Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Blogue de receitas flexitarianas (carne, peixe e assim-assim)

Belita, a Rainha dos Couratos

Blogue de receitas flexitarianas (carne, peixe e assim-assim)

Seg | 30.08.21

a pedido de várias famílias

 

Focaccia é um pão italiano cujo nome deriva do latim focus  (lareira). Não é um pão doce, ao contrário da nossa Fogaça e em Itália há várias versões consoante a zona do país. Nunca fiz focaccia embora já há alguns anos tenha começado a ver receitas que me chamaram a atenção. Acho que tive preguiça de experimentar porque me parecia muito trabalho para um pão que, apesar de levedado, não parece na realidade um pão. Mas, com mais tempo livre e vontade de experimentar receitas que tenho andado a protelar, decidi começar por esta, que me pareceu bem desafiadora (toda a gente sabe que não tenho muita paciência para coisas minuciosas e tenho tendência a ir por atalhos que me poupem tempo e que neste caso não dariam bom resultado), além de artística.

Espero que apreciem. Se já costumam fazer focaccia, podem usar a vossa receita original, a parte da 'jardinagem' vai bem com qualquer uma. E apesar de parecer muito trabalhoso, não é na realidade e dá um prazer imenso comer uma coisa tão bonita

 

Jardim de Focaccia

 

20210825_115243.jpg

(antes de ir ao forno)

 

2 copos de água morna

1 colher de sopa rasa de açúcar

7 gramas de fermento de padeiro granulado

1/4 de copo de azeite

1 pitada de sal

5 copos de farinha sem fermento

 

Azeite para untar

Vegetais para o 'jardim'

 

Na taça da batedeira pôr um copo de água, o açúcar e o fermento. Mexer e deixar por uns cinco minutos até ficar com espuma no topo.

Juntar um copo de farinha e mexer. Adicionar o restante copo de água, o azeite e metade da farinha. Mexer e juntar a restante farinha, continuando a amassar até que a massa se despegue da taça. Eu não usei a batedeira, fiz tudo à mão numa taça e amassei por dez minutos na banca da cozinha (tempo livre e isso...).

Pôr a massa numa taça untada de azeite e deixar repousar por uma a duas horas.

Untar um tabuleiro com uma película de azeite e com as mãos também untadas de azeite transferir a massa para o tabuleiro. Espalhar bem com as mãos para que preencha toda a base. Tapar com película aderente e levar ao frigorífico por umas horas ou até ao dia seguinte.

Retirar do frigorífico quando estivermos prontos para cozer a focaccia. Ligar o forno e preparar os vegetais para fazer o 'jardim'.

Podemos usar tudo o que quisermos, cascas (usei de beringela), curgetes, tomates, pimentos, cebola, azeitonas, milho, ervilhas, espargos, cenouras, ervas aromáticas e por aí fora. Os vegetais podem ser frescos ou congelados (usei o milho, as ervilhas e as tiras de cenoura de uma mistura de vegetais congelados). A criatividade de cada um é que vai ditar o que se vai usar.

Pincelamos a massa com azeite e com as pontas dos dedos fazemos pequenas covas; de seguida espalhamos os vegetais ao nosso gosto. Por fim pincelamos azeite sobre os vegetais para que não queimem e levamos ao forno por vinte a trinta minutos.

 

20210824_195738-COLLAGE.jpg

 

Nota: a focaccia da foto gastou apenas metade da massa da receita. A restante pode ser congelada.

 

Sex | 27.08.21

Tesourinhos

 

Quando se tem um blogue de receitas, ou melhor, quando se gosta tanto de receitas que temos um arquivo de centenas (milhares?) delas para experimentar, é raro repetir muitas vezes as mesmas. No entanto, há algumas a que não resisto e embora neste caso esta seja apenas a segunda vez que faço este bolo (a primeira foi em 2015), o que é certo é que de vez em quando me lembro de como gostei do sabor e penso que devia repetir.

