Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Sex | 29.06.12

agora os frascos

Nos Estados Unidos está muito na moda servir comida em frascos, daqueles de compota. A ideia é engraçada e sempre varia das taças ou copos e acaba por dar uma apresentação mais terra-a-terra do que as que são feitas em copos de vinho, de pé alto, que parecem coisa de estrela Michelin...

Esta receita deu para quatro frascos e foi a primeira vez que usei os frascos sem ser para guardar compotas.

Parece que daqui para a frente se apresentam inúmeras possibilidades, doces, salgadas, de bebidas. Pelo menos enquanto os frascos não tiverem que ser usados na sua real função que é guardar as compotas para o inverno.

 

Sobremesa de Fisális e Requeijão

 

 

100 grs de fisális (também conhecidas como tomatinhos de capucho)

2 colheres de sopa de açúcar amarelo

2 colheres de sopa de Moscatel

 

1 requeijão de cabra

6 colheres de sopa de iogurte grego

2 colheres de sopa de açúcar em pó

1 colher de sopa de água de flor de laranjeira

Bolachas de manteiga (usei Palets Bretons)

 

Cortam-se as bagas de fisális ao meio e numa caçarola juntam-se ao açúcar amarelo e ao moscatel. Levam-se ao lume e deixam-se cozinhar por cinco minutos. Mexer para não pegar.

Esmigalham-se as bolachas (podem-se usar as que se quiserem mas devem ser bem doces para contrastar com a acidez das fisális). Para esmigalhar as bolachas ou se põem no robot de cozinha ou então num saco de plástico que se bate com o martelo da carne (é muito relaxante esta operação...).

Numa taça mistura-se o requeijão com o iogurte grego e o açúcar em pó. Adiciona-se a água de flor de laranjeira e mexe-se bem.

Dividem-se os ingredientes por quatro copos, taças ou frascos começando com a bolacha ralada, por cima as fisális e por cima o creme de requeijão.

Leva-se ao frio durante uma ou duas horas.

Enfeitar com fisális ao natural.

 

 

Notas:

as fisális (Physalis) têm propriedades anti-inflamatórias, antialérgicas e anticancerígenas, entre outros benefícios para a saúde

a planta pode ser uma praga, crescendo por todo o lado e onde menos se espera, mas os frutos que dá compensam essa sua independência

 

Qui | 28.06.12

Olé!!!

Não os comemos mas podemos comer as comidas deles {#emotions_dlg.blink}

Aqui estão algumas receitas que quedaron muy ricas!!!

 

Polvo à Feira (Polbo a Feira)

 

 

1 polvo pequeno

Sal grosso

Azeite

Pimentão em pó

 

Cozer o polvo na panela de pressão com um pouco de água durante 25 minutos logo que comece a ferver.

Retirar da panela, escorrer e cortar em rodelas. Salpicar com uma pitada de sal grosso.

Temperar com azeite e polvilhar com pimentão em pó.

 

Batatas com molho Alioli (Patatas Alioli)

 

 

 

4 batatas

1 ovo

Sumo de 1 limão grande

1 dente de alho grande

Óleo de girassol

Cebolinho

 

Cozer as batatas em rodelas. Escorrer a água e reservar.

Num copo misturador faz-se o molho Alioli: põe-se o ovo, o dente de alho, o sumo de um limão e óleo. Com a varinha mágica emulsiona-se de modo a ficar um molho mais líquido do que a maionese. Se necessário junta-se mais sumo de limão.

Envolvem-se as batatas no molho e polvilham-se com cebolinho cortado às rodelas.

 

Pão com Tomate (Pa amb tomaquet)

 

 

 

1 baguete

1 dente de alho

Azeite q.b.

1 tomate

Orégãos

 

Retirar as sementes ao tomate e ralar para ficar uma polpa. Descartar a pele.

Cortar a baguete em fatias e torrar ligeiramente.

Raspar o dente de alho nas tostas.

Servir as tostas com o tomate polvilhadas com os orégãos.

 

Nota: Regar com Sangria!

