Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Sex | 29.03.19

queques que não são da linha

 

Aqui há uns dias ofereceram-me umas forminhas de silicone. Não sou muito fã de usar silicone mas já que tinha estas decidi experimentar uma receita a ver como ficava.

O que têm de bom estas formas é que não precisamos de as untar e quando são assim em tamanho pequeno poupa imenso trabalho.

Fica aqui a sugestão. E se não tiverem forminhas de silicone podem usar das outras e para poupar trabalho, em vez de as untarem, usem daquelas forminhas plissadas dentro das de queques.

 

Queques de Banana, Aveia e Noz-Pecã

 

IMG_20190308_202336.jpg

 

½ copo de óleo de coco ou de girassol

½ copo de açúcar de coco (ou amarelo)

2 ovos

3 bananas maduras esmagadas

¼ de copo de leite (pode ser vegetal)

1 colher de chá de extracto de baunilha

1 e ½ copos de farinha

½ copo de farinha de aveia

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

½ colher de chá de canela em pó

1 pitada de sal

½ copo de noz-pecã muito picadinhas

Flocos de aveia para polvilhar

 

Numa taça misturar o óleo, o açúcar, os ovos, as bananas, o leite e a baunilha. Acrescentar as farinhas, o bicarbonato, a canela, o sal e as nozes picadas. Envolver bem e deitar em colheradas nas forminhas de queques. Polvilhar com flocos de aveia.

Levar ao forno por cerca de vinte minutos a meia hora.

Retirar e deixar arrefecer ligeiramente antes de desenformar.

 

Notas:

podem ser usadas nozes em vez de noz-pecã

a receita foi inspirada nesta

 

Qui | 28.03.19

Olé!

 

Quando temos a sorte de poder arranjar frangos criados ao ar livre e de maneira não intensiva, qualquer prato brilha.

Quase sempre opto por cabidela (o meu prato favorito!) para gastar frango caseiro mas eles às vezes dão para mais do que uma utilização e desta vez decidi experimentar um prato que  é muito típico em Espanha .

Os fideos são um tipo de massa curta tipo tubo, mais grossa do que o esparguete e que já se encontra à venda em alguns supermercados (já vi no Minipreço).

 

Fideos de Frango

 

IMG_20190307_123026.jpg

 

½ frango caseiro cortado em bocados pequenos

50 ml de azeite

1 cebola picada

2 dentes de alho picados

½ folha de louro

Raminhos de salsa, tomilho e salva

1 malagueta

4 tomates maduros (usei congelados)

200 ml de molho de tomate (usei de compra)

100 ml de vinho tinto

Água a ferver q.b.

150 grs de massa

 

Alourar a cebola e o alho no azeite com a malagueta, o louro, a salsa, o tomilho e a salva. Adicionar o frango, o tomate picado, o molho de tomate e o vinho. Temperar com sal e deixar levantar fervura. Baixar o lume e deixar cozer por cerca de 45 minutos.

Retirar a carne e reservar. Adicionar água a ferver a tacho e juntar a massa. Rectificar os temperos e deixar cozer a massa por cerca de 15 minutos, adicionando mais água a ferver se a massa absorver demais. No fim deve ficar com algum molho.

 

Qua | 27.03.19

Tesourinhos #3

 

Como costumo dizer meio a sério, meio a brincar: eu tenho queda, não tenho é onde cair.

Isto a propósito de um Bolo de Maçã que circula por essa internet fora e cuja receita além de cair na categoria ‘mais fácil é impossível’, também acerta na ‘mais saboroso é difícil’!

E não é que eu faço esse bolo há montes de anos e com registo no blog em 2010?

Idêntico, vá. O meu levava mais açúcar mas no que faço de quando em quando já reduzi o açúcar (só ponho um copo) e também o óleo (os tais ¾ de copo).

Mas não se deixem ir apenas na minha conversa, procurem a receita da Filipa Gomes – 24 Kitchen e vejam lá se estamos ou não a falar da mesma coisa 

O original pode ser encontrado aqui.

