Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Qui | 31.01.19

fresquinho da Ria

 

Acho que ainda não vos disse que me ofereceram uma cataplana. Mesmo bonita, de tamanho considerável e com o interior antiaderente. Espectacular!

Já fiz várias experiências e só digo que cozinhar na cataplana é muito bom porque como aquilo fecha hermeticamente, os sucos da cozedura não se desperdiçam.

Recomendo!

A estreia foi com um Robalo da Ria [de Aveiro] que comprei na praça.

 

Cataplana de Robalo

 

IMG_20190112_131435.jpg

 

1 robalo amanhado e cortado às postas

1 cebola

2 dentes de alho

1 tomate maduro grande

4 batatas grandes em rodelas

½ pimento vermelho em tiras

Sal q.b.

1 colher de café de coentros em pó

1 colher de café de curcuma (açafrão das Índias)

1 colher de café de colorau em pó

150 ml de vinho branco

150 ml de água

1 golada de azeite

 

Pôr metade da cebola em rodelas no fundo da cataplana e um dos dentes de alho picado. Pôr metade do tomate em pedacinhos e por cima o peixe, o pimento e metade das batatas. Voltar a pôr cebola, alho, tomate e batatas. Temperar com o sal, os coentros em pó, o açafrão das Índias e o colorau. Deitar o vinho e a água na cataplana e regar com uma golada de azeite. Fechar e levar a lume forte até começar a ferver, depois baixar e deixar apurar por cerca de meia hora.

 

Ter | 29.01.19

oui!

 

Quando somos previdentes e organizados, tratamos de adiantar algumas coisas que mais à frente nos vão facilitar a vida, por exemplo, cozer mais umas postas de pescada, assar mais vegetais, fazer arroz que depois sirva para outra coisa, ou massa…

Pois comigo nada disso, é tudo à última da hora, tudo pensado em cima do joelho, tudo muito atrapalhado.

Mas mesmo assim consigo pôr a comida na mesa 

 

Soufflé de Pescada

 

20190104_204815.jpg

 

1 cebola picada

2 dentes de alho picados

Azeite q.b.

2,5 colheres de sopa cheias de farinha

1 colher de sopa de mostarda em pó

250 ml de leite

100 ml de água de cozer a pescada

Sal e pimenta a gosto

3 colheres de sopa de ervas aromáticas (usei salsa, endro e aipo)

350 grs de pescada cozida e limpa de peles e espinhas

4 ovos (separar gemas das claras)

 

Alourar a cebola e o alho no azeite. Salpicar com a farinha e a mostarda em pó, mexer e adicionar o leite e a água de cozer a pescada. Mexer bem, temperar com sal e pimenta a gosto, juntar as ervas aromáticas e as gemas e mexer bem até engrossar.

Adicionar a pescada em lascas e rectificar os temperos se necessário.

Bater as claras em castelo e envolver na mistura de pescada.

Levar a forno quente num pyrex untado até alourar e crescer para o dobro da altura, cerca de 25 minutos.

 

Nota: usei o mesmo recipiente ao lume e no forno, menos louça para lavar 

 

Seg | 28.01.19

começos

 

Antigamente para além das latas de atum e de sardinhas, e de algumas enguias pelo menos aqui na zona de Aveiro, não havia muito mais variedade em conservas.

Agora, que ganharam estatuto de estrela principal, até já têm lojas e restaurantes que lhes são completamente dedicados. E a meu ver muito bem, que sempre fui fã de peixe em conserva.

E foi com muita alegria que descobri que um dos meus peixes favoritos agora também tem a sua lata!

Em vez de ser ‘carapau-de-corrida’ é carapau de conserva 

 

Pasta de carapau para barrar

 

IMG_20190120_200726.jpg

 

1 lata de filetes de carapau

2 colheres de sopa de mostarda

2 colheres de sopa de maionese

Picles picados

Salsa e endro picados

Sumo de meio limão

Pimenta preta

 

Misturar todos os ingredientes desfazendo os filetes com um garfo.

Servir em sandwiches com tomate e ovo cozido em rodelas ou em tostinhas.

 

Sex | 25.01.19

já...

 

Alguma cor para nos acompanhar durante o fim de semana.

Que aproveitem.

