Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Ter | 30.04.19

morna, como o tempo

 

As saladas mornas permitem juntar bases de saladas tradicionalmente frias (alfaces e outras verduras) com alimentos cozinhados que se juntam na salada ainda quentes. Acabam por poder ser o prato principal em vez de um acompanhamento.

Esta, de que aqui vos deixo a sugestão, serviu para um jantar ligeiro e deu para quatro pessoas.

Com pão estaladiço e um bom vinho, o jantar fica completo.

 

Salada Morna com Espargos e Frango

 

IMG_20190427_205700.jpg

 

1 alface

1 molhinho de espargos

2 peitos de frango em bifes

1 pera madura

1 mão-cheia de nozes

Salsa

Coentros

Cebolinho

Azeite q.b.

Sal e pimenta q.b.

Ervas aromáticas q.b.

1 lima (ou limão)

1 colher de sopa de tahini (molho de sésamo)

 

Numa frigideira com um fio de azeite alourar os espargos. Temperar com sal e pimenta e retirar (devem ficar rijinhos).

Na mesma frigideira, mais um fio de azeite e alouram-se os bifes de frango. Temperar a gosto (usei ervas aromáticas secas e sumo de lima). Reservar.

Lavar e cortar a alface em pedaços pequenos e pôr numa travessa juntamente com folhas de salsa, coentros e cebolinho em pedaços. Descascar a pera e cortar em gomos e pôr sobre a alface. Cortar os espargos ao meio e espalhar sobre a salada e salpicar com as nozes em bocados grandes.

Cortar os bifes em bocados e dispor sobre a salada. Pôr o líquido que ficou na frigideira num frasco e juntar mais um pouco de sumo de lima e de azeite e o tahini. Abanar o frasco e deitar o molho sobre a salada.

 

Nota: se não houver pera pode-se pôr maçã ou uvas passas, o doce contrasta bem com as verduras

Seg | 29.04.19

sobremesa, só que não

 

Outro pequeno-almoço que parece uma sobremesa. Porque as nossas segundas-feiras precisam de beleza logo pela manhã.

 

Pudim de Chia e Banana

 

IMG_20190424_072933.jpg

 

mistura de baunilha:

3 colheres de sopa de sementes de chia

150 ml de leite (usei de amêndoa)

1 colher de chá de extracto de baunilha

mistura de cacau:

3 colheres de sopa de sementes de chia

1 colher de sopa de cacau em pó

150 ml de leite (usei de amêndoa)

 

1 banana

Mel

Pólen de abelha

 

De véspera misturar as sementes de chia com o leite e a baunilha numa taça, mexer e reservar.

Fazer o mesmo com as sementes de chia, leite e cacau noutra taça, mexer e reservar.

No dia seguinte juntar o conteúdo das duas taças, de preferência em camadas e adicionar rodelas de banana, mel e pólen de abelha.

 

Sex | 26.04.19

O chapéu da Rainha

 

A minha cena é ser pioneira com algumas receitas que descubro (já ninguém inventa nada) e às quais ninguém liga puto e depois, passado uns anos aparece alguém com uma receita idêntica e parece que descobriram a cura de uma doença grave, tão viral se torna 

Atentem a esta receita que descobri aqui e que fiz para a Páscoa e lembrem-se daqui a uns anos quando aparecer uma idêntica aí a bombar pelas redes que aqui a minha Belita já tinha visto, provado e aprovado. 

Agora que já tive o meu momento mimimi, vamos à receita.

Não é nada difícil de fazer. Complicada? Também não, temos é que dar alguns passos mas no fim vale a pena porque é bom mas bom e além disso é o tema de conversa à mesa, mesmo que o resto do repasto seja todo ele de lamber os dedos.

Mas experimentem, não se fiquem pela minha conversa.

 

Bolo com recheio vertical

 

IMG_20190421_131133_1.jpg

 

Bolo

6 ovos

1 e ½ copos de açúcar amarelo

220 grs de cenoura crua ralada

180 grs de farinha com fermento, peneirada

2 colheres de chá de canela moída

1 colher de chá de gengibre

¼ de colher de chá de noz-moscada

¼ de colher de chá de sal fino

1 colher de chá de fermento em pó

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

Açúcar em pó para polvilhar

 

Creme

200 grs de queijo mascarpone

200 grs de queijo-creme (tipo Philadelphia)

200 grs de natas

200 grs de açúcar em pó

 

Aquecer o forno a 180ºC. Untar dois tabuleiros (usei de 30x28 cms) com óleo, forrar a base com papel de ir ao forno e voltar a untar com óleo o papel. Reservar.

