Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Sex | 30.10.15

prontos?

 

Paletes! Paletes de dióspiros é o que têm sido estas semanas.

Não que eu me queixe… aliás, queixo-me de não poder dar conta do recado e de a época ser tão curta. Eu sei que se podem congelar mas enquanto congela e não congela, lá sai um batido, uns muffins, alguns ao natural, outros com canela e a coisa vai.

E depois, esta receita.

 

Bolo de Dióspiros com Caramelo

 

download (1).png

 

Bolo:

1 copo de polpa de dióspiro

¼ de colher de chá de bicarbonato de sódio

¼ de copo de açúcar granulado

½ copo de açúcar amarelo

2 colheres de sopa de manteiga derretida

1 ovo grande

½ colher de chá de extracto de baunilha

1 copo de farinha

1 colher de chá de fermento em pó

1 colher de chá de canela em pó

1 pitada de sal

Cobertura:

3 colheres de sopa de manteiga

1/3 de copo de açúcar amarelo

¼ de vagem de baunilha

3 colheres de sopa de natas

 

Numa taça esmagar a polpa de dióspiro (eu cortei com uma faca de cozinha os gomos maiores e esmaguei com um garfo). Adicionar o bicarbonato de sódio, os açúcares, a manteiga derretida, o ovo e o extracto de baunilha. Mexer.

Noutra taça mistura-se a farinha, o fermento, a canela e o sal. Junta-se a mistura de polpa de dióspiro e mexe-se o suficiente para incorporar mas sem mexer demais.

Deitar a massa numa forma untada (usei uma de cartão, não é necessário untar) e levar a forno médio por cerca de 35 a 40 minutos (verificar com um palito pois os fornos não são todos iguais).

Entretanto faz-se o molho de caramelo.

Num tachinho leva-se ao lume a manteiga, o açúcar amarelo e as sementes de ¼ de vagem de baunilha (em alternativa pode-se usar uma colher de chá de extracto de baunilha).

Deixa-se caramelizar um pouco e de seguida adiciona-se as natas, mexendo bem. Deixa-se apurar por mais uns minutos com cuidado para não deixar queimar.

Quando o bolo estiver cozido retira-se do forno e por cima deita-se o caramelo ou em contrapartida serve-se num jarrinho à ‘vontade do freguês’ 

 

Nota: Na minha humilde opinião, o caramelo não faz falta nenhuma pois este bolo é bastante húmido e muito saboroso, não necessita de mais nada para o acompanhar…

 

Qui | 29.10.15

buon appetito!

 

É raro fazer lasanha embora seja um prato que aprecie bastante. Normalmente quando penso no tempo que vai demorar até estar pronto, passa-me logo a vontade. E não, eu não sou capaz de antecipar as refeições da semana nem tão-pouco as compras para as ditas…

Por isso, quando faço carne à bolonhesa, aproveito e faço logo uma grande quantidade que congelo em porções e assim, quando me apetecer algo mais trabalhoso, é só retirar do congelador e preparar tudo.

Deixo aqui as receitas completas mas nesta lasanha em especial, usei bolonhesa que tinha guardada, só tive que fazer o molho bechamel (também não estou assim tão desesperada que use do de compra!) e preparar tudo no tabuleiro.

 

Lasanha

 

download (1).png

 

Bolonhesa:

1 cebola

1 cenoura

1 dente de alho

1 raminho de aipo

azeite q.b.

