Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Qua | 30.04.14

que mimos

E porque as bananas estão em alta…

 

Bananas Caramelizadas

 

 

2 bananas

1 colher de sopa de açúcar amarelo

1 colher de sopa de manteiga

 

Cortar as bananas em pedaços e passar pelo açúcar.

Aquecer a manteiga numa frigideira e alourar as bananas, abanando a frigideira de vez em quando, até ficarem caramelizadas.

Servir frio com uma bola de gelado.

 

Ter | 29.04.14

oh jamie!

No outro dia estava a ver um programa do Jamie Oliver chamado ‘Save with Jamie’ onde ele mostra como se podem ‘esticar’ algumas refeições com um produto base, que no caso desse episódio era uma pá de porco assada.

Uma das coisas que fez ali num instantinho, deixou-me mesmo com vontade de experimentar porque a) tinha sobras de lombinho de porco assado congeladas; b) tinha um cesto de bambu para cozer a vapor aí há uns cinco anos que nunca tive desculpa para usar e c) porque não posso ver nada, ou como se costuma dizer: sou como o Zé da Carriça, tudo o que vê, tudo cobiça…

Basicamente por isso, fiz esta receita para um jantar de domingo!

 

Bolinhos de Porco (Pork Dumplings)

 

 

Sobras de carne assada (cerca de 250 grs)

1 malagueta fresca

Cebolinho

Coentros

300 grs de farinha

200 ml de leite

Sementes de sésamo (opcional)

Molho de soja

Molho de ostras

 

No robot de cozinha fazer uma massa com a farinha e o leite. Bastam uns segundos a rodar e fica a massa feita.

Polvilhar a bancada com farinha e dar uma ou duas amassadelas à massa (passe a redundância). Dividir em oito pedaços.

Numa taça misturar a carne desfiada (usei carne de porco assada) a malagueta picada sem as sementes, o cebolinho picado (ou uma cebola pequena em substituição), os coentros picados e uma colherada de molho de soja.

Pegar num dos bocados de massa e com as mãos estender de modo a ficar uma rodela larga, rechear com a mistura da carne e fechar a rodela da massa de modo a formar um bolinho, unindo as pontas. Fazer o mesmo com a restante massa e recheio.

Pôr um wok ou frigideira larga ao lume com água a ferver com um cesto de cozer a vapor, pôr os pãezinhos lá dentro e tapar. Deixar cozer por cerca de 15 minutos e polvilhar com as sementes de sésamo.

Servir com os molhos de ostra e de soja e com umas folhas de alface, de coentros, rúcula, etc.

 

Seg | 28.04.14

isso não se diz!

Acho que o nome não tão politicamente correcto deste prato é uma corruptela de espinheta de bacalhau.

Não sei se é mas seja como for faz parte da nossa tradição gastronómica, chamem-lhe o que chamarem.

 

Punheta de Bacalhau 

 

1 posta de bacalhau demolhada

1 cebola

1 dente de alho

Azeite

Vinagre

Salsa

Pimenta moída na altura

 

Desfiar o bacalhau e descartar peles e espinhas.

Cortar a cebola em meias luas finas e picar finamente o dente de alho.

Misturar bem e adicionar também folhas de salsa. Temperar com azeite e vinagre e com a pimenta.

Servir com broa ou pão rústico e azeitonas.

 

 

Qui | 24.04.14

fruta da época

É aproveitar agora que ainda andam por aí, e a muito bom preço.

 

Cheesecake de Morango 

 

 

200 grs de bolachas

50 grs de manteiga

200 grs de queijo creme

200 grs de iogurte grego natural

100 grs de açúcar

3 folhas de gelatina

100 grs de compota de morango

Morangos frescos (opcional)

Folhas de menta (opcional)

 

Triturar as bolachas com a manteiga até ficar a parecer areia molhada.

Espalhar no fundo de uma forma de tarte.

Demolhar as folhas de gelatina em água fria por uns minutos. Escorrer e derreter em duas colheres de sopa de água a ferver.

Numa taça bater o queijo creme com o iogurte e o açúcar. Adicionar as folhas de gelatina derretidas e a compota de morango.

Deitar esta mistura sobre a base de bolacha e levar ao frio até ficar firme ou ao congelador por uma hora.

Servir com morangos frescos e folhas de menta.

 

Qua | 23.04.14

perishable thoughts...

Nunca apanhei espargos… é verdade, até já posso ter passado por eles, silvestres, selvagens, bravos, o que lhes quiserem chamar, mas nunca os apanhei. E tenho pena. Acho que deve ser uma espécie de terapia, devem ser procurados sem pressas, com muito vagar, pois são propensos a passarem despercebidos no meio da natureza. Deve ser por isso que nunca os vi.