 

Qua | 27.06.12

perishable thoughts

As hortênsias (ou hidranjas ou igrejeiras) são das flores que prefiro e normalmente por esta altura veem-se por todo o lado. Mas gosto delas quando têm esta cor, porque quando são mais cor de rosa já não lhes acho tanta piada.

Em tempos comprei um vaso com hortênsias roxas como estas mas ao fim de algum tempo no meu quintal (sem ser no vaso, claro) passaram a dar flores cor de rosa clarinhas…

Parece que tem a ver com a composição do solo, se é mais ácido ou mais alcalino. Na zona de Sever do Vouga (de onde estas vieram) são quase todas desta cor e no Minho então, são azul turquesa. Como as adoro!!!

 

 

 

Ter | 26.06.12

abriu a época das saladas

Ui, agora que as alfaces estão todas a querer ganhar o campeonato de qual delas é a que espiga primeiro, está na altura de as apanhar e gastar muito rapidinho.

E para isso, nada como estas saladas, misturas de texturas e sabores, que acabam por fazer refeições excelentes e muito nutritivas.

Óptimas para substituir as sopas do inverno.

 

Salada com Camarão

 

 

 

Marinada

200 grs de camarão

Sumo de um limão

1 alho picado

1 pedaço de gengibre picado

1 colher de chá de coentros em pó

1 colher de chá de pó de chili ou piripiri

 

Alface

Rúcula

Acelgas

Cebolinha

Cebola roxa

Azeitonas

Alperces

Amêndoas em lascas

Sal q.b.

Vinagre

Azeite

 

Marinar o camarão nos ingredientes da marinada e reservar.

Preparar a salada numa travessa ou saladeira grande: alface acelga, rúcula (ou rúpla, como diz a minha Mãe {#emotions_dlg.sarcastic} ) a cebolinha cortada em rodelas, a cebola cortada em meias luas e as azeitonas.

Numa frigideira aquece-se uma colher de azeite e salteiam-se os camarões por uns minutos até estarem cozinhados. É muito rápido, quatro ou cinco minutos. Retiram-se da frigideira e deixam-se arrefecer. Deita-se o resto da marinada na frigideira e ferve-se até evaporar a maior parte. Adicionam-se os alperces cortados em bocadinhos e as amêndoas laminadas e deixa-se fritar por um minuto ou dois.

Retira-se do lume e junta-se vinagre e azeite e mexe-se bem. Este vai ser o molho da salada.

Por cima das alfaces e restante mistura de verduras dispõem-se os camarões e por cima de tudo espalham-se os alperces, amêndoas e molho.

Servir com maionese para quem quiser ou assim para uma salada mais leve.

 

Nota: não se deixem assustar pela lista dos ingredientes

 

Seg | 25.06.12

almoços portáteis #9

Esta é mesmo uma salada de aproveitamento mas que ficou tão boa que não me importava de passar a vida a comer disto. E não sou arrozeira!!!

O ovo, que quase não se nota, é caseiro como os outros que normalmente uso e que são tão amarelos que até ferem a vista. O que me leva a crer, numa quase científica certeza, que os ovos também podem ser albinos… digo eu…

 

Salada de Arroz Frito 

 

 

 

1 ovo

1 colher de sopa de azeite

1 copo de arroz cozido

3 fatias de fiambre de frango

2 colheres de sopa de queijo Feta esfarelado

4 hastes de cebolinho

 

Aquecer o azeite numa frigideira. Juntar o ovo e mexer para ficar ovo mexido. Adicionar o arroz cozido e o fiambre cortado em quadradinhos e mexer. Juntar o queijo esfarelado e o cebolinho em rodelinhas fininhas e envolver.

Servir quente ou frio.

 

Nota: Usei arroz basmati

 

Sex | 22.06.12

oh cherry oh cherry oh baby

Este ano já devo ter comido mais cerejas até agora do que é costume. Atenção, não me estou a aqueixar, adoro cerejas, mas adoro mesmo, tanto que nem quero estragar nada da sua maravilhosidade (e acho que isto nem sequer é uma palavra!) por isso como-as como elas são, à mão cheia, umas atrás das outras.