Pôr os ovos numa taça e bater com a batedeira electrica juntando o açúcar a pouco e pouco. Continuar a bater por mais três ou quatro minutos, até aumentar de volume e ficar com bolhinhas. Juntar a cenoura ralada, a farinha, a canela, o gengibre, a noz-moscada, o sal, fermento e bicarbonato. Envolver bem com uma espátula sem bater e dividir a massa pelos dois tabuleiros, espalhando bem de modo a ocupar toda a base.

Levar ao forno e deixar cozer por cerca de dez a quinze minutos, ter atenção porque depende dos fornos e coze bastante rápido.

Retirar do forno e deitar os bolos sobre dois bocados grandes de papel vegetal polvilhados com açúcar em pó. Retirar o papel de ir ao forno e enrolar os bolos de modo a ficarem como se fossem tortas com o papel vegetal como recheio. Deixar arrefecer enrolado e entretanto preparar o creme.

Numa taça bater os queijos e o açúcar em pó. Noutra taça bater as natas até ficarem tipo chantilly. Adicionar as natas batidas à mistura de queijos e envolver. Reservar no frio.

Cortar os rolos em três cada um de modo a ficar com seis rolos pequenos. Trabalhando um de cada vez, desenrolar e rechear com o creme. Enrolar novamente. Rechear outro rolo que se junta a este e se enrola à volta. Repete-se com os restantes de modo a ficar com apenas um rolo bastante largo.

Cobrir o bolo com o restante creme e enfeitar a gosto, com flores, frutas, etc.

Guardar no frigorífico até à hora de servir.

 

IMG_20190421_151314.jpg

 

Notas:

O bolo é muito macio e pode partir quando estamos a enrolar já com o recheio mas não há problema, basta aconchegar que no fim fica tudo bem;

O creme que fiz não é o que está na receita original;

Ver a receita original que tem fotografias passo-a-passo que ajudam a perceber melhor o método, além de que as fotografias são lindas!

 

IMG_20190420_185351.jpg

 

 

Qua | 24.04.19

Tesourinhos #6

 

Aqui há uns anos a SIC convidou-me para estar presente num programa de televisão (Querida Júlia) porque viram no blogue uma receita invulgar que lhes chamou a atenção.

A receita era a que aqui deixo (mais uma vez) e, como eu, também a apresentadora é louca por ovos. Aliás, ela disse que este prato era tão lindo que se fosse um tecido era capaz de usar um vestido com este estampado 

Já eu, prefiro comer os ovos (e quando os uso é mais em nódoas na roupa ).

O original pode ser encontrado aqui e a reposição aqui.

 

Ovos no Pão

 

11483225_stdRt.jpeg

(antes de ir ao forno) 

 

4 pãezinhos redondos

8 azeitonas

Espinafres salteados

50 grs de queijo Feta

4 ovos

Azeite

Pimenta fresca

 

Retirar uma tampa em cada pão e remover o miolo do interior (reservar para outro uso).

Salpicar com um fio de azeite a parte de dentro do pão e as tampas e polvilhar com pimenta moída. Colocar as azeitonas cortadas em bocadinhos, os espinafres, o queijo Feta esfarelado. Por cima põe-se um ovo e polvilha-se com bastante pimenta.

Põem-se os pães e as tampas num tabuleiro forrado com folha de alumínio e leva-se ao forno até ficar no ponto desejado, cerca de 15 a 20 minutos. A meio pode-se tapar com mais folha de alumínio para não tostar demais.

 

Nota: Podem ser usados outros ingredientes para fazer o recheio dos pães como fiambre, outro tipo de queijo, curgetes ou cogumelos salteados, tomate, pimentos, etc. Pode ser usado queijo de cabra em vez do queijo Feta.

