Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Sex | 29.06.18

mais fácil não há!

 

Não façam isto se não quiserem mesmo parecer uns doceiros exímios. A sério, se fizerem, vão parecer!

 

Morangos Recheados

 

Untitled.png

 

12 morangos

75 grs de queijo-creme

1 colher de sopa de açúcar em pó

2 bolachas Digestive

 

Retirar os pés aos morangos e se necessário retirar mais um pouco do interior de modo a ficar um buraco. Cortar um bocadinho na ponta para que possam ficar ao alto sem caírem.

Bater o queijo-creme com o açúcar e rechear os morangos. Esmigalhar as bolachas e polvilhar por cima do queijo-creme.

Guardar no frio até servir.

 

Nota: receita daqui

 

Qui | 28.06.18

da beleza

 

Uma versão de batata-doce frita no forno, sem ficar encharcada em gordura e excelente para acompanhar coisas ou para comer só assim mesmo.

 

Batata-Doce ‘Frita’

 

20180609_193048.jpg

 (antes de ir ao forno)

 

1 batata-doce laranja, grande

Mistura de ervas aromáticas secas

1 colher de sopa de azeite

Sal q.b.

 

Descascar a batata e cortar em palitos finos. Temperar com as ervas aromáticas e o sal. Deitar o azeite por cima e mexer com as mãos.

Pôr num tabuleiro forrado e levar ao forno por cerca de 40 minutos mexendo de quando em quando para não queimar.

 

Nota: as ervas aromáticas eram uma mistura de orégãos, tomilho, salva e hortelã.

 

Ter | 26.06.18

nando's???

 

Que me lembre, sempre tive família na África do Sul. Quando era pequena era uma festa quando vinham de visita tios e primos e traziam novidades que nós não conhecíamos. Aliás, eu nem sabia o que era a Africa do Sul quanto mais que era longe e o que era ser emigrante. E muito menos a língua que falavam [Africanse].

Uma das coisas que lembro sempre era um primo meu que era expert a usar as matracas [Nunchaku] (outra novidade, nunca ninguém tinha visto tal coisa).

Outra memória, essa gustativa, era um frango de churrasco com um tempero que ficava muito melhor do que aqueles a que estávamos habituados e que já nessa época era o que podemos chamar ‘fast food’ à portuguesa 

O meu tio fazia um tempero que usava como marinada para os frangos (que a minha mãe criava) e ali de um simples fogareiro saia um pitéu de lamber os dedos.

Durante anos sonhei com esse tempero e aqui há tempos consegui, de uma neta, a receita que ele usava. Não podia esperar e cá está ela.

 

Tempero de Piripiri

 

20180624_111945.jpg

 

100 ml de sumo de limão

50 ml de óleo de girassol

1 colher de chá de colorau em pó

2 dentes de alho

2 piripiris

Sal q.b.

 

Pôr todos os ingredientes no copo da varinha mágica e triturar.

Guardar num frasco no frigorífico e gastar em duas semanas.

Em alternativa pode ser congelado.

 

Excelente para temperar carnes para grelhar, principalmente frango.

Também se pode misturar uma colher de sopa deste molho numa taça com maionese.

 

Seg | 25.06.18

em marcha!

 

Quem provou gostou. Quem não provou, provasse!

Agora só fazendo 

 

Barrinhas Energéticas

 

20180610_114141.jpg

 

1 copo de tâmaras

¾ de copo de amêndoas com pele

3 colheres de sopa de pevides de abóbora

3 colheres de sopa de coco em flocos

2 colheres de sopa de bagas goji

1 colher de sopa de sementes de chia

 

Retirar os caroços às tâmaras e cortar em pedaços. Se forem muito secas, juntar 50 ml de água quente e deixar absorver por dez minutos.

Escorrer e triturar as tâmaras num robot de cozinha. Deitar para uma taça e misturar os restantes ingredientes.

Forrar um tupperware rectangular com película aderente de modo a que sobre para os lados. Por cima espalhar a mistura de tâmaras e pressionar bem com uma colher de modo a que fique uniforme. Tapar com a restante película e levar ao frigorífico por umas horas.

Cortar as barrinhas com uma faca afiada e embrulhar em papel vegetal. Guardar no frigorífico. Conservam-se por duas a três semanas.