Mas este ano, em que me deram muitas, muitas mesmo, até deu para experimentar num bolo, daqueles rapidinhos e que se podem comer sem complexos de culpa. Afinal, a época das cerejas é muito curta para essas coisas…

 

Bolo de Cerejas 

 

 

 

2 copos de farinha com fermento

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 pitada de sal

1 copo de açúcar

2 ovos

½ copo de óleo

1 colher de chá de baunilha

½ copo de leite com uma colher de chá de vinagre

4 colheres de sopa de amêndoa em lascas

1 copo de cerejas

 

Mistura a farinha com o bicarbonato e o sal numa taça e reservar.

Noutra taça bate-se o açúcar, os ovos, o óleo e a baunilha.

Junta-se a este creme a mistura da farinha alternadamente com o leite e vinagre mexendo para não formar grumos.

Adicionam-se as cerejas cortadas ao meio e sem caroço e as amêndoas laminadas.

Deita-se a massa em forma untada e vai ao forno por meia hora mais ou menos.

Desenformar e deixar arrefecer.

 

Qui | 21.06.12

não perca esta...

 

Um peixe que é excelente para levar ao forno.

 

Perca do Nilo Assada no Forno

 

 

4 postas de perca do Nilo

1 cebola grande

4 dentes de alho

Rodelas finas de limão

Raminhos de salsa

Orégãos

Sal

Piri-piri

½ copo de vinho

½ copo de água (ou caldo de peixe)

½ copo de azeite

Batatas com uma cozedura de 10 minutos

 

Cortar a cebola em rodelas e os alhos em palitos.

Põem-se no fundo de um tabuleiro e por cima dispõem-se as postas de peixe, as rodelas de limão e os raminhos de salsa. À volta dispõem-se as batatas escorridas. Polvilha-se tudo com sal, piri-piri e orégãos. Por cima deita-se o vinho, a água e o azeite.

Vai ao forno por 30 minutos. Se necessário junta-se mais água (ou caldo de peixe) para manter o molho.

 

Ter | 19.06.12

mostarda em pó

Desde que descobri a mostarda em pó, não quero outra coisa! Um sabor muito diferente do que tem a mostarda preparada e que se pode usar em várias receitas.

A mostarda começou por ser um preparado usado pelos antigos Romanos no tratamento de constipações. Misturavam as sementes da mostarda esmagadas com mosto e chamavam-lhe mustum ardens.

Actualmente é utilizada globalmente e a mais forte é a mostarda inglesa que usa as sementes castanhas.

Se puderem, comprem um pacotinho e verão que faz muita diferença da mostarda que utilizamos já preparada.

 

Tirinhas de Vitela Com Mostarda e Cogumelos

 

 

 

1 cebola picada

2 colheres de sopa de azeite

2 bifes de vitela cortados em tirinhas finas

1 colher de chá de mostarda em pó

1 colher de chá de coentros em pó

1 colher de chá de piri-piri

Sal q.b.

250 grs de cogumelos fatiados

1 dl de natas

 

Alourar a cebola no azeite, juntar as tirinhas de vitela e polvilhar com a mostarda, os coentros, o piri-piri e o sal. Mexer e deixar fritar por cinco minutos em lume médio. Adicionar os cogumelos fatiados e envolver, deixar cozer por mais cinco minutos. Se necessário adicionar um pouco de água para manter o molho. Rectificar os temperos se juntar água. Adicionar as natas e envolver bem.

Servir com um arroz solto, pode ser arroz de Passas e Amêndoas.

 

 

Seg | 18.06.12

vá, mais uma

Eu sei que há pessoas que não gostam de atum (a minha Mãe, por exemplo) mas que não consigo compreender, lá isso, não consigo…

O que é que há para não gostar em atum? Para mim é o frango do mar. Dá para fazer de tudo!!!

 

Arroz de Atum e Alho Francês

 

 

1 cebola pequena

1 alho francês

2 colheres de sopa de azeite

1 colher de chá de piri-piri

1 tomate grande pelado (ou de lata, 200 grs)

1 lata de atum

1 copo de arroz

Sal

Coentros picados

Água a ferver, q.b.

