Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Sex | 31.01.20

da fartura

 

Os citrinos são, por esta altura, inevitáveis. Por isso toda e qualquer sugestão para os utilizar é bem vinda.

 

Muffins de Clementina

 

IMG_20200119_094409.jpg

 

¾ de copo de açúcar

2 ovos

½ copo e óleo de girassol

½ copo de leite

3 clementinas – raspa e sumo

1 colher de chá de cardamomo em pó

2 copos de farinha

2 colheres de chá de fermento em pó

½ colher de chá de bicarbonato de sódio

1 pitada de sal

1 colher de sopa de açúcar mascavado

 

Pôr forminhas plissadas em formas de queques ou muffins. Aquecer o forno.

Numa taça grande misturar o açúcar, os ovos, o óleo de girassol, o leite e a raspa e sumo das clementinas.

Noutra taça misturar a farinha, o fermento, o bicarbonato, o sal e o cardamomo.

Juntar tudo na taça maior e mexer apenas até estar tudo envolvido.

Deitar em colheradas nas formas e polvilhar com o açúcar mascavado.

Levar ao forno cerca de 25 minutos (verificar aos 20 minutos com um palito a ver se já estão sequinhos, se já estiverem, retirar do forno)

 

Nota: a receita original é esta. Fiz tudo igualzinho, apenas substituí a laranja por clementina (sumo e raspa)

 

IMG_20200129_072228.jpg

 

Qui | 30.01.20

Ras quê?

 

 

Esta receita fica bem com outras especiarias se não tivermos à mão o Ras-el-Hanout. Mas actualmente pode-se encontrar em quase todos os supermercados por isso quando virem um pacotinho à venda atrevam-se e usem em varias receitas a que queiram dar outra roupagem 

 

Peito de Frango com Cogumelos

 

IMG_20191123_200747.jpg

 

1 cerveja mini

1 colher de sopa de mostarda

2 dentes de alho ralados

1 malagueta em rodelas finas

1 colher de chá de Ras-el-Hanout

1 colher de chá de colorau

1 colher de chá de folhas de tomilho

1 peito de frango cortado em bifes

Sal q.b.

150 grs de cogumelos pequenos

Azeite q.b.

 

Misturar a cerveja com a mostarda.

Temperar o frango com o alho, a malagueta, o Ras-el-Hanout, o colorau e as folhas de tomilho.

No fundo de um pyrex pôr azeite q.b. espalha-se o frango e os cogumelos e deita-se a mistura de cerveja e mostarda a toda a volta (por cima não para não 'lavar' os temperos).

Levar ao forno tapado com uma folha de alumínio por uns 20 minutos. de seguida retirar o alumínio e deixar finalizar por mais uns cinco ou dez minutos.

 

Qua | 29.01.20

Tesourinhos #21

 

Voltamos aos tesourinhos, que isto de ter um blogue com quase catorze anos pode bem encher um baú!

Como estamos em Janeiro, deixo-vos um tesourinho ligeiro. Embora já com o mês a acabar não quero ser a responsável pela vossa queda do vagão das resoluções saudáveis para 2020.

A publicação original, podem encontrá-la aqui.

 

Sopa de Cenoura e Gengibre

 

20252274_afi0K.png

 

 

3 colheres de sopa de azeite

1 cebola roxa picada

2 dentes de alho picados

1 pedaço de gengibre, ralado

Raspa de 2 laranjas

6 cenouras

1 batata-doce

1 litro de água a ferver ou caldo de vegetais

Sal e pimenta q.b.

Sumo de ½ laranja

Coentros picados

 

Numa panela aquece-se o azeite e salteia-se a cebola e o alho picados. Adicionam-se o gengibre e a raspa das laranjas, mexe-se e juntam-se as cenouras, a batata-doce, a água a ferver e tempera-se com sal e pimenta a gosto. Deixa-se levantar fervura, baixa-se o lume e coze por 20 a 30 minutos. Passa-se com a varinha mágica, adiciona-se o sumo de laranja e serve-se salpicado com coentros picados.

 

Nota: a receita original leva oito cenouras, substitui duas por uma batata-doce, porque me apeteceu

 

Ter | 28.01.20

tudo a ver

 

Porque apetece mais qualquer coisinha e não custa nada a fazer e dura um bom par de semanas. Até dá para oferecer a alguns sortudos 

Aqui servida com iogurte grego, tâmaras, polpa de dióspiro e canela em pó.