500 grs de carne picada

1/4 de copo de vinho branco

1 lata de tomate picado

sal

pimenta

1 colher de sopa de molho inglês

1 copo de água

 

Molho Bechamel:

2 colheres de sopa de margarina

2 colheres de sopa de farinha

2 1/2 copos de leite

sal, pimenta e noz moscada

 

placas de lasanha pronta a usar

100 grs de queijo mozarela ralado

 

Fazer a bolonhesa:

Num tacho aloura-se a cebola no azeite, mistura-se a cenoura ralada (não é em fios como para a salada, é mesmo aos bocadinhos minúsculos), o dente de alho picadinho e o ramo de aipo cortado em rodelas fininhas (sem a rama). Mexe-se e adiciona-se a carne picada mexendo bem para não ficar em grumos. Adiciona-se o vinho, deixa-se evaporar e mistura-se o tomate picado (se forem frescos devem ser bem maduros e sem a pele, uns 4 médios). Deixa-se refogar mais um pouco e adicionam-se os temperos (sal, pimenta e molho inglês) e a água. Deixa-se em lume brando por cerca de 30 a 45 minutos para apurar bem o sabor.

 

Fazer o molho bechamel:

Derreter duas colheres de sopa de margarina num tachinho, adicionar duas colheres de farinha mexendo sempre e adicionar o leite num fio mexendo sempre para não criar grumos. Continuar a mexer sempre até engrossar, adicionar mais leite se necessário (deve ficar mais para o líquido) e temperar com sal, pimenta e noz moscada. 

 

Preparar a lasanha:

No fundo de um tabuleiro refractário ou de pyrex põe-se um pouco da mistura de bolonhesa. Por cima põem-se placas de lasanha seguidas de mais bolonhesa e molho bechamel. Polvilha-se com queijo ralado e volta-se a repetir: placas de lasanha, bolonhesa, bechamel e queijo. Repete-se até finalizar os ingredientes, a mim deu três camadas.

Levar ao forno médio até estar lourinho por cima, cerca de 30 minutos.

 

Ter | 27.10.15

outras maneiras

 

Quando não se quer acender o forno mas apetece umas batatas diferentes para acompanhar um prato de carne grelhada, fazemos isto, que é rápido, fácil e muito saboroso.

 

Batatas em Camadas na Frigideira

 

18859381_qYpVi.jpeg

 

4 batatas médias

1 cebola

Azeite

Sal q.b.

Pimenta q.b.

Orégãos q.b.

 

Cortar as batatas e a cebola em rodelas muito finas (usar o robot para que fiquem mesmo finas).

No fundo de uma frigideira põe-se um fio de azeite. Espalham-se rodelas de batata e por cima uma camada de rodelas de cebola. Tempera-se de sal, pimenta e orégãos e põe-se mais um fio de azeite. Volta a repetir-se o processo até finalizar os ingredientes.

Leva-se a lume muito brando tapando a frigideira com uma tampa. Deixar cozer devagar por cerca de 25 a 30 minutos, até as batatas estarem tenras.

 

Sex | 23.10.15

É isto...

 

Fins de semana de chuva pedem biscoitos por isso não quero que vos falte nada e cá está mais uma receitinha deles.

Estes são dos que mais gosto pois são de aveia (mas se fossem de gengibre também eram dos que mais gostava e se fossem de chocolate também e outros também…)

 

Biscoitos de Melaço e Aveia

 

IMG_20151002_160731.jpg

 

200 gr de manteiga

½ copo de açúcar granulado

½ copo de açúcar amarelo

1 ovo

2 colheres de sopa de melaço

1 colher de chá de extracto de baunilha

1 e ½ copos de flocos de aveia

1 e ½ copos de flocos de farinha

1 copo de coco ralado

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 colher de chá de fermento em pó

1 e ½ colheres de chá de canela em pó

1 pitada de noz moscada

1 pitada de cravinho em pó

1 tablete de 100 grs de chocolate 70% cacau

 

Bater a manteiga com os açúcares. Adicionar o ovo, a baunilha e o melaço e misturar bem.

À parte mistura-se a farinha com os flocos de aveia, o coco, bicarbonato, fermento, canela, noz moscada e cravinho. Deita-se esta mistura na taça da manteiga e mexe-se bem para envolver tudo. Fica uma massa rija mas é mesmo assim.