 

Cortar a cebola em meias luas e o alho francês em rodelas.

Alourar a cebola e o alho francês no azeite com um pouco do azeite ou óleo da lata do atum. Adicionar o arroz e mexer. Juntar o atum e o tomate, temperar com um pouquinho de sal e mexer para não pegar. Ir acrescentando água a ferver, aos poucos, mexendo sempre e à medida que vai evaporando vai-se juntando mais, cerca de um litro no total para que o arroz fique com um molho cremoso.

Polvilhar com coentros picados e servir malandrinho.

 

Sex | 15.06.12

bolo de mirtilos

Não tarda nada está na altura de haver mirtilos fresquinhos e ainda tinha para acabar de gastar uma mão cheia deles no congelador. Sempre à espera da receita ideal, o tempo lá foi passando até que numa arrumação da arca pensei: é hoje!

Além de que tinha visto uma receita daquelas de que gosto, fáceis e que além disso podem ser alteradas ao nosso gosto, como por exemplo substituir a manteiga por óleo de girassol (sou uma obcecada em substituir manteiga por óleo nas receitas, torna tudo muito mais fácil…)

 

Bolo de Mirtilos

 

 

 

½ copo de óleo de girassol

Raspa de um limão

¾ de copo de açúcar

1 ovo

1 colher de chá de baunilha

2 copos de farinha

2 colheres de chá de fermento em pó

1 copo de mirtilos

½ copo de leite misturado com uma colher de chá de vinagre

1 colher de sopa de açúcar para polvilhar

 

Aquecer o forno a 180ºC (no meu ficou no médio) e polvilhar os mirtilos com ¼ de copo da farinha do bolo. Reservar.

Bater o óleo com a raspa do limão e o açúcar. Juntar o ovo e a baunilha e mexer bem.

Adicionar a farinha com o fermento alternadamente com o leite e vinagre e mexer. Juntar os mirtilos, envolver e deitar a massa numa forma untada (usei um pyrex quadrado). Polvilhar com a colher de sopa de açúcar e levar ao forno por cerca de meia hora. Retirar, deixar arrefecer e servir.

Fica um bolo muito fofo e leve.

 

Nota:  Os mirtilos podem ser frescos ou congelados

 

Qui | 14.06.12

outra vez?

Eu não passo a vida a comer coelho mas confesso que é uma carne que aprecio muito, apesar de nunca ter comprado coelho em talhos. Felizmente tenho uma vizinha que me arranja dos caseiros e que já vêm prontinhos a usar.

 

Coelho na Caçarola

 

 

 

1 coelho pequeno

1 cebola

6 dentes de alho

1 raminho de alecrim

1 raminho de carqueja

Sal

Pimenta preta

1 dl de vinho branco ou rosé

2 dl de azeite

2 colheres de sopa de mostarda

Batatas e batatas doces

 

No fundo da caçarola põe-se a cebola cortada às rodelas e os dentes de alho inteiros. Por cima põe-se o coelho inteiro ou cortado ao alto. As batatas e as batatas doces põem-se por cima, cortadas em quadrados grandes. Espalha-se o alecrim e a carqueja sobre os ingredientes e tempera-se de sal e pimenta moída.

Numa taça bate-se a mostarda com o vinho e o azeite e deita-se sobre o coelho e batatas. Vai ao forno por cerca de uma hora ou um pouco mais. No início tapa-se com papel de alumínio mas para o fim retira-se para alourar.

 

 

Qua | 13.06.12

de regresso à vida normal

Este doce de abóbora fica muito bonito, cristalino e é excelente para servir com requeijão à sobremesa.

Foi uma boa solução para gastar abóbora que já estava a ocupar espaço há muito tempo.

 

Doce de Abóbora com Baunilha, Limão e Cardamomo

 

 

1 kg de abóbora descascada

700 grs de açúcar granulado

1 vagem de baunilha aberta ao meio

Casca de um limão (6 tiras)

10 vagens de cardamomo

 

Cortar a abóbora em quadrados pequenos (cerca de 2cm) e pôr numa panela. Por cima deita-se o açúcar, a casca do limão, a vagem de baunilha e as vagens de cardamomo. Tapar e reservar por umas horas (duas ou três) ou até ao dia seguinte.

