Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Ter | 30.05.17

bom mesmo!

 

Quando as hortas começam a dar mais do que a conta ou quando as bancas da praça ficam cheias das novidades da época, nada melhor para os gastar já que de uma assentada se faz uma grande quantidade que se pode ir gastando ao longo da semana como acompanhamento ou até como prato principal, acompanhado de um belo ovo escalfado!

 

Vegetais Salteados

 

20170521_131932.jpg

 

Azeite

Cebola roxa

Alho francês

Tomate

Beterraba

Batata doce

Beringela

Curgete

Ervilhas tortas

Acelgas

Pimentos Padrón

Orégãos

Sal

 

Por esta ordem, numa frigideira com tampa, dar umas sacudidelas de vez em quando, coze por cerca de 20 minutos.

 

Nota: atenção que a beterraba é capaz de tingir… 

 

 

Seg | 29.05.17

Ton sur ton…

 

Não é certamente a coisa mai’linda de fotografar esta taça de flocos de aveia para o pequeno almoço. Mas é certamente uma delícia!

 

Aveia com Banana e Manteiga de Amendoim

 

download.png

 

½ copo de flocos de aveia

1 colher de sopa de sementes de linhaça em pó

½ copo de leite

½ banana em rodelas

1 colher de sopa de manteiga de amendoim

1 colher de chá de mel

Flocos de coco

Sementes de canhamos para pôr em cima

 

Misturar os flocos de aveia com a linhaça, o leite, a banana, o mel e a manteiga de amendoim. Mexer bem e deixar repousar por umas horas ou até ao dia seguinte.

Na altura de servir, enfeitar com flocos de coco e sementes de cânhamo.

 

Sex | 26.05.17

tolaria :)

 

Fool, além de ‘tolo’ em inglês é também o nome de uma sobremesa inglesa cuja origem remonta a mil quinhentos e troca o passo. Basicamente é fruta ‘estufada’ que depois se envolve ligeiramente num creme de custarda (originalmente) ou em natas batidas (mais tarde).

Optei por usar queijo Quark e iogurte grego por conta das malditas das calorias em vez da custarda ou das natas e só posso garantir que fiquei fool com esta sobremesa J

 

Fool de Ruibarbo

 

download.png

 

200 grs de ruibarbo

100 grs de morangos

2 colheres de sopa de açúcar amarelo

1 colher de chá de extracto de baunilha

250 grs de queijo Quark

125 grs de iogurte grego

2 ou 3 colheres de sopa de xarope de ácer ou mel

 

Levar o ruibarbo e os morangos ao lume num tachinho com o açúcar e baunilha por dez minutos. Reservar até estar frio.

Bater o queijo Quark com o iogurte e o xarope de ácer. Envolver umas colheradas da calda de ruibarbo para ficar apenas meio misturado.

Deitar em taças e por cima pôr mais um pouco da calda.

Servir bem fresco.

 

Nota: a calda de ruibarbo pode ser feita apenas com morangos ou com outras bagas

 

Qui | 25.05.17

bons ventos

 

Vi esta receita que me inspirou a fazer também (ao estilo não posso é ver nada...)

Ficou excelente! Não custa nada a pôr ao forno e também não demora demais fazer e no fim parece mesmo que uma pessoa sabe o que é que anda a fazer 

 

Pescada no Forno com Batatas à Padeiro

 

20170428_204240.jpg

 

2 lombos de pescada com pele

6 batatas pequenas

1 cebola

10 espargos

Sal, pimenta e erva aromáticas q.b.

Azeite q.b.

 

Cortar a cebola em meias luas e as batatas descascadas em rodelas muito finas. Temperar com sal e pimenta.

Dividir por dois pratos fundos de ir ao forno e por cima deitar azeite q.b. Levar ao forno por cerca de 25 minutos.

Retirar do forno, dar a volta às batatas e por cima colocar os lombos de pescada com a pele virada para baixo. Temperar também a pescada com um pouco de sal e com as ervas aromáticas picadas (usei salsa e cebolinho).

À volta colocar os espargos e voltar a levar ao forno por mais uns quinze/vinte minutos até que a pescada esteja cozinhada.

 

Ter | 23.05.17

Manitaropita??? OPA!

