Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Seg | 31.07.17

antes e depois

 

Aqui há uns tempos uma das minhas gatas esteve muito indisposta e fartou-se de vomitar. Liguei para a veterinária que me (lhe) aconselhou um xarope e chá de camomila!

Pois, está-se mesmo a ver a gata a beber o chá de camomila. Se nem eu gosto!

Mas pronto, não fosse por isso! Lá fiz um chá de camomila que acabou por sobrar porque como eu sabia, ela não o ía beber mesmo misturando apenas uma colheres de chá na água.

Certo… sobrou chá de camomila? Faz-se uma sangria. Clarinha.

 

Sangria de Pêssego e Manjericão

 

IMG_20170621_182450_170.jpg

 

200 ml de sumo de pêssego

200 ml de chá de camomila ou cidreira

200 ml de vinho branco

400 ml de água tónica

2 pêssegos maduros descascados e cortados em cubinhos

Casca de ½ tangerina ou laranja

Bagas de zimbro q.b.

Folhas de manjericão q.b.          

Gelo q.b.

 

Misturar todos os ingredientes num jarro.

Se necessário adoçar com mel  ou açúcar (não o fiz).

 

Sex | 28.07.17

está quase (o fim de semana)

 

Aqui há uns tempo almocei num restaurante na Rua da Alegria, Porto, onde não ía há mais de dez anos, seguramente.

Servem daquela comida bem tradicional, com muita qualidade, e os filetes, sejam de polvo (sim!) ou de pescada (também!) são do melhor que já comi.

Na hora da sobremesa, sugeriram-nos, ou melhor, quase nos obrigaram, a experimentar uma salada de pêssegos. 

Não quisemos fazer a desfeita e lá experimentámos. Foi mesmo uma boa ideia porque foi das melhores saladas com fruta que já comi. O aroma e doçura dos pêssegos eram qualquer coisa!

Em casa, e porque o pessegueiro este ano também foi prolífico, experimentei uma versão que, se não igual, também ficou muito boa.

 

Salada de Pêssegos

 

20170715_124956.jpg

 

5 pêssegos maduros e sumarentos (podem ser variedades distintas)

5 folhas de limonete

1 colher de sopa de açúcar ou mel

5 colheres de sopa de água

Umas gotas de sumo de limão

 

Descascar e cortar miudamente os pêssegos para uma taça. Misturar os restantes ingredientes mexendo bem.

Deixar repousar por uma hora no frio de modo a criar calda.

Servir fresco sem estar muito gelado (o ideal é retirar do frio no início da refeição).

 

Nota: Restaurante Casa Nanda

 

Qui | 27.07.17

na cataplana

 

Uma refeição rapidinha para fazer num dia de semana sem muita inspiração.

Ficou bem melhor do que parecia ao ir para o lume!


Cataplana de Peru

 

20170715_203633.jpg

 

1 cebola

2 tomates maduros

2 bifes de peru

1 colher de chá de coentros em pó

1 colher de chá de piripiri

Sumo de 1 limão

Sal q.b.

½ pimento vermelho

1 curgete

6 cogumelos

Folhas de manjericão

1 copo de água

Azeite q.b.

 

Cortar o peru em tiras fininhas e temperar com coentros em pó, piripiri, sal e sumo de limão.

No fundo da cataplana põe-se a cebola em rodelas, o tomate também em rodelas, espalha-se as tirinhas de peru temperado sobre o tomate, põe-se pimento em tiras, a curgete cortada em rodelas e os cogumelos cortados em fatias. Por cima as folhas de manjericão, a água e o azeite.

Fecha-se a cataplana e leva-se ao lume, sem abrir, por 30 minutos. De vez em quando abana-se a cataplana para não pegar.

 

Ter | 25.07.17

em modo compota #17

 

Começou a época que mais aprecio e que é aquela em que guardo para o resto do ano frutas e legumes, seja no congelador, em caldas, compotas, geleias, etc.

Adoro ver os frascos a acumularem, cada um da sua cor consoante o que está lá dentro. A cor desta geleia é uma das que mais aprecio.

 

Geleia de Amoras e Alfazema

 

IMG_20170721_194021_993.jpg

 

3 copos de amoras

2 copos de água

1 colher de sopa de flores de alfazema

Açúcar q.b.