 

11483193_ye0vF.jpeg

(hmmmmmm)

 

Ter | 23.04.19

fresquinho da Ria

 

Quando o peixe é comprado na praça ou supermercados podemos sempre pedir que seja amanhado e preparado como queremos. Mas quando o compramos à porta de casa ou quando temos amigos pescadores que nos dão algum peixe de vez em quando, temos que ser nós a amanhá-los. E embora não custe nada a fazer, o que é certo é que passadas umas horas ainda temos as mãos a cheirar a peixe. Sim, eu sei da existência de luvas mas não sou capaz de usar, gosto de meter ‘as mãos na massa’.

Uma das maneiras de escamar o peixe e evitar que as escamas andem a voar pela cozinha é fazê-lo sob a água da torneira a correr. Outra maneira é fazê-lo com o peixe dentro de um saco de plástico (o mesmo onde o peixe vem da loja).

Para retirar o cheiro das mãos aconselho esfregar muito bem as mãos com meio limão e depois lavar com detergente da louça. Não é infalível mas já ajuda.

 

Robalos no Forno

 

IMG_20190420_122357.jpg

 

2 robalos frescos

1 dente de alho grande, picadinho

2 raminhos de alecrim

2 rodelas de limão

Sal q.b.

Azeite q.b.

 

Pôr os raminhos de alecrim e as rodelas de limão dentro da cavidade dos robalos.

Pôr um fio de azeite no fundo de um tabuleiro, por cima os robalos. Temperar com sal e o dente de alho picado e mais um fio de azeite por cima.

Levar ao forno por 15 a 20 minutos e servir com batata cozida e espigos de couve cozidos.

 

Seg | 22.04.19

slow life...

 

Para começar de maneira calma a semana depois de alguns excessos a que as mesas fartas da Páscoa nos obrigaram 

 

Pudim de Sementes de Chia e Tahini

 

IMG_20190321_072731.jpg

 

200 ml de leite de coco

50 ml de água

½ copo de sementes de chia

1 colher de sopa de xarope de ácer

1 colher de sopa de tahini

 

Na véspera misturar o leite de coco com a água e as sementes de chia. Mexer bem e deixar repousar no frigorífico até à manhã seguinte (mexer uma ou duas vezes para não ficarem as sementes todas juntas).

Para servir dividir o preparado por duas taças e dividir também o xarope de ácer (ou mel em substituição) e o tahini.

 

Qui | 18.04.19

pernalonga!

 

Aqui há uns tempos ofereceram-me uma forma de corte de biscoitos com feitio de coelhinho. Não havia melhor altura para a estrear do que a Páscoa por isso cá estão eles.

Ainda vão a tempo de fazerem estes mimos para oferecerem ou para manter as crianças ocupadas em pinturas (provavelmente terão muito mais jeito do que eu ).

São muito fáceis de fazer e muito saborosos. Encontrei a receita numa revista BBC Good Food mas pode ser vista aqui.

 

Coelhinhos da Páscoa

 

IMG_20190417_234137.jpg

 

300 grs de farinha de trigo

150 grs de açúcar

150 grs de manteiga bem fria

1 ovo grande batido

1 colher de chá de extracto de baunilha

 

Misturar a farinha e o açúcar numa taça e juntar a manteiga bem fria e cortada em quadradinhos. Com as mão esmigalhar bem a manteiga na farinha de modo a ficarem uma migalhas. Adicionar o ovo e amassar de modo a ficar uma massa homogénea. Pode ser feito com a batedeira.

Moldar a massa num disco e levar ao frigorífico por cerca de meia hora.

Retirar e estender com o rolo da massa e cortar no formato desejado.

Levar ao forno por 8 a 10 minutos em tabuleiro forrado com papel vegetal. Retirar e deixar arrefecer no tabuleiro por 3 minutos e retirar para uma rede para acabar de arrefecer.

Depois de frios podem enfeitar-se com uma pasta feita com açúcar e leite (1 copo de açúcar em pó e 1 ou duas colheres de sopa de leite, misturar e com uma seringa pintar os biscoitos. Se desejarem podem dividir a pasta de açúcar e pôr uma gota de corante para fazer cores alusivas à época.

 

IMG_20190413_192530.jpg

 

Qua | 17.04.19

Tesourinhos #5

 

Para quem gosta de um bolo bem lindo para a mesa de Páscoa (ou para qualquer outra mesa que não se comem coisas boas só nos dias de festa!) deixo aqui esta sugestão já com uns aninhos mas sempre actual.

