Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Qui | 28.03.13

bolo pascal

Páscoa, ovinhos, coelhinhos, coelhinhos cenouras, cenouras bolo, bolo bom.

Pronto, convenceu-me!

 

Bolo de Cenoura

 

 

1 copo de açúcar amarelo

¾ de copo de óleo de girassol

¼ de copo de iogurte natural (usei grego)

3 ovos grandes

2 colheres de chá de extracto de baunilha (usei 1)

2 copos de farinha de trigo

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

2 colheres de chá de canela em pó

1 pitada de noz moscada

1 pitada de sal

2 copos de cenoura ralada finamente

½ copo de nozes picadas (opcional)

 

Cobertura

200 grs de queijo creme

2 colheres de sopa de açúcar amarelo

Metades de nozes

 

Aquecer o forno e untar uma forma redonda.

Bater o açúcar e o óleo. Adicionar o iogurte, os ovos um a um e a baunilha.

Numa taça misturar a farinha com o bicarbonato, a canela, a noz moscada e o sal.

Misturar a farinha com a mistura de ovos e óleo até envolver. Adicionar a cenoura ralada e as nozes. Deitar na forma e levar ao forno por cerca de 30 a 35 minutos. Verificar com um palito.

Retirar do forno e deixar arrefecer por uns minutos na forma. Desenformar e deixar arrefecer numa rede até estar completamente frio.

Bater o queijo creme com o açúcar amarelo e barrar topo do bolo com esta mistura. Enfeitar com metades de nozes.

 

A receita foi ligeiramente adaptada desta.

 

Qua | 27.03.13

para o jejum

Concordo com a mãe de uma amiga minha que diz que na Quaresma [e na vida], pecado é o que sai da boca e não o que entra…

Mas para quem estiver a fazer jejum, aqui está uma receita bem singela.

 

Filetes de Maruca Estufados

  

 

5 filetes de maruca

Sal q.b.

Sumo de um limão

Salsa picada

1 cebola picada

Azeite q.b.

1 colher de sopa de caril em pó

1 colher de sopa de farinha

400 ml de caldo de peixe

Salsa picada

 

Temperar os filetes com sal, sumo de limão e salsa picada. Reservar.

Numa frigideira alourar a cebola picada em azeite e juntar o caril e a farinha mexendo bem. Adicionar o caldo de peixe e deixar levantar fervura.

Dispor os filetes sobre este molho e deixar cozer por cerca de 15 minutos. Rectificar os temperos se necessário.

Servir com puré de batata e salada de beterraba.

 

Nota: podem ser usados outros filetes

 

Ter | 26.03.13

ao engano

Não digam que leva feijão, ninguém vai descobrir!

 

Queques de Cacau e Feijão Preto

 

 

1 copo de feijão preto cozido, escorrido

3 ovos grandes

½ copo de açúcar amarelo

3 colheres de sopa de cacau em pó

1 colher de chá de café instantâneo

1 colher de chá de extracto de baunilha

1 colher de chá de fermento em pó

Sumo e raspa de ½ laranja

1 pitada de sal

50 grs de chocolate negro partido em pedacinhos

 

Aquecer o forno e untar 12 forminhas (ou forrá-las com papel plissado) ou uma forma quadrada.

No liquidificador pulverizar todos os ingredientes à exccepção dos pedacinhos de chocolate. Manter a máquina a trabalhar por dois ou três minutos. A massa fica muito líquida, é normal.

Deitar a massa nas forminhas e no meio de cada põe-se uns bocadinhos de chocolate.

Levar ao forno por 20 minutos se a opção forem queques, 35 se for numa forma grande, até estar cozido.

 

Esta receita foi encontrada aqui.

 

Seg | 25.03.13

petiscos

Estas pataniscas de cebola são um petisco indiano. São ‘picantinhas’ e acompanham mesmo bem com uma cerveja gelada.