 

Num tacho, cozer as amoras na água e a alfazema por cerca de 30 minutos.

Deitar a mistura numa gaze e deixar escorrer todo o líquido durante umas horas.

Medir o líquido resultante e por cada 600 ml juntar 350 a 400 grs de açúcar.

Levar a lume brando e deixar ferver até reduzir de volume e começar a aparecer no topo umas bolhinhas de espuma (cerca de uma hora mais ou menos).

Deitar em frascos esterilizados de imediato e fechar para criar vácuo.

 

Seg | 24.07.17

dos começos...

 

Mais uma sugestão para os pequenos almoços, que se fazem de véspera e depois é só comer ou levar para o trabalho para um lanchinho.

Do melhor!

 

Aveia com Coco e Lima

 

20170711_072914.jpg

 

3 colheres de sopa de flocos de aveia

1 colher de sopa de sementes de girassol

100 ml de leite

2 colheres de sopa de iogurte grego

1 colher de sopa de xarope de ácer

Raspa de lima q.b.

1 colher de sopa de flocos de coco tostados

 

Na véspera misturam-se todos os ingredientes excepto os flocos de coco tostados.

Põe-se no frigorífico até ser necessário (pode-se fazer mais quantidade, que dê para duas ou três vezes).

Quando for para servir, polvilhar com os flocos de coco e um pouquinho mais de xarope de ácer.

  

Ter | 18.07.17

chinesices

 

Ando sempre a ver como posso embelezar os filetes de pescada que devem ser das coisas mais simples que há e de que gosto bastante.

Aqui há uns tempos dei com esta receita e decidi experimentar.

Gosto bastante de comida asiática e como tenho alguns dos ingredientes que leva (e que agora existem à venda em todos os supermercados, não há desculpa!) decidi experimentar e só posso dizer que foi bem apostado.

 

Peixe com Gengibre e Cebolinho

 

20170603_130533.jpg

 

Marinada:

1 colher de chá de farinha Maizena

1 colher de sopa de vinho branco

 

1 e ½ colheres de sopa de óleo de girassol

1 pedaço de gengibre descascado e cortado em rodelas finas

300 grs de filetes de pescada ou outro peixe

1 raminho de cebolinho

 

Molho:

1 colher de sopa de molho de soja

1 colher de sopa de molho de ostra

½ colher de chá de Maizena

½ colher de chá de óleo de sésamo

3 – 4 colheres de sopa de água

1 pitada de sal

  

Juntar os ingredientes da marinada e envolver no peixe cortado em quadradinhos por uns dez minutos.

Num wok, aquecer o óleo e deixar fritar as rodelas de gengibre por uns segundos e adicionar os pedacinhos de peixe. Fritar um minuto e adicionar o molho e continuar a fritar até o peixe estar cozido (mais cinco minutos devem chegar, são bocadinhos pequenos de peixe). Se secar ou engrossar demais, acrescentar mais umas colheres de sopa de água.

Adicionar o cebolinho picado e servir de imediato com arroz branco e couve chinesa (pak shoi) salteada.

 

 

Seg | 17.07.17

de outras paragens

 

A minha irmã esteve na Alemanha há uns dias e voltou rendida à Sauerkraut. Este tipo de couve fermentada é típico da culinária alemã.

Com a fermentação os lactobacilos encontrados na couve (como os que se encontram no iogurte) começam a transformar os açúcares presentes na couve em ácido láctico que mantêm a couve livre de bactérias nocivas. Confuso?

Eu também não percebo nada disto mas o que sei é que esta couve fermentada é boa para acompanhamento de carnes ou numa sanduiche.

E como me deram uns repolhos que nunca mais acabavam de se gastar, experimentei fazer.

 

Sauerkraut

 

20170712_075203.jpg

 

1 repolho (couve branca)

1 colher de sopa de sal

1 colher de chá de sementes de aneto ou nigella (opcional)

 

Cortar a couve finamente com uma faca bem afiada.

Pôr numa taça e adicionar o sal. Com as mãos amassar bem o sal na couve durante cerca de dez minutos. Fazemos como quando estamos a amassar pão. Misturar as sementes se usar.