Levar ao lume até levantar fervura, depois baixar o lume e deixar ferver por cerca de uma hora, até ganhar ponto.

Retirar a baunilha, cascas de limão e o cardamomo e deitar em frascos esterilizados. Tapar ainda quente para formar vácuo.

 

Notas:

Usei abóbora que tinha congelada.

A vagem de baunilha pode ser passada por água e bem seca e guardar-se para outros usos. Eu guardo-a dentro do frasco onde guardo o açúcar que assim fica com aroma a baunilha.

 

Seg | 11.06.12

Ervilhas Tortas

A época das ervilhas tortas, ou de quebrar, já acabou, pelo menos na minha horta em que o leirão delas já deu lugar a um de feijão riscado e uma carreira de grão de bico para ver se é desta que o consigo criar.

Mas as ervilhas não se foram sem terem dado para algumas preparações embora na sua maioria fossem gastas a acompanhar peixe cozido.

Estas serviram para dar cor e sabor a uma salada já que mal começa o tempo a aquecer as saladas vêm em força substituir as sopas de inverno…

 

Salada de Frango com Ervilhas Tortas e Couve-Flor

 

 

1 coxa e pernas de frango desfiadas

1 mão cheia de ervilhas tortas

1 mão cheia de ramos de couve-flor

1 ovo

200 grs de massa (laçarotes ou outra)

1 talo de aipo

1 ramo de salsa

1 mão cheia de azeitonas

Pimenta preta

Molho feito com azeite e vinagre balsâmico

 

Cozer a massa e o ovo e quando estiverem a ferver há cinco minutos, juntam-se à panela as ervilhas tortas e a couve-flor.

Deixar cozer até a massa estar a gosto e escorrer. Passar por água fria até esfriar completamente ou apenas amornar, conforme a preferência. Descascar o ovo e cortar em quadradinhos.

Numa taça grande põe-se o aipo cortado em rodelas finas, a salsa picada, as azeitonas, o frango desfiado e restantes ingredientes. Temperar com pimenta acabada de moer e por cima deitar o molho.

 

Nota: usei frango que tinha assado mas pode ser cozido e podem ser acrescentados ingredientes como uvas passas, nozes ou sementes, etc.

 

Sex | 08.06.12

crumble mix

Para quem não aprecia morangos, este ano estou-lhes a dar com toda a vontade…

Mas também, com receitas maravilhosas como as que tenho encontrado, qualquer ingrediente é bom.

 

Crumble de Morangos

  

 

500 grs de morangos

50 grs de açúcar

25 grs de amêndoas raladas

Extracto de baunilha em pó

 

110 grs de farinha

1 colher de chá de fermento em pó

75 grs de manteiga bem fria

100 grs de amêndoas fatiadas

75 grs de açúcar demerara

 

Aquecer o forno a 200ºC.

Fatiar os morangos em fatias grossas e colocar no tabuleiro de ir ao forno, pyrex ou refractário. Por cima polvilha-se o açúcar, as amêndoas raladas e a baunilha. Abanar o tabuleiro para misturar os ingredientes ou mexer com uma colher.

Numa taça misturar com as pontas dos dedos a farinha e a manteiga até ficar uma mistura esfarelada (pode ser feito no robot de cozinha). Juntar as amêndoas e o açúcar com um garfo.

Espalhar esta mistura sobre os morangos numa camada não muito grossa. Levar ao forno por cerca de 30 minutos até o topo estar dourado e termos um molho vermelho a borbulhar sob a cobertura.

Servir morno ou frio, com natas, gelado ou ao natural.

 

Notas:

Usei uma mistura de morangos e ruibarbo

Usei uma mistura de farinha e flocos de aveia para a cobertura (70grs/30grs)

Usei açúcar mascavado em vez do açúcar demerara

 

Qui | 07.06.12

pops

Quando vi esta receita soube logo que tinha que a experimentar. Tão simples de fazer e a parecer muito bem, ainda por cima com os dois ingredientes principais mesmo à mão.