 

Sex | 22.06.18

das revistas

 

Às vezes nas revistas dos supermercados há receitas excelentes. Eu gosto de passar os olhos pelas revistas de cá e tenho a sorte de ter quem me envie as dos supermercados ingleses (Sainsbury’s, Tesco, Asda, etc). Para mim é como se fosse Natal sempre que recebo essas revistas, gosto mesmo de ver o que se faz por outros lados.

Esta receita é de uma revista da Sainsbury’s. Fiz com ligeiras alterações. Ficou uma maravilha.

 

Bolo Mármore de Banana

Cacau e Manteiga de Amendoim

 

20180617_140557.jpg

 

100 grs de manteiga de amendoim

50 ml de óleo de girassol ou coco

150 grs de açúcar amarelo

1 colher de chá de extracto de baunilha

3 bananas bem maduras

2 ovos batidos

175 grs de farinha de trigo

2 colheres de chá de fermento em pó

½ colher de chá de bicarbonato de sódio

2 colheres de sopa de cacau em pó

1 dúzia de amendoins

 

Untar uma forma de bolo inglês. Descascar os amendoins e picar. Reservar.

Num tachinho derreter a manteiga de amendoim. Adicionar o óleo e deixar arrefecer um pouco. Esmagar duas bananas e meia e cortar a restante meia banana em fatias longitudinais.

Numa taça misturar o açúcar, a baunilha, as bananas esmagadas e os ovos batidos. Juntar a manteiga de amendoim derretida e óleo, envolver e adicionar a farinha com o fermento e o bicarbonato. Dividir a massa em duas partes e numa delas acrescentar o cacau em pó.

Deitar a massa na forma às colheradas intercalando massa normal com massa de cacau de modo a ficar uma espécie de bolo mármore.

Por cima pôr as fatias da banana e os amendoins picados.

Levar ao forno por cerca de 45 minutos. A meio deve ser necessário tapar com papel de alumínio para não queimar demais.

Retirar do forno e deixar na forma por meia hora, depois desenformar e deixar arrefecer completamente.

 

20180617_104128.jpg

(antes de ir ao forno)

Qui | 21.06.18

diz que é solstício de verão

 

No outro dia fui almoçar com umas amigas e um dos pratos do dia eram crepes de frango. Gostei bastante e achei que eram uma excelente opção para um jantar já que é uma refeição leve, que não enche muito mas que é muito saborosa. Aqui fiz uma versão ao estilo Médio Oriente.

Os crepes fazem-se num instante, não se deixem abalar por ter que os fazer (podem sempre comprar tortilhas).

Se sobrarem crepes, podem ser congelados para utilizar noutra altura ou para fazer isto ou isto.

 

Crepes com Frango Salteado e Molho de Iogurte

 

20180616_204950.jpg

 

Crepes:

100 grs de farinha

250 ml de leite

2 ovos

50 grs de manteiga derretida

 

Misturar todos os ingredientes e mexer bem de modo a não ficar com grumos na massa.

Aquecer uma frigideira antiaderente e deitar ¼ de copo de massa, rodar de imediato de modo a espalhar bem a massa por todo o fundo da frigideira. Deixar por um minuto, virar o crepe, deixar mais uns segundos do outro lado e retirar para um prato.

Fazer o mesmo com a restante massa (no meu caso deu oito crepes).

 

Frango Salteado:

2 peitos de frango

1 dente de alho grande picado

Sal q.b.

Sumo de 1 limão

½ colher de chá de coentros em pó

½ colher de chá de paprika em pó

½ colher de chá de chilli em pó

Orégãos q.b.

Azeite q.b.

 

Cortar o frango em quadrados e temperar com o alho, sal, sumo de limão, coentros, paprika e chilli em pó e os orégãos. Juntar uma colher de sopa de azeite, envolver e reservar por uma hora.

Aquecer azeite numa frigideira, retirar o frango da marinada e saltear. Tapar a frigideira e pôr o lume no mínimo para deixar cozinhar por cerca de dez minutos. Adicionar a marinada que tenha sobrado e deixar mais una minutos.

 

Molho de Iogurte:

150 ml de iogurte grego

Sumo de ½ limão

Aneto picado

Hortelã picada

 

Misturar todos os ingredientes e deixar no frigorífico até servir.

 

Para servir estender um crepe num prato, pôr bocados de frango salteado e uma salada feita com alface, rúcula, folhas de coentros, cebola e pepino em metade do crepe e sobrepor a outra metade. Juntar um colherada de molho e siga!