Deitar a couve num frasco de boca larga de modo a que fique muito compacta. Pressionar duas ou três vezes por dia de modo a que continue compacta e se necessário adicionar água de modo a que a couve fique coberta por líquido. Tapar o frasco com um toalhete de papel e um elástico para o prender.

Deixar fermentar de três a dez dias. Ao fim desse tempo, tapar o frasco e guardar no frigorífico e começar a consumir.

 

Sex | 14.07.17

olh'ó verão!

 

Porque estamos em meados de Julho e porque o verão pede gelados de todas as cores e feitios e porque alguns não nos fazem assim tão bem, aqui fica uma sugestão alternativa.

Não se deixem enganar pelos ingredientes mais saudáveis, isto fica um mimo!!!

 

Gelado de Banana e Tahini

 

20170618_175619.jpg

 

4 bananas congeladas em rodelas

1 colher de sopa de tahini (ou manteiga de amendoim ou de amêndoa)

½ colher de chá de extracto de baunilha

150 grs de doce de tâmaras

100 grs de chocolate negro

 

Retirar as bananas do congelador uns vinte minutos antes de preparar o gelado.

Num robot de cozinha, triturar as bananas com o tahini e o extracto de baunilha.

Quando estiver um creme macio, deita-se nas forminhas de gelado intercalado com colheradas de pasta de tâmaras.

Leva-se ao congelador por umas horas.

(Para desenformar, basta colocar as forminhas em água quente por uns segundos e o gelado sai facilmente).

Derreter o chocolate no micro-ondas e mergulhar a ponta dos gelados no chocolate derretido.

Comer logo logo!

 

Nota: O tahini é uma pasta de sésamo que se pode comprar em quase todos os supermercados ou em lojas de produtos naturais

 

Qui | 13.07.17

a aguardar o finde :)

 

Quando peço no talho para picarem carne, oferecem-se sempre para me vender o produto final (hambúrgueres, almondegas, rolos, etc).

Mas prefiro ser eu a fazer essas coisas em casa, com os meus temperos preferidos. No caso das almondegas, faço as minhas com uma mistura de carne de vitela e porco e uma pitada de sal, colorau e coentros em pó. Modelo as bolinhas e congelo, depois uso conforme apeteça.

Mas nesta receita podem-se usar almondegas de compra, o que vos der mais jeito.

 

Almondegas com molho de caril

 

20170603_200855.jpg

 

500 grs de almondegas

1 cebola grande picada

1 talo de aipo em rodelas

2 colheres de sopa de óleo de girassol

2 colhers de sopa de caril em pó

2 tomates maduros picados

1 copo de água

Piripiri

Sal

100 ml de leite de coco

Salsa picada

 

Aloura-se a cebola no óleo e junta-se o aipo. Deixa-se por mais um minuto, junta-se o pó de caril, mexe-se e junta-se o tomate. Deixa-se refogar um pouco até amolecer o tomate e de seguida adicionam-se as almondegas (as minhas estavam congeladas). Mexe-se e adiciona-se a água e tempera-se com sal e piripiri.

Deixa-se apurar por cerca de 30 minutos, junta-se o leite de coco, polvilha-se com a salsa picada e serve-se com arroz basmati.

 

Ter | 11.07.17

de lado

 

Um prato que vai ao forno mas que do princípio ao fim leva menos de uma hora. E com ingredientes que estão normalmente à mão.

Fica mais esta sugestão para um dos meus peixes favoritos.

 

Pescada à posta no forno

 

20170506_130945.jpg

 

3 postas de pescada

1 ramo de cebolinho, salsa e coentros

1 pão seco (ou uma fatia)

1 cebola

2 dentes de alho

Sal e pimenta q.b.

4 batatas

Azeite q.b.

Descascar e cozer as batatas em rodelas finas por cerca de dez minutos. Escorrer e pôr num pyrex.

Temperar as postas de pescada com sal e pimenta.

Picar a cebola, os dentes de alho e as ervas aromáticas. Esfarelar o pão e misturar.

Pôr as postas sobre as batatas e por cima espalhar a mistura de pão, cebola, alhos e ervas aromáticas. Deitar um fio bem generoso de azeite sobre as postas de pescada e levar ao forno por 30 minutos.

