Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Sex | 30.05.14

choque de chocolate

Há dias em que o chocolate é que nos salva. Ámen!

 

Bolo de Chocolate

 

 

 

2 copos de açúcar

1 e ¾ de copos de farinha

¾ de copos de cacau em pó

2 colheres de chá de bicarbonato de sódio

1 colher de chá de fermento em pó

1 pitada de sal

2 ovos

1 copo de leite c/ 1 colher de sopa de vinagre

½ copo de óleo de girassol (ou outro óleo vegetal)

1 colher de chá de extracto de baunilha

1 copo de café forte, bem quente

 

Aquecer o forno no médio (cerca de 180ºC) e untar duas formas sem buraco com 20 cms. Forrar o fundo das formas com papel vegetal e voltar a untar.

Numa taça misturar o açúcar, a farinha, cacau, bicarbonato, fermento e sal.

Juntar os ovos, leite com vinagre, óleo e baunilha e mexer. Adicionar o café quente e mexer até envolver, sem mexer demais.

Dividir a massa pelas duas formas e levar ao lume por cerca de 35 a 40 minutos (verificar se está cozido com um palito).

Retirar do forno e deixar arrefecer nas formas por meia hora e depois desenformar e deixar arrefecer completamente.

 

Para recheio e cobertura, usei uma tablete de chocolate negro que derreti e à qual juntei 100 ml de natas mas podem usar o que mais vos agradar.

 

Nota: A receita original é esta (obviamente com muito melhor ar do que o meu {#emotions_dlg.sarcastic} )

 

Qui | 29.05.14

ai gordon, gordon...

Não tenho muita paciência para ver os programas do Gordon Ramsay, é muita histeria e pouca culinária. E não tem nada a ver com o fucking vocabulary porque eu consigo ser mais carroceira do que ele!

No entanto, gosto muito das suas receitas, são simples, descomplicadas, e fáceis de fazer. Esta pareceu-me sempre uma tentação até que um dia destes lá a experimentei com algumas alterações.

Aprovadíssima!

 

Barquinhos de Alface 

 

 

6 folhas de alface ‘Bola de Manteiga’

250 grs de carne picada (usei de porco)

1 colher de sopa de óleo de sésamo

1 colher de sopa de azeite picante

1 pedacinho de gengibre

2 dentes de alho

1 colher de sopa de molho de soja

1 colher de sopa de ‘molho de peixe’

Sumo de uma lima pequena

Coentros e cebolinho picados

6 colheres de sopa de batata palha

 

Aquecer o óleo de sésamo e o azeite picante numa frigideira e fritar a carne picada. Adicionar o gengibre e os dentes de alho ralados, o molho de soja e o molho de peixe (se não tiver molho de peixe usar duas colheres de sopa de molho de soja). Mexer bem e deixar cozer a carne por uns 15 minutos.

Espremer a lima sobre a carne e mexer.

No fundo das folhas de alface (que devem ser das do coração) põe-se a batata palha e por cima da batata palha a carne picada frita.

Polvilha-se com os coentros e cebolinho picados e serve-se com mais lima para quem pretender um sabor mais ácido.

 

Ter | 27.05.14

um outro grão

Num mercado semanal onde a minha irmã vai, há uma banca que vende leguminosas e grãos avulso. Aqui há uns tempos trouxe-me um saco com cevadinha, que era muito boa para usar na sopa.

Depois de experimentar na sopa, achei que aquilo tinha maior potencial e por isso pus-me à procura de outras sugestões. Encontrei esta receita, que adaptei ao meu jeito e saiu uma maravilha e que além disso deu para gastar mais um pouco da minha produção de cogumelos.

Ora vá!

 

Risotto de Cevadinha

 

 

6 cogumelos secos (usei shiitake)

1 copo de água a ferver

3 colheres de sopa de azeite

1 cebola

1 dente de alho

1 copo de cevadinha em grão

¼ de copo de vinho branco

1 litro de caldo de carne ou água a ferver

Sal q.b.