 

Copinhos Tricolores

 

20180930_125342.jpg

 

2 copos de leite

¾ copo de açúcar amarelo

20 grs de farinha

30 grs de cacau em pó

½ colher de chá de canela

100 grs de queijo quark

100 grs de iogurte grego

1 colher de sopa de açúcar

Compota a gosto

 

Numa caçarola misturam-se a farinha, o açúcar, o cacau, a canela e o leite. Mexe-se bem e leva-se ao lume para engrossar, mexendo continuamente para não agarrar ao fundo. Quando estiver a borbulhar e com uma consistência cremosa, desliga-se o lume e reserva-se até esfriar.

Bate-se o queijo quark com o iogurte grego e o açúcar.

Deitar o creme de chocolate em copinhos ou tacinhas até 1/3 da altura, deitar por cima umas colheradas de creme de queijo e iogurte e por cima uma colherada de compota a gosto, eu usei uma de maracujá mas qualquer uma serve, especialmente se for um pouco ácida.

 

Qui | 24.01.19

dois ingredientes

 

Quando era miúda, criavam-se porcos lá em casa e desde os pés ao focinho, aproveitava-se tudo e tudo era um manjar (menos as iscas…).

Agora é raro comer carne de porco mas quando vem de alguém que sei que os cria com esmero, lá me decido.

Desta vez aproveitei para fazer Rojões, que é um prato muito típico da zona onde vivo e que, à moda da minha mãe, apenas leva dois ingredientes, a carne e o sal!

 

Rojões à moda da minha Mãe

 

20181223_131924.jpg

 

1,2 Kg de carne de porco em pedaços

Sal grosso q.b.

 

Pôr a carne num tacho largo e salpicar com o sal.

Levar o tacho ao lume no mínimo para largar alguma gordura tapado por uns dez minutos e de seguida destapar subir o lume e deixar frigir mexendo sempre para não pegar, até a carne estar dourada e bem cozida.

É essencial que de quando em quando se mexa a carne para que não agarre. Leva cerca de uma hora no total a ficar com este aspecto da fotografia, bem douradinho (ou mais um pouco se for carne caseira).

Retirar os rojões e servir com picles, azeitonas e rodelas de laranja.

 

Notas:

A carne deve ser entremeada de febra e gordura. A gordura é que vai derreter e fazer com que a carne frite na sua própria gordura.

Aproveitar o pingue (banha) para outros cozinhados.

 

Ter | 22.01.19

primeiras vezes

 

Foi a primeira vez que cozinhei com raiz de aipo. E foi muito bom!

 

Creme de Raiz de Aipo com Gremolata

 

20181218_204408.jpg

 

Sopa

2 colheres de sopa de azeite

1 cebola

1 raiz de aipo pequena

1 batata-doce branca

1 nabo

1 curgete

2 batatas

Sal q.b.

750 ml de água a ferver

 

Gremolata

1 cebola pequena picada

1 fio de azeite

Salsa picada

Nozes picadas

 

Descascar e cortar em pedaços idênticos a cebola, a raiz de aipo, a batata-doce, o nabo, a curgete e as batatas.

Pôr o azeite e restantes ingredientes numa panela e levar ao lume por um minuto. Acrescentar a água a ferver e deixar levantar fervura. Baixar o lume e deixar cozer por 20 minutos.

Entretanto faz-se a gremolata alourando a cebola juntamente com as nozes e a salsa picada num fio de azeite.

Triturar a sopa e servir com gressinos e a gremolata.

 

Seg | 21.01.19

home remedies :)

 

Quando o pingo no nariz, o catarro, as dores de garganta e tudo o resto inerente a esta época de frio e chuva aparecem, toca a combatê-los com o que há por casa e sem ter que ir à farmácia!

 

Leite Dourado

 

20190106_203627.jpg

 

200 ml de litro de leite

1 colher de café de açafrão das Índias (curcuma)

1 pitada de canela em pó

1 pitada de pimenta preta

1 colher de sopa de mel

 

Levar o leite ao lume com os restantes ingredientes até levantar fervura.

(Para fazer espuma usar uma batedeira ou um utensílio próprio a pilhas.)

Deitar numa caneca e beber muito quente.

 

Ter | 15.01.19

alternativas

 

Os nossos pratos devem ser o mais coloridos possível, ou melhor, a nossa comida é que deve ser, os pratos até podem ser brancos 

Não podendo encher um prato de smarties ou M&M’s, fica aqui esta sugestão 

 

Batatas Coloridas Assadas

 

49797500_1177094445774088_1354246035022544896_n.jp

 

2 batatas

1 batata-doce laranja

1 batata-doce roxa

1 batata-doce branca

1 cabeça de alhos

2 colheres de sopa de azeite

Sal q.b.