 

Bolo Fácil de Maçã 

(com um nome destes, já vos conquistou)

 

bolo.jpg

 

2 ovos

2 copos de açúcar amarelo

1 copo de óleo

1 colher de chá de baunilha

2 copos de farinha

1 colher de chá de canela

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

3 copos de maçãs descascadas e cortadas aos bocadinhos

1 copo de nozes (opcional)

 

Numa taça juntar os ovos, açúcar, óleo e baunilha e mexer bem. A esta mistura junta-se a farinha, canela e bicarbonato. Mexe-se e acrescentam-se as maçãs e as nozes, se estivermos para aí virados.

Põe-se a massa num tabuleiro ou forma de bolo inglês untada com margarina e vai ao forno cerca de 50 minutos, convém ir verificando a partir dos 30 minutos pois estas coisas dependem sempre do forno. Como o meu é do mais básico que há, sem temporizador, nem luz, nem ventoinha, nem temperaturas, essas modernices, eu estou sempre à coca de palito em riste a ver quando o bolo está cozido.

 

Nota: a foto é deste bolo mas não do dia em que publiquei esta receita em 2010

 

Ter | 26.03.19

sal-verde

 

Quando dei com esta notícia, fiquei mesmo surpresa. É que uma das pessoas na fotografia é minha colega e trabalha no mesmo espaço que eu, embora noutro edifício. E nem me passava pela ideia que ela estivesse ligada a esta empresa de que já tinha ouvido falar 

Já tinha usado salicórnia fresca algumas vezes porque um dos meus irmãos faz uma horta nas marinhas de Aveiro e a salicórnia nasce para lá ao Deus dará. Mas em pó nunca tinha usado e por isso encomendei um frasquinho para experimentar.

É um excelente substituto do sal, é diurética, antioxidante e combate problemas de hipertensão arterial. É rica em Ómega 3 e tem minerais benéficos para a saúde como o cálcio, o potássio e o magnésio.

Para quem quer experimentar um gosto diferente ao temperar as suas saladas ou outras receitas, é o condimento ideal e substitui o sal na sua totalidade. Pode ser usada fresca, seca ou desidratada. Encontra-se à venda em hipermercados e lojas Gourmet.

Já usei em várias receitas mas aqui deixo a sugestão de polvilhar sobre o queijo fresco e/ou requeijão e também numa pasta para barrar.

 

Pasta de Abacate e queijo Feta

 

IMG_20190312_200117.jpg

 

1 abacate maduro

30 grs de queijo Feta

Salicórnia em pó

 

Esmigalhar com um garfo o abacate e o queijo. Polvilhar com a salicórnia em pó.

Barrar em broa de milho e centeio ou em tostas.

 

Seg | 25.03.19

vamos lá!

 

Às vezes antes de me ir deitar preparo o pequeno-almoço, que gosto de apreciar sentada e nas calmas (e para isso me levanto mais cedo).

O pequeno-almoço é de sem dúvida a minha refeição favorita e mesmo querendo que seja bem saboroso, também quero que seja saudável e por isso me dou a este trabalho.

Os dias correm melhor quando começam bem!

 

Taça de Aveia e Chia

 

IMG_20190313_072425.jpg

 

Pudim de Chia

½ copo de sementes de chia

½ copo de leite de amêndoa

Creme de Aveia

3 colheres de sopa de flocos de aveia

1 colher de sopa de coco ralado

2 tâmaras

1 pitada de sal

Leite de amêndoa q.b

Acrescentar

1 colher de chá de tahini (pasta de sésamo)

Fruta fresca

Pólen de abelhas

 

Na véspera misturar as sementes de chia com o leite de amêndoa, mexer e reservar (vai dar para duas vezes).

Num tachinho colocar os flocos de aveia, o coco ralado, as tâmaras cortadas em pedacinhos e o sal. Cobrir com leite de amêndoa de modo a ficar completamente tapado. Levar ao lume e mexer até levantar fervura e engrossar, uns cinco minutos. Se necessário acrescentar mais um pouco de leite de amêndoa.

Quando for para servir, pôr num copo ou taça o creme de aveia e tâmaras e por cima umas colheradas do pudim de chia. Acrescentar o tahini, frutas a gosto, pólen de abelha e servir.

 

Sex | 22.03.19

a condizer

 

Para dias bonitos, sobremesas bonitas.

 

Quadrados de Creme e Morango

 

IMG_20190303_140903.jpg

 

1 embalagem de massa folhada rectangular

Creme de custarda ou de pasteleiro q.b.