 

Ter | 19.06.18

filosofando

 

O maior obstáculo das pessoas que fazem dietas é a comida.

A sério, não é a falta de empenho, a falta de motivação, de ânimo, não! É mesmo a comida. Que se mete à frente dos olhos assim insistente, boa, saborosa, desafiadora.

E pronto, é o que tenho a dizer quanto às dietas. Por isso não as faço 

 

Pão Recheado com Atum e Queijo da Ilha*

 

20180612_201218.jpg

 

1 pão tipo Rio Maior

3 latas de atum, escorrido

150 ml de maionese (ver Obs)

150 grs de queijo da Ilha ralado

Salsa picada e orégãos q.b.

 

Tirar uma tampa ao pão e retirar a maior parte do miolo de dentro do pão. Misturar todos os ingredientes para o recheio. Deitar o recheio no pão e tapar com a tampa.

Levar ao forno com o miolo espalhado à volta do pão por cerca de 30 minutos. Retirar a tampa ao pão quando faltarem dez minutos e pôr ao lado para acabar de tostar.

Servir quente com o miolo do pão e tostas.

 

Obs: para fazer a maionese pôr no copo da varinha mágica 1 ovo, 1 colher de sopa de mostarda, 1 dente de alho, piripiri, 100 ml de azeite, 50 ml do óleo do atum e 1 ou 2 colheres de sopa de vinagre. Triturar de baixo para cima de modo a engrossar. Se estiver muito espesso, adicionar mais vinagre, se estiver muito líquido, adicionar um pouco mais de azeite ou óleo. Esta maionese deve ficar um pouco mais líquida do que o normal.

 

* receita da Yolli

Seg | 18.06.18

segunda-feira…

 

Para um pequeno almoço que se veja!

 

Aveia (Overnight Oats)

 

 

20180527_093426.jpg

 

½ copo de flocos de aveia

1 colher de sopa de sementes de chia

1 copo de leite (usei leite de coco)

Banana

Framboesas

Iogurte natural

Manteiga de amendoim

Mel

Flocos de coco

Sementes de cânhamo

 

Misturar flocos de aveia, sementes de chia e leite e reservar no frigorífico por umas horas ou até ao dia seguinte.

Para servir, misturar uma banana esmagada com a mistura de aveia. Esmagar também as framboesas e colocar por cima da aveia. Deitar também uma ou duas colheradas de iogurte natural, uma colher de chá de manteiga de amendoim, uma colher de chá de mel, flocos de coco e sementes de cânhamo.

 

Sex | 15.06.18

pelos santos

 

Os pêssegos-de-São-João são os que aparecem mais cedo, mais especificamente na altura do São João. Este ano os meus decidiram vir brindar o Santo António e tiveram que ser apanhados antes de se estragarem por causa da chuva que até anteontem não parou. Por isso agora tem sido comer destas saladas non stop!

E ainda bem 

 

Salada de Pêssegos-de-São-João

 

20180613_195057.jpg

 

4 pêssegos

1 colher de sopa de mel

2 colheres de sopa de sumo de lima

2 colheres de sopa de água

1 raminho de hortelã

1 raminho de manjericão roxo

 

Descascar os pêssegos e cortar em pedacinhos. Pôr numa taça e por cima pôr o mel num fio, o sumo de lima (ou limão) a água e as folhas de hortelã e de manjericão.

Mexer e deixar repousar por uma hora e servir fresco.

 

20180613_190847.jpg

 

Qui | 14.06.18

salada +

 

Uma salada para um jantar ligeiro. A receita ligeiramente adaptada desta é fácil e tanto dá para uma salada como para recheio de pão pita, para uma sanduiche ou mesmo para uma salada com massa cozida.

 

Salada “Estilo Waldorf” de Frango

 

20180518_204008.jpg

 

1 peito de frango cozido ou assado*

50 ml de maionese

100 ml de iogurte grego

1 colher de chá de vinagre de cidra

Sal e pimenta q.b.

1 ou 2 hastes de aipo

1 maçã

1 colher de sopa de nozes picadas

1 colher de sopa de arandos (cranberries) secos

Alface e verduras para salada.

 

Numa taça misturar a maionese, o iogurte grego e o vinagre.