Ervas aromáticas secas a gosto (usei mistura de tomilho, orégãos, alecrim, salva e piri-piri)

 

Descascar as batas e cortar em palitos grossos. Cortar as pontas dos dentes de alho sem separar.

Numa bacia misturar os palitos de batata com o sal, as ervas aromáticas e o azeite. Envolver bem.

Forrar um tabuleiro com papel vegetal e dispor as batatas.

Levar ao forno médio por cerca de uma hora virando as batatas a meio.

 

Seg | 14.01.19

que fofura

 

Esta receita de panquecas deixa-as bem fofas e altas.

Fiz só metade da receita. Podemos fazer o dobro e deixar algumas para os pequenos almoços ou lanches seguintes, aguentam três dias sem estragar no frigorífico. É só retirar as panquecas para a temperatura ambiente por meia hora ou aquecer no micro-ondas por dez segundos e já está!

 

Panquecas (com Fruta)

 

20190102_184919.jpg

 

1 copo de farinha de trigo c/ fermento

1 pitada de sal

½ colher de chá de fermento em pó

½ colher de chá de bicarbonato de sódio

1 ovo batido

1 copo de leite c/ 1 colher de sopa de vinagre

2 colheres de sopa de óleo de girassol

 

Misturar todos os ingredientes numa taça e mexer bem para não ficar com grumos.

Aquecer uma frigideira antiaderente e derreter 1 colher de chá de manteiga.

Deitar uma medida de massa (meia concha de sopa) na frigideira e deixar até formar umas bolhinhas. Virar do outro lado e deixar por mais um minuto.

Retirar para um prato e continuara té esgotar a massa.

Juntar fruta fresca e mel ou xarope de ácer e servir.

 

Nota: receita original aqui

 

Sex | 11.01.19

vai saber muito bem!

 

Como já devem andar todos fartinhos de dietas, aqui fica uma sugestão que vai saber bem com uma bebida quentinha.

 

Bolo de Coco e Iogurte

 

20181207_193350.jpg

 

1 iogurte natural

2 embalagens de iogurte de farinha

2 embalagens de iogurte de coco ralado

2 embalagens de iogurte de açúcar amarelo

1 embalagem de iogurte de óleo

2 ovos

Raspa e sumo de uma laranja grande ou duas pequenas

 

Juntar todos os ingredientes numa taça e mexer com uma colher de pau até estar tudo bem misturado.

Untar um tabuleiro e deitar a massa no tabuleiro. Levar a forno quente por cerca de 20 minutos, dependendo do forno.

Retirar e cortar em quadrados. Polvilhar com canela.

 

Nota: Inspirado nesta receita

 

Qui | 10.01.19

vamos lá a aproveitar

 

Continuando na senda dos aproveitamento e em vestir as sobras com outras roupagens, deixo aqui uma sugestão para sobras de carne assada, estufada, cozida, frita ou mesmo todas as versões juntas.

Pode haver alturas em que as sobras de um assado por exemplo não são suficientes para ir fazer logo um empadão. Mas se juntarmos a essas sobras outras, várias, já pode dar.

A solução é ir congelando num recipiente os bocados que vão sobrando e quando se tiver uma quantidade jeitosa, dá para fazer croquetes, empadões, lasanhas o que apetecer na altura. E ninguém se vai queixar de que está a comer sobras!

 

Empadão de Vitela com Arroz

 

20180729_131500.jpg

 

1 cebola

2 cenouras

2 hastes de aipo

200 grs de cogumelos

1 curgete

1 raminho de salsa

50 ml de azeite

500 grs de carne (assada, cozida, etc)

100 ml de vinho branco

150 ml de água

150 ml de molho de tomate

1 pitada de sal

1 colher de chá de piripiri

1 colher de chá de orégãos

1 colher de chá de colorau

1 colher de chá de molho Inglês

Cerca de 500 grs de arroz cozinhado

1 ovo

 

No robot de cozinha triturar a cebola, cenoura, aipo, cogumelos, curgete e salsa.

Pôr no tacho com azeite e deixar refogar.

De seguida triturar também as sobras de carne.

Adicionar ao refogado e apurar um minuto ou dois.

Adicionar vinho branco, água e molho de tomate, sal, piripiri, orégãos, colorau e molho Inglês.

Deixar apurar até estar ao gosto. Rectificar os temperos.

Pôr arroz na base de um tabuleiro, por cima põe-se o refogado de carne e tapa-se com mais arroz.