250 grs de morangos

1 colher de sopa de açúcar amarelo

Sumo de ½ lima

Açúcar em pó

 

Cortar a massa folhada em 6 quadrados e com a faca recortar uma beira de um centímetro mas sem chegar ao fundo da massa, é apenas para marcar um quadrado um pouco mais pequeno dentro do que temos. Dobrar o cantinho para dentro para dar feitio.

Levar ao forno até estar dourado. Retirar e baixar o centro dos quadrados com as costas de uma colher. Deixar arrefecer.

Levar os morangos cortados em quartos ao lume com o açúcar amarelo e o sumo de lima e deixar fervilhar por dez minutos. Deixar arrefecer.

Quando for para servir deitar duas colheradas de creme de custarda (ou de pasteleiro) nos quadrados e por cima duas colheradas da compota de morangos. Polvilhar tudo com açúcar em pó e servir.

 

Qui | 21.03.19

mudam-se os tempos...

 

Lembro-me do tempo, há anos e anos, em que em Portugal não nutríamos qualquer simpatia pela Indonésia por causa da questão de Timor-Leste.

Houve até um dia em que Portugal parou numa homenagem silenciosa às vítimas do massacre do cemitério de Santa Cruz. Eu estava de férias no Alentejo e parámos o carro no meio de uma estradinha daquelas que levam a nenhures, para a nossa homenagem e fartei-me de chorar.

Eu não conhecia ninguém de Timor mas todos tínhamos um sentimento tão profundo por eles…

A Indonésia era mesmo um país que detestávamos (eu pelo menos) e não queria nada que viesse de lá. Uma das vezes que fui ao Brasil comprei um pano daqueles de levar para a praia. Quando dei por ela tinha na etiqueta ‘Made in indonésia’. Parece que levei um choque, não consegui fazer nada com aquele pano e deixei-o lá…

Entretanto as coisas mudaram, Timor é agora um país soberano, com boas relações com a Indonésia e o que ficou para trás, ficou.

Por isso agora até experimento receitas indonésias, como esta.

 

Mee Goreng

 

IMG_20190125_204646.jpg

 

1 colher de sopa de óleo de sésamo

1 colher de sopa de óleo de amendoim

1 cebola

2 dentes de alho

1 cenoura

Pimento vermelho e amarelo q.b.

1 malagueta

200 grs de cogumelos

1 couve pak choi

30 grs de cajus

Massa chinesa

2 ovos estrelados

 

Molho:

¼ de copo de molho de soja

1 colher de sopa de molho de peixe

1 colher de sopa de molho de piripiri

¼ de copo de caldo de legumes ou frango

 

Misturar numa taça os ingredientes do molho e reservar. Cozer a massa conforme indicações da embalagem, cerca de 3 minutos (acrescentei açafrão das Índias à água para a massa ficar amarela). Escorrer e reservar.

Picar a cebola, o alho, os cajus e a malagueta, cortar os pimentos em tiras e a cenoura em palitinhos, os cogumelos em fatias e a couve pak choi em bocados.

Aquecer os óleos num wok. Saltear a cebola e o alho, juntar a cenoura, os pimentos, a malagueta, os cogumelos e o pak choi. Mexer e deixar fritar por uns minutos, adicionar a massa cozida e o molho que está pronto. Deixar cozer tudo por dois ou três minutos e salpicar com os cajus picados.

Servir com os ovos estrelados.

IMG_20190125_202759.jpg

 

 

 

Qua | 20.03.19

Tesourinhos #2

 

Retomando aquelas receitas que não podem, não devem, ficar esquecidas na memória do blog, hoje trago esta que além de surpreendente (uma mousse de chocolate que só leva dois ingredientes!) é super fácil de fazer.

Atenção ao chocolate escolhido, já que é um dos dois ingredientes (pronto, o outro é água!) deve ser um chocolate de qualidade topo.

Atrevam-se! O original pode ser encontrado aqui.

 

Mousse de Chocolate Milagre

 

mousse.jpg

 

265 grs de chocolate negro (com 70% de cacau)

1 copo de água (240 ml)

 

Derreter o chocolate na água em lume brando.

