Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Seg | 30.04.12

o grão

Eu sou fã incondicional de grão de bico! E quando a minha irmã no outro dia me disse que tinha feito esta sopa e que tinha ficado uma delícia, tive que experimentar também.

E ficou mesmo!!!

 

Sopa de Grão de Bico

 

 

1 frasco de grão cozido

1 cenoura grande (ou duas médias)

1 cebola

Sal q.b.

Água

 

Põe-se o grão numa panela depois de passado por água e escorrido. Junta-se a cenoura descascada e cortada em fatias finas (para cozer mais rápido). Põe-se água, cerca de um litro, na panela e tempera-se de sal.

Leva-se ao lume até ferver e depois baixa-se o lume e deixa-se cozer por 20 minutos.

Entretanto pica-se a cebola bem miudinha e reserva-se.

Passa-se a sopa com a varinha mágica até ficar aveludada e leva-se de volta ao lume com a cebola por cerca de 10 minutos, até a cebola estar cozida.

 

Nota: pode-se polvilhar com um bocadinho de colorau em pó ou servir com croutons para uma refeição ligeira

 

Sex | 27.04.12

mas o bolo é mesmo de quê?

A cerveja que mais aprecio é a cerveja preta, principalmente a Stout da Superbock.

O chocolate que mais aprecio é, sei lá, qualquer um, eu não sou esquisita…

Quando vi esta receita de bolo de cerveja preta com chocolate vi logo que não podia evitar experimentá-la porque iria contra os meus princípios que são: experimentar todas as receitas que me parecem bem.

E esta é uma delas!

 

Bolo de Cerveja Stout e Chocolate

 

 

1 cerveja Stout (cerveja preta)

100 grs de manteiga

75 grs de cacau em pó

1 copo de farinha de trigo

1 copo de farinha de trigo integral

1 copo de açúcar mascavado

1 e ½ colheres de chá de bicarbonato de sódio

1 pitada de sal

3 ovos grandes

1 e ½ copos de iogurte natural

½ copo de xarope de ácer (maple syrup)

 

Açúcar em pó para polvilhar (opcional)

 

Ferver a cerveja até reduzir para 1 copo (cerca de 5 minutos ao lume após levantar fervura). Atenção que no início da fervura se não tivermos cuidado deita fora do fervedor pelo que mal comece a ferver deve-se baixar o lume.

Retirar do lume e juntar a manteiga mexendo para derreter. Depois juntar o cacau em pó e mexer bem para dissolver. Reservar mexendo de vez em quando para arrefecer.

Numa taça misturam-se as farinhas, o açúcar, o bicarbonato e o sal. Reservar.

Noutra taça batem-se os ovos com o iogurte e o xarope de ácer. Juntar a mistura de cerveja que entretanto está morna e mexer bem. Envolver a mistura das farinhas de maneira a ficar bem misturada mas sem bater demais.

Deitar numa forma previamente untada com manteiga e polvilhada de farinha. Levar ao forno por cerca de 40 minutos mas convém verificar antes, depende do forno. Quando estiver cozido (verificar com um palito) retira-se do forno e deixa-se estar por uns minutos na forma. Depois vira-se para uma rede para arrefecer.

Quando estiver frio polvilha-se com açúcar em pó.

 

Nota: O xarope de ácer (maple syrup) pode-se encontrar em lojas de produtos naturais

 

Qui | 26.04.12

surpresa!

Encontrei esta receita na revista Australian Good Taste (pág. 111). Tinha os ingredientes todos em casa excepto a couve chinesa e tive que fazê-la logo que comprei a couve. Ficou muito boa, apenas substitui o caju por pistachos e acrescentei o molho de soja porque combina bem, embora não estivesse na receita original.

 

Surpresa de Sésamo

 

 

250 grs massa chinesa (noodles)

250 grs de bife em tirinhas

2 cebolas roxas cortadas em meias luas largas

2 colheres de chá de gengibre ralado

2 dentes de alho ralados

1 colher de chá de óleo de sésamo

1 mão cheia de couve chinesa em tiras

80 grs de caju tostado (usei pistachos)

125 ml de molho de ostra

Sementes de sésamo tostadas

Molho de soja q.b.