Como tem havido framboesas caseiras na praça que tenho comprado a bom preço, decidi matar saudades e só posso dizer que esta não vai ser a última vez que o vou fazer.

A receita original deste tesourinho está aqui  mas a primeira vez que a vi foi no blogue As Minhas Receitas.

 

Bolo Brownie de Chocolate e Framboesas

 

20210825_122000.jpg

(antes de ir ao forno)

 

200 grs de chocolate (70% cacau)
100 grs de açúcar amarelo

60 grs de manteiga
60 ml de natas
3 ovos

40 grs de farinha
125 grs de framboesas frescas
açúcar em pó para polvilhar q.b.

 

Numa caçarola põe-se o chocolate em pedaços pequenos, o açúcar, a manteiga e as natas e leva-se a lume muito brando até estar tudo derretido.

Numa taça misturam-se os ovos com a farinha e adiciona-se a mistura do chocolate derretido, mexendo bem até estar um creme liso e sem grumos.

Unta-se uma forma redonda (de preferência das de mola), forra-se com papel vegetal e deita-se a massa na forma. Por cima dispõem-se as framboesas reservando algumas para decoração final (se se lembrarem…) e leva-se ao forno previamente aquecido, a 160ºC, por cerca de 35 minutos. O meu forno não tem medidor por isso pus no mínimo, com a chama baixa.

Retira-se do forno e deixa-se arrefecer uns minutos antes de desenformar. Deixa-se arrefecer completamente e polvilha-se com açúcar em pó e enfeita-se com framboesas frescas (se nos lembrarmos…)

Vai lindamente com uma bola de gelado.

 

Qua | 25.08.21

no-brainer

 

O que é que acontece quando tens de sobra um nico de posta de bacalhau cozido, quatro colheres de lentilhas cozidas e uma mão-cheia de arroz basmati cozido?

Juntamos mais qualquer coisinha e fazemos uma salada.

Atenção, a olhómetro!

 

Salada Improvável

 

20210813_132455.jpg

 

Lascas de bacalhau cozido

Arroz cozido

Lentilhas

Beterraba em picles aos cubos

Ovo cozido picado

Tomates cherry em metades

Azeitonas às rodelas

Cebolinha às rodelas

Sal e Pimenta

 

Pôr todos os ingredientes num prato e deitar um fio de azeite e um esguicho de vinagre por cima.

 

Seg | 23.08.21

chances

 

Não é a imagem mais glamorosa e sim, os olhos também comem. Mas por vezes precisamos de nos focar naquilo que não está lá à primeira vista e dar a oportunidade ao que, numa primeira análise, não causa grande impressão.

É o caso deste prato. Tão pobre em aspecto e no entanto com um sabor fenomenal.

 

Alheira à Brás

 

20210813_200949.jpg

 

1 alheira

1 cebola

1 dente de alho

azeite q.b.

1 embalagem de batata palha (usei das mais finas)

4 ovos batidos

sal e pimenta q.b.

Salsa picada

 

Cortar a cebola em meias-luas e o alho em tirinhas e a lourar ambos em azeite. Retirar a alheira da pele e cortar em pedaços. Juntar à cebolada e desfazer com a ajuda de uma colher de pau. De seguida juntar a batata palha e envolver bem. Temperar com sal e pimenta a gosto e adicionar os ovos batidos (usei quatro porque eram bem grandes, podem ser usados cinco se forem médidos). Mexer para envolver o ovo nos restantes ingredientes e polvilhar com salsa picada.

Servir com salada de tomate e azeitonas.

 

Sex | 20.08.21

ciclos

 

Para quem não sabe, eu sou de marés. E a maré agora é de peras. Não tarda vão sair receitas de maçãs já que as minhas macieiras já as começam a deixar cair, ainda que não estejam completamente maduras. Mas agora é de peras e é uma receita de peras que trago hoje. Já trouxe uma de bolo na semana passada, hoje é de tarte. E como podem ver mais abaixo, as minhas peras não são vegan...

