como diz a minha mãe. Mais adequadas às temperaturas primaveris, comida que se pode consumir fria e que sabe tão bem como um belo assado no forno num dia de inverno.

 

Salada de Cavala e Massa Colorida

 

20220513_195805.jpg

 

1 lata de filetes de cavala em azeite

2 ovos cozidos

Massa cozida q.b. (fria)

1/2 beterraba em picles

1 talo de aipo em rodelas

1 haste de cebolinha em rodelas

12 azeitonas às rodelas

1 mão-cheia de folhas de rúcula

Pimenta preta

Azeite e vinagre q.b.

 

Escorrer o azeite da cavala e reservar para preparar o molho.

Juntar os ingredientes da salada numa taça. Misturar o azeite da cavala com vinagre a gosto, mexer bem e deitar sobre a salada. Temperar com pimenta. Misturar e servir.

 

Ter | 24.05.22

tesourinhos

 

Hoje trago um tesourinho com sete aninhos. Mas que é recorrente na minha cozinha pois é fácil de fazer e é muito bom. Sempre ajuda a gastar aqueles morangos que rapidamente perdem o aspecto fresco e brilhante.

Também pode ser fetro com outras frutas mas a cor que os morangos lhe dão é maravilhosa.

A receita original está aqui.

 

18110640_GdzHA.jpeg

 

300 grs de morangos

250 grs de queijo quark

2 folhas de gelatina

Mel ou açúcar q.b.

 

Com a varinha mágica trituram-se os morangos com o queijo. Adoça-se se for necessário (se os morangos forem bem docinhos não é).

Põe-se as folhas de gelatina de molho em água fria por uns minutos e depois escorrem-se e diluem-se em duas colheres de sopa de água a ferver e junta-se no puré de morangos e queijo.

Deita-se a mistura em taças (deu quatro copinhos destes) e leva-se ao frigorífico por duas horas pelo menos.

 

Seg | 23.05.22

cool gadgets

 

Há alturas em que acho que a minha horta é uma espécie de cantina comunitária para a passarada (e para ratos, toupeiras, caracóis, lesmas...).

Não é raro encontrar melros, pardais, pegas, rolas e outros a banquetearem-se nas tenras alfaces ou nos rebentos das ervilhas. E sinceramente, o meu jeito para fazer espantalhos não é o maior embora eu ponha lá na mesma dois paus a formar uma cruz e a vista com uma camisola velha e um boné. Só que não assusta ninguém (muito menos os pássaros).

Entra o mocho. O segurança privado que acabei por contratar para espantar a passarada. Abana com o vento e mexe a cabeça, parecendo que está atento a tudo o que se passa. Está ao serviço há apenas uma semana e já se nota que o diacho dos pássaros não estão tão afoitos, diria mesmo que têm cagufa do segurança. Valeu bem os 18,50€ que dei por ele!

 

Mocho Securita

 

20220517_113756.jpg

 

Sex | 20.05.22

às vezes lá calha

 

Não procuro receitas vegan mas uma vez por outra sou capaz de experimentar, caso me pareça bem e tenha à mão os ingredientes necessários. São melhores do que as outras? Depende, algumas sim, outras nem por isso.

Esta, que encontrei no site The Kitchn, é muito boa e deu para gastar uns abacates que me tinham dado e estavam bem madurinhos depois de três semanas a olhar para eles sem saber bem se já tinham chegado ao ponto de não retorno (leia-se, podres). Não tinham, estavam maduros mas verdinhos de cor.

 

Brownies cremosos de Abacate

 

20220324_085105.jpg

 

2 abacates bem maduros

3/4 de copo de açúcar amarelo

1/2 copo de cacau em pó

1 colher de chá de fermento em pó

1 pitada de sal

1/2 copo de farinha

 

Aquecer o forno a 175ºC. Untar um tabuleiro pyrex com 20 cms de lado.

Esmagar os abacates e misturar bem com os restantes ingredientes.