Ramos de tomilho

1 colher de sopa de manteiga (usei Becel Cozinha)

250 grs de cogumelos pleurotos salteados em alho e azeite

 

Pôr os cogumelos secos a demolhar no copo de água a ferver por uns 20 minutos.

Retirar os cogumelos da água (guardar a água) e cortar em pedacinhos.

Num tacho aquecer o azeite e alourar a cebola, juntar o dente de alho e os raminhos de tomilho e deixar fritar ligeiramente. Adicionar a cevadinha e mexer para não pegar. Juntar o vinho branco e deixar evaporar. Adicionar metade da água de amolecer os cogumelos secos, mexer e deixar absorver, adicionar a restante água dos cogumelos e novamente deixar absorver, mexendo. Daqui para a frente, usa-se caldo de carne ou água, aos poucos, deixando absorver cada adição e mexendo para que não agarre ao fundo do tacho. Demorou cerca de 45 minutos até estar no ponto. Junta-se uma colher de sopa de manteiga e mexe-se.

Serve-se com os cogumelos salteados e mais um raminho de tomilho.

 

Nota: pode-se fazer o verdadeiro risotto substituindo a cevadinha por arroz arborio.

 

Seg | 26.05.14

vavum!

Estas compotas super-hiper-mega-ultra rápidas e que nem vão ao lume dão mesmo jeito! E pode-se fazer pouquinho de cada vez (até porque aguentam apenas cerca de uma semana no frigorífico).

O bom é que não levam açúcar (ou só um bocadinho se a fruta não for muito doce) e podem servir para acompanhar o iogurte, fazer sobremesas ou barrar nas torradas.

 

Compota de Morango

 

 

 

1 copo de morangos

1 colher de sopa de sementes de chia

1 colher de sopa de mel (opcional)

 

Triturar todos os ingredientes no robot de cozinha ou liquidificador.

Deitar para um frasco esterilizado e deixar repousar por uma hora no frio.

 

Nota: Conserva-se uma semana no frigorífico.

 

Sex | 23.05.14

bolo, que o tempo ainda apetece forno...

Encontrei esta receita em tempos e agora não consigo descobrir em que sítio foi. As minhas desculpas ao dono.

É mesmo boa, não muito doce e acaba por ser também útil para aqueles que não podem consumir ovos porque este bolo não leva ovos.

 

Bolo de Gengibre e Chocolate

 

 

1 e ½ copos de farinha de trigo integral

2 colheres de sopa de cacau em pó

1 colher de chá de gengibre em pó

1 colher de chá de canela em pó

1 pitada de cravinho em pó

¼ de copo de óleo de girassol

1 copo de água

½ copo de açúcar

1 pitada de sal

1 colher de sopa de mel

1 e ½ colheres de sopa de vinagre

2 colheres de sopa de leite

 

Numa taça misturar os ingredientes secos incluindo as especiarias e o mel. Fazer dois buracos nesta mistura e num deitar o vinagre e noutro o leite. Por cima deita-se a água e mexe-se tudo com um garfo para envolver bem os ingredientes e ficar uma massa homogénea.

Deitar em formas untadas (usei quatro das pequenas) e levar ao forno - cerca de 180ºC – por volta de 30 minutos. Se usar apenas uma forma grande, leva uns 50 minutos a cozer.

Verificar com um palito e retirar do forno. Deixar arrefecer nas formas por uns dez minutos e depois desenformar.

 

 

Qui | 22.05.14

olé!

Muito boa, esta receita de um ‘kiosko merendero’ em Aranjuez, perto de Madrid.

Pode ser feita com frango para quem for sensível à fofice dos coelhinhos {#emotions_dlg.sarcastic}

 

Coelho al ajillo

 

 

½ coelho cortado em bocados

5 dentes de alho

1 folha de louro

½ copo de azeite

1 malagueta

1 copo de vinho branco

1 copo de água

5 hastes de tomilho

Sal

 

Aquecer o azeite num tacho com os dentes de alho inteiros e com casca, a malagueta inteira e o louro, alourar os pedaços de coelho e temperar com sal.