Cobre-se com um ovo batido e leva-se ao forno até alourar.

 

Nota: neste caso específico, até o arroz tinha sido congelado!

 

Qua | 09.01.19

Perishable thoughts...

 

“Do milhão de toneladas anuais de comida desperdiçada em Portugal, o projecto apurou que 324 mil perdem-se em casa dos consumidores.”

 

Já que no ano novo todos temos muito boa vontade e muito boas intenções acerca daquilo que podemos fazer nas 365 páginas em branco que se nos oferecem, deixo aqui uma sugestão para que, este ano, olhemos para o desperdício alimentar que cada um de nós faz em nossas casas.

Uma das razões para o que estragamos é: ah, não gosto de comida aquecida.

Muitos de nós não gostam, mas a comida que sobra não tem forçosamente que ser aquecida, pode ser reinventada, pode ser transformada, pode ser aproveitada.

Porque vejam bem lá em cima aquela frase que saiu de um artigo do National Geographic: “Do milhão de toneladas anuais de comida desperdiçada em Portugal”… um milhão de toneladas!

Já nem falo na fome em África, esse milhão de toneladas podia bem ajudar a sustentar os Bancos Alimentares, podia servir para que não gastássemos tanto dinheiro em comida, podia servir para gastarmos o mesmo dinheiro em comida mas em comida melhor…

Além de que não é só a comida que se perde, é o combustível que se gasta para a transportar de onde é produzida para onde é consumida, é a água gasta para regar os campos, são as embalagens.

E depois andamos aqui todos de saias à cabeça por causa do efeito de estufa, do ambiente, da pegada ecológica, dos recursos naturais.

 

“Se o desperdício mundial de géneros alimentares fosse um país, seria o terceiro maior responsável pela emissão de gases com efeito de estufa do mundo, logo a seguir à China e aos EUA!”

 

Não sou fundamentalista de causa nenhuma e também não tenho soluções para os probemas ou resoluções de ano novo mas que vou continuar a aproveitar o melhor que posso as sobras lá de casa, isso vou!

 

Croutons

 

20190102_202030.jpg

 

10 fatias de pão de forma

 

Cortar as fatias de pão de forma em quadrados uniformes. Levar a forno quente até estarem dourados e estaladiços. Deixar arrefecer e guardar num frasco para utilizar em sopas, saladas, fazer pão ralado, etc.

 

Nota: Usei fatias de pão de forma descongeladas e já com uns dias que acabaram por não ser necessárias na altura. E aproveitei o forno que já estava a ser utilizado para outra coisa para fazer estes croutons.

 

Ter | 08.01.19

cores da moda

 

A batata-doce está em alta. E agora tem tantas cores que até apetece vesti-la 

 

Batata Doce Recheada

 

20181207_200213.jpg

(antes de ir ao forno)

 

1 batata-doce laranja

50 grs de bacon

100 grs de queijo mozarela ralado

Sal, pimenta e ervas aromáticas q.b.

Azeite

 

Assar a batata doce inteira no micro-ondas por 10 minutos (com um corte para não estourar).

Retirar e cortar fatias quase até ao fundo mas deixando cerca de 1 cm por cortar.

Rechear os intervalos das fatias com bacon cortado em pedaços e queijo ralado. Temperar com sal e pimenta e ervas aromáticas a gosto e por cima regar com um fio de azeite.

Levar ao forno por cerca de 20 minutos até derreter o queijo e servir com cogumelos salteados ou uma salada.

 

Seg | 07.01.19

Ooooommmmm

 

Devagar, na calma, sem ansiedades, chatices, pressões, foi assim que começou o ano novo.

E agora, que já passaram uns dias, vou tentar que continue assim, com tempo para apreciar aquilo de que gosto e me faz bem, com tempo de me sentar à mesa e apreciar a refeição de que mais gosto no dia-a-dia. Mesmo tendo que programar o despertador para meia-hora mais cedo, vale a pena!

 

Papas de Aveia

 

20190104_072750.jpg

 

½ copo de flocos de aveia

1 copo de leite de coco/normal

3 tâmaras em pedacinhos

1 pitada de canela

 

Levar ao lume mexendo de vez em quando por cinco minutos.

Deitar numa taça e acrescentar:

1 colher de sobremesa de manteiga de amêndoa

1 colher de sopa de frutos secos/desidratados

1 colher de sobremesa de pepitas de cacau

 

Servir morno.

 

20190102_150823.jpg

Bioria