Adicionar o frango, o aipo cortado em rodelas, a maçã cortada em quadradinhos, as nozes e os arandos.

Temperar com sal e pimenta e deixar os sabores misturar enquanto de arranja a alface e restantes verduras (normalmente uso rúcula, folhas de espinafre, folhas de capuchinhas, etc.).

Pôr a salada numa taça e por cima a mistura do frango.

  

*usei sobras de frango de churrasco

 

Ter | 12.06.18

abriu a época dos Santos

 

Véspera de Santo António, feriado em muitas localidades por esse país fora (menos onde trabalho! )

Fica aqui a sugestão de uma bebida para acompanhar o programa das Marchas

(viv’ó Sant’António, viv’ó San’ João, viv’ó 10 de Junho e a Restauração, viva até São Bento se nos arranjar, muitos feriados para festejar)

 

Gin Fizz

 

20180518_190734.jpg

 

50 ml de Gin

Sumo de ½ limão

1 colher de chá de açúcar em pó

200 ml de água gaseificada fresca

Gelo q.b.

 

Pôr o gelo num copo.

Num copo misturador de cocktails junta-se o gin, o sumo de limão e ao açúcar. Chocalha-se bem para misturar e deita-se sobre o gelo.

Por cima deita-se a água gaseificada e serve-se de imediato.

 

Seg | 11.06.18

em modo compota #21

 

Esta compota não é como as outras… esta é rápida a fazer e tem que ser muito rápida a gastar, aguenta apenas duas semanas no frigorífico.

Por isso faz-se em pequenas quantidades, assim gasta-se num instante e não se desperdiça.

E é rápida a fazer porque não tem que estar ali ao lume perto de duas a horas até ganhar o ponto. As operadores do milagre são as sementes de chia.

Já toda a gente ouviu falar das sementes de chia, pequeninas mas com muita arrumação de Omega 3, fibras, proteínas, magnésio e ainda por cima têm um poder gelificante incrível e podem substituir os ovos em receitas de bolos: 3 colheres de sopa de água e uma de sementes de chia equivale a um ovo (agora não vão todos a correr fazer pão de ló ou ovos moles com sementes de chia! Não é assim que funciona  )

A receita usada foi esta, fiz apenas metade.

 

‘Compota’ Rápida de Morango e Chia

 

20180606_073120.jpg

 

1 copo de morangos

1 colher de sopa de sumo de limão

1 colher de sopa de açúcar amarelo (ou mel ou outro adoçante a gosto)

1 colher de sopa de sementes de chia, bem cheia

 

Cortar os morangos em bocadinhos. Levar ao lume com o açúcar e deixar amolecer por uns cinco ou dez minutos.

Retirar do lume e adicionar o sumo de limão e as sementes de chia. Mexer bem e deixar arrefecer.

Depois de frio deitar num frasco esterilizado. Tapar e guardar no frigorífico.

 

Nota: aqui usada ao pequeno almoço com iogurte natural caseiro, morangos frescos e granola

 

Sex | 08.06.18

uns a a chegar... outros a partir

Cerejas.

Já começam a aparecer e rapidamente destronam os morangos.

 

Isto era apenas para introduzir o tema da receita mas na realidade, estou um pouco chocada pois acabei de ler acerca da morte de Anthony Bourdain.

Uma notícia muito triste. Mesmo para os que não gostavam muito do estilo e atitude dele, o mundo ficou hoje um bocadinho mais pobre com a sua perda.

 

Taça de Bolo e Cerejas

20180603_130850.jpg

  

2 fatias de bolo (usei de chocolate)

1 embalagem de queijo Quark (250 grs)

150 grs de iogurte grego natural

100 grs de leite condensado

Cerejas q.b.

Chocolate negro para raspar

 

Esfarelar as fatias de bolo e repartir por quatro taças de vidro.

Bater o queijo Quark com o iogurte e com o leite condensado. Deitar esta mistura às colheradas sobre o bolo esfarelado nas taças.

Retirar os caroços às cerejas e cortar ao meio. Deitar sobre a mistura de queijo e por cima polvilhar com chocolate raspado.

Servir bem fresco.

 

Qui | 07.06.18

vávum!

 

De repente ficam prontos.

Usei carne picada de peru que tinha comprado no talho, purinha, sem aditivos como os que se encontram na carne picada das embalagens dos supermercados.