 

Granola de Nozes e Pepitas de Cacau

 

IMG_20200117_073143.jpg

 

3 copos de flocos de aveia grandes

1 copo de nozes

½ copo de sementes de girassol

½ copo de pevides de abóbora

¼ de copo de óleo de coco

¼ de copo de xarope de ácer

½ copo de pepitas de cacau

 

Misturar os ingredientes da granola excepto as pepitas de cacau.

Pôr num tabuleiro forrado com papel vegetal e levar ao forno quente por cerca de 30 a 40 minutos, mexendo várias vezes para tostar de forma uniforme.

Retirar do forno e deixar arrefecer. Juntar as pepitas de cacau e guardar num frasco com fecho hermético.

 

Seg | 27.01.20

da cor!

 

Há alturas em que uso alguns produtos non-stop 

Ou porque me dão muitos e têm que ser gastos em pouco tempo, ou porque me apetece, ou simplesmente porque é prático preparar uma vez e usar várias.

Isto tem a ver com umas beterrabas que comprei na praça e que pus ao forno a assar (com a pele e embrulhadas em papel de alumínio) ao mesmo tempo que preparava um assado no forno. Há que rentabilizar o tempo e ao espaço (e o gás, já agora).

E com as beterrabas fiz várias coisas, além dos picles que costumo fazer assiduamente. Uma delas foi este batido que ficou para lá de saboroso.

Aprontem-se!

 

Batido de Beterraba

 

IMG_20200119_093615.jpg

 

½ beterraba pequena, assada ou cozida

½ banana

1 clementina

1 colher de chá de sementes de linhaça raladas

250 ml de leite de amêndoa

 

Misturar todos os ingredientes e triturar com a varinha mágica ou no liquidificador.

Servir de imediato.

 

Sex | 24.01.20

em modo compota #24

 

Por esta altura não param de me chegar citrinos às mãos, a maioria deles são clementinas e marroquinos. E, com tamanha quantidade, além de sumos tenho que experimentar outras coisas.

Uma delas foi esta receita super rápida de fazer de Curd de Clementinas. Toda a gente já ouviu falar de Lemon Curd. É bom mas bom. Mas agora que não tenho limões (o meu limoeiro morreu) aproveito a abundância de outros citrinos para fazer um doce parecido.

 

Curd de Clementinas

 

IMG_20200119_092532.jpg

 

120 ml de sumo de clementinas

80 grs de açúcar

3 ovos

100 grs de manteiga

 

Misturar todos os ingredientes numa caçarola e levar a lume brando, mexendo constantemente até engrossar (cerca de dez minutos).

Retirar do lume e deitar de imediato em frascos esterilizados, tapando de seguida.

Quando frio guardar no frigorífico até um mês.

 

Nota: Deu para três frascos de 200 ml. Enchi dois deles e antes de encher o último, acrescentei 30 grs de chocolate negro. Mexi bem até dissolver o chocolate e deitei para o frasco. Imagino que este desapareça todinho à colher…

 

Qui | 23.01.20

uma receita, dois pratos

 

Sou fã de caril e sempre que posso experimento uma receita nova apesar de ter a minha favorita de sempre.

Encontrei esta receita no Pinterest e decidi experimentar porque é muito fácil de fazer e tinha todos os ingredientes à mão.

Mas, como também tinha camarão congelado e a receita dizia que podia ser feito também com camarão, experimentei das duas maneiras.

O de frango ficou muito bom, o de camarão não provei porque tenho-me dado mal quando como camarão ultimamente mas o veredicto de quem comeu foi de que estava muito bom.

Win/Win 

 

Caril Rápido

 

de Frango

 

IMG_20191019_201900.jpg

 

2 colheres de sopa de óleo de girassol

2 dentes de alho ralados

2 colheres de chá de gengibre ralado

1 cebola pequena

300 grs de frango em bocadinhos (usei carne das coxas)

OU

300 grs de camarões descascados congelados

2 colheres de sopa de caril em pó

1 malagueta (se queremos mesmo picante!)