Adiciona-se o chocolate cortado em quadradinhos mesmo pequeninos (em alternativa, usar 100 grs de pepitas de chocolate) e de seguida moldam-se os biscoitos retirando com uma colher uma quantidade do tamanho de uma noz. Espalmar e pôr num tabuleiro forrado com papel de ir ao forno. Cozer por cerca de 12 minutos.

Retirar do forno e deixar repousar por cinco minutos no tabuleiro. Seguidamente deixar arrefecer completamente numa rede e guardar (se forem capazes…)

 

Nota: receita encontrada aqui

 

Qui | 22.10.15

coisas simples

 

Este é o tipo de refeição que mais me agrada. Ir ao frigorífico em modo raide e ver o que por lá anda. Começar a imaginar associações, se calhar põe-se também disto, não que tem um sabor muito forte, o melhor é mesmo usar aquilo, ah e que tal também uma pitada de coiso???  Olha que boa ideia. Cá está!

 

Cogumelos Recheados

 

 

download (1).png

 (antes de ir ao forno)

 

4 cogumelos grandes

2 ovos pequenos

1 mão cheia de espinafres

1 dente de alho bem pequeno

2 rodelas de paio York

2 colheres de sopa de queijo mozarela ralado

Adobo q.b. (ou sal e pimenta ou outro sal aromatizado)

Azeite q.b.

 

Retirar os pés aos cogumelos (usar noutra receita ou em sopa).

Pincelar o interior dos cogumelos com azeite. Picar os espinafres, o dente de alho e o paio York.

Dividem-se os espinafres e o dente de alho por dois dos cogumelos e tempera-se com Adobo ou com sal e pimenta a gosto. Por cima põe-se os ovos com cuidado para não cair clara fora do cogumelo (o melhor é abrir um ovo de cada vez numa tacinha e com uma colher retirar apenas o que se pretende já que a clara inteira pode ser demais para rechear o cogumelo).

Nos outros dois põe-se o paio picado e o queijo mozarela por cima. Não é necessário temperar estes pois o paio já tem sal suficiente.

Põe-se num tabuleiro forrado com papel de ir ao forno e com um fio de azeite no fundo.

Vão a forno médio até o queijo estar alourado e os ovos cozidos.

 

Qua | 21.10.15

perishable thoughts...

 

Costuma-se dizer: se todos gostassem da mesma cor, que seria do amarelo?

Isto para dizer que felizmente cada um é livre de escolher aquilo que gosta, aquilo que prefere, aquilo que lhe dá mais satisfação. E isto pode aplicar-se a tudo na vida e neste caso concreto aplica-se ao chocolate a usar em receitas.

Quando faço biscoitos ou bolos que levam bocadinhos de chocolate, normalmente as receitas referem sempre pepitas de chocolate. Já as usei mas confesso que prefiro usar uma tablete de chocolate negro (normalmente uso 70% cacau) cortada em pedacinhos bem pequeninos.

O que noto de diferente? É que as pepitas são muito redondinhas e ao serem ‘cozidas’ nos bolos ou biscoitos, mantêm a sua forma ao passo que os pedacinhos de chocolate têm tendência a derreter ligeiramente por terem uma forma mais ‘bicuda’ e eu prefiro o resultado final dos pedacinhos

Têm alguma preferência nesta situação?

Já agora, eu gosto de amarelo 

 

Pepitas de Chocolate vs Chocolate em Tablete

 

IMG_4794.JPG

 

Ter | 20.10.15

maçãs... anyone???

 

Mais uma receita para gastar maçãs assadas. Se não houver assadas, basta cozer uma maçã no micro-ondas por uns minutos e usar a polpa.

Não sei se costumam usar melaço, acho um ingrediente fundamental em receitas de bolos e biscoitos, principalmente as que levam gengibre ou especiarias fortes.

É extraído normalmente da cana de açúcar, após terem sido retirados os cristais de açúcar e o que parece é muito rico em ferro. Não é muito doce e consegue ser mais pegajoso do que o mel.