 

Hambúrgueres de Peru

 

20180526_202429.jpg

 

400 grs de carne picada de peru

1 ovo

Salsa picada q.b.

Orégãos q.b.

Cebolinho q.b.

Cebola picada q.b.

Pimenta e sal q.b.

2 colheres de sopa de azeite

 

Misturar todos os ingredientes excepto azeite. Moldar bolinhas e espalmar para ficar do tamanho de hambúrgueres.

Aquecer o azeite numa frigideira e fritar os hambúrgueres de ambos os lados até estarem dourados e cozidos no meio.

Servir com uma salada de alface e molho de iogurte.

 

Molho de iogurte

 

Iogurte natural

Menta picada

Aneto picado

Sumo de limão

Misturar todos os ingredientes.

 

Ter | 05.06.18

de conserva

 

A revista norte-americana “Bon Appétit“ identificou cinco tendências do mundo da comida para 2018 e o peixe em conserva português está logo à cabeça da lista!

A moda pegou de tal maneira que agora, além de casas exclusivamente dedicadas às conservas em Lisboa, Porto, Coimbra e outras cidades, também há restaurantes que apenas servem pratos confecionados com conservas portuguesas (“toda a carta é desenhada com o produto das conservas de peixe nacionais como ingrediente central”.)

Para quem adora conservas como eu, esta é uma notícia muito interessante, o que não me vai agradar, tenho a certeza, vai ser o preço dos pratos apresentados, dada a novidade e a inovação.

Mas não temam, também tenho excelentes sugestões daquelas que se podem fazer num instante em casa e a uma fracção do preço que iriam pagar nesses restaurantes 

 

Salada de Ovas de Bacalhau

 

20180530_203631.jpg

 

1 lata de ovas de bacalhau em molho picante

1 cebola pequena

1 raminho de salsa

2 colheres de sopa de vinagre

Sal e pimenta q.b.

 

Escorrer o líquido da lata reservando um pouco para o molho.

Picar a cebola e a salsa e pôr numa taça. Misturar o vinagre e um pouco do molho das ovas (ou azeite) bem como as ovas cortadas em pedacinhos (retirar a pele). Envolver bem e temperar com um pouco de sal e pimenta.

Servir com tostas ou pão estaladiço.

 

Nota: usei conservas da Empresa de Pesca de Aveiro

 

Seg | 04.06.18

chove chuva, chove sem parar...

 

Já que o sol não ‘shine’ temos que dar cor e brilho à nossa vida como pudermos!

 

Smoothie Vitamina

 

IMG_20180528_090512_531.jpg

 

150 ml de sumo de laranja

½ banana

50 grs de framboesas

1 colher de café de pó de maca Peruana (opcional)

1 colher de café de açafrão das Índias em pó

1 colher de café de sementes de linhaça em pó

 

Misturar todos os ingredientes no copo da varinha mágica e triturar.

Servir fresco ou com gelo.

 

Sex | 01.06.18

geometrias

 

Para uma sobremesa rápida e bem parecida 

 

Galette de Ruibarbo e Amêndoa

 

20180530_210804.jpg

 

1 embalagem de massa quebrada

250 grs de ruibarbo

2 colheres de sopa de açúcar

1 colher de chá de farinha Maizena

Sumo de um limão

3 colheres de sopa de farinha de amêndoa

3 colheres de sopa de amêndoa laminada

Ovo batido para pincelar

 

Cortar o ruibarbo de modo a ficar em tiras do mesmo tamanho (cerca de sete centímetros). Misturar o açúcar e a farinha Maizena numa taça e envolver o ruibarbo. Por cima espremer o limão e misturar bem.

Estender a massa e espalhar a farinha de amêndoa de modo a deixar uns três centímetros de massa sem nada. Pôr as tiras de ruibarbo de modo a ficarem a fazer quadrados (ou ao calhas se não estiverem para aí virados) sobre a farinha de amêndoa e se ainda houver alguma mistura de açúcar pôr por cima. Fechar a gallete e pincelar as beiras. Polvilhar com a amêndoa laminada e levar ao forno até estar dourado, cerca de 25 minutos.

Servir com gelado de baunilha.

 

20180530_202622.jpg

(antes de ir ao forno)

 

Nota: se não tiverem ruibarbo podem usar morangos

20180530_200356.jpg

 (ruibarbo acabado de apanhar)