Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Qui | 27.02.20

ouh là là

 

Existe um prato francês muito famoso por conta de uma cozinheira americana chamada Julia Child (magnificamente interpretada pela carismática Meryl Streep no filme Julie and Julia).

O prato chama-se Bœuf Bourguignon e é basicamente feito com chalotas, cubos de carne de vaca e vinho tinto da Borgonha (daí o nome) que apuram no forno por umas horas.

Optei por fazer uma receita que me pareceu muito bem e que em vez de carne de vaca usa cogumelos, que são um dos meus ingredientes favoritos, e é bem mais rápida a fazer.

Até lhe podia chamar Cogumelos Dourignon já que usei um vinho Cadão Douro DOC Tinto, em vez de um da Borgonha, mas não… 

 

Cogumelos Bourguignon

 

IMG_20200207_202335.jpg

 

2 colheres de sopa de azeite

2 colheres de sopa de manteiga

650 grs de cogumelos (usei uma mistura de vários tipos)

1 cenoura em cubinhos

1 cebola picada

Sal e pimenta preta q.b.

1 colher de chá de folhas de tomilho frescas (ou secas)

2 dentes de alho picados

1 copo de vinho tinto (250 ml)

2 copos de caldo de vegetais ou água

2 colheres de sopa de pasta de tomate (aquela que vem em bisnagas)

1 colher de sopa bem cheia de farinha de trigo

Salsa picada (opcional)

 

Numa caçarola aquecer uma colher de sopa de azeite e uma colher de sopa de manteiga. Saltear os cogumelos em lume bem forte por três ou quatro minutos. Retirar os cogumelos da caçarola e reservar.

Pôr mais uma colher de azeite na caçarola e saltear a cebola e a cenoura, temperadas com sal e pimenta a gosto e com o tomilho. Mexer de vez em quando e deixar alourar por cerca de cinco minutos em lume médio. Juntar os dentes de alho picados e deixar mais dois minutos.

Adicionar o vinho na caçarola e pôr no máximo mexendo com a colher de pau e raspando o fundo para soltar quaisquer bocadinhos que tenham pegado. Deixar reduzir o vinho a metade e juntar a pasta de tomate e o caldo de vegetais ou a água. Adicionar também os cogumelos e algum líquido que tenham criado e deixar levantar fervura. Deixar cozinhar em lume brando por cerca de 20 minutos.

Entretanto mistura-se a farinha com a restante colher de sopa de manteiga e adiciona-se ao estufado. Mexe-se e deixa-se fervilhar por mais dez minutos até estar com um molho bem espesso. Se estiver grosso demais adiciona-se um pouco de água, se estiver muito líquido, deixa-se ferver mais uns minutos.

Servir com massa cozida (esparguete, talharim, etc.) polvilhado com salsa picada.

 

IMG_20200207_185404.jpg

 

Ter | 25.02.20

das festas

 

Terça-feira gorda é sinónimo de excessos, quer de comida quer de bebida. Festa com raízes pagãs, passou a ser de cariz cristão por esse mundo fora e antecede a Quaresma, época em que os cristãos jejuam e fazem algum tipo de sacrifício.

Em casa dos meus pais o jejum sempre foi de carne e apenas à sexta-feira tendo maior significado na Sexta-feira Santa. Eu, mais por tradição do que por convicção, faço peixe nessa sexta-feira e nem imaginava que o ‘jejum’ podia ser de outras coisas que não de comida.

Tenho amigos de países anglo-saxónicos que optam por exemplo por não aceder a redes sociais na Quaresma, uma amiga que adora café opta por não o beber, outros pura e simplesmente não veem filmes, não têm sexo ou não leem.

Por cá, a melhor expressão que já ouvi acerca do jejum é da mãe de uma amiga minha que diz: O problema não é o que entra da boca para dentro, é o que sai da boca para fora.

 

Panquecas de Aveia e Banana

 

IMG_20200209_095756.jpg

 

½ banana

1 copo de flocos finos de aveia
1 ovo

½ a 1 copo de leite

 

Esmagar bem a banana e adicionar a aveia e o ovo. Mexer bem e adicionar o leite pouco a pouco até a massa ter uma consistência espessa sem ser muito grossa.

Aquecer uma frigideira e untar com um pouco de manteiga ou óleo de coco.

Deitar a mistura das panquecas (cerca de meia concha), deixar cozer de um lado até ficar com buraquinhos, virar, deixar cozer por mais um a dois minutos e retirar para um prato.

Repetir até gastar toda a massa.

Servir com fruta fresca e xarope de ácer ou mel.

 

Seg | 24.02.20

No aproveitar…

 

Por vezes sobra uma ou duas batatas cozidas de alguma refeição em que fomos muito displicentes quanto às quantidades.