Deitar numa taça grande e pôr essa taça sobre uma outra taça mais pequena com água e cubos de gelo. O fundo da taça com o chocolate deve estar imerso na água com os cubos de gelo.

Bater vigorosamente à mão ou com a batedeira eléctrica até ficar em creme.

 

Nota: Usei a batedeira eléctrica e demorou sete minutos até chegar a uma textura de mousse.

O chocolate que usei foi negro, de marca branca, e com apenas 50% de cacau (mas merece um bom chocolate)

Receita encontrada ao acaso aqui!

 

Atenção: A taça onde se vai bater a mousse deve ser funda, porque senão demoramos sete minutos a fazer a mousse e duas horas a lamberlimpar pingos de chocolate pela cozinha… não que eu fale por experiência…

 

Ter | 19.03.19

life's too short

 

E que tal comer a sobremesa logo ao pequeno-almoço para despachar o assunto?

Não dizem que ‘a vida é muito curta, coma a sobremesa primeiro’?

Com essa ideia em mente, cá está a solução!

 

Mousse de Abacate e Banana

 

IMG_20190226_235052.jpg

 

1 abacate maduro

1 banana

1 colher de sopa de cacau em pó

1 colher de sopa de manteiga de amendoim

1 colher de sopa de mel

100 ml de leite de coco

 

Pôr todos os ingredientes num copo alto e triturar com a varinha mágica até ficar um creme liso e brilhante.

Deitar em copos (deu quatro dos de iogurte) e salpicar com flocos de coco (opcional).

 

Seg | 18.03.19

quem quer ser agricultor?

 

Todos sabemos que os vegetais são uma parte muito importante da nossa alimentação. Se forem cultivados sem pesticidas e de forma não intensiva, ainda melhor.

Mas nem todos temos acessos a esses vegetais já que muitos de nós apenas podem comprar nos super e híper mercados e de um modo geral, ou temos que assaltar um banco para comprar os que estão classificados como ‘bio’ ou ‘orgânico’ ou temos mesmo que comprar os de agricultura intensiva.

No entanto todos podemos ter uma ‘micro’ horta para pelo menos salpicar as nossas refeições com vegetais. E podemos faze-lo ao longo de todo o ano.

Apresento-vos os microgreens ou microvegetais. Facílimos de cultivar, estão prontos a usar em cerca de cinco dias (dependendo do tipo usado) e cheios de benefícios. Alguns conseguem ter até 40 vezes mais nutrientes (vitaminas, minerais e antioxidantes) do que a mesma variedade no seu estado normal, ou seja, perfeitamente cultivada. E isso pode ajudar a combater algumas doenças tais como:

  • Doenças do coração
  • Diabetes
  • Certos tipos de cancro
  • Alzheimer

 

Microvegetais

 

IMG_20190315_174606.jpg

 

E agora mãos à obra:

Pegar num daqueles tabuleiros de plástico que costumam vir com os cogumelos por exemplo, ou numa caixa de gelados (que foi o que utilizei) e fazer alguns furos na base. De seguida pôr uma camada de substrato, cerca de dois centímetros de altura. Por cima espalhar as sementes e tapar com uma camada muito fina de substrato. De seguida borrifar com água, tapar bem com película aderente e pôr num sítio escuro por dois dias (eu pus na despensa).

Passado esse tempo retirar a película e pôr o tabuleiro onde apanhe luz, pode ser na beira da janela. Vão notar que as sementes já começaram a germinar mas ainda não têm nenhuma cor. Ao fim de mais dois ou três dias já estão com uma altura de cerca de dois a três centímetros e já podem ser cortados com uma tesoura, lavados e espalhados sobre a comida: saladas, sandes, omeletes, sopas, etc.

Nesta primeira ‘plantação’ utilizei sementes de agriões, rabanetes e beterraba, estas últimas são mais demoradas e ainda estão muito pequeninas.

Podem ser utilizados vários tipos de semente: couves, nabiças, girassóis, agriões, cenouras, aipo, chia, funcho, cebolinho, etc.

 

Nota: usei sementes das que tinha das minhas safras mas podem usar-se as de compra, de preferência sem químicos

 

Sex | 15.03.19

vamos a bolos

 

E como o tempo ainda é mais de Inverno do que de Primavera, apesar de os dias já brilharem mais, deixo a receita de um bolo porque assim, ao mesmo tempo que fazemos uma coisa gostosa, aquecemos a casa  Dois em um.