200 ml de leite de coco

250 ml de caldo de frango (de cozer os ossos das coxas, por exemplo)

Sal q.b.

Coentros picados

 

Aquecer o óleo num tacho e alourar a cebola juntando o alho quando estiver a cebola já translúcida. Juntar o frango ou os camarões e deixar fritar uns dois minutos. adicionar o caril em pó (e a malagueta, se usarmos) e cozinha-se por dois minutos mexendo.

Juntar o leite de coco e o caldo de frango (ou água) e deixar levantar fervura. Baixar o lume e deixar cozer por dez minutos. Temperar com sal e deixar ferver mais um pouco em lume brando para engrossar o molho.

Servir com arroz basmati e os coentros picados e mais algumas rodelinhas de malagueta.

 

de Camarão

 

IMG_20191019_201931.jpg

 

Qua | 22.01.20

perishable thoughts...

 

Os brócolos não são amados por toda a gente. Não, lá isso é verdade.

Mas também se pode dizer que os brócolos não amam toda a gente por isso ficam quites. Eu gosto tanto que prefiro pô-los em jarras 

Estou a brincar, até como brócolos embora não sejam a verdura que prefiro (vagens yeah!!!!)

A melhor maneira de cozinhar os brócolos é em vapor porque assim retêm muito mais vitamina C do que quando cozidos directamente em água. Mas mesmo assim são bastante ricos em nutrientes e a água de os cozer pode sempre ser aproveitada para sopas ou outras confecções culinárias.

São muito ricos em minerais como cálcio, potássio, fósforo, zinco, ferro, vários tipos de vitaminas, entre as quais a C, além de serem ricos em fibra. E pobres em calorias! O que podia ser melhor? (o sabor, vá…)

Segundo os estudiosos, os brócolos podem ajudar a reduzir o risco de várias doenças entre as quais o malfadado cancro por serem antioxidantes. Ajudam ao fortalecimento dos ossos, previnem problemas nas articulações, reduzem o risco de diabetes, da inflamação e ajudam à digestão, entre outros.

Claro que estes benefícios não são apenas dos brócolos, na realidade são da maioria das plantas da família Brassica olerácea (couve portuguesa, repolho, couve-de-bruxelas, couve galega, entre outras) e quanto mais escuras forem as folhas melhor.

E esta é a altura ideal para os comer frescos, normalmente de Janeiro a Abril encontram-se por todas as bancas do mercado. E quando já não houver, recorre-se aos congelados que são sempre uma boa ajuda.

Se já estão convencidos, experimentem esta receita que, não sendo chocolate, é muito boa!

 

IMG_20180122_170019_348.jpg

 

Ter | 21.01.20

pantone

 

Quanto mais colorido for o que metemos no prato, mais fácil é reduzir a quantidade de carne e/ou o peixe que consumimos.

E se além de colorido for muito saboroso, então já ganhámos o dia.

Apesar do aparato, esta mistura é facílima de fazer e o trabalho de a tornar maravilhosa fica todo para o forno 

 

Mistura de Batatas no Forno

 

IMG_20200105_113951.jpg

 

2 batatas

1 cenoura

1 batata doce branca

1 batata doce laranja

1 batata doce roxa

1 cebola

Couves de Bruxelas (usei congeladas)

1 colher de chá de sal grosso

Pimenta preta moída

Tomilho q.b.

50 ml de azeite

 

Descascar e cortar as batatas, cenoura e cebola em rodelas com cerca de um centímetro e temperar tudo com sal, pimenta e tomilho fresco.

Pôr num recipiente que possa ir ao forno untado com azeite, as rodelas ao alto e intercaladas umas com as outras, de onde em onde pôr uma rodela de cebola. No meio pôr as couves de Bruxelas também temperadas de sal, pimenta e tomilho.

Regar com o azeite e levar ao  forno, tapado com papel de alumínio, por cerca de 45 minutos. retirar o papel de alumínio e terminar de assar, por mais 15 a 20 minutos.

Servir como acompanhamento.

 

IMG_20200105_112641.jpg

 

Nota: os torcidinhos foram feitos com uma 'inutilidade' que parece um saca-rolhas e que funciona bem com batatas e cenouras e nada bem com batatas-doces

 

Seg | 20.01.20

nhack!