Não sei o que é que liga bolo de cenoura a Páscoa, se calhar são os coelhinhos, mas o que é certo é que já há anos faço um bolo de cenoura por esta altura.

Deixo-vos esta receita, O original pode ser encontrado aqui

 

Bolo de Cenoura

 

18222943_Zg0zT.jpeg

 

Para o bolo:

1 e 1/3 de copos de farinha

1 colher de chá de bicarbonato de soda

1 e ½ colheres de canela em pó

1 pitada de noz-moscada

1 pitada de sal

¾ de copo de açúcar granulado

¼ de copo de açúcar amarelo

½ copo de óleo

½ copo de buttermilk (leite com uma colher de chá de vinagre)

2 ovos

1 colher de chá de extracto de baunilha

1 copo de cenouras raladas

½ copo de ananás em calda, escorrido e cortado em pedacinhos

½ copo de coco ralado

½ copo de nozes picadas

½ copo de uvas passas

 

Para a cobertura:

250 grs de queijo-creme

50 grs de manteiga

2 copos de açúcar em pó, peneirado

¼ de copo de buttermilk (leite com uma colher de café de vinagre)

1 colher de chá de extracto de baunilha

 

Aquecer o forno a 180ºC.

Untar a base de duas formas redondas com 20 cms de largura. No fundo untado pôr uma rodela de papel vegetal e untar também.

Numa taça misturar a farinha, bicarbonato, canela, noz-moscada e sal.

Numa taça grande bater o açúcar, o açúcar amarelo, o óleo, o buttermilk e os ovos até ficar um creme liso. Adicionar a mistura da farinha, um pouco de cada vez. A seguir adicionar a cenoura ralada, o ananás, o coco, as nozes e as passas e envolver bem sem mexer demais.

Dividir a massa pelas duas formas e levar ao forno por 25 a 30 minutos (verificar com um palito). Retirar do forno e deixar arrefecer por uns minutos nas formas. Depois virar os bolos para uma rede para arrefecerem completamente.

Na taça da batedeira bater o queijo-creme com a manteiga e o açúcar até ficar liso. Adicionar o buttermilk e o extracto de baunilha e voltar a bater até ficar um creme brilhante.

Pôr um dos bolos num prato de servir. Por cima espalhar metade do creme. Pôr o outro bolo por cima e novamente o restante creme.

Enfeitar com uma cenoura de maçapão (a da foto é mesmo uma cenoura e a rama foi feita com salsa – quem não tem cão…)

 

Nota: a receita veio daqui.

 

Ter | 16.04.19

por um prato delas...

 

Uma das minhas leguminosas favoritas é a lentilha. Sejam castanhas, verdes ou laranjas gosto bastante e ando sempre a ver de que maneira as posso juntar às refeições cá de casa.

As lentilhas são ricas em fibras, vitamina C, proteínas, potássio, cálcio e magnésio. E têm mais ferro do que a mesma quantidade de carne.

A sua utilização data de há mais de 8000 anos e embora seja originaria da Ásia Central é muito utilizada na cozinha mediterrânica. Os nossos vizinhos Espanhóis usam e abusam de pratos de lentilhas.

Por falar em ‘prato de lentilhas’ na Bíblia são referidas como moeda de troca sobre os direitos da primogenitura entre Esaú e Jacob.

Já eu não trocava nada por elas, mas também não as troco por nada 

 

Lentilhas Estufadas

 

IMG_20190407_124505_1.jpg

 

2 colheres de sopa de azeite

1 cebola grande picada

2 dentes de alho picados

1 talo de aipo picado

2 cenouras picadas

1 copo de lentilhas cor-de-laranja

600 ml de água a ferver

Sal q.b.

1 colher de sopa de molho Inglês

1 colher de chá de orégãos

 

Aquecer o azeite numa caçarola e adicionar a cebola, os alhos, o aipo e as cenouras. Deixar estrugir por uns minutos e adicionar as lentilhas passadas por água e escorridas. Deixar um ou dois minutos mexendo uma vez e adicionar a água a ferver. Temperar com sal a gosto e juntar o molho Inglês e os orégãos. Deixar apurar por 30 a 40 minutos até estar um creme grosso.