 

Nota: estou a ter problemas a alojar as fotos... a ver se ultrapasso e endireito 

 

Seg | 10.07.17

alternativas

 

Um substituto natural a usar em receitas que peçam mel, açúcar ou qualquer outro xarope para adoçar.

Não digam que não vos quero bem 

 

Doce de Tâmaras

 

download.png

 

1 copo de tâmaras sem caroço (cerca de 15)

2/3 de copo de água (cerca de 165 ml)

 

Triturar as tâmaras com a água no robot de cozinha ou com a varinha mágica até ficar uma pasta que dê para barrar.

Guardar no frigorífico até três semanas.

 

Sex | 07.07.17

Lollypop

 

Mais uma fornada, daqueles que são de comer e chorar por mais.

A receita encontrei-a aqui e posso garantir que vale a pena fazer e voltar a repetir!

 

Biscoitos de Aveia e Coco

 

IMG_20170702_153728_387.jpg

 

200 grs de manteiga (usei Becel Cozinha)

1 copo de açúcar amarelo

½ copo de açúcar

2 ovos

2 colheres de chá de extracto de baunilha

1 pitada de sal

1 colher de chá de fermento em pó

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

2 e ½ copos de farinha

2 copos de flocos de aveia

1 copo de coco ralado

 

Numa taça bater a manteiga com os açúcares, ovos e baunilha.

Noutra taça misturar os ingredientes secos. Adicionar à mistura da manteiga e envolver bem.

Deitar colheradas da massa em tabuleiros forrados com papel de ir ao forno e espalmar ligeiramente.

Levar ao forno por cerca de 12 minutos (depende da capacidade do forno).

 

Nota: Podem-se acrescentar extras como arandos secos (que foi o que fiz em metade da massa, juntei uma mão cheia de arandos secos), pedacinhos de chocolate, passas, etc.

 

Qui | 06.07.17

opções

 

Peito de frango não têm muito que se lhe diga. Mas se lhe juntarmos sumo de limão e umas ervitas, até parece que fica uma grande coisa.

Aqui acompanhado de vagens e cenouras cozidas e com um molho ligeiro.

A experimentar!

 

Bifinhos de Frango

 

20170617_204339.jpg

 

2 peitos de frango cortados em bifinhos pequenos

2 dentes de alho picados

Sumo de 1 limão

1 colher de café de chilli em pó (ou piripiri)

1 colher de sopa de ervas aromáticas secas *

2 colheres de sopa de azeite 

 

Temperar os bifinhos de frango com o sal, os alhos, o sumo de limão, o chilli e as ervas secas. Deixar repousar por uma hora.

Aquecer uma frigideira com duas colheres de sopa de azeite e fritar os bifinhos de ambos os lados. Juntar o resto da marinada se houver e deixar apurar.

Servir com vagens e cenouras cozidas e um molho feito com partes iguais de iogurte natural, mostarda e maionese.

 

*usei uma mistura de salva, orégãos, tomilho, menta e alecrim

 

Ter | 04.07.17

desmistificar

 

Não me canso das receitas do blogue Green Kitchen Stories, das mais antigas às mais recentes e da sua forma encantadora de demonstrar que as receitas vegetarianas não têm que parecer maços de cartão ou rolos de arame farpado (basicamente coisas que ninguém quer comer)!

Para pequenos-almoços ou lanches catitas, esta receita foi o mote para duas variações, cada qual a melhor!.

 

Batido de Leite e Morangos (duas versões)

 

download.png

 

250 ml de leite de aveia fresco

½ banana

1 colher de sopa de manteiga de amendoim

50 grs de morangos

Esmagar os morangos e pôr no fundo de um copo.

Bater o leite com a banana e a manteiga de amendoim (com a varinha mágica).

Deitar com cuidado sobre os morangos esmagados.

 

****************

 

250 ml de leite de amêndoa fresco

½ banana

1 colher de sopa de flocos de aveia

1 colher de chá de xarope de ácer (ou mel)

50 grs de morangos

Esmagar os morangos e pôr no fundo de um copo.

Bater o leite com a banana, os flocos de aveia e o xarope de ácer (com a varinha mágica).

Deitar com cuidado sobre os morangos esmagados.