Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Sex | 28.09.18

"Pão duro é melhor que figo maduro"

 

Figos. Não são a minha fruta favorita e teria que estar esgalgadinha de fome para os comer com gosto. Mas por outro lado, gosto de coisas feitas com figos, compotas, chutneys, bolos, até sandes!

Como eles agora estão a dar que se fartam, e perto de minha casa há uma árvore abandonada (porque é que não é uma cerejeira é coisa que nunca perceberei, mas pronto, não vou desdenhar só porque é uma figueira…) tenho andado com experiências e até agora têm saído muito bem.

 

Bolo de Figo e Nozes

 

20180914_124315.jpg

 

1/3 de copo de óleo de girassol

1 copo de açúcar

1 colher de chá de extracto de baunilha

2 ovos grandes

2 copos de farinha (usei de espelta)

1 colher de chá de fermento em pó

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 colher de sopa rasa de canela

1 copo de leite com 1 colher de sopa de vinagre

6 a 8 figos cortados em pedaços

½ copo de nozes picadas

 

Aquecer o forno. Untar duas formas de bolo inglês médias.

Bater o óleo com o açúcar e baunilha. Adicionar os ovos, um de cada vez batendo bem.

Numa taça juntar a farinha, fermento, bicarbonato e canela. Adicionar a farinha em três vezes alternando com o leite misturado com o vinagre.

Envolver os figos e as nozes e deitar nas formas. Levar ao forno e deixar cozer por cerca de 30 a 45 minutos, dependendo do forno. Verificar com um palito e se sair limpo, está cozido.

Deixara arrefecer por dez minutos e desenformar. Deixar acabar de arrefecer numa rede.

 

Notas:

A receita original também tinha uma receita para um molho mas não achei necessário já que este com figos fica bastante húmido.

Esta quantidade deu duas formas de bolo inglês daquelas de alumínio descartável (mas que eu lavo e volto a usar [sou poupadinha assim!]) e uma forma redonda pequena que é a da fotografia.

 

Qui | 27.09.18

em modo compota #22

 

Embora faça compotas noutras alturas do ano, o mês de Setembro é sem dúvida aquele em que melhor aproveito a abundância de produtos. Como gosto de ir variando, procuro novas alianças de sabores em revistas, livros ou no boca-a-boca.

Esta receita veio de uma revista inglesa que me trouxeram (Prima) e apesar de já ter uns aninhos, é uma receita que valeu a pena experimentar.

Vai lindamente com queijos fortes!

 

Compota Picante de Tomate e Malagueta

 

IMG_20180927_112903_470[1].jpg

 

500 grs de tomates coração de boi

2 malaguetas vermelhas

30 ml de vinagre de vinho branco

Sumo de 1 limão

250 grs de açúcar amarelo

1 pitada de sal

 

Descascar e cortar os tomates em pedaços. Picar as malaguetas (remover as sementes se não quiser picante demais). Juntar todos os ingredientes num tacho excepto o açúcar e levar ao lume deixando cozer por dez minutos em lume brando. Adicionar o açúcar, mexer e deixar ferver em lume médio por mais 20 minutos altura em que começa a engrossar.

Deitar em frascos previamente esterilizados e fechar de imediato.

 

Ter | 25.09.18

Coisas de Outono

 

Porque esta é a época deles e há figueira aí ao Deus-dará carregadinhas deles.

E se não se podem comer todos de uma vez, e se já fizemos sandes, compotas e chutney e essas coisas, podemos fazer assim.

 

Figos em Calda

 

figoscalda.jpg

 

700 ml de água

300 grs de açúcar

1 estrela de anis

6 vagens de cardamomo

15 figos Pingo de Mel

 

Pôr a água e o açúcar ao lume até levantar fervura com a estrela de anis e as vagens de cardamomo.

Adicionar os figos e deixar fervilhar por cerca de 45 minutos.

Deitar em frascos esterilizados de imediato e fechar bem. Passado algum tempo as tampas fazem um som que significa que ficaram em vácuo.

 

Nota: os figos não devem ser excessivamente maduros para não desfazerem

  

figoarvore.jpg

 (uma hora antes)

 

Seg | 24.09.18

às bolinhas

 

Para recomeçar com energia.

Para ajudar quando apetece qualquer coisinha mas queremos estar ao largo de bolachas e doces processados.