Uma maneira fácil de ele não ficar todo agarrado à colher é primeiro passar a colher por uma gordura (manteiga ou óleo) e depois medir o melaço necessário. Desliza perfeitamente da colher.

 

Panquecas de Maçã e Melaço

 

20151005_194134.jpg

 

½ copo de puré de maçã (usei maçã assada)

1 ovo

3 colheres de sopa de iogurte grego natural

¼ de copo de leite

1 colher de sopa de melaço

1 copo de farinha (usei farinha integral)

1 colher de chá de fermento em pó

1 pitada de sal

 

Misturar a o puré de maçã com o ovo, o iogurte, o leite e o melaço. Adicionar a farinha, o fermento e o sal.

Deitar numa frigideira untada com manteiga ou óleo, de modo a fazer panquecas com cerca de dez centímetros de diâmetro. Deixar cozer por dois minutos, virar e deixar mais um minuto ou dois, dependendo da grossura da panqueca.

Servir com mel, xarope de ácer, fruta, açúcar em pó, etc.

 

Seg | 19.10.15

da fartura...

Tem havido muitas maçãs caseiras para gastar e se forem deixadas na fruteira são completamente comidas por algumas lagartinhas que, por serem de árvores sem qualquer tratamento, podem circular à vontade dentro das maçãs sem ninguém dar por elas.

O remédio é arranjar logo uma data delas e para isso costumo pôr um tabuleiro de maçãs a assar com uma pitada de canela e um fundinho de água, descascadas e sem os interiores que é onde escondem as ditas cujas.

Depois é gastar em arranjos vários, ao pequeno almoço, para um lanche, mais simples ou mais elaborado, sabe sempre bem.

 

Flocos de Aveia com Maçã Assada

 

IMG_20151007_124837.jpg

 

3 colheres de sopa de flocos de aveia

¼ de copo de iogurte natural (grego)

¼ de copo de leite

½ copo de maçãs assadas com canela

1 colher de chá de mel

 

Misturar todos os ingredientes numa taça e deixar no frigorífico por umas horas ou de um dia para o outro.

 

Sex | 16.10.15

É só mais um dia mundial...

 

Nem queria acreditar! Coisa mais linda esta receita, e de maçã!

De Maçã!!!! (sou só eu?...)

Logo a seguir parecia que toda a web se meteu a fazer esta receita e só vos digo: quem não fez, não é cá da malta 

 

Agora a sério.

Hoje é Dia Mundial da Alimentação.

Sabemos que há muita gente que não tem o que comer, sabemos que há muita gente come mais do que deve, sabemos que há muito, muito desperdício e sabemos que não podemos mudar o mundo.

Mas podemos, cada um de nós, mudar qualquer coisa em nós, na nossa maneira de estar, que ajude, bocadinho a bocadinho, a mudar o estado das coisas. Pensem nisso.

 

Rosetas de Maçã

 

IMG_4751.JPG

 

1 rolo de massa folhada rectangular

2 maçãs

3 colheres de sopa de açúcar granulado

1 colher de sopa de manteiga

Sumo de ½ limão

1 colher de chá de canela em pó

½  colher de chá de gengibre em pó

1 colher de sopa de geleia

 

Cortar as maçãs em fatias muito finas. Levar o açúcar e a manteiga ao lume numa frigideira. Quando derreter juntar as fatias de maçã, o sumo de limão e as especiarias. Deixar ao lume por uns minutos de modo a amolecer ligeiramente as maçãs. Retirar do lume e deixar esfriar.

Estender o rectangulo de massa folhada e cortar em seis tiras. De seguida espalham-se as fatias de maçã sobre cada metade superior da massa de modo a que fiquem um pouco saídas da massa. Dobrar a metade inferior da massa sobre as maçãs pressionando ligeiramente nas pontas. Enrolar a tira de massa folhada com as maçãs de modo a formar uma roseta que se põe dentro de uma forma de queque forrada com uma forminha de papel plissado.