No caso deste bolo também aproveitei para usar tâmaras que me tinham dado e que precisavam de ser gastas rapidinho. Ficou excelente!

 

Bolo de Tâmaras

 

IMG_20190202_224002.jpg

 

200 gr de tâmaras sem caroço, cortadas aos bocados

1 colher de chá de bicarbonato

2 copos chá (água a ferver com uma saqueta de chá preto)

1 copo de açúcar amarelo

100 grs de manteiga (usei Becel Cozinha)

2 ovos

1 colher de chá de extracto de baunilha

1 pitada de sal

2 copos de farinha com fermento

1 mão-cheia de nozes picadas

Açúcar em pó para polvilhar, opcional

 

Numa tigela colocam-se as tâmaras, o bicarbonato e o chá a ferver. Deixa-se repousar por um bocado até amornar.

Bater o açúcar com a margarina, adicionar os ovos, baunilha, sal e a farinha e envolver bem. Juntar a mistura das tâmaras e água e as nozes. Mexer bem, vai ficar líquido mas é mesmo assim.

Pôr num tabuleiro untado. Vai ao forno cerca de 45 minutos. Verificar com um palito a partir dos 35 minutos pois depende do forno.

Retirar do forno quando estiver cozido e deixar arrefecer. Cortar em quadrados e polvilhar com açúcar em pó.

 

IMG_20190202_181458.jpg

 

Qui | 14.03.19

estudassem...

 

A ver um programa do Jamie Oliver reparei que ele usa muito o papel de ir ao forno em várias preparações, com a particularidade de o molhar na torneira, amachucar para sair o excesso de água e assim fica muito mais maleável para tapar ou forrar o que se queira. E além disso não suja tanto os recipientes. É para isso que há pessoas que estudam!!!

 

Coelho Assado

 

IMG_20190303_131424.jpg

 

1 coelho em pedaços

1 kg de batatas

2 dentes de alho

1 cerveja branca mini

Sal e pimenta q.b.

Tomilho e Alecrim

Azeite q.b.

 

Molhar um pedaço de papel de ir ao forno e amachucar de modo a escorrer o excesso de água. Pôr num recipiente refractário ou de barro que possa ir ao forno e por cima dispor os bocados de coelho e as batatas descascadas e cortadas em bocados. Por cima pôr o alho picado, temperar com sal e pimenta e com o tomilho e o alecrim.

Deitar a cerveja sobre o coelho e regar tudo com um fio de azeite. Tapar o recipiente e levar ao forno por cerca de uma hora e meia. A meio da cozedura virar as peças de coelho para que assem uniformemente (mesmo estando tapadas alouram).

Servir com arroz de forno e legumes salteados.

 

Qua | 13.03.19

Tesourinhos #1

 

De vez em quando lembro-me de algumas receitas que já fiz para o blog e que, por já terem tanto tempo, acabam por ficar lá nos ‘cafundó’ sem lembrança… e merecem mais do que isso!

Por essa razão vou começar a trazer à luz do dia algumas receitas que acho que merecem ser recordadas.

Hoje começamos com uma doce e perfumada. O original pode ser encontrado aqui.

 

Geleia de Rosas

 

2297065_EeEfM.jpeg

4 copos cheios de pétalas de rosas
2 copos de água
3 1/2 copo de açúcar
 2 colheres de sopa de sumo de limão
1 pacote de pectina*

Colocar as pétalas e a água num tacho e levar ao lume até ferver. Remover do lume e deixar arrefecer.

Quando estiver frio, coar o líquido e medir 2 copos. Juntar o açúcar e o sumo de limão e levar ao lume. Deixar ferver durante cerca de 10 minutos e juntar a pectina.

Deixar ferver por mais 5 minutos e deitar em frascos de compota tapando imediatamente.

Nota: o pectigel, pode-se comprar em lojas de produtos naturais

 

Ter | 12.03.19

digo eu em grego!

 

Adoro comida grega. Comida grega com queijo, então…

Daí a esta Tiropita foi um saltinho!