 

Recentemente veio a público um estudo da Organização Mundial de Saúde onde consta que a obesidade infantil/adolescente aumentou em países europeus como Grécia, Itália, Espanha, Malta e Portugal. Estes são países que de um modo ou de outro seguiam a Dieta Mediterrânica que se crê ser benéfica para a saúde e limita o aparecimento de doenças ligadas ao coração, entre outras.

É surpreendente que estes países, logo estes!, estejam a braços com um grave problema de obesidade infantil que se não for brevemente tratado vai com certeza acabar em adultos mais propensos a doenças.

Uma das explicações é a de que a crise que assolou alguns países europeus nos últimos anos acabou por alterar o estilo alimentar e passámos a comer mais comida processada e menos frutas e vegetais.

Ainda vamos a tempo de mudar e embora cada um saiba de si, a desculpa de que a fruta ou os vegetais são caros pode não ser toda a resposta, se pensarmos que muitos dos que dão essa desculpa fazem outras opções nas suas vidas em que não são tão avaros com os gastos (não generalizando, claro…)

Posto isto, vamos experimentar esta receita!

 

Empada Grega de Cogumelos (Manitaropita)

 

download.png

 

2 colheres de sopa de azeite

2 alhos franceses (usei pequenos)

450 grs de cogumelos (usei mistura de brancos e castanhos)

Sal e pimenta q.b.

2 dentes de alho

2 colheres de sopa de vinagre balsâmico

1 colher de sopa de aneto picado

100 grs de queijo Feta esfarelado

100 grs de requeijão

2 ovos

8 folhas de massa Filo

50 ml de azeite

 

Aquecer o azeite numa frigideira e alourar o alho francês cortado em rodelas finas. Adicionar os cogumelos cortados em fatias e temperar a gosto com sal e pimenta. Deixar alourar até perderem o líquido e juntar os alhos picados. Mexer e juntar o vinagre balsâmico deixando ao lume até evaporar.

Retirar do lume e adicionar o aneto, o queijo Feta, o requeijão e os ovos. Envolver bem e reservar.

Estender uma folha de massa Filo e pincelar de imediato com o azeite (as restantes devem ser tapadas com um pano de cozinha limpo, húmido). Pôr essa folha na forma (usei uma de 20 cms de fundo amovível) deixando o excesso de massa pendurado para fora da forma e repetir o procedimento com mais cinco. Deitar a mistura de cogumelos e queijo na forma e por cima pôr as duas restantes folhas de massa, também pinceladas de azeite. Com a massa que ficou pendurada virar para dentro da forma de modo a ficar com um rebordo mais grosso.

Levar ao forno cerca de 30 minutos ou até estar completamente dourado. Retirar e deixar arrefecer.

 

Nota: a massa Filo é muito frágil e deve estar tapada com um pano húmido a que não está a ser usada

 

Kali Orexi

καλή όρεξη

 

Seg | 22.05.17

de entrada

 

Aqui está uma salada excelente para acompanhamento de carnes frias, churrascos, croquetes, rissóis, etc.

É muito boa fria e até pode ir a piqueniques e almoços de praia ou rio.

O melhor é cozer as batatas de véspera.

 

Salada Fria de Batata e Picles

 

20170425_130344.jpg

 

6 batatas novas

1 cebola pequena picada (ou cebolinho)

2 colheres de sopa de picles picados

1 colher de sopa de aneto picado (usei congelado)

3 colheres de sopa de maionese

2 colheres de sopa de iogurte natural

1 colher de sopa do líquido dos picles

 

Cozer as batatas com a pele. Escorrer e retirar a pele. Salpicar com o líquido dos picles e deixar arrefecer.

Numa taça misturar a cebola e os picles picados, o aneto e a maionese e iogurte.

Depois de frias, cortar as batatas em quartos e novamente ao meio e envolver no molho.

Servir frio como acompanhamento.

 

Sex | 19.05.17

há sempre uma 1ª vez :)

 

Nunca me tinha acontecido! Após centenas ou mesmo milhares de fotografias de comida, deixei cair o telemóvel na massa do bolo!!!