Uma das maneiras de utilizar batatas cozidas que sobram é em sopa, mas como nem sempre estamos a preparar uma panela de sopa, lá ficam as batatas cozidas a olhar para nós com aquele ar acusador de: e agora???

Agora, cortam-se em bocados mais pequenos, salteiam-se em azeite, juntam-se uns ovinhos e mexe-se tudo!

Não há nada que o simples facto de acrescentar ovos não resolva!

 

Batatas salteadas com ovos mexidos

 

IMG_20200121_202056.jpg

 

2 batatas cozidas

2 colheres de sopa de azeite

2 ovos batidos

1 raminho de salsa

Sal e pimenta q.b.

 

Corar as batatas em bocados pequenos. Aquecer o azeite numa sertã e saltear as batatas durantes cinco minutos, mexendo de vez em quendo. Adicionar os ovos batidos e a salsa e ir envolvendo com uma colher de pau até que os ovos fiquem sólidos mas sem ficarem secos. Temperar com sal e pimenta e servir como acompanhamento ou como petisco.

 

Sex | 21.02.20

Bom Carnaval e tal

 

Em modo: ainda bem que fotografei o antes porque o depois não deu tempo!

 

Queijadas de Laranja

 

IMG_20200201_185357.jpg

 

2 ovos

200 grs de açúcar

Raspa e sumo de 2 laranjas

120 grs de farinha com fermento

500 ml de leite

50 grs de manteiga derretida (usei Becel Cozinha)

Canela em pó q.b.

 

Bater os ovos com o açúcar até ficar um creme esbranquiçado. Adicionar raspa e sumo de laranja, farinha, leite e manteiga e bater até ficar sem grumos.

Deitar em forminhas de queque untadas e levar ao forno bem quente por cerca de 30 a 40 minutos. Ficam bastante altas mas quando se retiram do forno baixam bastante.

Retirar das formas e polvilhar com canela.

 

Qui | 20.02.20

do menos

 

 

Quando as coisas simples são tão reconfortantes como o maior dos manjares…

 

Spaguetti Aglio & Olio

 

IMG_20190920_203836.jpg

 

150 grs de esparguete tricolor

1 fatia de pão de mistura seco ralado

50 ml de azeite

1 colher de chá de piripiri

4 dentes de alho

1 raminho de salsa

Sal q.b.

 

Cozer o esparguete em água com sal e reservar.

Tostar o pão ralado numa frigideira com um fio de azeite e reservar.

Na mesma frigideira, aquecer o restante azeite com o piripiri e alourar os alhos cortados ao alto. Juntar o esparguete cozido e escorrido, adicionar um bocadinho da água de cozer a massa e verificar o sal.

Polvilhar com a salsa picada e com o pão ralado tostado e servir.

 

Ter | 18.02.20

publicidade grátis

 

Para quem gosta de atum em conserva, nada como abrir uma lata e encontrar lá dentro uma posta dele e não aquela papa que é mais óleo ou água do que outra coisa.

Felizmente ainda temos boas conserveiras e aqui na zona há uma que tem o melhor atum em conserva que já comi.

Atenção que isto não é patrocinado! Mas quando há uma coisa boa, não devemos ficar com ela apenas para nós 

Por isso se conseguirem encontrar à venda o atum ‘aveiro’ da Empresa de Pesca de Aveiro, levem, levem o que puderem porque duvido que encontrem melhor!

 

Salada ao estilo Niçoise

 

IMG_20190913_203753.jpg

 

Arroz basmati cozido frio ou morno

1 lata de atum

1 tomate grande cortado em quadrados

1 talo de aipo

1 mão-cheia de azeitonas descaroçadas

2 ovos cozidos

Pimenta preta q.b.

Azeite q.b.

Vinagre q.b.

 

Numa taça misturar o arroz com o tomate, o aipo picado, as azeitonas em rodelas, e as lascas de atum. Por cima dispor os ovos cozido, cortado em quartos e salpicar com pimenta preta.

Fazer um molho com azeite e vinagre e deitar em colheradas sobre a salada.

0801017.jpg

(imagem retirada da net)

Seg | 17.02.20

já cá canta

 

Os melhores dias começam com um bom pequeno-almoço.

E às vezes os piores também mas pelo menos podemos enfrentá-los com a certeza de que o bom pequeno-almoço já ninguém nos tira 

 

Papas de Aveia com Doce de Clementinas

 

IMG_20200120_073512.jpg

 

4 colheres de sopa de flocos de aveia

200 ml de leite de amêndoa

1 colher de sopa de doce de clementina

1 colher de chá de pólen de abelha

Framboesas

Fisálias

 

Levar os flocos de aveia e a bebida de amêndoa ao lume e deixar engrossar por uns 5 minutos mexendo de vez em quando.