Deitar na forma e levar ao forno até estar cozido, cerca de 45 minutos.

Deixar arrefecer e cortar em quadrados. Se queiser pode polvilhar com açúcar em pó.

 

Qui | 19.05.22

vamos lá

 

Foi a primeira vez que utilizei queijo fresco numa quiche e foi mesmo para experimentar se, à semelhança de outros tipos de queijo, este também derretia. Pronto, não derrete como aqueles das pizas que deixam quilómetros de fios até que uma pessoa desiste de enrolar e faz aquela figura de quem não é em modos de sair à rua. Mas derrete um bocadinho e fica mesmo bom.

 

Quiche de Cogumelos e Queijo Fresco

 

20220506_195531.jpg

 

1 embalagem de massa folhada

400 grs de cogumelos (usei castanhos e pleurotus)

2 dentes de alho

2 colheres de sopa de azeite

100 grs de lombo de porco desfiado (opcional)

1 queijo fresco dos grandes

4 ovos

100 ml de bebida de amêndoa

Sal e Pimenta q.b.

3 raminhos de tomilho (1 colher de chá de folhas)

 

Aquecer o azeite com os alhos picados numa frigideira e saltear os cogumelos temperados com sal e pimenta a gosto. Envolver o queijo fresco em papel de cozinha para perder o excesso de líquido.

Bater os ovos com bebida de amêndoa e temperar a gosto.

Estender a base da tarte numa tarteira e espalhar sobre a base os cogumelos, por cima o lombo desfiado e o queijo fresco esfarelado. Deitar a mistura de ovos e bebida de amêndoa sobre os cogumelos e salpicar com as folhas de tomilho.

Levar a forno quente até a massa estar cozida e o recheio bem dourado.

Servir quente ou frio com uma salada.

 

20220506_190401.jpg

(antes de ir ao forno)

Seg | 16.05.22

alternativas

 

Costumo comer pouco ao jantar o que significa que passadas duas horitas dou comigo a fazer raides à despensa para ver o que é que pode marchar.

Normalmente há biscoitos dos que costumo fazer, numa tentativa de pelo menos comer algo menos danoso para o colesterol e saúde em geral do que os alimentos processados que nos tentam nas prateleiras dos supermercados. Uma das alternativas que aprecio bastante é uma mistura de frutos e sementes secos que, consumida com moderação, ajuda a saciar o bichinho da larica e é muito agradável.

Atenção à quantidade! Um punhado por dia é suficiente. É que os frutos secos são bastante 'gordos' em calorias embora sejam também ricos em fibras, antioxidantes, vitaminas e minerais, dos que são bons para o coração em beneficiam a saúde em geral.

E não. Lamento informar mas aqueles frutos secos tostados com sal que há à venda nos supermercados não são a mesma coisa. É que além do sal, a maioria deles são tostados em óleo (leiam os ingredientes e vejam lá se não é verdade).

 

Frutos secos tostados com canela

 

20220509_155647.jpg

 

Aquecer uma frigideira antiaderente e tostar ligeiramente uma mistura de frutos e sementes secos (usei amêndoa, noz-pecã, castanha do maranhão, sementes de girassol e pevides de abóbora).

Depois de tostado a gosto retirar do lume e acrescentar arandos secos e uma colher de chá de canela. Mexer para envolver bem os frutos com a canela, deixar arrefecer e guardar.

 

Sex | 13.05.22

está quase

 

Conheço bem a zona de Sever do Vouga já que a minha Mãe é de uma aldeia daquele concelho e quando está na época costumo comprar mirtilos que por lá se vendem a muito bom preço. Também há a Feira Nacional do Mirtilo que este ano regressa após o interregno forçado pela pandemia e se realiza entre os dias 24 e 26 de Junho no Parque Urbano de Sever do Vouga.

Isto para dizer que não tarda nada está novamente na época dos mirtilos e ainda não acabei de gastar os que comprei no ano passado. Por isso, este bolo.