Mas já os comi, silvestres, selvagens, bravos, como estes que vieram direitinhos de Torre de Moncorvo por mão amiga e foram direitinhos para uma sertã de ovos mexidos. Como manda a lei!

 

Espargos Bravos 

 

 

Qui | 17.04.14

Boa Páscoa!

Uma sobremesa rápida, faz-se entre duas amassadelas na massa dos folares e além disso é levezinha, a contrastar com as amêndoas de todos os feitios e qualidades que se vão de certeza comer por estes dias. Além de tudo o mais...

Há que celebrar e nada melhor para celebrar do que comer!

 

Mousse de Morango

 

 

500 grs de morangos

1 requeijão

100 grs de açúcar

3 folhas de gelatina

 

Triturar os morangos com o requeijão e o açúcar. Pode ser na picadora ou com a varinha mágica.

Demolhar as folhas de gelatina numa tigela com água fria por cinco minutos. Escorrer e misturar com duas colheres de sopa de água a ferver para dissolverem.

Misturar as folhas de gelatina dissolvidas na mistura dos morangos e deitar em taças. Levar ao frigorífico por duas horas no mínimo.

 

Nota: Usei requeijão de cabra, o contraste de sabores ficou excelente!

 

Qua | 16.04.14

a calhar

O mítico Chefe Silva era, à época, um verdadeiro mestre. Esta é uma das suas velhas receitas, adaptada ao meu jeito.

 

Coelho à Padeiro 

 

 

½ coelho grande cortado em pedaços

4 fatias de carne defumada

2 dentes de alho

1 folha de louro

raminhos de carqueja

1 raminho de salsa

1 colher de chá de colorau

1 copo de vinho branco

1 copo de água

Piri-piri q.b

Sal q.b.

Azeite q.b.

Cebolas e batatas novas

 

Numa tigela misturar o vinho, a água, o colorau, a salsa, o louro, os alhos, a carqueja, o sal e o piri-piri e cobre-se o coelho com esta marinada por umas horas ou de um dia para o outro.

Num tabuleiro põe-se o coelho e a marinada e por cima vertem-se umas goladas de azeite.

Cobrem-se os bocados de coelho com a carne defumada e à volta dispõem-se algumas batatas e cebolas novas cortadas em quartos.

Leva-se ao forno tapado com papel de alumínio por cerca de uma hora. Ao fim deste tempo retira-se o papel e deixa-se no forno por mais 30 minutos. Se necessário acrescentar mais um pouco de água para manter o molho.

 

Ter | 15.04.14

viva caribe

Agora que sou uma orgulhosa produtora de cogumelos para consumo caseiro, não me param!

Para fazer este prato usei um pó de caril que me deram e que é da Jamaica. {#emotions_dlg.wasted}

Aquando da abolição da escravatura pelos ingleses nas suas colónias começaram a chegar como mão-de-obra barata muitos Indianos a estas paragens. Com eles trouxeram os caris que foram adaptando a estas latitudes e especiarias.

Embora diferente do meu preferido de sempre, o caril Indiano, este também é muito bom.

 

Caril das Caraíbas com Cogumelos

 

1 cebola grande

2 dentes de alho

3 colheres de sopa de óleo de girassol

1 malagueta (opcional)

2 colheres de sopa de pó de caril

½ pimento vermelho

250 grs de cogumelos pleurotos

Água q.b.

 

Picar a cebola e os dentes de alho muito miudinhos (em alternativa picar na picadora para formar uma pasta).

Levar um tacho ao lume com o óleo e quando estiver quente adicionar a cebola e os alhos e alourar. Juntar o caril em pó e mexer.

Adicionar os cogumelos e o pimento e a malagueta cortados em quadradinhos, temperar de sal e deixar apurar. Juntar um pouco de água se não tiver molho nenhum (embora os cogumelos libertem bastante líquido).

Ao fim de quinze minutos a apurar está pronto a servir.

Servir com arroz basmati.

 

 

Seg | 14.04.14

são falsos!

Há quem adore couve-flor. Não é o meu caso mas como de vez em quando.

O que me afasta da couve é aquele cheiro que tem depois de cozida que não é o mais agradável de todos.

Mas quando vi esta receita, soube que teria que experimentar. E ainda bem que o fiz, é super fácil de fazer, rápida e agora que o pessoal quer aligeirar as comidas, é uma excelente sugestão.

Desta vez fiz a versão corta-mato mas para a próxima farei a versão completa.