 

Cozer a massa, escorrer e reservar.

Tostar as sementes de sésamo numa frigideira antiaderente. Cuidado que têm tendência a saltar, como pipocas. Reservar.

Misturar o bife com o gengibre cebola e alho numa taça.

Aquecer o óleo no wok em lume quente até largar fumo. Juntar a mistura do bife. Deixar fritar e juntar a couve, mexer e adicionar a massa e os cajus e o molho de ostras. Fritar por mais uns minutos até tudo estar cozinhado.

Servir em taças e polvilhar com as sementes de sésamo tostadas e molho de soja.

 

Notas: pode-se juntar uma malagueta para dar picante.

A couve chinesa encontra-se à venda nos supermercados bem como o molho de ostras

 

Qua | 25.04.12

são flores

Gosto muito de experimentar receitas com sabores exóticos e vejo muitas do Médio Oriente e Marrocos, Tunísia, etc. que levam um ingrediente muito especial mas que ainda não encontrei à venda por cá.

Ora quando vi esta receita, não hesitei, até porque neste momento a minha laranjeira (e todas as outras que tenho visto) estão carregadinhas de flores, muitas mais do que as que vão transformar-se em laranjas. E no sábado de manhazinha, à chuva, lá andava eu a apanhar uma mão cheia dessas flores tão aromáticas.

Esta água fica com um aroma muito intenso às flores de que é feita e já experimentei umas gotas para aromatizar um chá verde e também uns pingos sobre uma salada de morangos bem maduros. Recomendo!

 

Água de Flor de Laranjeira

 

 

1 copo de botões e flores de laranjeira

1 copo de água destilada

 

Colocar as flores no recipiente plástico de uma cafeteira eléctrica, que deve estar forrado com um filtro em papel.

Ligar a máquina com a água destilada no reservatório e deixar correr sobre as flores. Voltar a repetir o processo mais uma ou duas vezes com a mesma água.

Guardar numa garrafa na despensa e usar conforme for necessário.

 

Nota: Pode ser usada em pastelaria, em saladas de frutas, em bebidas, etc.

 

 

as flores no recipiente da cafeteira eléctrica

 

 

aqui já a fazer o líquido precioso...

 

Ter | 24.04.12

delícia de cacau

Sobremesa muito rápida, fácil e deliciosa. Encontrei-a aqui mas como achei que tinha passos a mais e tira e mete da panela, optei por simplificar e ficou muito bom.

 

Pudim Escuro de Chocolate 

 

 

2 copos de leite

¼ de copo de natas

1/3 de copo de açúcar

3 colheres de sopa de cacau em pó

1 ovo batido

1 colher de chá de baunilha

1 pitada de sal

2 colheres de sopa bem cheias de farinha Maizena

100 grs de chocolate negro, em bocadinhos

 

Numa panela misturar o leite, as natas, o açúcar, a Maizena e o cacau. Mexer bem para não ficar com grumos (uma opção é juntar primeiro o açúcar, a Maizena e o cacau e só depois adicionar os líquidos). Juntar o ovo e a baunilha e bater bem.

Levar ao lume até engrossar mexendo sempre para que não pegue. Retirar do lume e juntar o chocolate partido em bocadinhos. Mexer muito bem para que fique derretido. Deitar em tacinhas e deixar arrefecer.

 

Seg | 23.04.12

empadões

Há comidas que geram um ambiente de conforto, de caseiro, de familiar.

Gosto de empadões, dão-me esse sentimento de comida feliz

 

Empadão de peixe

 

 

4 postas de pescada

1 cebola

1 alho francês

Sal

Pimenta fresca

1 copo da água de cozer o peixe

1 copo de leite

3 colheres de sopa de azeite

2 colheres de sopa de farinha

2 ovos

1 molhinho de salsa picada

Azeitonas

 

Para o puré:

6 batatas, leite, manteiga e noz moscada

 

Cozer as postas de pescada com os ovos e as batatas em água temperada com sal.