 

Bolo de Mirtilos

 

20220504_145436.jpg

 

1 copo de açúcar amarelo

2 copos de farinha de trigo

1 colher de sopa de fermento em pó

1 pitada de sal

1 ovo grande

1 copo de leite

1/3 de copo de óleo de girassol

1 copo de mirtilos (usei congelados)

 

Aquecer o forno. Untar uma forma de bolo inglês (ou forrar com papel de ir ao forno).

Numa taça misturar o açúcar com a farinha, o fermento e o sal.

Noutra taça bater o ovo com o leite e o óleo.

Misturar a mistura líquida na mistura seca mexendo sem bater, apenas até estar sem farinha visível. Adicionar os mirtilos e envolver.

Deitar a massa na forma e levar ao forno por cerca de cinquenta minutos a uma hora. Verificar com um palito e cobrir com papel de alumínio se começar a queimar antes de estar cozido.

Retirar do forno e deixar arrefecer.

 

Qui | 12.05.22

misturas

 

Não tenho por hábito comprar misturas de ervas aromáticas, daquelas que na embalagem diz 'para temperar grelhados', ou 'para temperar saladas', ou 'para temperar peixe', já perceberam a ideia... no entanto, adoro temperar com ervas aromáticas e tenho bastantes na horta.

Assim numa contagem rápida tenho orégãos, tomilho, aneto, nêveda, salsa, aipo, cebolinho, salva, coentros e mais algumas que não me lembro. O que costumo fazer é secar algumas dessas ervas quando estão na altura e depois faço a mistura que me interessa. Esta levou salva, tomilho e orégãos e juntamente com o limão em conserva, deu um gosto supimpa a esta carne.

 

Carne de Porco com Limão em Conserva

 

20220405_112526.jpg

 

Marinada:

300 grs de pá de porco em cubos pequenos

1/2 limão em conserva picado

1 colher de sopa de mistura de ervas aromáticas

1 colher de chá de Paprica

1 colher de chá de piripiri

100 ml de vinho

1 colher de sopa de azeite

Sal q.b.

Para fritar:

2 dentes de alho esmagados

2 colheres de sopa de azeite

 

Fazer uma marinada com os ingredientes indicados e deixar a tomar gosto por uma hora.

Aquecer o azeite (ou uma mistura de banha e azeite) numa frigideira e saltear os cubos de carne até ganharem cor. Adicionar o líquido da marinada e um pouco de água para fazer molho e tapar a frigideira. Mexer de vez em quando e retirar do lume ao fim de uns vinte minutos. Se necessário acrescentar mais líquido para manter molho.

Servir com couscous e esparregado de urtigas.

 

20220407_114809.jpg

 

Qua | 11.05.22

indulgências

 

Confitar é cozinhar alimentos em gordura, a baixas temperaturas - cerca de 20ºC a 130ºC - muito lentamente e sem deixar fritar.

 

Já tinha confitado bacalhau outras vezes mas nunca aqui tinha publicado a receita. Não há prato mais fácil de fazer e só temos que ter o cuidado de não deixar o azeite levantar fervura já que se assim fosse, passava a bacalhau frito e não é o que queremos.

Ah, tanto azeite e tal! Pois, mas o azeite que sobra pode (e deve) ser usado noutras preparações que levem azeite, em refogados, por exemplo. Não é um prato leve mas a gordura é da boa, e claro, não é para comer todos os dias.

 

Bacalhau Confitado

(com batatas novas salteadas)

 

20220501_125757.jpg

 

2 lombos de bacalhau demolhados

2 dentes de alho inteiros (esmagados, sem a pele)

4 raminhos de tomilho

12 bolinhas de pimenta preta

400 ml de azeite extra virgem

 

Colocar os lombos de bacalhau com a pele para cima num tachinho grande o suficiente para os conter, sem muito espaço de sobra. Colocar os restantes ingredientes e cobrir com o azeite de modo a que o bacalhau fique completamente tapado com o azeite.

