Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Ter | 31.07.18

das duas uma (ou as duas!)

 

Começar as manhãs com beleza, com cores vibrantes, com colheradas de satisfação.

Mesmo sem ser de férias as manhãs podem ser uma festa!

Ficam aqui dois registos da mesma receita, a diferença é que uma está mais enfeitada do que outra.

Porque os olhos também comem!

 

Papas de Aveia e Chia

 

20180731_073314.jpg

 

5 colheres de sopa de flocos de aveia

3 colheres de sopa de sementes de chia

200 ml de leite

 

Misturar todos os ingredientes numa taça e reservar no frigorífico por umas horas ou até ao dia seguinte.

Quando for para utilizar, adicionar:

 

100 grs de iogurte grego

1 colher de sopa de mel

 

Mexer bem e separar por duas taças ou frascos.

Adicionar em cada taça:

 

1 colher de sopa de calda de mirtilos (ou compota)

1 colher de chá de manteiga de amendoim

1 colher de chá de sementes de linhaça moídas

 

20180730_073049.jpg

 

Sex | 27.07.18

Cervejas à solta

 

Quando os planetas se alinham (e hoje até é dia de eclipse lunar) e somos convidados a participar num evento de comida (o que eu gosto de comida!) e de bebida (nem vos digo…) na Cerveja Vadia, só podem sair coisas boas, principalmente quando vamos pela mão do querido Amigo e Chefe Emídio Concha de Almeida.

Fizemos um ror de coisas, boas, muito boas. O mote era Peixe da Nossa Costa e Conservas e o desafio era fazer um ‘Beer Pairing’ que é como quem diz em português juntar uma boa cerveja Vadia aos pratos que confeccionámos.

Os peixes usados foram cavala e carapau (porque os peixes menos nobres também dão para fazer comida gourmet), e as conservas foram pota em caldeirada, filetes de cavala, filetes de carapau, sardinha em molho de tomate, entre outros. Tudo apresentado com grande esmero 

A sobremesa acabou por ser um desafio para usar a Fogaça que é típica daquela área, desde Santa Maria da Feira, onde é rainha, às terras mais próximas como Vale de Cambra e Oliveira de Azeméis. Optei por me inspirar num doce que a minha Mãe fazia quando eramos pequenos e que consistia em usar pão atrasado e que se chamava Pudim de Pão. Troquei o pão pela Fogaça e cá está, um Pudim de Fogaça!

O molho, além de abrilhantar o pudim, serviu para usar a cerveja também como ingrediente, e não apenas como acompanhamento (posso desde já dizer que a Vadia Rubi acompanha muito bem!)

 

Pudim 'Belita' de Fogaça

 

37888058_906898166164782_5786673119380897792_n.jpg

 

½ Fogaça de véspera cortada em fatias finas

2 copos de açúcar amarelo

4 ovos

200 ml de natas

600 ml de leite

1,5 colheres de chá de extracto de baunilha

 

Untar um pyrex e dispor as fatias de fogaça.

Numa taça bater o açúcar com os ovos e adicionar as natas, o leite e a baunilha. Deitar esta mistura sobre as fatias de fogaça e com uma colher empurrar as fatias para baixo de modo a que fiquem submersas. Deixar ensopar por uma hora (ou durante a noite) no frigorífico.

Aquecer o forno. Pôr o pyrex no forno e deixar cozer por 30 a 45 minutos (depende do forno). Servir com o molho.

 

Molho:

1 copo de açúcar amarelo

100 ml de natas

75 grs de manteiga

50 ml de cerveja preta (Vadia Preta)

1 colher de sopa de extracto de baunilha

1 pitada de sal

 

Levar o açúcar, as natas e a manteiga ao lume e deixar fervilhar em lume brando por cerca de 10 minutos.

Adicionar a cerveja, o sal e a baunilha e deixar ferver mais 2 minutos (atenção que faz muita espuma). Deixar arrefecer.

 

Nota: fiz um update para usar a foto da Vadia, muito melhor do que a que tirei 

 

Qui | 26.07.18

alternativas

 

Normalmente por cá usamos mais o bacalhau seco e salgado mas o bacalhau fresco que agora existe à venda também é bastante saboroso.

Existe também na versão fresco congelado e foi este que usei para esta receita.

Ficou excelente.

 

Bacalhau com Batatas e Espargos no forno

 

20180318_125908.jpg

 

4 batatas grandes

1 cebola

1 copo de vinho branco

Sal a gosto

Azeite q.b.

Pimenta preta moída

Tomilho q.b.

4 tranches de bacalhau fresco

1 mão-cheia de espargos

Salsa e coentros picados

 

Aquecer o forno.

Descascar e cortar as batatas e as cebolas em rodelas bem finas.

Pôr num tabuleiro de ir ao forno forrado com papel vegetal e temperar com sal e pimenta, o tomilho e por cima o vinho e o azeite.