Ficou bem saboroso (o bolo) e o telemóvel continua a funcionar 

 

Bolo de Ruibarbo e Morango

 

20170516_201404.jpg

(antes de ir ao forno [e já sem o telemóvel]) 

 

2 copos e ½ de farinha com fermento

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

½ colher de chá de gengibre em pó

1 copo de açúcar amarelo

1 copo de leite c/ 1 colher de sopa de vinagre

2 ovos

½ copo de óleo de girassol

 

Para a ‘compota’

200 grs de ruibarbo

100 grs de morangos

2 colheres de sopa de açúcar amarelo

1 colher de chá de extracto de baunilha

 

Levar o ruibarbo e os morangos ao lume num tachinho com o açúcar e baunilha por dez minutos. Reservar.

Untar uma forma de bolo.

Numa taça juntar a farinha com o bicarbonato, o gengibre e o açúcar amarelo.

Noutra taça misturar o leite e vinagre com os ovos e o óleo. Misturar o conteúdo das duas taças sem bater demais, apenas para que fique sem bocados de farinha.

Envolver as colheradas de ‘compota’ de ruibarbo e morango na massa do bolo de modo a que fique marmoreado.

Deitar na forma e levar ao forno por cerca de 45 minutos (experimentar com um palito após os 30 minutos já que varia de forno para forno).

Retirar do forno depois de cozido e deixar arrefecer na forma por uns dez minutos. De seguida desenformar e deixar arrefecer.

 

download.png

 

IMG_20170515_101029_835.jpg

 Nota: pode ser feito apenas com morangos

 

Qui | 18.05.17

afinal dá!

 

Gosto bastante de croquetes, rissóis, chamuças e essas comidas pequenas que tanto servem de aperitivo como podem ser uma refeição.

É raro fazer este tipo de iguarias porque são fritos e acabam por ficar muito gordurosos. Mas, nada que não tenha solução e ao fim de algum tempo a ouvir uma colega dizer que comprava uns croquetes que eram próprios para ir ao forno (só que bem mais caros do que os normais) decidi tirar a teima e ver se os croquetes normais também vão ao forno.

Vão e ficam ainda melhores! Mais tostados, mais crocantes, mais sequinhos.

Experimentem.

 

Croquetes no Forno

 

20170425_131003.jpg

 

1 colher de sopa de tempero

3 colheres de sopa de azeite

500 grs de sobras de carne picadas

1 colher de sopa de farinha

200 ml de leite

Noz moscada, pimenta, coentros em pó q.b.

1 colher de sopa de mostarda

Sumo de ½ limão

1 ovo batido

 

Para panar:

Farinha q.b.

Pão ralado q.b. (usei pão rijo que ralei)

2 ovos batidos

 

Usei uma mistura de bife, costeletas, vitela e cabrito assados. Tudo moído no robot de cozinha.

Num tacho alourar o tempero no azeite. Juntar a carne picada e mexer. De seguida polvilhar com a farinha e juntar o leite mexendo bem para envolver e não deixar pegar ao fundo do tacho. Temperar com noz moscada, pimenta e coentros em pó e sal se necessário. Adicionar uma colher de sopa de mostarda e o sumo de limão e continuar a mexer até descolar do fundo.

Fora do lume adicionar o ovo batido e mexer bem. Deitar num tabuleiro e levar ao frio para arrefecer e ficar uma massa mais moldável.

Formar os croquetes (molhar as mãos com água para não se agarrarem) e passar por farinha, ovo e pelo pão ralado. Pôr num tabuleiro forrado com papel de ir ao forno e levar a forno quente por cerca de meia hora, virando os croquetes a meio do tempo para que fiquem dourados por todo.

Servir com salada fria de batata.

 

Nota: pode-se substituir o tempero por uma cebola e um dente de alho picados

 

Ter | 16.05.17

pequenas refeições

 

Não há novidade nenhuma numa salada. É uma salada, cada um faz ao seu gosto e nem se pode bem dizer que haja receitas para tal. É uma inspiração. Esta foi a do momento.

 

Salada com Grão e Espargos Brancos

 

20170414_131528.jpg

 

1 lata de atum

150 grs de grão de bico

1 alface pequena

1 mão-cheia de folhas de rúcula

1 raminho de salsa,

4 hastes de cebolinho

2 espargos brancos (de frasco)

4 rabanetes

10 azeitonas

Sementes de sésamo

1 ovo cozido

Azeite, vinagre e mostarda q.b.