 

Sugestão para quando queremos petiscar qualquer coisa mas sabemos que comer um pacote de batatas fritas de empreitada não é a melhor ideia…

 

Grão-de-Bico Tostado

 

IMG_20200108_203635.jpg

 

250 grs de grão-de-bico cozido

1 pitada de sal

1 pitada de pimenta preta

1 colher de chá de paprica defumada

1 colher de chá de azeite

 

Misturar todos os ingredientes e levar ao forno espalhados num tabuleiro forrado com papel vegetal.

Deixar tostar por cerca de 30 minutos, revolvendo a meio da assadura.

Retirar do forno e servir como snack ou como acompanhamento de outras receitas como sopas, saladas, etc.

 

Sex | 17.01.20

cardaquê?

 

A primeira vez que me deram cardamomo, há mais anos do que gostaria admitir, eu não fazia ideia do que era aquilo!

Tão esquisito mas tão cheiroso. Agora é uma das especiarias que mais aprecio e gosto de ouvir os nomes que lhe chamam, que ainda acho mais difíceis de pronunciar do que o original: cardamongo, cardamôn, aquela que tem um nome difícil, etc. 

E peras, gosto bastante de peras, tenho uma pereira, o meu nome de família é Pereira, tudo se conjugou para ter que fazer esta receita mal a descobri!

 

Crocante de Pera e Cardamomo

 

IMG_20190811_122505.jpg

 

Cobertura

¼ de copo de flocos de aveia

½ copo de farinha de aveia (moer os flocos de aveia no moinho de café)

¼ de copo de farinha de amêndoa

4 colheres de sopa de açúcar amarelo

1 pitada de cardamomo em pó (ou as sementes de quatro vagens de cardamomo esmagadas)

4 colheres de sopa de manteiga fria

 

Recheio

1 colher de sopa de manteiga

5 peras maduras (descascadas e cortadas ao alto em fatias grossas)

2 colheres de sopa de açúcar amarelo

¼ de colher de chá de cardamomo em pó (ou as sementes de seis vagens de cardamomo esmagadas)

2 colheres de chá de farinha Maizena

¼ de colher de chá de extracto de baunilha

Sumo de um limão

1 pitada de sal

 

Misturar os ingredientes da cobertura e com as mãos esfarelar de modo a ficarem umas migalhas grandes. Reservar.

Para fazer o recheio, levar uma caçarola ao lume e derreter a manteiga, adicionar as peras e os restantes ingredientes do recheio e deixar cozinhar mexendo de vez em quando por uns cinco minutos.

Se estivermos a usar uma caçarola que possa ir ao fogão e ao forno, agora deitamos a cobertura sobre as peras e levamos ao forno.

Se estivermos a usar uma caçarola que apenas possa ir ao fogão, deitamos o recheio num pyrex ou outro recipiente que vá ao forno e por cima espalhamos a cobertura (que foi o que fiz).

Vai ao forno até estar dourado e crocante (cerca de 25 minutos) e retira-se deixando amornar.

Servir com uma bola de gelado a gosto (o de baunilha fica muito bem).

 

Qui | 16.01.20

como estamos?

 

Ainda Janeiro vai a meio e já milhares de resoluções de ano novo foram abandonadas. Mas como nem toda a gente decidiu tornar-se vegan, deixo esta sugestão em que podem usar qualquer tipo de carne picada.

Para os que decidiram adoptar o Veganuary, existem outras opções aqui no blogue, que é uma casa democrática 

 

Rolo de Carne Recheado

 

IMG_20191124_130907.jpg

 

600 grs de carne picada (usei mistura)

1 pão (tipo papo-seco, molete, carcaça)

50 ml de leite

1 colher de chá de coentros em pó

1 colher de chá de colorau

1 colher de chá de curcuma
1 colher de chá de piripiri

Sal q.b.

4 fatias de queijo flamengo

4 fatias de fiambre de peru

50 grs de queijo Feta

Pimenta preta

Azeite q.b.

1 frasco de 500 ml de molho de tomate

1 colher de sopa de orégãos

 

Pôr o pão de molho no leite e misturar com a carne picada, as especiarias e o sal.