Ao fim de 30 minutos retirar do forno e pôr as tranches de bacalhau e os espargos por cima, temperar com sal e pimenta e por cima do bacalhau polvilhar salsa e coentros picados.

Levar ao forno mais 15 a 20 minutos e servir.

 

Nota: receita das batatas daqui: 

https://unareceta.com/patatas-al-horno-con-cebolla/

Ter | 24.07.18

tudo a curtir o verão...

 

Este creme pode ser consumido quente ou frio mas com as temperaturas que temos tido neste ‘verão’, se calhar a opção quente é a melhor!

 

Creme de Espinafres, Alface e Ervilhas

 

20180712_204915.jpg

  

1 cebola

1 dente de alho

1 curgete

1 batata-doce

3 batatas

1 mão-cheia de ervilhas

1 mão-cheia de espinafres

6 folhas de alface

Sal q.b.

Azeite q.b.

1 litro de água a ferver

 

Pôr numa panela a cebola, alho, curgete em pedaços, batata-doce e batatas em pedaços e as ervilhas. Saltear por um minuto e acrescentar a água a ferver. Temperar de sal e deixar levantar fervura. Baixar o lume e deixar cozinhar por dez minutos.

De seguida adicionar os espinafres e a alface. Deixar ferver novamente e acabar de cozinhar, mais dez minutos.

Triturar com a varinha mágica até ficar um creme liso e servir.

 

Sex | 20.07.18

diz que é de chocolate!

 

Hoje deu-me para isto. O verão pede branco.

Cá está!

 

Mousse de Chocolate Branco

 

20180624_120018.jpg

 

250 grs de queijo-creme (usei light)

150 grs de iogurte grego natural

200 grs de chocolate branco

Framboesas q.b.

 

Derreter o chocolate branco numa taça sobre uma caçarola com água a ferver, em lume baixo (a taça não deve tocar a água). Mexer sempre para ficar liso e brilhante.

Bater o queijo-creme e o iogurte. Adicionar o chocolate branco derretido e sem estar muito quente, envolvendo bem. Se necessário adicionar açúcar em pó ao queijo-creme quando estiver a bater, eu não achei necessário porque a doçura do chocolate é mais do que suficiente.

Deitar a mousse em taças e por cima pôr algumas framboesas. Polvilhar com açúcar em pó.

 

Qui | 19.07.18

mais nada

 

Daqueles pratos que se vamos fazer é em grande quantidade porque:

  1. Demoram um bocado e mais vale optimizar o tempo;
  2. São tão bons que queremos comer, e comer, e comer…
  3. As duas acima.

Mas vocês é que sabem.

 

Lasanha de Curgete

 

20180617_130247.jpg

 

3 colheres de sopa de azeite

1 cebola picada

2 talos de aipo picados

1 cenoura ralada

600 grs de carne picada (usei mistura de vaca e porco)

1 colher de chá de colorau em pó

1 colher de chá de coentros em pó

½ colher de chá de chilli em pó

3 tomates maduros sem pele

200 ml de polpa de tomate

1 colher de sopa de pasta de tomate

200 ml de água

Sal q.b.

200 grs de cogumelos picados

2 tiras de pimentos vermelhos, picadas

1 raminho de salsa picada

1 colher de sopa de molho inglês

3 curgetes

50 grs de queijo da Ilha ralado

Molho bechamel

650 a 750 ml de leite morno

50 g de farinha

1 noz de manteiga

1 pitada de noz-moscada

sal & pimenta preta moída no momento

 

Amolecer a cebola, aipo e cenoura no azeite, em fogo lento.

Juntar a carne picada, o colorau, os coentros e o chilli e mexer, deixando perder a cor a cru.

Adicionar o tomate picadinho, a polpa de tomate e a pasta de tomate com a água. Deixar levantar fervura e temperar de sal a gosto.

Juntar depois os cogumelos os pimentos, a salsa e o molho inglês e deixar ferver até apurar o molho e estar bem saboroso. Se necessário acrescentar um pouco mais de água.

Cortar as curgetes ao alto em fatias finas. Grelhar numa frigideira ou grelhador apenas para amolecerem um pouco. Reservar.

Fazer o molho bechamel: derreter a manteiga numa caçarola e juntar a farinha. Adicionar o leite e mexer vigorosamente com uma vara de arames de modo a não formar grumos até engrossar. Não deve ficar muito espesso porque depois vai ao forno e ainda engrossa mais. Temperar com sal, pimenta preta e noz-moscada moída no momento.

Numa forma refractária pôr no fundo um pouco de bechamel, seguido de carne picada, queijo ralado e de fatias de curgete (em vez de fatias de massa de lasanha).

Repetir até finalizar os ingredientes ou encher a forma. Finalizar com molho bechamel.