 

Tarte Custarda de Peras

 

20210807_202242.jpg

 

4 peras maduras, descascadas e cortadas em fatias grossas

1/4 de copo de manteiga derretida

3 ovos

3/4 de copo de leite

1 pitada de sal

1/3 de copo de açúcar amarelo

1/3 de copo de farinha

2 colheres de chá de extracto de baunilha

Açúcar em pó para polvilhar

Manteiga para untar a forma

 

Aquecer o forno e untar uma forma de tarte (usei uma de louça).

Dispôr as fatias de pera na forma.

Numa taça bater a manteiga com os ovos, o leite, o sal, o açúcar, a farinha e a baunilha. Deitar esta massa líquida sobre as peras e levar ao forno por cerca de quarenta minutos.

Retirar do forno e deixar arrefecer. Polvilhar com açúcar em pó antes de servir.

 

20210807_174421.jpg

 

Qua | 18.08.21

Perishable Thoughts

 

Há montes de tempo que não faço uma rúbrica "Perishable Thoughts". A última vez ainda nem estávamos em pandemia!

Está mesmo na altura de trazer estes assuntos aleatórios para a nossa vida outra vez e por isso hoje vamos falar de cubos de gelo. Sim, cubos de gelo. Mas não são uns quaisquer, são cubos de gelo feitos de sumos de frutas ou outros alimentos que quando estão na época têm que ser gastos às carradas e também são bastante em conta se tivermos que os comprar na praça. 

Nesta altura tenho de sumo de ameixas brancas, sumo de ameixas vermelhas e beterrabas. Também tenho às vezes de cenoura, de agriões e do que der jeito passar ao estado líquido. Depois é só pôr naqueles saquinhos de fazer cubos de gelos e já está.

E como se usam, perguntam vocês?

A maneira mais básica para mim é juntar um ou dois ao sumo de laranja. Mas também são excelentes para pôr em sangrias ou refrescos, para batidos ou smoothies. Além de tudo o mais, juntam côr à nossa vida!

 

20210812_114327.jpg

 

 

Seg | 16.08.21

Monday, monday...

 

Faço bastantes refeições vegetarianas, não porque seja vegetariana mas porque gosto dos sabores e além disso gosto de variar. E é tão fácil fazer comidas que saibam mesmo bem sem no entanto levarem carne ou peixe (embora também goste dessas).

Esta receita aconteceu por acaso. Tinha alguns ingredientes que precisava gastar e nada melhor do que prazos a terminar para fazer borbulhar a criatividade.

 

Assado de vegetais com queijo Feta

 

20210804_114145.jpg

 

Batata doce em rodelas finas

Curgete em rodelas finas

Cogumelos em rodelas finas

100 grs de queijo Feta

50 grs de queijo Mozarela

Orégãos

2 ovos

100 ml de natas

100 ml de leite

 

Pôr os ingredientes em camadas começando com a batata doce, seguida da curgete e por fim os cogumelos. Polvilhar com queijo Feta esfarelado e repetir as camadas. 

Bater os ovos com as natas e com o leite e temperar a gosto. Deitar sobre os vegetais e por cima espalhar orégãos e queijo Mozarela. Levar ao forno cerca de meia hora e servir com tomate assado.

 

20210804_115433.jpg

(antes de ir ao forno)

 

20210804_122639.jpg

 

Sex | 13.08.21

quem nunca?

 

O chocolate fica bem com quase tudo mas a combinação de peras e chocolate é das minhas favoritas (assim como a de maçãs com canela). Descoberta esta receita no Pinterest, não pude senão experimentar, até porque depois de conservar a maioria das peras da minha pereira em calda, ainda era preciso gastar mais algumas já que têm a mania de ficar maduras todas ao mesmo tempo e acaba por se tornar cansativo comer peras de empreitada.

Além disso, bolo de iogurte...