Estender sobre um pedaço de papel vegetal e formar um rectângulo. Por cima pôr o queijo Feta esfarelado, as fatias de queijo flamengo e as fatias de fiambre. Enrolar com a ajuda do papel e pôr numa forma refractária que já tem azeite no fundo e metade do molho de tomate. Pôr o restante molho de tomate por cima do rolo e temperar com pimenta preta e os orégãos.

Levar ao forno por cerca de 45 minutos e servir com legumes salteados.

 

Ter | 14.01.20

se não é a bem...

 

Se não as podes vencer, junta-te a elas!

É o meu lema quanto às urtigas que nascem e se reproduzem sem dó nem piedade na minha horta. E como no inverno pouco mais cresce, deixá-las crescer que até as como!

 

Esparregado de Urtigas

 

IMG_20200101_123623.jpg

 

1 molho de urtigas 

Sal q.b.

2 dentes de alho

Azeite q.b.

1 colher de sopa de farinha de trigo

50 ml de leite

1 esguicho de vinagre

 

Escolher as urtigas deixando apenas as folhas e a parte de cima com talo.

Encher um tacho de água e quando ferver adicionar o sal e mergulhar as urtigas e deixar levantar fervura. Retirar do lume, escorrer e deixar arrefecer.

Quando estiver morno espremer bem o excesso de água e picar no robot de cozinha ou com uma faca muito bem afiada.

Aquecer o azeite numa frigideira e alourar os dentes de alho bem picadinhos. Adicionar as urtigas picadas e mexer. Polvilhar com a farinha, envolver e juntar o leite mexendo sempre. Quando estiver com a consistência desejada (pode ser necessário mais ou menos leite) deita-se um esguicho de vinagre, mexe-se novamente e serve-se.

 

Nota: pode ser feito com nabiças ou espinafres

 

Seg | 13.01.20

mistelas

 

Quando estou no trabalho, a meio da tarde costuma dar aquela vontade de comer qualquer coisa e se não me ponho a pau é um instante para desaparecer uma quantidade considerável de algo que não é lá muito saudável. Por isso já desisti de ter na gaveta chocolates, bolachas (mesmo de água e sal, a quem é que eu queria enganar…) ou barritas das que não sejam feitas por mim.

Mas isso não me resolve o problema e além de uma maçã que trago religiosamente todos os dias, às vezes é preciso mais qualquer coisita.

Por isso optei por fazer uma mistura de frutos secos e sementes ao meu gosto e ter guardados num recipiente na gaveta. Depois é só servir-me de uma quantidade equivalente a uma colher de sopa cheia e fica o lanche resolvido.

E sim, ao contrário das outras gulodices em que não sei quando parar, com estas misturas sou muito contida nas quantidades. E sei que têm gordura, mas é da boa!

 

Mistura de Sementes, Nozes e Frutos

 

IMG_20200108_183630.jpg

 

Numa taça misturar sementes com nozes e frutos secos ou desidratados a gosto. Guardar num recipiente com fecho hermético.

 

Desta vez usei alperces secos, arandos secos, nozes, amêndoas, bagas goji, sementes de girassol e sésamo e pevides de abóbora.

Por vezes uso tâmaras, uvas passas, flocos de coco tostados, amoras secas, etc. O que estiver à mão serve para esta mistura.

 

Sex | 10.01.20

da abundância

 

Por estas bandas não faltam citrinos à sacada! E também não faltam maneiras de os usar, desde comer em saladas, em compotas, em geleias, fazer batidos ou mesmo usar em receitas como esta que é muito fácil e fica mesmo boa!

A receita encontrei-a aqui e apenas substituí os arandos frescos (que nunca provei) por secos. Fica uma maravilha!

 

Bolo de Arandos, Laranja e Nozes

 

IMG_20191224_103718.jpg

 

2 copos de farinha de trigo

1 e ½ colheres de fermento em pó

½ colher de bicarbonato de sódio

1 pitada de sal

½ copo de arandos secos picados

¾ de copo de nozes picadas grosseiramente

¾ de copo de sumo de laranja

¾ de copo de açúcar

¼ de copo de manteiga amolecida

1 ovo batido

1 colher de sopa de raspa de laranja

 

Aquecer o forno.

Numa taça misturar os ingredientes secos: farinha, fermento, bicarbonato, sal, arandos e nozes.