Levar as rosetas de maçã ao forno por cerca de 45 minutos. Tapar com papel de alumínio a meio da cozedura para não queimar as fatias de maçã.

Retirar do forno e pincelar com um pouco de geleia.

 

20150926_194916.jpg

 (antes de ir ao forno)

 

Qui | 15.10.15

ao sabor da época

 

Esta receita é muito fácil de fazer e com poucos ingredientes. Fica muito saborosa, melhor ainda se for acompanhada também por vegetais assados no forno como cenouras, curgetes, beringelas, beterrabas, batata-doce e por aí…

Aqui está, com uma ligeira adaptação.

 

Lombinho de Porco com Mostarda

 

IMG_4764.JPG

 

1 lombinho de porco com cerca de 600 grs

9 fatias de bacon

2 colheres de sopa de mostarda (usei mistura de mostarda em grão e de mostarda picante)

1 colher de sopa de mel

Sal e pimenta q.b.

1 fio de azeite

 

Pegar num pedaço de papel de ir ao forno e estender. Pôr as fatias de bacon ligeiramente sobrepostas sobre o papel. Em cima das fatias de bacon põe-se o lombinho. Numa taça mistura-se a mostarda e o mel e pincela-se no lombinho de porco. Tempera-se com sal e pimenta e, com a ajuda do papel, enrola-se o bacon no lombinho de modo a ficar bem fechado.

Retira-se esse rolo do papel (que se deita fora) e põe-se num tabuleiro com um fio de azeite no fundo.

Leva-se ao forno por cerca de 40 minutos. Deixar repousar 10 minutos, cortar e servir.

 

Ter | 13.10.15

para variar

 

Gosto muito de peixe-espada mas tem que ser do preto. Não acho piada nenhuma ao cinzento, que acho muito mais seco.

No forno não é a maneira mais vulgar de preparar este peixe mas fica muito bom.

Experimentem.

 

Peixe- Espada Preto no Forno

  

download.png

 (antes de ir ao forno)

 

4 postas de peixe-espada preto sem pele

5 dentes de alho esmagados, com a casca

Sal q.b.

Sumo de um limão

1 ramo de salsa

Algumas hastes de cebolinho

Azeite q.b.

 

Dispor as postas do peixe no tabuleiro com um fio de azeite no fundo. Temperar com o sal, o sumo de limão e por cima espalhar os dentes de alho e a salsa e cebolinho. Regar com mais um fio de azeite e levar a forno médio por cerca de 30 minutos. A meio da cozedura deitar umas colheradas do molho sobre as postas de peixe para não secar.

 

Seg | 12.10.15

e não é que fica bom?

 

Há uma romãzeira perto de minha casa que está carregadinha de romãs, já todas rachadas e a que ninguém parece dar valor. No outro dia trouxe algumas para casa e embora fossem um bocado ácidas, ficaram bem misturadas com outras frutas mais doces.

 

Batido de Figos e Romãs

 

figos.jpg

 

4 figos

1 romã

1 banana

250 ml de leite

 

Retirar os bagos à romã, cortar os figos em quartos retirando os pés e descascar a banana e cortar em rodelas grossas. Pôr tudo no liquidificador juntamente com o leite e liquidificar até ficar liso e sem grumos.

 

Nota: Se ainda tiver grumos dos bagos das romãs, deve-se coar para os retirar

 

Sex | 09.10.15

Hic… não é para meninos…

 

Gosto muito das receitas do Nigel Slater.

É calmo, descomplicado  (e feiito, vá ) e tem um ar fofo.

No ano passado ofereceram-me um livro dele e ainda não tinha tido oportunidade de experimentar nada de lá.

Aqui há uns tempos precisava de uma sobremesa, dei uma vista de olhos ao livro e cá está, ligeiramente adaptada.

Das duas vezes que fiz fez muito sucesso. Será que é do licor???