Juntar o vinho e deixar ferver para evaporar um bocado. Adicionar a água e as hastes de tomilho e tapar o tacho. Deixar apurar em fogo lento até que o coelho esteja bem tenro. Se necessário acrescentar mais um pouco de água para ter molho.

Servir com batatas cozidas às rodelas e salteadas em azeite e com uma salada.

 

Qua | 21.05.14

perishable thoughts...

Eu sei que os diospiros são da colecção outono/inverno, mas confessem lá, com este tempinho não é o que apetece?

Pois é, e para quem foi previdente e congelou diospiros na sua época, agora pode-se deliciar! Como eu.

Eu depois lembro-vos, lá para o Outono {#emotions_dlg.tongue}

 

 

Diospiro Descongelado

 

 

 

Ter | 20.05.14

inventora, ou não

Depois de ter visto a dica no blogue Casal Mistério, fui ver o original e são mesmo muitas as ideias para preparar esparguete. 19, nem mais.

Tantas que achei logo que uma seria sem dúvida a minha cara. Mas devo ser muito esquisitinha porque com tanta opção, nem assim fui capaz de seguir uma à risca.

Lá me pus a inventar e o que saiu foi isto, que bem poderia ser a 20ª maneira de preparar esparguete.

Experimentem e se gostam de massa, este post é para vocês!

 

Esparguete com tomates secos ao sol 

 

 

1 cebola picada

1 talo de aipo em rodelas finas

Azeite q.b.

5 filetes de anchova

6 metades de tomate seco ao sol

Piripiri q.b.

Esparguete cozido

 

Saltear a cebola no azeite juntamente com as rodelas de aipo. Quando a cebola estiver translucida, adicionam-se os filetes de anchova e esmagam-se com a colher de pau.

Juntam-se os tomates secos ao sol picados e o piripiri e envolve-se. Adiciona-se o esparguete cozido e um bocadinho da água de cozer, se necessário.

 

Nota: Usei tomate seco ao sol que pus num frasco com azeite. Para esta receita usei também o azeite do frasco

 

Seg | 19.05.14

aiquebom!

Nada mais simples para um belo começo de dia.

 

Taça de Pequeno-Almoço

 

 

Iogurte grego

1 colher de sobremesa de mel

3 colheres de sopa de Granola ou outros cereais

Frutas (opcional)

 

E para acompanhar, um chá, um café, um batido, o que apetecer.

 

Sex | 16.05.14

desinspirado?

Fácil de fazer, esta sobremesa é como o Melhoral: não faz bem nem faz mal {#emotions_dlg.smile}

 

Pudim Instantâneo com bolachas

 

 

1 litro de leite

2 embalagens de pudim instantâneo (do chinês – el mandarim)

Açúcar de acordo com o necessário para os pudins

1 embalagem de bolacha torrada rectangular

1 copo de leite morno

1 cálice de licor de café

 

Preparar o pudim de acordo com as instruções da embalagem.

Numa taça misturar o copo de leite morno e o licor de café.

Passar algumas bolachas nesta mistura e pôr no fundo de um tabuleiro ou taça rectangular.

Por cima deita-se o pudim. Por cima do pudim põem-se as restantes bolachas passadas pela mistura de leite e licor.

Deixar arrefecer e guardar no frigorífico até servir.

 

Nota: na receita original põe-se uma capa de chocolate derretido com natas sobre as bolachas mas eu optei por uma versão mais simples.

 

Qui | 15.05.14

Quais Almondegas do Ikea???

Depois de ter experimentado uma versão de almondegas ‘à la Ikea’ muito melhor do que as originais, achei difícil encontrar outra que fosse ainda melhor. E realmente não encontrei, mas esta é tão boa como a anterior.

Confusos? Experimentem as duas!