Levar a lume muito brando e cozer por cerca de quinze minutos, evitando que o azeite levante fervura.

Servir acompanhado com batatas cozidas e salteadas em azeite (pode ser com azeite usado para confitar o bacalhau), alho e salsa e com uma salada.

 

20220501_125710.jpg

 

Nota: O bacalhau da foto não está com a pele para cima pois já estava pronto e virei-o para que ficasse melhor no retrato

 

Seg | 09.05.22

o que é natural é bom...

 

O meu iogurte favorito é o natural, sem sabores, pedaços, sem ser líquido e branquinho, é como eu gosto. E é tão fácil de fazer em casa que a maioria das vezes nem me dou ao trabalho de comprar. Depois acrescento o que me apetece: mel, frutas, granola, compotas, conforme o 'apetecia-me algo' do dia. E também podem ser usados em receitas que pedem iogurte: quiches, marinadas, sobremesas.

Agora que não preciso de usar a minha lancheira para levar o almoço para o trabalho, uso-a para fazer iogurtes. Se podia fazê-los numa daquelas máquinas super-mega-hiper-xpto que há à venda e que cozinham e tudo?

Podia. Mas não era a mesma coisa...

 

Iogurte Natural

 

photocollage_20225994232693.jpg

 

1 litro de leite fresco meio gordo (usei marca branca)

1 iogurte natural (usei marca branca)

 

Aquecer o leite até estar morno e agradável ao toque (ou usar um termómetro para alcançar os 45ºC).

Dissolver o iogurte natural no leite morno e mexer bem. Coar esta mistura para dentro de frasquinhos limpos e secos e tapar.

Encher dois frasquinhos com água a ferver e colocar todos os frascos, os que têm a mistura de leite e os que têm água a ferver, dentro de uma lancheira. Fechar bem e guardar onde não seja mexido durante oito horas (pode ser dentro do forno, por exemplo).

Ao fim desse tempo retirar os frascos de iogurte da lancheira e guardar no frigorífico até serem consumidos.

 

20220504_200822.jpg

 

Notas:

Os frascos podem ser quaisquer, usei uns que me ofereceram e que levam 200ml cada;

A minha lancheira [marmita para alguns] é de neopereno mas também podem ser usadas aquelas que têm o interior que parece papel de alumínio;

 

Sex | 06.05.22

até me custa...

 

Adoro cheesecakes, sejam dos de ir ao forno sejam daqueles com gelatina. E este, em que aproveitei para gastar umas embalagens cujo prazo estava quase a terminar, ficou meso bom, cremoso (devido ao queijo Mascarpone) e fresco, acompanhado por morangos que agora estão por toda a parte e já sabem muito bem.

 

Cheesecake de Três Queijos

 

20220501_122743.jpg

 

250 grs de queijo Mascarpone

250 grs de queijo Quark

250 grs de queijo-creme

200 grs de açúcar

2 colheres de sopa rasas de farinha Maizena

1 colher de chá de extracto de baunilha

4 ovos

Sumo de um limão

 

Misturar todos os ingredientes numa taça e bater com uma batedeira (ou com a varinha mágica ou com uma vara de arames).

Molhar uma folha de papel de ir ao forno e espremer o excesso de água. Forrar uma forma redonda de 20 cms com a folha de papel e deitar a massa na forma.

Levar a forno médio por cerca de quarenta e cinco minutos a uma hora. Depois de cozido desligar o forno e deixar arrefecer dentro do forno com a porta entreaberta (vai baixar mas é mesmo assim). De seguida levar ao frigorífico e deixar por umas horas ou até ao dia seguinte.

Acompanhar com morangos às rodelas com uma colher de sopa de açúcar e sumo de limão.

 

Qua | 04.05.22

Ufa!

 

Embora esta receita pareça complicada, é bastante fácil de fazer desde que nos organizemos e tenhamos dotes de 'multitasking' (fazer várias coisas em simulâneo).