As minhas não foram tão enfeitadas mas ficaram também maravilhosas, muito boas a acompanhar um cafezinho após a refeição!

 

Bolas Bola(cha)s

 

 

 

200 grs de bolacha Digestive

100 grs de queijo creme (tipo Philadelphia)

Chocolate para derreter (negro e branco)

Leite q.b.

 

Ralar as bolachas ou então batê-las dentro de um saco com o rolo da massa ou o martelo da carne (excelente para desanuviar o mau feitio!).

Misturar o queijo creme e envolver muito bem de modo a ficar uma massa pegajosa. Colocar no frio por um bocado.

Derreter os chocolates em separado, juntando umas gotinhas de leite para não ficar tão grosso.

Moldar bolas de massa com as mãos e espetar um palito em cada. Passar as bolinhas pelo chocolate derretido e espetar na casca de meio limão ou laranja para secar.

Servir fresco.

 

Nota: Usei pauzinhos de espetadas em vez de palitos

 

Seg | 04.06.12

é o que apetece...

Às vezes apetece qualquer coisa leve ao jantar, que não seja tão leve como uma salada mas que também não seja tão complicada de fazer que nos tire a vontade. Esta receita de panquecas de batata foi o ideal, com umas ligeiras alterações e só tenho a dizer que para a próxima não faço só com duas batatas! Pois, era assim tão bom!

 

Pataniscas de Batatas

 

 

2 batatas grandes

Uma cebola pequena

1 dente de alho

1 pedacinho de gengibre (cerca de 2 cms)

1 ovo

Sal e pimenta

Ervas aromáticas

Óleo para fritar, pouco

 

Ralar as batatas e espremer o excesso de água. Deitar numa taça e juntar a cebola picada e o gengibre e alho também ralados. Adicionar o ovo e temperar com sal e pimenta.

Mexer bem e juntar as ervas escolhidas. Usei apenas endro mas pode ser com salsa, cebolinho, aipo, rosmaninho, tomilho, etc.

Aquecer óleo de girassol numa frigideira e fritar esta mistura às colheradas que se espalmam para parecer panquecas.

Servir quente ou frio com molho de iogurte.

 

Nota: para fazer o molho usei iogurte grego com raspa de limão e cebolinho picado.

 

Sex | 01.06.12

natinhas

Uma colega ofereceu-me um avental com uma receita de Pasteis de Nata. Este avental pertence a uma colecção que está à venda no Turismo de Portugal e além desta receita há outros com a receita das Pataniscas de Bacalhau, Caldo Verde, Queijadas de Sintra, etc.

A curiosidade, além das receitas estarem em português e em inglês, é que estão escritas ao contrário de maneira a que a pessoa que tem o avental posto só tenha que o levantar pelas pontas para ler a receita.

Foi assim que fiz para fazer estas belezas!

 

Pasteis de Nata

 

 

1 ¾ chávenas de leite gordo

¼ de chávena de natas

4 gemas

3 colheres de sopa de açúcar

2 colheres de sopa de farinha

1 pau de canela

Casca de um limão

1 colher de chá de extracto de baunilha

Sal q.b.

Massa folhada

 

Enrolar a massa num rolo e cortar 12 porções. Estender cada uma com o rolo da massa e forrar 12 formas de queque (aproveitar o papel que vem com a massa para pôr debaixo da massa e assim evitar ter que untar as forminhas). Guardar no frio.

Numa caçarola misturar o açúcar, a farinha, as gemas, as natas e o leite (usei meio-gordo). Mexer bem para não ficar com grumos, juntar a canela, baunilha (não usei) e casca de limão e levar ao lume mexendo sempre até engrossar.

Retirar casca de limão e canela em pau do creme e deitar sobre a massa folhada, nas formas de queque.

Levar ao forno por cerca de 20 minutos, até ficar com manchas douradas.

Servir quente ou frio polvilhado com canela em pó.

 

Nota: Medida da chávena = 2dl