 

Trifle de Baileys

 

20150911_122617.jpg

 

150 ml de licor Baileys (ou outro idêntico)

150 ml de café forte

12 palitos de Champanhe

200 ml de natas para bater

250 ml de queijo Mascarpone

2 colheres de sopa de açúcar em pó

50 grs de amêndoas torradas

100 grs de chocolate 70% cacau

 

Pôr os palitos de Champanhe numa taça para servir (a minha taça era pequena, ficaram em duas camadas).

Deitar o licor e o café às colheradas sobre os palitos até gastar tudo. Mesmo que fiquei algum líquido na base, acaba por ser absorvido pelos biscoitos.

Bater as natas até ficarem firmes. Bater o queijo mascarpone com o açúcar em pó e misturar com as natas.

Deitar esta mistura sobre os palitos Champanhe e por cima espalhar amêndoa torrada picada muito finamente.

Pôr no frigorífico por umas horas.

Ao servir, derreter o chocolate partido em bocados no micro-ondas (cerca de um minuto é suficiente) e deitar colheradas de chocolate em fio sobre a sobremesa.

 

Qui | 08.10.15

dos significados

 

Já alguma vez pensaram no termo ‘malandrinho’ associado ao arroz? Porque será que lhe chamamos isso?

Ao que parece, o arroz é malandrinho por ser fugidio como os malandros, ladrões e assim… o arroz escapa por entre o molho, bagos soltos.

Por isso se chama malandro. E eu gosto 

 

Arroz Malandrinho de Coelho

 

IMG_4687.JPG

 

½ coelho partido em bocados pequenos

1 cebola picada

2 dentes de alho picados

10 tomates cherry (ou 2 tomates médios)

1 raminho de q.b. de carqueja

1 raminho de salsa

Piripiri q.b.

1 colher de sopa de molho Inglês

3 colheres de sopa de azeite

1 copo de arroz agulha

3 copos de água a ferver

Sal q.b.

Vinho branco q.b.

 

Passar os bocados de coelho pelo vinho branco e escorrer.

Num tacho põe-se o azeite, a cebola, o alho, os tomates, a carqueja e salsa, o piripiri e o coelho. Estufar até o coelho estar praticamente cozido verificando se é necessário ir acrescentando algum líquido para não pegar (vinho branco ou água).

Adicionar o arroz, mexer e juntar a água a ferver. Rectificar os temperos e juntar a colher de molho Inglês. Deixar cozer o arroz de modo a ficar com molho.

Servir de imediato.

 

Ter | 06.10.15

hmmmm

 

A aproveitar a ‘fruta da época’ para fazer um acompanhamento que soube muito bem.

O açafrão das Índias serviu para dar uma cor e porque aproveito todas as oportunidades para o usar já que é uma das minhas especiarias preferidas.

  

Puré de Maçã e Marmelos

 

IMG_4758.JPG

 

1 marmelo

3 maçãs

1 colher de café de açafrão das Índias

 

Descascar o marmelo e as maçãs, retirar os caroços e cortar em pedaços. Pôr num tachinho com um pouco de água e cozer até estar tenro, cerca de 20 minutos. Escorrer e esmagar com um garfo até ficar em puré. Adicionar o açafrão das Índias e mexer.

Servir como acompanhamento de carne de porco assada ou grelhada.

 

Seg | 05.10.15

a comer dióspiros

 

Esta é uma época em que as frutas que aparecem são mais ‘aconchegantes’ do que as de verão.

As de verão são frescas, de cores vibrantes, doces e sumarentas. As de outono são quentes, as cores a condizer com as das folhas que começam a cair das árvores e muitas vezes também a condizer com o nosso estado de espírito, de cair da folha.

Uma das minhas favoritas desta época (além das maçãs que essas estão no pedestal durante todo o ano) são os dióspiros. Sejam moles ou rijos, gosto mesmo, quer para comer de imediato quer para usar em algumas receitas.

Um das melhores companhias para eles é a canela!