Para quando uma peça de fruta não é suficiente.

Para enganar o ‘ratito’ da fome 

 

Bolinhas Energéticas

 

20180914_175604.jpg

 

½ copo de aveia

20 tâmaras

50 grs de chocolate negro

2 colheres de sopa de sementes de girassol

2 colheres de sopa de pevides de abóbora

1 colher de sopa de bagas goji

¼ de copo de amaranto tufado

Coco ralado q.b. para envolver

 

No robot de cozinha triturar os flocos de aveia com as tâmaras descaroçadas e o chocolate negro.

Deitar esta pasta numa taça e misturar as sementes de girassol, as pevides de abóbora, as bagas de goji e o amaranto tufado. Mexer bem com as mãos para que tudo fique numa pasta.

Moldar bolinhas de tamanho de berlindes grandes e passar por coco ralado.

Guardar no frigorífico, podem durar por duas semanas no frigorífico.

 

Nota: o amaranto tufado pode ser substituído por arroz tufado

Qui | 20.09.18

do que é bom

 

Das coisas que mais estimo é o poder pôr na mesa coisas que cultivei, que alguém que conheço cultivou, que me são dadas, que são trocadas, apanhadas em sítios que alguém abandonou e produzem apesar de tudo.

Esta mescla de tomatinhos veio da minha horta. O azeite é produzido por um amigo meu da zona de Fátima e é do mais saboroso que pode haver. Os alhos deram-mos e os orégãos são também da minha horta.

Ah e tal, mas o sal é comprado! Pois é, mas mesmo assim é de perto e quase que o vejo nas salinas quando lá passo por isso é como se fosse meu 

 

Tomatinhos Cherry Assados no Forno

 

20180909_112128 (1).jpg

 

500 grs de tomates cherry

2 dentes de alho

1 pitada de sal

1 fio de azeite

Orégãos q.b.

 

Forrar um tabuleiro com papel de ir ao forno. Espalhar os tomatinhos, deixar os raminhos em alguns. Esmagar os dentes de alho e espalhar sobre os tomates.

Salpicar com uma pitada de sal, verter um fio de azeite sobre os tomates e polvilhar com orégãos.

Levar ao forno cerca de 25 a 30 minutos.

Servir como acompanhamento ou envolvido em esparguete cozido.

Ter | 18.09.18

outras paragens

 

O Labneh é um ‘queijo’ feito com iogurte escorrido de modo a perder o soro, ficando uma pasta para barrar do estilo do queijo-creme mas sem tantas calorias.

É tradicional na cozinha do Médio Oriente, da Grécia, Israel, Líbano, etc.

Não deve haver coisa mais fácil de fazer já que a única coisa que é preciso é iogurte natural, grego ou não, e um escorredor (eu uso os filtros de café).

A base é esta, quem quiser acrescenta especiarias ou ervas aromáticas e um pouco de azeite.

Depois é só barrar em tostinhas, pão, gressinos ou mesmo comer à colherada!

 

Labneh 

 

20180916_192739.jpg

 

500 grs de iogurte

1 pitada de sal

 

Misturar o sal no iogurte e pôr num escorredor por 24 horas de modo a perder a maior parte do soro.

Na pasta que fica pode pôr-se pimenta, colorau, raspa de limão, ervas aromáticas picadas, etc.

Eu usei colorau na minha e reguei com um pouco de azeite.

 

Nota: receita original daqui

 

Seg | 17.09.18

dos regressos...

 

Já que temos que regressar ao trabalho e às rotinas após as férias, ao menos que seja em grande estilo!

 

Pudim de Chia e Maçã

 

IMG_20180917_112439_411.jpg

 

3 colheres de sopa de sementes de chia

250 ml de leite (ou qualquer bebida vegetal)

3 colheres de sopa de maçã cozida (com canela)

1 colher de chá de mel

 

Deitar as sementes numa taça com o leite, mexer e deixar no frigorífico por umas horas ou durante a noite. Se possível mexer duas ou três vezes para que as sementes não se aglomerem num bloco.

Quando for para servir, deitar umas colheradas de maçã cozida com canela no fundo de uma taça ou frasco, por cima deitar o pudim de chia e por cima o mel.

 

Receita de Green Kitchen Stories