Servir como sopa ou como acompanhamento. Fica ainda mais espesso de um dia para o outro.

 

Seg | 15.04.19

começamos

 

Esta semana é Páscoa por todo o lado. Muita gente de férias, alguns a trabalhar e a desejar estarem de férias, outros como eu a ocupar o tempo livre na cozinha.

Os Hot Cross Buns são bolos tradicionais da Páscoa em Inglaterra e outros países da Commonwealth, são normalmente comidos na Sexta-feira Santa e a cruz significa a crucificação de Cristo e as especiarias referem-se às especiarias usadas para embalsamar o seu corpo, como era hábito à época.

Segundo o folclore associado a estes bolinhos, se pendurarmos um na cozinha na Sexta-feira Santa, ele dura sem apodrecer ou ganhar bolor por um ano e ajuda a proteger de maus olhados e também a cimentar as amizades. Mal não fará 

 

Bolinhos de Canela

(Hot Cross Buns)

 

IMG_20190414_095830_145.jpg

 

150 ml de leite

50 ml de água

50 grs de manteiga

450 grs de farinha de trigo

1 pacote de fermento de padeiro liofilizado (7 gramas)

2 colheres de sopa de canela

1 colher de sopa de mixed spice*

50 grs de açúcar

1 ovo batido

Raspa de uma laranja

100 grs de sultanas

 

4 colheres de sopa de farinha

1 dl de água

 

2 colheres de sopa de açúcar

Sumo de uma laranja

 

Numa taça juntar o leite, a água e a manteiga e aquecer até derreter a manteiga. Deixara amornar.

Numa bacia pôr a farinha, o fermento liofilizado, as especiarias, o açúcar, o ovo, a raspa de laranja e as sultanas. Fazer um buraco no meio e deitar aí o leite amornado com a manteiga.

Bater bem na batedeira ou com uma colher de pau. Se estiver muito líquido, juntar um pouco mais de farinha, se estiver muito seco, adicionar um pouco de água.

Amassar durante uns minutos (na batedeira foi apenas três minutos). Deitar a massa numa bacia untada com óleo e deixar repousar por uma ou duas horas ou até duplicar o volume, coberto com um pano da louça limpo.

Quando estiver levedado, retirar da bacia para a bancada polvilhada com farinha. Fazer um rolo com a massa e cortar 12 pedaços iguais (cortar ao meio e depois cortar cada bocado ao meio e depois cada bocado em três).

Com as mãos formar os bolinhos e pôr num tabuleiro forrado com papel vegetal. Cortar uma cruz em cada bolinho com uma faca afiada. Tapar novamente com o pano da louça e deixar repousar mais uns 30 minutos ou até ficarem quase o dobro.

Entretanto misturar as quatro colheres de sopa de farinha com água até ficar uma massa lisa não muito grossa nem muito líquida. Pôr num saquinho de plástico limpo e cortar um niquinho na ponta. Apertar o saco e deitar um fio dessa massa na cruz dos bolinhos de modo a ficar uma cruz de massa branca.

Levar a forno quente por cerca de 20 minutos ou até os bolinhos estarem dourados e ao bater em cima deles soar a oco.

Retirar do forno e pincelar com o sumo de laranja misturado com o açúcar. Arrefecer numa rede.

 

*Alternativa à mixed spice:

1 pitada de noz-moscada em pó

1 pitada de cravinho em pó

1 pitada de gengibre em pó

1 pitada de coentros em pó

1 pitada de pimenta-da-jamaica em pó

 

Nota: receita adaptada desta

 

IMG_20190413_212744.jpg

 

IMG_20190413_205037.jpg

(antes de ir ao forno)

Sex | 12.04.19

das saudades...

 

Esta receita foi-me dada há anos por uma prima da minha Mãe que faleceu há cerca de dez anos já com 95 anos.

Sempre que íamos a casa dela, numa aldeia de Sever do Vouga de onde é natural também a minha Mãe, tinha um destes bolos enormes à nossa espera, embrulhado em papel de seda e atado com um fio, para trazermos para casa.

Era de uma simpatia e carinho fantásticos e costumava também ter compotas e ovos caseiros para nos dar. A sua casa parecia de conto de fadas, um verdadeiro oásis de bom gosto e simplicidade numa aldeia de gente rude onde a beleza das coisas era tida como perda de tempo.