 

Almondegas à Sueca 

 

 

2 colheres de sopa de azeite

1 cebola picada

500 grs de carne de porco picada

½ copo de pão fresco ralado

1 ovo

Sal, pimenta, pimenta da Jamaica e noz moscada, q.b.

 

Molho:

50 grs de manteiga

2 colheres de sopa de farinha

2 copos de caldo de carne

½ copo de natas

Sal e pimenta, q.b.

Salsa picada

 

Alourar a cebola bem picada numa colher de sopa de azeite. Misturar numa taça com a carne picada, o pão ralado, o ovo e os temperos. Formar almondegas do tamanho desejado.

Com a outra colher de sopa de azeite, levar a mesma frigideira onde se alourou a cebola ao lume e fritar as almondegas por uns cinco minutos (vão acabar de cozer depois).

Para fazer o molho, numa caçarola derrete-se a manteiga e adiciona-se a farinha, mexendo sempre, Junta-se o caldo de carne e mexe-se sempre até engrossar. Adicionam-se as natas e tempera-se a gosto. Juntam-se as almondegas a este molho e deixam-se cozer por mais quinze minutos, com cuidado para o molho não engrossar demais, se necessário adicionar umas colheres de sopa de caldo de carne para diluir.

Servir polvilhado com salsa picada.

 

Qua | 14.05.14

perishable thoughts...

Costumo enviar semanalmente uma receita para um jornal da minha terra e por isso de vez em quando alguém no supermercado ou na rua me fala sobre essas receitas.

Aqui há uns tempos, o dono de um café onde vou às vezes disse-me: gosto muito de ler as suas receitas mas às vezes usa ingredientes estranhos. E eu: acha? Quais, por exemplo. E ele: sei lá, olhe, aquelas coisas, curgetes. E eu: Oh Senhor M.!!!! Curgetes???? Isso há em todo o lado, até na praça {#emotions_dlg.lol}

Isto para dizer que o cardamomo não se encontra na praça mas já há à venda nos hipermercados. Yey!!!!

 

Cardamomo 

 

 

O cardamomo - Elettaria cardamomum - é uma especiaria que pode ser usada em pratos doces ou salgados, pães, café, bolos, gelados, licores, etc. É uma das minhas favoritas e é muito usada em receitas indianas e tailandesas.

Existe na versão cardamomo verde e cardamomo preto. São da família do gengibre mas não nascem na mesma planta, estes dois, embora deem pelo mesmo nome.

O cardamomo verde é mais suave, embora um pouco picante e com algum toque de mentol. O preto é defumado e tem um sabor e cheiro muito mais intensos pelo que é muito bom usado, com parcimónia, em estufados ou pratos que cozinhem por algumas horas.

Também tem propriedades medicinais e é um excelente digestivo, estimulante, alivia a fadiga, as dores de cabeça, é diurético e, tchanan, é afrodisíaco!

Se encontrarem à venda, usem e abusem porque não é à toa que é conhecido como Rainha das Especiarias!

 

Ter | 13.05.14

tocam os sinos...

 

Não há muito mais a dizer sobre esta receita a não ser que é muito boa. E tem uma história lindíssima a acompanhar, por isso vão ver e experimentem. Vale a pena!

 

Bacalhau à Noiva

 

 

3 postas de bacalhau

1 cebola grande

2 dentes de alho

Vinagre

Azeite

2 cenouras

250 grs de feijão-verde

2 ovos cozidos (usei os dos folares)

Sal e pimenta q.b.

1 ovo batido

 

Puré:

Batatas

Leite

Manteiga

Noz-moscada

 

Cozer as cenouras cortadas em fatias finas e o feijão-verde também cortado em tiras finas. Aproveitar para cozer também os ovos se necessário.

Noutro tacho cozer o bacalhau por uns dez minutos. Retirar e na mesma água cozer as batatas para o puré.

Desfiar o bacalhau e descartar peles e espinhas.

Numa frigideira levar ao lume a alourar a cebola cortada em rodelas bem como o alho picado finamente. Adicionar o bacalhau desfiado e um esguicho de vinagre e reservar.