Deitar numa taça e deixar arrefecer um pouco.

Por cima pôr o doce de clementina, a fruta e o pólen de abelha.

Servir.

 

Sex | 14.02.20

Choco Lovers

 

Para os que não ligando nadinha à data de hoje, ligam muito a chocolate!!!

 

Brownies de Abacate, Cacau e Chocolate

 

IMG_20200126_234615.jpg

 

2 abacates maduros

120 ml de xarope de ácer

2 colheres de chá de extracto de baunilha

2 colheres de chá de café instantâneo granulado

100 grs de chocolate negro, derretido

2 ovos grandes

½ copo de cacau em pó

½ copo de farinha de amêndoa

1 pitada de sal

50 grs de chocolate negro em pedacinhos

 

Aquecer o forno e forrar uma forma quadrada com papel vegetal.

Derreter o chocolate no micro-ondas por cerca de um minuto. Mexer e reservar.

No processador ou robot de cozinha triturar os abacates com o xarope de ácer, a baunilha e o café granulado até não se verem pedacinhos de abacate. Adicionar o chocolate derretido e triturar por mais uns segundos.

Numa taça bater os ovos e juntar a mistura de abacate envolvendo bem. Juntar o cacau em pó, a farinha de amêndoa e o sal e mexer. Adicionar o chocolate em pedacinho e deitar a massa na forma.

Levar ao forno por cerca de 30 minutos (verificar com um palito, não deve cozer demais senão fica seco).

Retirar do forno e deixar arrefecer antes de cortar em quadrados.

 

Nota: a receita original também leva uma cobertura mas estes brownies ficaram tão bons que não achei necessário fazer a cobertura.

 

Qui | 13.02.20

good food

 

Cada vez é mais raro cozinhar carne de vaca ou de porco mas de vez em quando lá aparece aquela receita que me faz achar que é uma boa aposta. E levando cerveja então, está mesmo a chamar por mim. 

Esta receita encontrei-a na revista BBC Good Food de Janeiro 2018, é do Tom Kerridge e adaptei-a ligeiramente ao meu gosto.

Valeu!

 

Carne Guisada no Forno com Cerveja Preta e ‘Dumplings’

 

IMG_20200112_130130.jpg

 

2 colheres de sopa de azeite

1 kg de carne de vaca em cubos para estufar (usei espelho da pá)*

1 cebola

4 cenouras

3 talos de aipo

300 grs cogumelos marron

3 colheres de sopa de farinha

330 ml de cerveja preta

500 ml de caldo de carne

Sal q.b.

1 raminho de tomilho

 

Ligar o forno.

Aquecer o azeite numa caçarola grande. Alourar a carne e retirar da caçarola. De seguida alourar a cebola picada juntamente com a cenoura e aipo também picados, tudo mais ou menos do mesmo tamanho. Adicionar os cogumelos cortados em quartos e deixar apurar por cinco minutos.

Juntar a farinha e mexer. De seguida adicionar a carne e algum molho que tenha criado, a cerveja preta e o caldo de carne. Mexer bem e temperar com sal a gosto e o tomilho. Deixar levantar fervura, tapar e levar ao forno por cerca de duas horas.

Retirar do forno, adicionar os ‘dumplings’ carregando ligeiramente para ficarem meio dentro do molho, voltar a tapar e levar novamente ao forno por mais 20 minutos. Retirar a tampa e deixar acabar de cozer por mais dez minutos.

 

‘Dumplings’

150 grs de farinha com fermento

1 pitada de sal

75 grs de manteiga (usei Becel Cozinha)

2 ou 3 colheres de sopa de água

 

Misturar a farinha com o sal e adicionar a manteiga em cubos. Mexer bem com os dedos até formar uma pasta, adicionar a água uma colher de cada vez amassando mas sem amassar demais. Dividir a massa em bolinhos e reservar até ser necessário pôr na caçarola.

 

* não me perguntem, não faço ideia mas foi o que disseram no talho

 

Nota: se não quiserem fazer os ‘dumplings’, podem servir com puré de batata

 

Ter | 11.02.20

oh dear...

 

Há peixes que faço de muitas maneiras. Tirando o bacalhau, que é o mais óbvio e tem milhentas maneiras de ser preparado, a pescada também não lhe fica muito atrás na versatilidade. E ainda por cima dá para ter sempre no congelador, seja na versão filetes, postas, lombos, mimos, tranches, e mais o que lhe quiserem chamar.

Desta vez usei uns filetes que continuo a comprar apesar de raramente os fazer fritos. E com uma salteadela ao lume, o resto fez-se no forno e só posso dizer: que pena que já tenha acabado!

