Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Sex | 30.04.21

receitas dos outros

 

Tenho um amigo que descobriu recentemente as maravilhas de cozinhar e de fazer sobremesas (está reformado pelo que precisa de ocupar o seu tempo). De vez em quando encontra uma digna de registo e manda-me o link para eu também experimentar.

Esta é uma delas, facílima de fazer e com ingredientes de ter à mão.

 

Mousse de chocolate de corte

 

IMG_20210418_105946.jpg

 

1 pacote de natas

4 colheres de sopa de farinha Maizena

4 colheres de sopa de chocolate em pó

150 grs de açúcar

1 litro de leite

300 grs de chocolate (negro ou de leite)

 

Num tacho misturar as natas com as farinha Maizena, o chocolate em pó e o açúcar. Adicionar o leite e mexer bem até não encontrar grumos.

Levar ao lume mexendo sempre até engrossar. Quando estiver com uma textura cremosa adicionar o chocolate em pedaços e mexer até que fique completamente dissolvido.

Deitar esta mistura numa forma de bolo-inglês (preferencialmente de silicone) e leve ao frigorífico por umas oito horas. Desenformar com cuidado para um prato e servir cortando fatias.

 

Notas:

Tinha apenas 200 grs de chocolate por isso ficou um pouco menos denso do que se tivesse levado a quantidade pedida;

Não tenho forma de silicone pelo que usei uma de alumínio forrada com película aderente e por isso notam-se as marcas da película.

 

Qui | 29.04.21

bem bom!

 

Gosto bastante de receitas que permitem fazer o molho enquanto se está a cozinhar o prato, sem ter que ser feito à parte. Neste caso espalha-se a farinha sobre o refogado, adiciona-se o leite e já está o molho pronto. Sem sujar mais tachos. Economia sob várias formas.

A receita que serviu de inspiração foi esta mas alterei bastante. Fica apenas como referência se preferirem experimentar o original.

 

Mornay de Atum

 

IMG_20210326_201741.jpg

 

1 cebola picada

1 alho-francês

2 colheres de sopa de azeite

400 grs de mistura de vegetais congelados (vagens ervilhas, curgetes, cenoura, etc.)

1 lata de atum escorrido

2 colheres de sopa de farinha de trigo

250 m de leite

1 colher de sopa de molho Inglês

Sal e pimenta q.b.

2 copos de arroz integral cozido

 

Alourar a cebola picada e o alho francês em rodelas no azeite. Adicionar os vegetais e o atum e mexer deixando cozinhar por uns cinco minutos. Juntar a farinha e envolver adicionando de seguida o leite mexendo até começar a  engrossar o  molho. Juntar o molho inglês e temperar com pimenta e uma pitada de sal se necessário.

Pôr o arroz na base de uma assadeira de barro ou pyrex e por cima a mistura de atum. Polvilhar com pão ralado. Levar ao forno até alourar.

 

Seg | 26.04.21

falta de lembrança

 

Raramente me lembro de retirar do congelador as coisas que pretendo utilizar para cozinhar. E porquê?, perguntam vocês. Porque raramente sei com antecedência o que vou cozinhar. Por isso estas opções de poder usar os ingredientes sem ter que os descongelar primeiro vêm mesmo a jeito.

E neste caso em menos de uma hora consegui pôr este prato na mesa (mesmo com os lombos de pescada congelados).

 

Empadão de Peixe

 

IMG_20210410_125631.jpg

 

4 lombos de pescada congelados

1 cebola pequena

4 cravinhos

1 folha de louro

500 ml de leite

Sal q.b.

1 alho francês

1 talo de aipo

3 colheres de sopa de azeite

Pimenta q.b.

Noz-moscada q.b.

1 lata de salmão ou atum em água

2 colheres bem cheias de farinha de trigo

1 kg de batatas

1 dente de alho

1 ovo batido

 

Cozer os lombos de pescada em leite com uma cebola pequena com os cravinhos espetado e a folha de louro. Deixar levantar fervura e cozer por dez minutos. Retirar do lume e coar o leite que vai ser usado mais tarde. Cortar os lombos de pescada em bocados pequenos e reservar.

Alourar o alho francês em rodelas e o aipo, também em rodelas, no azeite. Adicionar os lombos de pescada em bocados e o salmão ou atum escorrido. Temperar com pimenta e noz-moscada e juntar a farinha: Mexer para envolver adicionando o leite onde cozeu o peixe. Continuar a mexer até engrossar.

Entretanto cozem-se as batatas com um dente de alho e faz-se um puré. Põe-se metade do puré numa taça, a mistura de peixe por cima e o restante puré. Pincelar com ovo batido e levar ao forno até alourar.

Servir com uma salada.

 

Sex | 16.04.21

receitas dos outros

 

A Clara de Sousa, jornalista de excelência, também cozinha e faz bricolage. Tem receitas muito boas e esta é uma das minhas favoritas.

A receita dela não pede que a perna de peru seja desossada mas experimentada por mim das duas maneiras, só posso dizer que os sabores fluem muito melhor se for desossada. Experimentem, de uma maneira ou de outra. Mesmo que peru não seja a vossa carne preferida, vão ver que assim fica muito bem.

 

Perna de peru assada

 

IMG_20210103_130936.jpg

 

1 perna de peru desossada (peçam no talho)

Batatas cortadas em cubos ou inteiras das pequeninas

6 alhos descascados

1 colher de sopa bem cheia de colorau

Sal q.b.