 

'Cuscuz' de Couve-Flor 

 

 

1 couve-flor pequena

2 colheres de sopa de azeite

1 pitada de açafrão das Índias

1 colher de sopa de sultanas

1 colher de sopa de pinhões

Sal e pimenta q.b.

Sementes de sésamo (opcional)

 

Separar os raminhos da couve-flor e lavá-los bem.

Na picadora, picam-se os raminhos de couve flor até ficarem a parecer cuscuz, com cuidado para não ficar uma pasta.

Leva-se o azeite ao lume numa frigideira e frita-se a couve-flor picada por uns cinco minutos, mexendo para não queimar. Acrescentam-se os restantes ingredientes, envolvem-se bem e deixa-se ao lume mais dois minutos.

Pode-se servir quente ou frio, polvilhado com sementes de sésamo.

 

Sex | 11.04.14

para o fim de semana

Perdida a conta às receitas de bolo de banana que já experimentei, esta é mais uma. E ficou mesmo boa!

A marcar porque tão cedo talvez não experimente outra.

 

Bolo de Banana e Noz

 

 

1 copo de farinha de trigo integral

1 copo de farinha de trigo com fermento

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 pitada de sal

¾ de copo de açúcar amarelo

1/3 de copo de óleo de girassol

2 ovos grandes

2 bananas maduras esmagadas

1/3 de copo de iogurte natural

½ copo de nozes picadas

 

Numa taça juntar as farinhas com o bicarbonato de sódio, o sal e o açúcar.

À parte juntar o óleo com os ovos, as bananas e o iogurte.

Juntar as duas misturas e mexer até não se ver farinha seca mas sem mexer demais, pode ser com um garfo.

Envolver as nozes na massa e deitar numa forma de bolo inglês untada.

Levar ao forno por cerca de 45 minutos, convém verificar a partir dos 30 minutos com um palito, mal saia seco no meio, está cozido.

Se necessário tapar com papel de alumínio a meio da cozedura para não queimar o topo.

 

Qua | 09.04.14

de trazer por casa...

Adoro cogumelos. Não é novidade, muitas das receitas daqui são com cogumelos.

Por isso nada melhor do que ter a minha própria produção dos ditos!

Foi através de uma colega que soube que era possível comprar estas coisas. Quando chegaram pousei o fardo sobre a lenha debaixo de um telheiro e esqueci-me, literalmente, deles.

Ao fim de três semanas já tinha uns pequeninos a espreitar e passados mais uns dias já estavam prontos a cortar, o primeiro cacho que tirei foi este com 906 gramas!

 

Cogumelos Pleurotus

 

no início era assim 

 

 

ao fim de 3 semanas

 

ao fim de um mês e três dias!

 

Ter | 08.04.14

coisas simples

Não é necessário ter o frigorífico cheio de coisas para fazer uma tarte, ou várias tarteletes, bem saborosas e apetecíveis.

Com cebola ou alho francês ou curgetes ou espargos, há muitas coisas que fazem uma tarte excelente.

Depois o resto são acessórios: não há pistachos? Usam-se nozes. Ou amêndoas, ou mesmo pevides de abóbora ou sementes de girassol.

O que é preciso é imaginação já que a vontade de comer anda sempre por perto {#emotions_dlg.sarcastic}

 

Tartelete de Cebola e Pistachos

 

 

2 cebolas grandes

2 colheres de sopa de azeite

100 grs de queijo Feta

50 grs de pistachos

3 ovos

1 dl de leite

1 iogurte grego natural

Sal e pimenta preta

1 base de massa folhada

 

Cortar a cebola em meias luas finas.

Numa sertã alourar a cebola no azeite por cerca de 10 minutos, até estar acastanhada.

Estender a massa numa tarteira grande ou em quatro formas de tartelete. Por cima espalhar a cebola. Por cima da cebola esfarela-se o queijo Feta.

Numa taça batem-se os ovos com o leite e as natas. Tempera-se de sal e pimenta a gosto e deita-se por cima das cebolas. Polvilha-se com os pistachos grosseiramente picados e leva-se a forno médio por cerca de 25 a 30 minutos.

 

Nota: Quem preferir um sabor menos ácido deve substituir o iogurte por natas na mesma proporção

 

Seg | 07.04.14

colorida

Uma maneira diferente de apresentar os vegetais.

Mais colorida e artística (aham…)

 

Vegetais assados

 

(antes de ir ao forno)

 

1 beringela

1 curgete

1 batata doce

1 tomate

1 alho francês

1 dente de alho

Sal e pimenta q.b.