 

Pataniscas de Cebola [Onion Bhajis] 

 

 

2 cebolas

2 dentes de alho

1 pedaço de gengibre

½ colher de chá de açafrão das Índias

½ colher de chá de Garam Masala

1 colher de chá de piripiri

1 pitada de cominhos moídos

100 grs de farinha de grão de bico

60 ml de água

Sal

Óleo de girassol

 

Cortar as cebolas em meias luas e separar todas as fatias. Cortar os alhos em fatias muito finas e juntar às cebolas. Juntar todas as especiarias e a farinha de gão de bico. Mexer e adicionar a água e uma colher de sopa de óleo de girassol.

Aquecer um bocadinho de óleo de girassol (ou óleo vegetal) numa frigideira e fritar a mistura às colheradas até ficar dourado. Retirar para um prato com papel absorvente.

Pode ser servido quente ou frio.

 

Nota: A farinha de grão de bico pode ser substituída por farinha de trigo

 

Sex | 22.03.13

da tradição

A Sericaia é, segundo o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, um doce de origem alentejana feito com ovos, leite, farinha, açúcar e canela. Também é uma “iguaria fina de Malaca”.

Há outras versões que dizem que veio do Brasil, outras da Índia (daí Malaca) e outras que foi mesmo do Alentejo.

Seja este doce originário de onde for, é muito bom!

Esta receita foi-me dada por uma colega de trabalho.

 

Sericaia

 

 

Meio litro de leite

1 pau de canela

3 tiras de casca de limão

250 grs de açúcar

6 ovos (separar gemas das claras)

6 colheres de sopa de farinha

Canela em pó

 

Levar o leite ao lume até ferver com o pau de canela e a casca de limão.

Bater as gemas com o açúcar e a farinha. Adicionar o leite coado em fio, mexendo sempre.

Entretanto batem-se as claras em castelo e envolvem-se na mistura anterior.

Deita-se o preparado numa forma de barro untada com manteiga e polvilha-se de canela em pó.

Vai ao forno por cerca de 25 minutos, uma maneira de verificar se está pronto é quando apresenta rachas na superfície.

 

Nota: A Sericaia é normalmente servida acompanhada por Ameixas D’Elvas

 

Qui | 21.03.13

miniaturas

Aqui está um prato bem rápido de preparar e sempre varia dos peitos de frango grelhados.

A maçã ralada impede que os hambúrgueres fiquem secos.

Muito bom!

 

Mini-Burguers de Frango

 

 

2 peitos de frango

1 maçã ralada

1 dente de alho ralado

1 pedacinho de gengibre ralado

1 pitada de sal

1 pitada de coentros em pó

1 fatia de pão rijo ralado

1 colher de sopa de sementes de linhaça raladas (opcional)

Azeite para fritar

 

Picar os peitos de frango (cortei com uma faca muito afiada em pedacinhos muito pequeninos).

Misturar todos os ingredientes numa taça e moldar pequenos hambúrgueres espalmados.

Aquecer um pouquinho de azeite numa frigideira anti aderente (apenas o suficiente para engordurar a frigideira) e fritar os mini hambúrgueres até estarem douradinhos dos dois lados. 

Servir com arroz de grelos.

 

Qua | 20.03.13

Cool Gadgets

Toda a gente conhece as qualidades do gengibre quer na alimentação, quer na medicina onde é conhecido como “medicamento universal”.

Algumas das suas propriedades são: analgésico, anticoagulante, anti-inflamatório, anti-séptico entre outras nem sequer sei o que significam {#emotions_dlg.sarcastic}

 

Hoje não vamos falar disso mas sim da maneira mais fácil que existe de o descascar.

Sim, já toda a gente descascou gengibre com uma faca ou com um descascador, é parecido com descascar batatas mas sai uma data de pele.

A melhor maneira é usar uma colher. Sim, a colher da sopa! Por incrível que pareça (e de certeza há uma explicação toda xpto para isso) apenas retira a pele e o gengibre mantém toda a sua qualidade que não se perde nas cascas (imaginem quando se descascam batatas novas, apenas sai aquela pele fininha).

Por isso só temos que pegar na colher como se fosse uma faca e raspamos. E porque é que não o fazemos antes com uma faca perguntam vocês? Porque não é a mesma coisa. Experimentem, vá!