Penso nela muitas vezes e apesar de ter esta receita escrita pela sua mão há anos, esta foi a primeira vez que a fiz. A compota de laranja que faço há anos é também uma receita sua.

Fiz apenas metade da receita porque como disse faz um bolo enorme. Como a Páscoa está aí à porta e o pão-de-ló é quase obrigatório à mesa nessa altura, fica aqui a sugestão.

O bolo vai muito bem, muito bem mesmo!, com queijo da serra, experimentem e digam lá se tenho ou não razão 

 

O Pão-de-Ló da Prima Carolina

 

IMG_20190406_212313.jpg

 

12 ovos grandes

500 grs de açúcar

350 grs de farinha Branca-de-Neve

Raspa de limão

 

Junta-se numa tigela o açúcar com 11 gemas e bate-se muito bem (até triplicar de volume). De seguida junta-se a farinha, a raspa de limão e um ovo e mexe-se muito bem.

Por último juntam-se as claras em castelo (no recipiente onde se batem as claras deve-se previamente colocar umas gotinhas de limão e uma pitada de sal). As claras devem ficar em castelo firme.

Untar uma forma com buraco e deitar a massa na forma. O bolo cresce bastante pelo que a forma tem que ser grande.

Levar ao forno em temperatura moderada por uma hora (verificar antes pois depende do forno).

carolina.PNG

Nota: o bolo da foto foi feito com metade da receita

 

Ter | 09.04.19

dia-a-dia

 

Há receitas tão simples mas que no entanto nos preenchem os sentidos.

Esta que encontrei no blogue da Mar é uma delas. Embora eu não tenha utilizado pescada fresca, o resultado final foi surpreendente.

Parece uma receita de todos os dias, e até é, mas brilha de sabor!

Ora vejam.

 

Pescada de Cebolada

 

IMG_20190330_125831.jpg

 

4 lombos de pescada, descongelados

1 cebola

2 dentes de alho

Sumo de 1 limão

2 tomates frescos

1 colher de sopa de farinha Maizena

1 pitada de sal

Azeite q.b.

2 colheres de sopa de salsa e coentros picados

 

Cortar a cebola em meias luas e picar os dentes de alho. Alourar no azeite e adicionar o tomate cortado em quadradinhos. De seguida juntar os lombos de pescada, temperar com sal e sumo de limão e um fio de azeite. Tapar a frigideira e deixar cozinhar por dez a 15 minutos, dependendo da grossura dos lombos.

Dissolver a farinha num bocadinho de água e adicionar ao refogado mexendo sem desmanchar os lombos de pescada. Polvilhar com a salsa e os coentros picados e servir de imediato com batata cozida e salada.

 

Seg | 08.04.19

comecemos então

 

Jantares va-vum de rápidos, o que se quer nos dias de semana em que os afazeres são tantos que parece que o dia nunca mais acaba e depois temos que ir dormir a correr…

 

Cogumelos Recheados com Pistachos

 

IMG_20190406_202340.jpg

(antes de ir ao forno)

 

6 cogumelos brancos, grandes

3 chalotas

1 talo de aipo

Azeite q.b.

1 colher de café de açafrão das Índias

1 colher de café de Ras-el-Hanout (ou coentros em pó)

Sal q.b.

1 molhinho de salsa picada

20 pistachos

50 grs de queijo Feta

Pimenta moída q.b.

1 fio de azeite

 

Retirar os pés aos cogumelos e picar. Picar também as chalotas e o aipo.

Levar uma sertã ao lume e alourar as chalotas picadas no azeite. Juntar os pés de cogumelos picados, o talo de aipo, a salsa e as especiarias. Mexer e deixar apurar uns minutos até amolecer. Temperar com sal a gosto e adicionar os pistachos picados (pode-se omitir o sal porque os pistachos e o queijo Feta já têm sal suficiente).

Dividir esta mistura pelos dos cogumelos e por cima esfarelar o queijo Feta e polvilhar com pimenta moída de fresco e regar com um fio de azeite.

Levar ao forno por cerca de 20 minutos. Servir com uma salada.

 

Sex | 05.04.19

Fixer Upper!

 

Por incrível que possa parecer, não aprecio muito ver programas de culinária na TV. E se forem concursos ainda pior.