Azeite q.b.

Raminhos de tomilho fresco 

 

Cortar a beringela, curgete, batata doce e tomate em rodelas muito finas. Se a beringela for larga, pode-se cortar ao meio.

Cortar o alho francês ao alto em tiras e picar o dente de alho.

Numa forma redonda, colocar as fatias dos vegetais de maneira a ficarem com a casca para cima, vão-se pondo encostados uns aos outros de modo a preencher todo o espaço da forma.

Por cima salpicam-se com o dente de alho picado e com sal e pimenta moída de fresco e os raminhos de tomilho. Deita-se azeite num fio fino sobre os vegetais e leva-se a forno quente por cerca de 45 minutos.

É excelente como acompanhamento de carnes grelhadas.

 

Sex | 04.04.14

ainda?

Abril. Por esta altura noutros anos já apeteciam coisa mais frescas, mais coloridas, mais leves.

Mas este ano, este ano em que o inverno parece uma daquelas visitas chatas que não se enxergam e confundem a nossa simpatia e bom trato com: eh pá estes tipos gostam mesmo de receber!, este ano não.

Por isso mais um bolo de maçã. E aveia.

Inverno, vai buscar!!!

 

Bolo de Maçã e Aveia

 

 

Bolo

1 copo de aveia

1 copo de água quente

1 e ½ copos de farinha com fermento

2 colheres de chá de canela em pó

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 pitada de sal

1 copo de açúcar amarelo

1 copo de maçã cozida feita em puré

1/3 de copo de mel

2 ovos grandes

Cobertura

¼ de copo de manteiga

1/3 de copo de açúcar amarelo

¼ de copo de mel

½ copo de nozes ou amêndoas

 

Aquecer o forno a 180ºC.

Juntar a aveia com a água quente e reservar.

Numa taça misturar a farinha com a canela, o bicarbonato de sódio e o sal.

Noutra taça bater o puré de maçã, o mel, o açúcar amarelo e os ovos. Juntar a mistura de aveia e água (nesta altura é uma papa) e mexer bem. Adicionar metade da mistura de farinha e mexer, juntar a restante farinha e envolver bem sem deixar grumos.

Deitar num tabuleiro untado e levar ao forno por 40 minutos ou até estar cozido.

Retira-se do forno, deixa-se arrefecer ligeiramente e passa-se para um prato.

Entretanto leva-se uma caçarola ao lume com os ingredientes da cobertura, deixa-se ferver por dois minutos e deita-se sobre o bolo.

 

Nota: Receita adaptada desta

Qui | 03.04.14

misturas boas

Gostei mesmo do aspecto desta receita. Tanto que experimentei logo que pude já que tenho alecrim em casa e acho que a mistura de alho, alecrim e raspa de limão não pode ser boa, tem que ser muito boa!

E é!

 

Lombinho de Porco assado

 

 

1 lombinho de porco (+ ou – 800 grs)

2 dentes de alho picados ou ralados

1 colher de sopa de alecrim fresco picado

1 colher de sopa de azeite + azeite para o tabuleiro

Raspa de um limão

Sal

Pimenta preta

 

No fundo de um tabuleiro deitar um bocadinho de azeite e por cima pôr o lombinho.

Numa tacinha misturar o alho, o alecrim, o azeite, raspa de limão, sal e pimenta. Espalhar esta mistura sobre o lombinho de porco.

Levar a forno quente tapado com papel de alumínio por cerca de uma hora. Retirar o papel de alumínio e deixar alourar por mais 20 ou 30 minutos.

Se necessário, acrescentar um pouco de água no fundo do tabuleiro.

Servir com uma salada.

 

Nota: acrescentei umas batatas pequenas ao tabuleiro para assarem juntamente com o lombinho.

 

Ter | 01.04.14

coisas doces

Para adoçar a alma, para esconjurar o inverno, para alegrar os dias, para saborear...

 

Bolo de Lemon Curd

 

 

125 grs de iogurte grego natural

50 ml de óleo de girassol

2 ovos

125 grs de açúcar

200 grs de farinha

2 colheres de chá de fermento em pó

3 colheres de sopa de lemon curd 

 

Numa taça juntar a farinha e o fermento em pó.

Numa taça maior bater o o açúcar com o iogurte, o óleo e os ovos.

Adicionar a farinha e mexer. A esta massa juntar o lemon curd.

Deitar numa forma de bolo inglês untada com manteiga.

Levar a forno quente por cerca de 35 a 40 minutos. Verificar com um palito.

Deixar arrefecer por 10 minutos e desenformar.