Comi disto pela primeira vez na Grécia há anos, enfim, décadas e com a globalização agora temos à mão os ingredientes necessários para podermos experimentar quase tudo!

 

Tiropita (Tarte de Queijo)

 

IMG_20190209_202409.jpg

 

10 folhas de massa Filo

350 grs de queijo Feta

250 grs de requeijão

1 colher de sopa de hortelã fresca picada

1 colher de sopa de aneto fresco picado

Pimenta preta q.b.

3 ovos

1 colher de sopa de azeite

Sementes de sésamo

Mais azeite q.b.

 

Untar uma forma de pyrex.

Estender as folhas de massa Filo e com um pincel espalhar azeite numa camada fina, em cada folha. Juntar cinco folhas untadas de azeite e pôr no pyrex com o excedente para fora.

Numa taça misturar o queijo, o requeijão, as ervas, pimenta, ovos e uma colher de sopa de azeite.

Espalhar sobre a massa e por cima pôr as restantes folhas, untadas de azeite, umas sobre as outras. Arranjar o excesso de massa para fazer uma bordadura.

Com uma faca bem afiada fazer os cortes dos quadrados mas apenas ao de leve. Polvilhar com as sementes de sésamo e levar ao forno por uns 40 minutos ou até estar dourado e as folhas bem estaladiças.

Deixar arrefecer um pouco antes de cortar pelas marcas feitas na massa.

Servir com uma salada.

 

Nota: A receita veio daqui

 

Seg | 11.03.19

auto-ajuda

 

Para que os dias corram bem, precisam de começar bem. Isto é uma ajuda.

 

Papas de Aveia e Banana

 

IMG_20190305_090933.jpg

 

4 colheres de sopa rasas de flocos de aveia

1 banana pequena

1 colher de chá de açúcar de coco (ou amarelo)

1 colher de chá de manteiga de amendoim

¼ de copo de leite de coco

Amêndoas e frutos desidratados q.b.

 

Cortar a banana ao meio, esmigalhar metade e juntar com os flocos de aveia e o açúcar. Cobrir com água e levar ao lume mexendo sempre para não pegar por uns cinco minutos (adicionar mais água se engrossar demais).

Deitar numa taça e por cima deitar o leite de coco. Dispôr a restante banana cortada em rodelas, a manteiga de amêndoa e amêndoas e frutos desidratados picados.

Servir de imediato.

 

Sex | 01.03.19

rainha (mas não é do carnaval)

 

Se há coisas que já fiz e repeti milhentas vezes, de cor, de olhos fechados, foram receitas com maçã.

Gosto muito de chocolate mas se tivesse que escolher escolhia maçã.

Maçã é a fruta que como diariamente ao longo do ano e embora no verão tente comer cerejas que durem para ficar satisfeita por todo o ano, as maçãs estão sempre ali, sempre boas, sempre prontas mesmo quando já parecem mal, ali na fruteira com ar de que já ninguém olha para elas duas vezes.

E é nessa altura que saem do forno ou do fogão as melhores iguarias onde a maçã é rainha, aliás, reineta (em francês reinette) é um diminutivo de Rainha!

 

Crumble de Maçã

 

IMG_20190213_222025.jpg

 

5 maçãs (usei golden, reineta e gala)

5 colheres (de sopa) de açúcar 

5 colheres (de sopa) de farinha 

80 g de manteiga 

Sumo de meio limão 

Manteiga, canela e açúcar q.b. 

 

Descascar as maçãs e cortar em fatias com cerca de 1 cm.

Pôr as fatias de maçã num pyrex, salpicar com açúcar, canela sumo de limão e algumas nozes pequenas de manteiga (aí umas 30 grs). Levar ao forno por dez minutos.

Entretanto mistura-se numa taça o açúcar e a farinha (também juntei alguma canela). Adiciona-se a manteiga em pedacinhos, bem fria, e com os dedos mistura-se tudo de modo a ficarem umas migalhas grandes.

Retira-se o pyrex do forno e por cima das maçãs espalham-se estas migalhas. Vai novamente ao forno até estar dourado e estaladiço (no meu demorou 20 minutos).

Retira-se e serve-se quente ou morno, acompanhado de um bom bocado de creme de Custarda.

 

Nota: a receita veio daqui, alterei muito ligeiramente