Por vezes lá vejo um ou outro programa do Jamie Oliver ou outro ‘artista’ da comida que aprecie mas é raro.

Adoro ler livros de receitas e uma das autoras que mais aprecio é a Nigella Lawson mas não gosto nada de a ver na TV, faz-me nervos… 

Já programas de recuperação de casas papo-os todos: House Rules; My Dream Home; House Doctor; Fixer Upper, são todos grandes favoritos. Este último vi há pouco tempo e o casal de apresentadores Chip and Joanna Gaines são engraçados e muito terra-a-terra.

Uma das particularidades deste programa é que a Joanna tinha sempre um prato com biscoitos de muito bom aspecto para oferecer aos clientes. Por casualidade, noutro dia li um artigo acerca da empresa que o casal tem onde falava dos tais biscoitos.

Procurei a receita que encontrei aqui (e em milhentos outros sitios). Daí a experimentar foi um tirinho e cá estão eles!

 

Biscoitos da Joanna Gaines

 

IMG_20190305_175909.jpg

 

2 e ½ copos de farinha com fermento

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

½ colher de chá de sal (usei menos)

120 grs de manteiga (usei Becel Cozinha)

2 copos mal cheios de açúcar amarelo

2 ovos grandes

1 e ½ colheres de extracto de baunilha

1 e ½ copos de pepitas de chocolate (usei 150 grs de chocolate negro)

 

Numa taça misturar a farinha, o bicarbonato e o sal. Reservar.

No copo da batedeira juntar a manteiga e o açúcar e bater até ficar um creme esbranquiçado. Juntar os ovos e a baunilha e bater até estar bem misturado. Adicionar a mistura da farinha e bater de modo a ficar uma massa grossa. Juntar as pepitas de chocolate e dar mais uma batedela para as incorporar bem na massa.

Deitar colheradas da massa num tabuleiro forrado com papel de ir ao forno e levar a forno quente por cerca de 12 a 15 minutos (depende do forno).

Retirar e deixar repousar cinco minutos no tabuleiro e depois passar os biscoitos para uma rede para acabarem de arrefecer.

Guardar num recipiente que feche hermeticamente (esta parte não consegui...).

 

Qui | 04.04.19

“Desafio Bloggers – À Descoberta da Páscoa no Lidl”

 

No outro dia na página do FB do Lidl Portugal vi que tinham lançado um passatempo para quem tivesse um blog.

O desafio termina amanhã e passa por “partilhar uma receita no respetivo blog, utilizando apenas, para o efeito, os produtos incluídos na oferta de artigos Páscoa para 2019, do Lidl Portugal, nomeadamente artigos da marcas Deluxe ou Favorina.”

Ora, usando apenas artigos dessas duas marcas pareceu-me difícil e por isso avancei para uma receita que, usando artigos Deluxe, usa outros que não constam no folheto mas que, em todo o caso, são marcas exclusivas do Lidl.

Era aqui que eu dizia que o Lidl é um dos meus supermercados favoritos…. Só que é!

Aqui está a minha participação, espero que gostem e experimentem.

 

Tarteletes de Alheira e Bacalhau

 

IMG_20190331_131628.jpg

 

250 ml de água

250 ml de leite

2 lombos de bacalhau Deluxe (descongelados)

1 cebola

2 dentes de alho

60 ml de azeite

1 colher de chá de vinagre

1 colher de sopa de farinha (bem cheia)

240 ml do líquido de cozer o bacalhau

Sal, pimenta e noz-moscada q.b.

1 raminho de salsa

1 embalagem de massa quebrada

1 alheira de Vinhais Deluxe

 

Misturar a água e o leite e levar ao lume com os lombos de bacalhau até levantar fervura. Deixar ferver um minuto e apagar o lume deixando o bacalhau repousar por dez minutos. De seguida retirar o bacalhau e coar o liquido que se deve reservar. Retirar pele e espinhas ao bacalhau e desfiar.

Cortar uma cebola em meias luas e picar os dentes de alho.

Levar uma caçarola ao lume com o azeite e a cebola e deixar alourar. Quando a cebola estiver lourinha adicionar os dentes de alho bem picados e deixar alourar também por um minuto. Adicionar o vinagre, juntar o bacalhau desfiado e mexer, deixando apurar por uns minutos.