Cortem um dióspiro dos rijos em rodelas, polvilhem com canela e apreciem. Ou então retirem a polpa de um dos moles, polvilhem com canela e apreciem. 

 

Dióspiros com Canela

 

IMG_20150126_195204.jpg

 

Nota:

Os dióspiros rijos (variedade Faufau ou Fuyu) não são a mesma coisa que os moles antes de amadurecerem.

Os moles (Coroa de Rei ou Kaki) antes de amadurecerem são intragáveis e quem já os experimentou sabe que quando se tem o azar de dar uma dentada num parece que acabámos de trincar um fardo de algodão! Os rijos são de uma variedade diferente e quanto mais rijos, melhor.

 

Sex | 02.10.15

crocante!

 

Eu ameacei prometi que não tardavam as receitas com maçã.

Agora aturem-na!!!

 

Bolo de Maçã Crocante

 

IMG_4703.JPG

 

Bolo:

1 maçã cortada em pedacinhos

2 colheres de sopa de açúcar amarelo

2 colheres de chá de canela em pó

1 e ½ copos de farinha de trigo

½ copo de farinha integral

1 colher de chá de fermento em pó

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 pitada de sal

200 ml de iogurte natural, grego

½ copo de puré de maçã (maçã cozida esmagada)

½ copo de açúcar amarelo

2 ovos

2 colheres de chá de extracto de baunilha (opcional)

75 grs de manteiga ou margarina amolecida

 

Cobertura:

½ copo de flocos de aveia

2 colheres de sopa de farinha

1 colher de sopa de açúcar amarelo

1 colher de chá de canela

25 grs de manteiga cortada em pedaços, gelada

½ copo de nozes, picadas

 

Aquecer o forno e preparar uma forma.

Numa tacinha misturar a maçã com duas colheres de sopa de açúcar e duas colheres de chá de canela em pó. Reservar.

Numa taça misturar as farinhas com o fermento, bicarbonato e sal.

Noutra taça misturar o iogurte com o puré de maçã, o açúcar e os ovos. Bater bem e adicionar a baunilha, se usar, e a manteiga amolecida. De seguida adicionar a mistura de farinha. Juntar a mistura das maçãs envolvendo bem e deitar na forma.

Para a cobertura misturar os flocos de aveia com a farinha, o açúcar e a canela, adicionar os pedaços de manteiga e esfarelar com os dedos. De seguida juntar as nozes e polvilhar esta mistura sobre a massa do bolo.

Levar ao forno por cerca de 45 minutos (verificar com um palito para ver se está cozido no meio) e se necessário pôr um papel de alumínio por cima, a meio da cozedura, se estiver a ficar tostado demais.

Retirar do forno e deixar arrefecer uns minutos na forma e depois desenformar.

 

Nota: receita adaptada desta

 

Qui | 01.10.15

as coisas que ela inventa

 

Já vos disse aqui tudo o que havia a dizer sobre amêndoas. Ou pelo menos era o que eu pensava.

Descobri que as amêndoas na casca podem ser tostadas no forno e ficam uma maravilha.

Isto veio a propósito de eu ter em casa perto de cinco quilos de amêndoas para gastar. A trabalheira que aquilo ía dar para partir as cascas que ainda por cima são de uma variedade duríssima (não fossem elas do Douro!)

No outro dia pensei que se calhar aquilo tostado era capaz de funcionar e lá meti um tabuleiro ao forno (sempre à coca não fosse aquilo ser como as castanhas e começar a estourar…). Depois de 20, 25 minutos, lá estavam elas, tostadinhas e com a casca muito mais fácil de quebrar.

Depois é só comer que aquilo é mesmo viciante! Experimentem.

 

Amêndoas Tostadas na Casca

 

IMG_4680.JPG

 

Levar um tabuleiro de amêndoas com a casca ao forno por cerca de 25 minutos.

Retirar e deixar arrefecer. Guardar num frasco e consumir ao natural ou em receitas que levem amêndoas.