Noutra taça misturar o sumo de laranja, o açúcar (sim, sabemos que o açúcar é seco mas é mesmo assim), a manteiga, o ovo e a raspa de laranja.

Juntamos os ingredientes molhados aos secos e envolvemos sem mexer demais.

Deitar a mistura numa forma untada (usei duas formas pequenas de alumínio descartáveis) e levar ao forno por cerca de 45 minutos (verificar a partir dos 30 minutos pois varia muito de forno para forno). Tapar com papel de alumínio se começar a queimar em cima antes de estar cozido.

Quando pronto retirar do forno e deixar arrefecer por dez minutos na forma, depois desenforma-se para cima de uma rede para deixar arrefecer completamente.

 

Qui | 09.01.20

engraçadinha...

 

A Piadina é uma espécie de pão espalmado que é muito utilizado na culinária italiana mas cujas origens são do Médio Oriente.

É excelente para rechear e tanto pode ser servido quente como frio e usar produtos frescos ou sobras.

Esta versão é servida quente mas também já fiz com saladas no verão, como podem ver nas fotos mais abaixo.

 

Piadina de Frango

 

IMG_20191130_202540.jpg

 

1 peito de frango

Alho, limão, sal e piripiri

2 batatas cozidas cortadas em palitos

2 couves pak choi

Azeite q.b.

2 Piadinas

 

Cortar o frango em tirinhas e temperar com  alho, sumo de limão, sal e piripiri. Saltear numa frigideira em azeite.

Quando pronto retirar da frigideira e alourar as batatas numa colher de sopa de azeite.

Reservar juntamente com o frango e na mesma frigideira saltear a couve cortada ao alto até murchar. Deve também ser temperada com sal.

Retirar a couve da frigideira e limpar o fundo. Pôr novamente ao lume e aquecer as piadinas, uma de cada vez e rechear com o frango, as batatas e a couve salteada.

 

IMG_20190927_203423.jpg

 

IMG_20190927_204457.jpg

 

Ter | 07.01.20

resolvido!

 

Gosto muito de sopa e quase todos os dias a como mas canja é mesmo aquela sopa que me custa mais ‘engolir’ 

Mas como de vez em quando a faço para quem muito a aprecia, aproveitei para experimentar esta versão só para mim. Ficou tão boa que a partir de agora vai sempre emparelhar com a canja original.

 

‘Canja’ de Lentilhas

 

IMG_20200105_123602.jpg

 

750 ml de água de cozer frango para canja

1 mão-cheia de lentilhas laranja

1 colher de café de curcuma (açafrão das Índias)

1 colher de café de caril

Frango desfiado q.b.

 

Lavar as lentilhas e cozer na água de cozer frango. Deixar fervilhar por cerca de meia hora e adicionar os restantes ingredientes. Deixar levantar fervura novamente e servir de imediato.

 

Nota: para fazer canja cozo frango em água temperada de sal e com uma cenoura, uma cebola, um raminho de salsa e quatro grãos de Pimenta-da-Jamaica

 

Seg | 06.01.20

que não passe a correr...

 

Fazer uma taça de papas de aveia para o pequeno-almoço podem bem ser os cinco minutos mais bem gastos logo de manhã pelo menos com este tempo tão gelado.

É super rápido de preparar e muito saboroso, além de que nos deixa logo cheios de energia para começar o dia, a semana o ano e só não é a década porque essa apenas começa em 2021! (é o que dizem...)

 

Papas de Aveia com Manteiga de Avelãs

 

IMG_20200106_073108.jpg

 

4 colheres de sopa de flocos de aveia

1 colher de café de extracto de baunilha

Água q.b.

1 tâmara em bocadinhos

1 colher de sopa de coco ralado

1 colher de sopa de manteiga de avelãs

1 colher de sopa de pepitas de cacau

 

Levar os flocos de aveia ao lume com a baunilha, cobertos com água. Mexer logo que comece a ferver e acrescentar mais um pouco de água se necessário.

Logo que esteja cremoso (uns quatro ou cinco minutos ao lume) deitar numa taça e adicionar os restantes ingredientes.

Estes são apenas orientações, podemos usar em vez destes manteiga de amendoim ou de amêndoa, banana às rodelas ou banana caramelizada, nozes ou quaisquer outros frutos secos, por aí fora e ao gosto de cada um.