E depois é usar e abusar porque o gengibre faz bem, faz bem e faz bem. E é excelente para curar a ressaca! {#emotions_dlg.blink}

 

 

Ter | 19.03.13

que bom!

Quando vi esta receita quis logo experimentar.

E ainda bem, fica excelente e é uma maneira de gastar filetes de pescada sem ser os eternamente fritos. Uma maravilha!

 

Almondegas de Pescada 

 

 

400 grs de filetes de pescada

1 ovo

100 ml de leite

1 fatia grossa de pão rijo

3 dentes de alho picados

Sal q.b.

Farinha q.b.

Azeite q.b.

1 raminho de salsa picada

1 cebola picada

50 ml de vinho

500 ml de caldo de peixe

 

Demolhar o pão no leite. Reservar.

Cortar os filetes em tiras finas e depois em quadradinhos pequeninos. Juntar numa taça com o ovo, o pão demolhado no leite e escorrido, um dente de alho bem picadinho e uma pitada de sal. Moldar bolas do tamanho desejado e passar por farinha. Fritar em pouco azeite (ou óleo) apenas para alourar, dois ou três minutos. Reservar.

Num tacho leva-se a cebola e os restantes dentes de alho ao lume, a alourar em azeite. Junta-se o vinho e deixa-se evaporar. Adiciona-se a salsa e o caldo de peixe e dispõem-se a almondegas no fundo do tacho. Deixa-se cozinhar por dez a quinze minutos, de modo a que o molho reduza e engrosse um pouco.

Servir com puré, arroz branco ou com outro acompanhamento à escolha.

Estas foram acompanhadas de arroz de hortos.

 

Seg | 18.03.13

para entrada

Esta receita é facílima de fazer e nem sequer é preciso ter forno. Fica excelente feita no fogão e além de rápida é muito nutritiva.

Experimentem!

 

Cogumelos Portobello Recheados 

 

 

4 cogumelos Portobello médios

1 cebola picada

4 colheres de sopa de azeite

Salsa picada

1 colher de sopa de sultanas douradas

1 colher de sopa de miolo de avelã

4 colheres de sopa de miolo de pão fresco ralado

Pimenta moída

75 grs de queijo cabra Palhais

 

Retirar os pés aos cogumelos e picar.

Numa frigideira saltear a cebola com o azeite. Juntar os pés dos cogumelos picados, a salsa, as sultanas, o miolo de avelã e o miolo de pão e temperar com pimenta fresca moída.

Rechear os cogumelos com esta mistura e por cima espalhar o queijo esfarelado.

Colocar os cogumelos recheados na frigideira (pode ser a mesma) e levar a lume brando, tapado com folha de alumínio por 15 a 20 minutos.

Servir como entrada ou prato principal, acompanhado de legumes salteados.

 

Sex | 15.03.13

Bounty = fartura, graça, recompensa...

 

Nunca fui muito fã de chocolates ‘de aviário’ tipo Mars, Lion, KitKat, etc.

Excepto do chocolate de coco Bounty! Não como há muito mas adorava estes, eram mesmo uma perdição.

Lá teve que ser, quando descobri esta receita que adpatei ligeiramente…

 

Chocolates Bounty

 

 

1 lata de leite de coco

1 e ¾ de copo de coco ralado

2 ou 3 colheres de sopa de açúcar

1 pitada de sal

300 grs de chocolate negro

 

Retirar a parte cremosa da lata de leite de coco (se não a abanarmos, o líquido fica em baixo e o creme fica em cima, sendo o creme cerca de dois terços do conteúdo. Também ajuda se a lata estiver meia hora no congelador antes de se tirar o creme).

Numa taça misturar o creme de coco, o açúcar e o coco ralado com uma pitada de sal. Forrar um tabuleiro com papel de alumínio ou película aderente e deitar aí a mistura de coco. Espalhar bem (deve ficar com uma altura de um dedo) e levar ao frigorífico por umas horas.