 

Bolo de Iogurte com Pera e Chocolate

 

20210730_155734.jpg

 

1 e 1/2 copos de farinha

2 colheres de chá de fermento em pó

1 pitada de sal

1 copo de iogurte natural (usei grego)

1 copo de açúcar amarelo

3 ovos grandes

1/2 colher de chá de extracto de baunilha

1/2 copo de óleo de girassol

2 peras cortadas em pedacinhos

50 grs de chocolate negro

 

Aquecer o forno.

Numa taça misturar a farinha com o fermento e o sal.

Noutra taça maior bater o iogurte com o açúcar, os ovos e o extracto de baunilha. Adicionar os ingredientes secos, um pouco de cada vez e finalmente envolver com uma espátula o óleo, até ficar uma massa suave.

Deitar metade da massa numa forma de bolo inglês untada ou forrada com um papel vegetal (sem untar). Por cima pôr metade da pera e do chocolate. Cobrir com a restante massa e terminar com os restantes bocadinhos de pera e chocolate. Levar ao forno por cerca de cinquenta minutos a uma hora, dependendo do forno. No meu, que não tem ventilação nem dá para medir a temperatura, demorou cinquenta minutos. Verificar no meio com um palito se está cozido. Retirar do forno e deixar arrefecer por uns minutos e depois desenformar.

 

20210730_131852-COLLAGE.jpg

 

 

 

Qui | 12.08.21

brainstorming

 

Às vezes sobra um hamburguer no congelador. Convenhamos que é pouco para duas pessoas e se não levar destino acaba por andar ali a ganhar gelo até aparecer outro que lhe faça companhia...

Ou então pomos o chapéu da criatividade e fazemos mais com menos.

 

Curgetes e Beringelas Recheadas

 

20210724_184546-COLLAGE.jpg

 

2 curgetes/beringelas

Azeite q.b.

1 cebola picada

150 grs de carne picada

50 grs de pistachos picados

50 grs de queijo Feta esfarelado

Orégãos

Sal e pimenta

 

Cortar as curgetes e beringelas ao meio, pincelar com azeite, salpicar com sal e levar ao forno, a parte cortada virada para cima, para assar durante cerca de vinte minutos. Retirar do forno e com uma colher remover a polpa. Reservar.

Aquecer uma frigideira com um pouco de azeite e alourar a cebola. Juntar a carne picada, deixar cozer uns minutos até perder a cor, adicionar os pistachos e a polpa das curgetes e beringelas picada. Temperar a gosto com os orégãos (ou outra erva aromática a gosto) e sal e pimenta.

Retirar do lume e adicionar o queijo Feta. Deitar esta mistura nas metades vazias dos vegetais e levar ao forno por uns minutos até assar completamente.

 

Nota: para uma versão vegetariana, omitir a carne picada ou substituir por soja granulada

 

Ter | 10.08.21

conserveira da Póvoa de Cima

 

Aproveitar a maré de tomates maduros para guardar para o resto do ano (e sim, há latas e frascos de molho de tomate à venda nos supermercados mas qual é o gozo de ter produtos prontos para gastar se não podemos fazê-los render pelo ano fora?) é, além de 'esperto', muito enriquecedor.

Recorri a esta receita que segui com ligeiras alterações. Como nunca tinha feito conservas no forno optei por fazer também a parte de selar os frascos num banho-maria. Não costumo fazer isso porque envaso as conservas a ferver e isso faz com que ganhem o vácuo que necessitam para preservar por meses ou mesmo anos. Mas neste caso fiz o assado ao almoço e o envase à tardinha, por isso achei que era melhor fazer o serviço completo. Foi menos complicado do que imaginei e posso dizer que este molho ficou muito mais rico do que os que costumo fazer ao lume do fogão.

 

Conserva de Molho de Tomate

 

20210807_121326.jpg

 

Tomates maduros

Cebola

Pimento

1 cabeça de alhos

Orégãos

Manjericão

Azeite

Vinagre Balsâmico

Sal

 

Cortar os tomates em quartos, o pimento em tiras, a cebola em meias-luas grossas e a cabeça de alhos ao meio. Dispôr num tabuleiro para ir ao forno e salpicar com o sal e as ervas aromáticas. Verter um jorro de azeite e um esguicho de vinagre sobre os ingredientes e levar ao forno por cerca de uma hora.