150 ml de azeite

1 colher de sopa bem cheia de orégãos secos

1 folha de louro

300 ml de vinho branco

 

Triturar os alhos com o sal, o colorau, o azeite e os orégãos. Barrar a perna de peru com esta pasta e espalhar a folha de louro em pedaços sobre a carne. Regar com o vinho e tapar com película aderente. Guardar no frigorífico de preferência até ao dia seguinte.

Quando for para assar, aquecer o forno. Pôr a perna de peru numa assadeira e à volta espalhar as batatas (também usei batata-doce). Regar tudo com o que restar da marinada e regue com mais um pouco de azeite (a receita original pede pingue mas não tinha).

Levar ao forno por uma hora ou um pouco mais, dependendo do tamanho da perna de peru, regando de vez em quando com o molho.

Servir com legumes cozidos ou uma salada.

 

Nota: os meus dotes para fotografar alguma comida não fazem justiça ao sabor…

 

Sex | 09.04.21

das saudades

 

Uma das coisas de que sinto falta, mas mesmo muito, é das minhas visitas à Galiza, aqui tão perto. Num ano normal era capaz de ir lá duas ou três vezes, quer de férias quer para ir a Tui ao mercado (à quinta-feira). Parece um disparate fazer cento e tal quilómetros para ir a um mercado mas é o que temos, era o que me agradava e além disso podia ir almoçar ao Cabalo Furado que é um dos meus restaurantes favoritos em Tui [o velho, embora o novo também não seja mau].

Ora desde Setembro de 2019 que não meto lá os pés e as saudades são muitas, quer dos lugares e gentes, quer da comida.

Quanto aos lugares e gentes não há muito a fazer senão esperar que tudo melhore para todos nós; quanto à comida, nada que não se resolva 

 

Empanada Galega de Bacalhau e Passas

 

IMG_20210402_191848.jpg

 

Massa:

500 grs de farinha

150 grs de óleo de girassol ou azeite

150 grs de leite

1 ovo batido

Sal q.b.

 

Recheio:

3 cebolas

1 colher de chá de pimentão ou paprica em pó

400 grs de bacalhau demolhado

4 colheres de sopa de azeite

75 grs de uvas passas

1 ovo batido

 

Numa taça pôr a farinha e fazer um buraco no meio, deitar aí os restantes ingredientes e amassar com uma mão enquanto a outra segura a taça. Não é necessário batedeira ou robot porque esta massa fica pronta num instante e não precisa de ser muito amassada, apenas precisa de ficar sem se agarrar às mãos. Deixa-se repousar enquanto fazemos o recheio e depois corta-se em duas partes, uma ligeiramente maior do que a outra.

Entretanto cortar as cebolas em rodelas ou meias-luas e alourar no azeite por cerca de dez minutos. Adicionar o pimentão e mexer.

Cortar o bacalhau em bocados com cerca de 2 cms e adicionar, juntamente com as passas, ao refogado. Mexer e apagar o lume. O bacalhau vai cozer no forno.

Estender metade da massa e forrar um tabuleiro com a massa. Pôr o recheio por cima e estender a outra metade da massa (a mais pequena) pondo-a por cima do recheio. Enrolar as pontas das duas metades da massa descartando o que estiver a mais. Usar essa massa a mais para enfeitar a empanada.

Pincelar com o ovo batido e levar a forno quente por cerca de 20 a 30 minutos, deve estar dourada.

 

Nota: As receitas, quer da massa quer do recheio, vieram daqui

 

IMG_20190902_152846-COLLAGE.jpg

(coisas que me fazem falta)

Ter | 06.04.21

nunca são demais

 

No meu entender não existe uma coisa chamada ‘ovos a mais’. Nunca são demais e quando de repente temos uma data deles por causa dos folares da Páscoa, há muitas maneiras de os gastar. Esta foi a mais recente.

 

Salada de Ovo

(para recheio de sandes)

 

IMG_20210404_121924.jpg

 

4 ovos cozidos

1 talo de aipo bem picado

1 haste de salsa picada

1 haste de aneto (endro) picado

1 colher de sopa de maionese

1 colher de sopa de mostarda

1 colher de sopa de iogurte grego

Sal e pimenta q.b.

 

Picar muito bem os ovos cozidos e misturar com os restantes ingredientes.

Excelente para recheio de sandes, para comer com tostas ou para acompanhar com uma salada de alface.

 

Qui | 01.04.21

À escolha

 

Se quiserem receitas de folar ou hot cross buns para esta páscoa, podem ver esta receita, ou esta, mais esta e ainda outra.

É um pão de ló alto e fofo que querem? Está aqui a melhor receita de sempre!

Se quiserem um bolo daqueles que além de bom, muito bom, salta à vista, não procurem mais que ficamos já por aqui.

Se não quiserem nada disto, experimentem estas queijadas.

Boa Páscoa!

 

Queijadas de Requeijão

 

IMG_20210328_141601.jpg

 

1 requeijão de Seia

4 ovos

150 grs de açúcar amarelo

2 colheres de sopa de farinha de trigo

Raspa de uma laranja

1 colher de chá de água de flor de laranjeira (opcional)

Canela para polvilhar

 

Esmigalhar o requeijão com um garfo e juntar os restantes ingredientes. Mexer bem e deitar em formas de queque ou muffins forradas com forminhas de papel plissado.

Levar ao forno por cerca de 20 minutos. Retirar e polvilhar com canela.