Levar ao forno até estar alourado, cerca de 30 a 45 minutos.

 

Qua | 18.07.18

perishable thoughts...

 

Perto de onde vivo existe o “Parque Temático Molinológico” de Ul.

Fica na freguesia de Ul, concelho de Oliveira de Azeméis e é uma espécie de museu vivo do funcionamento dos moinhos de água que existem há séculos naquela zona.

Para quem gostar de ar livre, ouvir a água a correr e do cheiro a pão fresco acabado de cozer, é uma visita a não perder.

A zona onde se insere é uma zona rural que ainda mantém usos e costumes de antigamente. Ainda se cultivam as terras numa agricultura de subsistência, ainda se criam animais para consumo e ainda se coze pão, padas e regueifas que por toda esta zona são sobejamente conhecidas.

Para quem não sabe, uma pada é um pão duplo, colado quando coze. Já a regueifa é um pão doce, redondo, normalmente feito com a mesma massa usada para fazer o pão mas a que se acrescenta açúcar e canela. Forma-se um circulo com a massa, pinta-se com ovo batido e vai a cozer em forno de lenha onde também é cozido o pão.

Quer as padas quer as regueifas se encontram por todo o lado, mercados, feiras e romarias, mercearias e ainda à porta das igrejas ao fim da missa.

Fica a sugestão, visitem o Núcleo Molinológico de Ul, não se vão arrepender (e podem provar no local padas e regueifas acabadinhos de cozer!)

 

Parque Temático Molinológico

 

20180711_141429-COLLAGE.jpg

 

Ter | 17.07.18

ora então vamos lá...

 

Recomeçar devagar depois de uma semana que, sendo de férias não foi de grande descanso… (não que me queixe, como já ouvi alguém dizer: mais vale um dia de chuva em casa do que um de sol no trabalho  )

 

Pudim de Chia e Leite de Coco

 

20180717_073250.jpg

 

1 copo de leite de coco (250 ml)

½ copo de sementes de chia

 

Misturar bem as sementes com o leite de coco e guardar no frigorífico por umas horas ou durante a noite. Mexer uma ou duas vezes no início para as sementes ficarem bem misturadas no líquido.

Quando for para servir, separar por duas taças e deitar em cada taça uma colher de chá de mel e uma colher de chá de manteiga de amendoim. Uns quantos mirtilos (ou outra fruta a gosto) e já está, um pequeno-almoço daqueles!!!

 

Qui | 05.07.18

cheios de vontade!

 

Este ‘bolo’ é típico da Suécia e é excelente para piqueniques e lanches à sombra, acompanhado de uma bebida bem fresca.

Tem outro ponto a favor: é que pode muito bem ser feito com antecedência que ainda fica melhor!

E ainda outro: se quisermos, em vez de apenas 3 andares, podemos fazer um arranha-céus, é só multiplicar os ingredientes 

 

Smörgåstårta (Bolo Sanduíche)

 

IMG_20180618_132514_109.jpg

 

6 fatias de pão (usei pão saloio fatiado)

150 grs de queijo-creme

150 grs de iogurte grego

1 ramo de cebolinho

1 raminho de aneto

150 grs de salmão defumado

2 ovos cozidos

100 grs de maionese

2 colheres de chá de mostarda

1 ramo de salsa

Pimenta moída

Tiras de cenoura

 

Numa taça misturar o queijo-creme com o iogurte grego, aneto e cebolinho e o salmão defumado picado.

Noutra taça misturar os ovos picados, a maionese, a mostarda e a salsa picada.

Pôr duas fatias de pão num prato, por cima espalhar metade da mistura de salmão defumado. Pôr duas fatias de pão em cima e espalhar a mistura dos ovos picados. Tapar com as últimas duas fatias de pão e cobrir com a restante mistura de salmão.

Temperar com pimenta moída e enfeitar com cebolinho, salsa e tiras finas de cenoura.

Servir bem frio, cortado em quadrados.

 

Nota: A inspiração para a receita veio daqui.

 

Ter | 03.07.18

queijo a rodos!

 

Quando a criatividade escasseia mas mesmo assim queremos comer alguma coisa que se veja!

 

Tortellinis Gratinados

 

20180608_203259.jpg

 

1 embalagem de tortellinis recheados com queijo e cogumelos

1 cebola picada

Azeite q.b.

50 grs de queijo Feta

30 grs de queijo Mozarela

Orégãos picados q.b.

 

Cozer os tortellinis em água abundante com sal seguindo as instruções da embalagem. Escorrer e reservar um pouco da água.

Saltear a cebola em azeite numa frigideira e adicionar os tortellinis, um pouco da água de os cozer e o queijo Feta. Envolver bem.

Deitar numa forma refractária para ir ao forno e por cima espalhar o queijo Mozarela e os orégãos picados.

Levar ao forno para derreter o queijo e servir com uma salada.