No fundo de um tabuleiro põem-se as cenouras e vagens cozidas. Por cima dispõe-se o bacalhau com a cebola e por cima os ovos em rodelas.

Com as batatas cozidas faz-se um puré a que se junta leite e manteiga e se tempera com noz-moscada. Espalhar o puré sobre o preparado do tabuleiro e pincelar com um ovo batido.

Levar ao forno por 20 minutos a dourar o ovo.

Servir com salada de beterraba e azeitonas.

 

Sex | 09.05.14

em maio canta o gaio, o melro ou quem quiser

Os meus pés de ruibarbo estão a acordar para a primavera (ainda a medo, é certo…) e embora não deem tanto que possa ir cozinhar para um batalhão, dão mesmo à certa para fazer umas sobremesas em tamanho ligeiro. Por isso quando vi esta receita, juntei os vários ingredientes e cá está! 

 

Crocante de Frutas (e um vegetal)

 

 

200 grs de ruibarbo

200 grs de morangos

200 grs de mirtilos (usei congelados)

1 maçã

½ copo de açúcar amarelo

1 colher de sopa de farinha Maizena

1 copo de flocos de aveia

½ copo de nozes

2 colheres de sopa de gérmen de trigo

1 pitada de canela

1 pitada de sal

3 colheres de sopa de óleo de girassol

 

Numa taça juntar o ruibarbo cortado em cubos, os morangos cortados em pedacinhos, os mirtilos e a maçã cortada em cubos. Adicionar metade do açúcar e a farinha Maizena e misturar bem. Deitar esta mistura num pyrex e reservar.

Numa outra taça misturar os flocos de aveia, as nozes, o restante açúcar, o gérmen de trigo, a canela e o sal. Juntar o óleo e misturar bem. Deitar esta mistura sobre as frutas e levar ao forno por cerca de 30 a 45 minutos, dependendo se se quer mais ou menos crocante.

 

Qui | 08.05.14

até espantalhos...

Aproveitar que estão na época, já se veem nos mercados, verdinhas e todas tortas, prontas a utilizar em muitas receitas.

As minhas, da horta, ainda estão pequenas e tenho tido que arranjar maneira de as proteger dos pássaros e até um espantalho fiz para ajudar, além de plásticos pendurados em paus, à laia de bidonville

 

Frango com Ervilhas Tortas 

 

 

½ frango caseiro

1 cebola picada

2 dentes de alho picados

1 malagueta

Azeite q.b.

½ copo de vinho branco

1 copo de água

1 mão–cheia de ervilhas tortas

 

Alourar a cebola picada e o alho no azeite, juntar a malagueta e o frango partido em pedaços e refogar. Quando o frango tiver perdido a cor crua, adicionar o vinho e mexer. Tapar o tacho e deixar refogar em lume brando e ir adicionando água pouco a pouco para manter molho. Quando o frango estiver tenro adicionam-se as ervilhas tortas e deixam-se cozer por uns cinco minutos.

Servir com arroz branco.

 

 

Sex | 02.05.14

mais miniaturas

São tartes, senhor, são tartes…

 

Mini Tartes de Lima 

 

 

1 pacote de 200 grs de bolachas (usei Maria Fibra)

50 grs de manteiga (usei Becel Cozinha)

1 lata de leite condensado

3 ovos

100 grs de iogurte grego natural

Sumo e raspa de uma lima

 

Forrar forminhas de queque com formas de papel plissado.

Moer as bolachas e misturar com a manteiga derretida.

Pôr uma colher desta mistura no fundo de uma forminha de papel plissado e com a ajuda de um copo pressionar para que a mistura fique compacta.

Numa taça bater o leite condensado com os ovos, o iogurte e o sumo e raspa da lima.

Deitar esta mistura nas forminhas sobre a bolacha. Levar a forno médio por cerca de 15 minutos.

Retirar do forno e deixar arrefecer. Retirar as forminhas de papel e levar as tartes ao frigorífico.

Rendeu 18 mini tartes.