 

Numa taça põe-se a alface, a rúcula, folhas de salsa, cebolinho cortado em bocados com cerca de três centímetros, os espargos cortados também com esse tamanho, os rabanetes cortados em rodelas fininhas e as azeitonas. Por cima espalhar lascas de atum.

Misturar o azeite, vinagre e mostarda num frasco de modo a fazer um molho espesso. Deitar sobre a salada.

Enfeitar com um ovo mal cozido (este era mega gigante por ser de pata!) e salpicar com as sementes de sésamo (usei pretas).

 

Seg | 15.05.17

hackers e o que interessa mesmo!

 

Quando vi esta receita, pensei logo que era o melhor de dois mundos (chá e aveia!), ou duas coisas boas só podem fazer uma coisa espectacular, ou vamos mas é experimentar que isto de conversas e hackers que atacam os computadores de todómundo está o pessoal cheio.

E pronto, é isto.

 

Papas de Aveia com chá Earl Grey

 

20170501_165625.jpg

 

1 saqueta de chá Earl Grey

½ copo de leite

2 colheres de sopa de flocos de aveia

1 colher de sopa de sementes de chia

1 colher de sopa de mel

1 pitada de sal

½ colher de chá de extracto de baunilha (opcional)

Mirtilos, flocos de coco e sementes de cânhamo 

 

Escaldar o leite e pôr o chá em infusão, juntamente com a aveia, a chia, o mel, o sal e o extracto de baunilha. Deixar ao lume por uns quatro minutos mexendo de vez em quando.

Deitar numa taça e deixar arrefecer (deixei para o dia seguinte). Enfeitar com fruta a gosto, podem ser usados vários tipos de fruta e sementes, até flores comestíveis!

 

Nota: se quando estiver frio ficar muito maçudo, pôr um pouco de leite para ficar uma papa mais fina

 

Qui | 11.05.17

em modo não me incomodem

 

Nada de complicado nesta fase da semana em que apenas conseguimos pensar que já é quase sexta-feira!

Ou como li algures: hoje é um daqueles dias em que até o meu café precisa de um café!!! 

 

Mistura de Frango para Sanduiches

 

20170422_211130.jpg

 

Peito de frango (usei de churrasco)

Aipo

Salsa

Cebolinha

Rabanetes

Mostarda

Iogurte

Maionese

Sal e pimenta

 

Esfiapar o peito de frango com dois garfos, adicionar aipo, salsa e a cebolinha picados, rabanetes cortados em rodelas fininhas e mostarda, maionese e iogurte. Temperar com sal e pimenta e mexer tudo muito bem de modo a ficar uma pasta que dê para barrar.

Para fazer as sanduiches, barrar esta pasta num dos lados do pão, por cima colocar rodelas de tomate e folhas de alface. Tapar com o restante pão e comer 

 

Ter | 09.05.17

que alhada!

 

No outro dia comprei raia no mercado, bem fresca. Encontrei esta receita e experimentei.

Não tive tempo de fotografar o repasto por isso ficam aqui com uma foto dos alhos usados para a confeccionar (alguns) 

 

Raia Alhada (à moda de Olhão)

  

IMG_20161126_141651.jpg

 

4 postas de raia

5 dentes de alho
1 molhinho de coentros
6 colheres de sopa de azeite
2 colher de vinagre
4 batatas
Sal q.b.

 

Lavar bem a raia em água corrente e vinagre. Temperar com sal e deixar durante 2 horas. Antes de pôr no tacho voltar a lavar a raia.
Pôr a raia num tacho com água a ferver e com uma pitada de sal.
Noutro tacho cozem-se as batatas.
Numa tigela pomos os alhos muito bem esmagados, o azeite, o vinagre e 3 colheres de sopa da água de cozer a raia.
Depois da raia cozida escorre-se a água da raia e das batatas, junta-se o preparado anterior e vai novamente ao fogo cerca de cinco minutos.
Serve-se de seguida.

 

Seg | 08.05.17

para o quente e para o frio

 

Nunca estive em Marrocos mas é um dos meus destinos de sonho.

Gosto bastante de tudo o que tenha a ver com a culinária marroquina e esta bebida é uma espécie de ex-libris não só de Marrocos mas de todo o Magrebe.