Derreter o chocolate em banho-maria. Cortar quadrados ou retângulos da pasta de coco e passar cada um pelo chocolate derretido com a ajuda de dois garfos. Colocar numa travessa forrada com papel de ir ao forno (é mais fácil para retirar depois de solidificado).

 

Notas:

Usei metade de chocolate de cobertura e metade de chocolate com 70% de cacau.

Deu para 15 rectangulos.

 

Qui | 14.03.13

mostarda sem ser no nariz...

Para quem gosta de coelho {não é para todos!} esta é uma excelente maneira de o cozinhar.

E não chega ao nariz!!! 

 

Coelho com Mostarda 

 

 

1 coelho cortado em bocados

3 colheres de sopa de mostarda

2 cebolas

4 dentes de alho

1 folha de louro

Sal q.b.

½ copo de vinho branco

1 copo de água

Azeite q.b.

50 ml de natas

 

Barrar o coelho com a mostarda e deixar repousar.

Cortar as cebolas em meias luas finas e os dentes de alho em rodelas finas.

Num tacho colocar as cebolas, os dentes de alho, a folha de louro, o coelho, o sal, o vinho e a água. Deitar umas goladas de azeite e levar ao lume, tapado, até fervilhar. Baixar o lume e deixar cozer até o coelho estar tenro. Se necessário acrescentar mais um pouco de água ao longo da cozedura para manter o molho.

Quando o coelho estiver cozido, juntar as natas e mexer bem.

Servir com puré de batata e cenoura.

 

Nota: Usei mostarda da marca Cigalou, de que gosto muito (penso que é Intermarché)

 

Qua | 13.03.13

Cool Gadgets

 

Utensílios – outros usos

 

Adoro utensílios de cozinha, gosto de ver as novidades e por minha vontade tinha muitos mais do que os que tenho.

Mas na realidade compro muito poucos. A maioria, principalmente os mais ‘esquisitos’ foram ofertas. E alguns só existem mesmo para ocupar espaço porque a sua funcionalidade deixa muito a desejar. Mas a cavalo dado…

E depois há aqueles outros objectos que temos por casa e que parecem ter um função bem definida e de repente alguém nos chama a atenção para outras possíveis utilizações e nós: Ei! Não é que é verdade???

 

Por exemplo, quem usa lentes de contacto, sabe que em cada embalagem do líquido para as lentes vem uma caixinha para guardar as mesmas. Só que não estamos sempre a mudar de caixinhas e elas acabam por se acumular sem qualquer préstimo.

Mas isso acabou! Agora, uso algumas delas para transportar ervas e/ou especiarias para temperar os meus almoços portáteis.

Quando falei disto a uma colega ela arranjou logo outro uso: quando vai para formação noutra cidade e tem que ficar num hotel, em vez de levar as embalagens dos cremes da cara, dos olhos, etc, leva um bocadinho de creme de dia num lado, creme de noite no outro.

Como se costuma dizer, da discussão nasce a luz {#emotions_dlg.blink}

 

 

Outra coisa que é costume termos em casa são as toucas de banho, aquelas de plástico que nos dão nos hotéis. Nem sempre as usamos em casa mas podem muito bem dar jeito para tapar alguma coisa que está à espera de ser utilizada, seja uma salada, um pão a levedar, um doce, uma marinada [como neste caso].

 

 

Também estão muito na moda os pulverizadores de óleo ou azeite, existem à venda em muitas lojas da especialidade e alguns deles a preços de fazer corar. O meu custou 0,50€ e faz o mesmo efeito.

Uso-o para dosear a quantidade de óleo que deito numa frigideira, por exemplo, para pulverizar numa salada, para untar uma forma de bolo, etc.

 

 

Como veem, muitas vezes temos as coisas à mão, não sabemos é o que fazer com elas.

Claro que devem ser novas e nunca terem sido usadas nas suas ‘verdadeiras’ funções {#emotions_dlg.sarcastic}

 

Espero ter ajudado!

 

 

Ter | 12.03.13

rapidez & engenho

As noites durante a semana pedem jantares mais rápidos e leves mas nem por isso sensaborões! 