Polvilhar a farinha sobre o bacalhau, envolver e de seguida juntar o líquido mexendo sempre até engrossar (se necessário juntar mais um pouco de líquido). Temperar com sal, pimenta e noz-moscada e a salsa picada.

Dividir a massa quebrada por quatro formas de tartelete. Dividir a alheira e em quatro bocados e descartar a pele. Espalhar cada bocado na base da massa de modo a ficar toda coberta. Por cima da alheira dividir o creme de bacalhau de modo a que fique até ao topo da massa.

Levar ao forno quente por cerca de 30 minutos até estar douradinho.

Servir com grelos salteados e azeitonas.

 

Qua | 03.04.19

Tesourinhos #4

 

Mais uma receita já bem antiga e que a meu ver está cada vez mais na moda já que agora o peixe em conserva está em alta.

Experimentem pois é facílimo de fazer e do sabor nem vos digo nada para não estragar a surpresa!

O original pode ser encontrado aqui.

 

Trufas de peixe com queijo creme e passas douradas

 

 

1 lata de filetes de cavala (ou atum)

100 grs de queijo creme (tipo philadelphia)

3 colheres de sopa de pão fresco ralado

2 colheres de sopa de passas douradas

2 colheres de sopa de salsa picada

Sal e pimenta

3 colheres de sopa de cebolinho e endro picados e misturados

 

Esmagar o peixe e misturar o queijo, pão ralado, a salsa picada e as passas cortadas em bocadinhos pequeninos. Temperar com sal e pimenta e moldar bolinhas que se passam por uma mistura de cebolinho e endro picados.

 

Ter | 02.04.19

amaranquê?

 

Estas barrinhas são muito fáceis de fazer e podemos trocar os ingredientes com outros que tenhamos mais à mão, em vez de amaranto tufado podemos usar quinoa tufada ou arroz tufado, tudo coisas que actualmente já existem à venda em quase todos os supermercados.

Também podemos usar sementes de girassol ou pevides de abóbora em vez do amaranto, podemos também usar linhaça… já sabem, façam que isto fica sempre bem.

Ah, e não vai ao lume!!!

 

Barrinhas de Aveia e Amaranto Tufado

 

IMG_20190324_223744.jpg

 

½ copo de mel

½ copo de manteiga de amendoim

1 copo de coco ralado

½ copo de amaranto tufado

¼ de copo de sementes de cânhamo

¼ de copo de sementes de sésamo

¼ de copo de sementes de chia

½ copo de flocos de aveia

1 colher de chá de extracto de baunilha

½ copo de chocolate negro ralado

½ copo de pistachos picados

½ copo de arandos secos

 

Num recipiente que possa ir ao micro-ondas pôr o mel e a manteiga de amendoim e aquecer por 30 segundos para derreter. Se necessário pôr mais uns segundos até tudo estar líquido.

Numa taça misturar os restantes ingredientes e juntar o mel e manteiga de amendoim derretidos envolvendo bem.

Deitar esta mistura numa forma forrada com papel vegetal e pressionar para que fique um bloco. Levar ao frigorífico por umas horas até estar bem duro.

Retirar e cortar em barras do tamanho desejado. Embrulhar as barras em papel vegetal ou papel de alumínio e reservar no frigorifico. Podem ser consumidas ao longo de um mês.

 

Seg | 01.04.19

kiss

 

Eu sei que pareço aquelas pessoas que quando descobrem uma novidade, não querem outra coisa. E apesar de já não ser novidade nenhuma, continuo a adorar este tipo de pequeno-almoço conhecido por ‘overnight oats’.

Na prática, é misturar tudo na véspera, deixar ficar no frigorífico umas horas e depois comer.

Nada mais simples. No entanto, é do melhor!

 

Aveia Cremosa

 

IMG_20190325_072731.jpg

 

½ banana

2 colheres de sopa de flocos de aveia

100 ml de iogurte natural

 

Na véspera misturar a banana esmagada aos flocos de aveia e ao iogurte. Mexer bem e reservar.

Quando for para servir, pôr esta mistura numa taça.

Opcionalmente podemos enfeitar com fruta fresca. Neste caso usei rodelas de banana e morangos fatiados.