 

Empada de Pescada

 

IMG_20200125_200525.jpg

 

1 embalagem de massa folhada

4 filetes de pescada temperados com sal e sumo de limão

Azeite q.b.

1 cebola

1 cenoura

100 grs de ervilhas (usei congeladas)

100 grs de couves de Bruxelas (usei congeladas)

1 colher de sopa de farinha

250 ml de leite quente

1 colher de sopa de mostarda

100 ml de natas

Pimenta preta moída

Noz-moscada q.b.

1 ovo batido

 

Numa frigideira aquecer o azeite e alourar a cebola picada juntamente com a cenoura também picada. De seguida adicionar os filetes cortados em cubinhos. Deixar cozinhar por dois ou três minutos e juntar as ervilhas e as couves de Bruxelas. Cozinhar por mais uns dez minutos e de seguida polvilhar com a farinha mexendo para envolver. Adicionar o leite quente e mexer até engrossar. Ajustar a quantidade de leite se necessário.

Juntar a mostarda e as natas e temperar com a pimenta e a noz-moscada a gosto.

Retirar do lume e deitar numa forma de empada. Por cima estender a massa folhada e fazer um buraco no meio para que saia o vapor. Pintar com um ovo batido e levar ao forno por 30 minutos.

Servir com uma salada ou legumes salteados.

 

IMG_20200125_191431.jpg

 

Seg | 10.02.20

mimimi

 

Ah e tal, isto nem sequer é uma receita!

Pois, mas gostava de saber quem já se tinha lembrado de fazer esta mistura, hã???

Pois…

 

Sumo de Laranja e Gengibre

 

IMG_20200123_072946.jpg

 

6 laranjas

1 pedaço de gengibre (2 cms)

 

Espremer as laranjas e ralar o gengibre. Misturar bem e dividir por dois copos.

Energia pura!

Qui | 06.02.20

pr'á mesa!

 

Assim num repente 

 

Costeletas com Massa de Pimentão

 

IMG_20200118_201706.jpg

 

2 costeletas

1 colher de chá de massa de pimentão

2 dentes de alho ralados

Sumo e raspa de 2 clementinas

2 colheres de sopa de azeite

1 colher de sopa de manteiga (usei Becel Cozinha líquida)

 

Temperar as costeletas com a massa de pimentão, os alhos ralados e o sumo e raspa de clementina. Não é necessário sal porque a massa de pimentão já tem que chegue. Deixar marinar por 30 minutos.

Aquecer o azeite e manteiga numa frigideira, adicionar as costeletas e tapar. Deixar fritar em lume não muito forte por uns minutos, virar e deixar acabar de fritar até estar bem dourado.

Servir com arroz de espigos.

 

Ter | 04.02.20

tão, mas tão...

 

Outros usos para as beterrabas assadas ou cozidas.

Este foi um almoço para levar para o trabalho na lancheira e que, apesar de estarmos no inverno, soube bastante bem.

 

Salada de Beterraba e Ovo

 

IMG_20200116_200950.jpg

 

1 beterraba assada

25 grs de queijo Feta

1 raminho de salsa

6 azeitonas descaroçadas

3 nozes

Raspa de 1 clementina (ou laranja)

Azeite, vinagre e mel q.b.

1 ovo cozido

 

Cozer um ovo por seis minutos. retirar do lume e pôr de imediato em água fria. Descascar e reservar.

Pelar a beterraba e cortar em cubos. Por cima espalhar o queijo Feta também cortado em cubinhos, as nozes em pedaços, as azeitonas e a salsa picada.

Temperar com a mistura de azeite, vinagre e mel a gosto. Servir com o ovo cortado ao meio.

 

IMG_20200117_124114.jpg

 

Seg | 03.02.20

das escolhas

 

Ovos é a minha comida de paixão! Podia comê-los de todas as maneiras e feitios, todos os dias que não me cansava.

Talvez o meu fígado não achasse muita piada mas eu era capaz  Aliás, se apenas pudesse consumir um alimento na vida a minha escolha seriam os ovos.

Esta é apenas uma das melhores maneiras de os preparar, a juntar a tantas outras.

É receita para um e pode ser multiplicada ad aeternum… (ou enquanto houver ovos)

 

Ovo no Forno em Ramequim

 

IMG_20200118_201456.jpg

 

1 ovo

2 colheres de sopa de natas

Sal, pimenta e noz-moscada q.b.

1 raminho de tomilho

 

Pôr uma colher de sopa de natas num ramequim. Por cima pôr o ovo e a outra colher de sopa de natas. Temperar com uma pitada de sal, pimenta moída e noz-moscada raspada. Pôr um raminho de tomilho por cima.

Levar ao forno num tabuleiro com água a ferver e deixar cozer em banho-maria por cerca de cinco a sete minutos.