Retirar do forno, apertar os alhos para retirar a pele e descartar as ervas aromáticas. Isto pode ser feito frio ou quente. Pôr o assado no robot de cozinha  e triturar (ou num recipiente alto para triturar com a varinha mágica ou mesmo com o passe-vite). Deitar o molho em frascos esterilizados e tapar bem.

Levar uma panela ao lume com água suficiente para cobrir os frascos. No fundo da panela deve pôr-se um pano da louça dobrado para que os frascos não toquem no fundo directamente. Deixar levantar ferura e ferver pelo menos por quinze minutos. Desligar o lume e retirar os frascos da água com uma tenaz, com muito cuidado porque estarão a ferver. Deixar arrefecer e observar se as tampas baixaram (quando se tiram da água, as tampas dos frascos estão um pouco abauladas para fora, como se ivessem inchado).

Guardar em lugar seco e fresco.

 

20210807_201959.jpg

 

 

 

 

Seg | 09.08.21

'fruta' da época

 

Utilizo muitas vezes curgetes para enriquecer as sopas que faço, substituindo algumas batatas que podem fazer uma sopa mais pesada. Desta vez, e depois de ver esta receita, optei por fazer uma sopa só e apenas com a curgete como estrela principal. E deixem-me que vos diga... onde é que andei até aqui?

 

Sopa Cremosa de Curgete

 

20210805_201940.jpg

 

1 colher de sopa de azeite

2 curgetes grandes (usei curgetes de casca branca)

1 cebola grande picada grosseiramente

3 dentes de alho picados

750 ml de água (ou caldo de legumes) a ferver

Sal, pimenta preta e tomilho q.b.

 

Aquecer o azeite e adicionar a cebola, o alho e a curgete. Mexer, deixar apurar um ou dois minutos e acrescentar a água. Temperar com o sal, a pimenta e o tomilho a gosto e deixar cozer por cerca de vinte minutos.

Triturar com a varinha mágica (se formos feiticeiras podemos mesmo usar a varinha de condão ) e servir com umas gotas de azeite, pimenta moída na altura e folhas de tomilho (usei fresco).

 

Nota: a receita original leva natas. Optei por não usar mas como fiz também ficou muito cremosa

 

Sex | 06.08.21

ir à praça

 

Na praça cá da terra vendem-se na maioria das vezes as coisas básicas do dia-a-dia, seja no peixe, nas verduras, etc. De vez em quando lá aparecem umas novidades (acelgas coloridas, que eu e a minha irmã cultivamos e adoramos há anos, apenas agora começaram a aparecer). 

Framboesas, não sendo propriamente novidade, é raro haver. Ultimamente, no entanto, tem havido umas caseiras e a um preço que me faz querer trazê-las todas nem que seja para comer à mão-cheia. Ou para fazer disto!

 

Folhado de Framboesas

 

20210801_085642.jpg

 

1 embalagem de massa folhada

150 grs de queijo-creme

2 colheres de sopa de açúcar amarelo

100 grs de framboesas

Ovo batido q.b.

Calda:

100 grs de açúar em pó

1 colher de chá de leite

 

Cortar a massa em rectângulos e fazer um corte por dentro, com a largura de cerca de um centímetro (pela foto dá para ver que não sou boa de medidas...).

Bater o queijo creme com o açúcar e misturar as framboesas, esmigalhando bem.

Deitar este creme no centro dos rectângulos de massa folhada e espalhar ligeiramente. Pincelar com ovo batido a toda a volta da massa e polvihar com um pouco de açúcar. Levar ao forno até estar dourado (cerca de vinte minutos). Retirar do forno e deixar arrefecer.

Entretanto fazer a calda. Misturar o açúcar em pó com o leite e mexer bem. Fica uma pasta grossa, se necessário acrescentar mais umas gotas de leite. Deixar cair em fio sobre os folhados de framboesa.