Ou seja, enquanto cozemos as batatas e os tratamos dos grelos, assamos o bacalhau e enquanto fazemos a cebolada, lascamos o bacalhau. Depois é só acondicionar em camadas e pôr no forno.

Mas vale mesmo a pena! E se a broa for caseira como a que usei e que é feita com mestria por um irmão meu, ainda melhor.

 

Bacalhau com Grelos e Broa

 

20220327_125853.jpg

 

500 grs de bacalhau demolhado (de preferência lombos)
1 kg de batatas pequenas
1 molho de grelos
3 cebolas
4 dentes de alho
Azeite q.b.
Sal q.b.
350 grs de broa de milho ralada

 

Lavar e cozer as batatas com a pele em água temperada com sal e reservar. Aproveitar a mesma água para cozer os grelos. Depois de cozidos escorrem-se e espremem-se bem para retirar o excesso de água. Aquecer azeite num tacho, juntar dois dentes de alho picados e os grelos cortados e envolver bem. Reservar.
 
Entretanto colocar o bacalhau numa assadeira e levar ao forno por quinze a vinte minutos, dependendo da altura. Retirar do forno e reservar enquanto arrefece.
 
Numa frigideira, aquecer um bom fundo de azeite com dois dentes de alho em rodelas. Juntar a cebola cortada em meias luas e se for necessário, acrescentar mais azeite, para cobrir a cebola. Deixar refogar em lume brando até a cebola estar cozida mas sem ficar castanha. Retirar peles e espinhas ao bacalhau e lascar.
 
Num tabuleiro de ir ao forno, colocar uma camada de batatas e dar um murro em cada uma para as espalmar. Por cima colocar a cebolada, reservando a maioria do azeite para cobrir a broa. Colocar o bacalhau em lascas sobre a cebolada e tapar com os grelos. Por fim, cobrir tudo com a broa ralada e verter o restante azeite da cebolada sobre a broa.
 
Levar a forno quente até alourar.

 

20220327_122856.jpg

 

Seg | 02.05.22

sabiam?

 

Os abacates são são o fruto do abacateiro (Persea americana) e são mal-amados por uns e adorados por outros. Eu estou no meio-termo. Gosto de algumas maneiras, detesto de outras, se calhar tem mais a ver com a minha disposição do dia e não com o fruto em si...

Comparativamente a outros, é um fruto bastante rico em vitaminas e nutrientes – ácido fólico, magnésio, potássio e vitaminas B, E e K. Apesar de ser bastante gordo, as gorduras que tem são das boas, das que ajudam a diminuir o colesterol; também ajuda a baixar a hipertensão, a reduzir o risco de doenças cardíacas e a melhorar a saúde ocular, além de outros beneficios para a saúde.  Mas não são só coisas boas, o abacate não é bom para quem sofre de insuficiência renal devido ao seu alto teor de potássio.

Uma curiosidade que muitos se calhar desconhecem tem a ver com o nome: os aztecas chamavam-lhe ahuacatl que no seu idioma significava testículo, devido à forma do fruto.

O abacate que usei nesta receita tinha a polpa mais clarinha do que os de outras variedades. Experimentem e se não gostam de queijo Feta, talvez possam trocar por requeijão.

 

Tosta de Abacate e Queijo Feta

 

20220429_200535.jpg

 

1 abacate médio

100 grs de queijo Feta

Sumo de meio limão

Pimenta preta q.b.

1 raminho de aneto

Torradas de pão alentejano ou de Rio Maior

Ovo estrelado

 

Retirar a polpa do abacate e misturar com o queijo Feta, esmagando com um garfo grosseiramente. Adicionar o sumo de limão e temperar com pimenta a gosto. Juntar também o aneto picado (ou coentros, salsa ou outra erva a gosto).

Barrar as torradas com esta pasta colocar em cima um ovo estrelado.