 

Esparguete com Presunto e Azeitonas 

 

 

Esparguete q.b.

1 cebola picada

Azeite q.b.

6 fatias finas de presunto

12 azeitonas pretas

3 tomates maduros

¼ de copo de vinho branco

Sal q.b.

Salsa picada

 

Cozer o esparguete em água abundante, temperada com sal.

Entretanto aloura-se a cebola no azeite. Juntam-se as azeitonas cortadas em pedaços e mexe-se. Seguidamente juntam-se os tomates cortados em dados (com a pele) e o vinho branco. Mexe-se e tempera-se de sal. Juntam-se as fatias de presunto e envolve-se com o esparguete cozido. Se necessário adicionar um pouco de água da cozedura da massa.

Servir polvilhado com salsa picada.

 

Seg | 11.03.13

queques salgados

O nome desta receita demora quase mais tempo a dizer do que a fazê-la!

A sério, super rápido e melhor ainda, super fácil.

Esta versão foi com alho francês e queijo de cabra Palhais mas pode ser com curgete, espinafres, queijo Feta, cogumelos, é mesmo à escolha do freguês.

 

Queques de Alho Francês e Queijo de Cabra 

 

 

1 copo de farinha

1 colher de chá de fermento em pó

½ copo de leite

¼ de copo de óleo

1 ovo

1 pitada de açúcar

1 pitada de sal

1 alho francês

2 colheres de sopa de azeite

50 grs de queijo de cabra

 

Cortar o alho francês em rodelas e saltear numa frigideira no azeite quente. Reservar.

Numa taça misturar a farinha, o fermento, o açúcar e o sal. Juntar o leite, óleo e ovo e mexer com um garfo. Adicionar o alho francês e o queijo esfarelado.

Deitar em seis forminhas untadas e levar a forno quente por cerca de 20 minutos.

Delicioso!

 

Sex | 08.03.13

para ir comendo

Este é um bolo de inverno, quente, aconchegante. Posto isto, tem aveia que é uma dos meus flocos favoritos, e gengibre.

Gengibre, já deu para perceber que gosto, gosto, gosto!

Este é um bolo típico do Yorkshire, em Inglaterra, e de certeza que já era conhecido na época do ‘Senhor dos Aneis’. De certeza!

 

Parkin

 

 

125 g de manteiga

125 g de golden syrup

125 g de melaço

125 g de açúcar

250g de farinha

250 grs de flocos de aveia

1 pitada de sal

4 colheres de chá de gengibre em pó

2 colheres de chá de canela em pó

1 pitada de noz moscada ralada

1 colher de chá de bicarbonato de soda

1 ovo batido

 

Aquecer o forno a 150ºC. Forrar um tabuleiro com papel de ir ao forno.

Num tachinho põe-se a manteiga, o golden syrup, o melaço e o açúcar e leva-se a lume brando até derreter e dissolver o açúcar.

Numa taça mistura-se a farinha, aveia, sal, bicarbonato, gengibre, noz moscada e canela.

Fazer um buraco no meio e deitar aí a manteiga e restantes ingredientes derretidos. Mexer bem e adicionar o ovo batido. Se a massa estiver muito seca pode-se juntar uma ou duas colheres de leite.

Deitar na forma forrada e levar ao forno por cerca de 50 minutos a uma hora.

Deixar arrefecer antes de cortar em quadrados.

Guardar numa lata forrada com papel de ir ao forno.

 

Notas:

  • Este bolo deve ser feito com alguma antecedência pois apura o sabor com o passar do tempo.
  • O Golden Syrup é um produto que se obtém na refinação da cana de açúcar. Embora de sabor muito distinto, pode ser substituído por mel nas receitas pois a sua textura é idêntica.

 

Qua | 06.03.13

no micro-ondas???

Esta receita é uma daquelas que toda a gente deve ter, toda a gente que gosta de biscoitos, pelo menos. E deve estar sempre à mão quando temos mesmo, mesmo que comer uns biscoitinhos e a lata está vazia…

Ficam muito bons e a receita foi ‘roubada’ do blogue Frango do Campo.