 

Qui | 05.08.21

de mentirinha

 

A minha amiga Graça faz uma carne assada mesmo boa. Mas mesmo!

A surpresa foi quando percebi que afinal chama-se carne assada mas é feita num tacho, ao lume do fogão. Na realidade, quando o tempo está quente e não apetece ligar o forno, não há melhor opção. Ora vejam.

 

Carne 'Assada' no Tacho

 

20210718_130028.jpg

 

3 alhos picados

1 cebola picada

Azeite q.b.

1 tomate bem maduro picado

1 kg de carne de vitela (sem ser muito seca)

100 ml de vinho branco ou tinto

100 ml de cerveja

100 ml de água

1 colher de sopa de margarina

1 colher de sopa de pingue (não usei)

Sal q.b.

1 raminho de salsa

Pimenta preta moída

 

Pôr todos os ingredientes num tacho e levar a lume forte até levantar fervura. Tapar e baixar o lume e deixar 'assar' por cerca de duas horas. Se necessário acrescentar um pouco mais de líquido.

Retirar a carne e fatiar. Servir o molho à parte.

 

Qua | 04.08.21

alternativas

 

Já toda a gente mais a prima sabe que adoro atum. Até recentemente apenas consumia o de conserva mas de há uns tempos para cá tem aparecido nos supermercados um atum já cortado em tranches, sem peles nem espinhas, congelado, e que dá para fazer outras receitas que o atum em conserva, por melhor que seja, não permite.

Encontrada esta receita, apenas tive que experimentar (à minha maneira, ou seja, com pequenas alterações) e confirmar que sim, o atum 'fresco' é muito bom!

 

Bife de Atum com Molho de Mostarda

 

20210728_123052.jpg

 

2 bifes de atum

Pimenta preta moída

Sal q.b.

1 colher de sopa de azeite

1 colher de sopa de manteiga (usei Becel Cozinha)

50 ml de natas

1 colher de sopa de mostrada de Dijon

1 dente de alho ralado

Sumo e raspa de meio limão

 

Temperar o atum com sal e pimenta.

Aquecer uma frigideira com uma colher de sopa de azeite e fritar o atum, cerca de três a cinco minutos de cada lado para que não seque demais.

Entretanto aquece-se outra frigideira pequena com a manteiga, as natas, a mostarda, o alho e o sumo e raspa de limão. Acrescentar um pouco de água ou caldo de peixe para que não fique tão espesso.

Servir o atum com o molho, acompanhado de massa talharim picante cozida com vagens.

 

Nota: ao mesmo tempo que fritei o atum juntei uma rodela de limão cortada ao meio que fritei também, apenas para dar mais gosto.

 

Ter | 03.08.21

compras por impulso

 

No outro dia vi uma base de pizza num supermercado que era feita com farinha de espelta. Gosto imenso do sabor dessa farinha (parece que sabe a nozes) pelo que a trouxe para experimentar.

Como era muito grande, acabei por fazer dois recheios na mesma pizza. Gostei mais da metade que levou o queijo Feta porque achei que a combinação de presunto e queijo Manchego ficou um bocado salgada e eu não gosto de comida salgada (uma das razões por que não aprecio grandemente presunto, porque diabo é que fui usá-lo numa pizza?).

Foi tudo a 'olhómetro' que é uma ciência a que recorro imenso, por isso não deixo quantidades.

 

Pizza com base de farinha de espelta

 

20210717_201728.jpg

 

Molho de tomate (usei caseiro)

Fiambre de peru

Queijo Feta esfarelado

Azeitonas em rodelas

Pimento vermelho em tirinhas

Orégãos

Queijo Mozarela

*******************************

Presunto

Queijo Manchego

Pimenta preta moída

Orégãos

Queijo Mozarela

 

Pôr o molho de tomate na base da pizza e por cima espalhar os restantes ingredientes. Levar ao forno até derreter o queijo, cerca de vinte minutos.