A hortelã que uso (Mentha spicata) cresce em minha casa por todo o lado, especialmente nos buracos de uns tijolos que tenho a fazer um pequeno murete. Todos os anos renascem como se aquele fosse o lugar ideal… não é mas já desisti de as arrancar. Cresçam para aí que eu faço chá!

 

Chá de Hortelã

 

download.png

 

1 colher de sopa de chá verde (ou uma saqueta)

4 raminhos de hortelã

500 ml de água

Adoçante a gosto (usei mel)

 

Ferver a água e deitar num recipiente sobre o chá e a hortelã. Deixar em infusão por cinco minutos, coar e adoçar.

Servir quente com raminhos da hortelã.

 

Sex | 05.05.17

Pecado de Chocolate!!!

 

A sério! Esta receita. Do melhor que há.

 

Tarte de Chocolate e Doce de Leite

 

IMG_20170430_140004_704.jpg

 

200 grs de bolachas (usei Maria Fibra)

60 grs de manteiga derretida

2 colheres de sopa de cacau em pó

100 grs de nozes, tostadas

1 lata de leite condensado cozido (doce de leite)

200 grs de chocolate negro (70% cacau)

200 grs de natas espessas

 

No robot de cozinha trituram-se as bolachas e adiciona-se a manteiga derretida e o cacau.

Põe-se esta massa numa tarteira (usei uma rectangular de 40x10 cms) e pressiona-se bem para não ficar solta.

Põe-se as nozes picadas e tostadas sobre a base da tarte. Por cima espalha-se o leite condensado cozido - deve-se aquecer ligeiramente para que fique mais maleável e espalhe melhor.

Derrete-se o chocolate juntamente com as natas no micro-ondas e mexe-se vigorosamente para que fique liso e brilhante. Deita-se sobre o leite condensado cozido e leva-se ao frigorífico por umas horas para que fique firme.

Retirar do frigorífico dez ou vinte minutos antes de servir.

 

Nota: para cortar usar uma faca aquecida (eu esqueci-me  )

 

Qui | 04.05.17

hoje há...

 

Aqui está uma sugestão fácil e rápida de fazer, em menos de uma hora está na mesa.

 

Costeletas no Tacho

 

20170413_202756.jpg

 

4 costeletas do cachaço

1 cebola picada

2 dentes de alho picados

Sal q.b.

Azeite q.b.

50 ml de vinho branco

2 colheres de sopa de molho Inglês

1 malagueta ou 1 colher de chá de piripiri

1 colher de chá de ervas aromáticas secas

100 ml de polpa de tomate

50 ml de água

6 batatas pequenas descascadas inteiras

 

Pôr todos os ingredientes num tacho. Tapar e levar ao lume até ferver. Baixar o lume e deixar cozer por 45 minutos abanando o tacho de quando em quando.

Servir com beterraba em picles.

 

Nota: para as ervas aromáticas secas usei uma mistura de orégãos, tomilho, alecrim e salva

 

Ter | 02.05.17

Flor do Iogurte

 

aqui falei do Kefir e embora saiba que há muita gente que não imagina o que é, há muitos que conhecem as suas virtudes.

Aqui há umas semanas, de repente, toda a gente desatou a pedir-me grãos de kefir. Fiquei admirada, devem ter visto qualquer coisa porque já existe há tanto e das vezes que tentei dar a quem quisesse, ninguém se mostrava muito interessado. É que aquilo é tipo um tamagotchi, temos que cuidar com a diferença que os grãos são um organismo vivo, não virtual.

Eu continuo a beber kefir, de vez em quando faço um intervalo e depois retomo. Agora ando na fase de o beber com uma mistura de frutos vermelhos que levo ao lume com um pouco de açúcar amarelo para fazer uma espécie de compota. Fica mesmo bom e é excelente para beber a meio da manhã quando já apetece um segundo pequeno–almoço 

 

Kefir com Frutos Vermelhos

 

IMG_20170418_181557_581.jpg

 

200 ml de kefir

1 colher de sopa de compota frutos vermelhos (ou outra variedade)

1 colher de chá de mel

 

Juntar todos os ingredientes e mexer vigorosamente.

Beber fresco.

 

download.png

 

Nota: não se devem usar utensílios metálicos com o kefir.