Aqui está ela!

 

Biscoitos de Chocolate (no Micro-ondas) 

 

 

1 copo de farinha
1/4 de copo de açúcar amarelo
1 ovo
1 pitada de sal
1 colher de sopa de chocolate em pó
1 colher de sopa de manteiga amolecida

Numa tigela misture a farinha, o açúcar, o sal, o chocolate em pó, a manteiga e por fim o ovo.
Misture bem (se for necessário acrescente um pouco de leite para diluir, eu não precisei).
Com as mãos forme pequenas bolinhas achatadas e coloque num prato barrado com manteiga. Deu 15 biscoitos generosos.
Leve ao micro-ondas cerca de 5 minutos, parando de minuto a minuto e deixando "repousar" uns 20 segundos.
Deixar arrefecer uns minutos para que fiquem durinhas e estaladiças.

 

Nota: usei Becel Cozinha em vez de manteiga

 

Ter | 05.03.13

mas que espelta!

Se de repente precisarmos de um pão para o jantar, há opções rápidas que não envolvem nem a máquina de fazer pão, nem amassar loucamente, nem esperar horas para que levede…

Pode-se sempre fazer um pão rápido de bicarbonato de sódio, também conhecido por Irish Soda Bread.

Esta versão foi feita com farinha de espelta que tem um sabor muito agradável, a frutos secos.

 

Pão Rápido de Espelta

 

 

150 grs de farinha de espelta

100 grs de farinha de trigo integral

3 colheres de sopa de sementes de linhaça moídas

1 pitada de sal

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 copo de leite

1 colher de chá de mel

2 colheres de sopa de azeite

1 colher de chá de sumo de limão

Sementes para polvilhar (opcional)

 

Aquecer o forno a 180ºC.

Numa taça misturam-se as farinhas com a linhaça, sal e bicarbonato de sódio.

Noutra taça mistura-se o leite com o mel, o azeite e o sumo de limão.

Deitar esta mistura sobre as farinhas e mexer até não se ver farinha.

Retirar esta massa da taça e moldar uma bola (se necessário enfarinhar as mãos).

Colocar num tabuleiro enfarinhado e com uma faca fazer uma cruz na massa. Pincelar com leite e polvilhar com sementes (de sésamo, girassol, etc).

Levar ao forno por 25 minutos, depois baixar o lume para 160ºC e cozer por mais uns dez minutos.

Deixar arrefecer e servir. Pode ser torrado no dia seguinte.

 

Nota: A farinha de espelta pode ser encontrada em lojas de produtos naturais ou em hipermercados

 

Sex | 01.03.13

pavlovinhas

Meus amores e minhas amoras, é só para dizer que a Belita também já está no Facebook.

Vejam ali ao lado a ligação e ‘amiguem-se’ se quiserem.

 

Posto isto, ainda bem que é sexta-feira.

Cá está um doce!

 

Mini Pavlovas 

 

 

3 claras

150 grs de açúcar

1 colher de chá de farinha Maizena

1 colher de chá de vinagre

8 colheres de sopa de iogurte grego

2 colheres de sopa de açúcar em pó

4 colheres de sopa de doce de cereja

Açúcar em pó para polvilhar (opcional)

 

Bater as claras em castelo. Adicionar o açúcar continuando a bater as claras, adicionar também a farinha Maizena e por fim o vinagre, sem parar de bater.

Fazer 4 montes de claras batidas num tabuleiro forrado com papel vegetal. Alisar o topo de modo a ficar com espaço para colocar o recheio mais tarde.

Levar ao forno a 120ºC por cerca de quarenta minutos. Desligar o forno e deixar arrefecer sem retirar as pavlovas (como fiz à noite, deixei até ao dia seguinte).

Bater o iogurte com o açúcar em pó e dividir pelas pavlovas. Por cima deitar o doce de cereja e polvilhar com açúcar em pó imediatamente antes de servir.

 

Nota: Pode ser usado outro doce qualquer ou mesmo fazer uma compota rápida de frutos vermelhos com um pouquinho de açúcar