Escorrer e reservar 1 copo de água da cozedura.

Retirar peles e espinhas à pescada e separar em lascas. Reservar.

Amolecer a cebola cortada em meias luas e o alho francês cortado em rodelas no azeite. Salpicar a farinha por cima mexendo bem e juntar a água de cozer a pescada e o leite. Mexer bem e temperar com pimenta acabada de moer. Deixar engrossar. Adicionar o peixe desfiado e a salsa picada.

Deitar esta mistura numa tarteira ou tabuleiro. Por cima põem-se os ovos cortados em rodelas e tapa-se tudo com o puré.

Levar ao forno enfeitado com as azeitonas por cerca de 20 minutos.

 

Para o puré:

Passar as batatas cozidas num passe-vite e adicionar leite e manteiga a gosto para fazer um puré leve. Temperar com noz moscada.

 

Nota: Pode ser usado outro peixe em vez da pescada

 

 

Sex | 20.04.12

queijadinhas

Gosto muito de doces e compotas mas há um pelo menos que nunca me deixou fã: doce de chila.

No outro dia um dos meus irmão fez deste doce e deu-me um frasquinho. Ele sabe que não gosto mas mesmo assim foi um querido. Como tenho que usar o doce tive que lhe inventar outros usos que não barrado nas torradas. Este foi um deles e foi aprovado pelo meu irmão!

 

Queijadas de Amêndoa e Chila 

 

 

250 grs de açúcar

100 grs de farinha com fermento

50 grs de amêndoa moída com a pele

3 ovos

½ litro de leite

50 grs de manteiga derretida (mais alguma para barrar as forminhas)

2 colheres de sopa bem cheias de doce de chila

 

Misturar todos os ingredientes e bater com a batedeira ou à mão com uma vara de arames por dois ou três minutos.

Deitar a massa em formas de queque bem untadas com manteiga. Levar a forno médio por 20 minutos.

 

Qui | 19.04.12

bela empada

Esta receita foi inspirada numa receita do livro Food Heroes do Rick Stein mas a minha é muito mais fácil, apesar de ser feita em dois passos.

Eu, que não sou nada de antecipar aquilo que vou fazer para as próximas refeições, desta vez esmerei-me e enquanto fazia o jantar meti todos os ingredientes do coelho num tacho e lá ficou em lume brando a estufar por uma horita ou mais.

Depois foi esperar pelo dia seguinte e fazer o resto.

Maravilha.

 

Empada de Coelho

  

 

Na véspera estufar um coelho pequeno em cebola, alho, carqueja, salsa, vinho, azeite e sal. Juntar também cenoura em rodelas grossas e cogumelos cortados em quartos.

Deixar arrefecer até ao dia seguinte.

Quando for para fazer a empada, retira-se o coelho do tacho e desossa-se em lascas grandes. Descarta-se também a carqueja e a  salsa.

Levar o tacho com o molho do refogado (com a cenoura e cogumelos) ao lume e adicionar uma colher de sopa de farinha maizena dissolvida num pouco de água. Deixar engrossar e juntar as lascas do coelho.

Virar o conteúdo do tacho para uma forma de empada ou tabuleiro refractário e tapar com massa folhada.

Levar ao forno até a massa ficar dourada, cerca de 25 minutos.

Servir com uma salada.

 

Nota: Usei massa espanhola para ‘empanadas’ em vez da massa folhada.

Pode ser feito com frango em vez de coelho.

 

 

Qua | 18.04.12

cool gadgets

Gaveta da tralha. Toda a gente tem uma, de certeza!

Na minha há utensílios que raramente são utilizados misturados com alguns que nunca são utilizados e com outros que são utilizados todos os dias. O que me faz pensar que eu podia ser mais organizada…

 

Gaveta da tralha

 

 

Ter | 17.04.12

é mais um creme, sff

De vez em quando apetece experimentar mais uma receita de um creme, seja de limão ou de cacau. O que é certo é que estas sobremesas, como levam leite, dão a impressão de serem mais saudáveis. Sei que é uma grande treta mas é a minha desculpa…

 

Creme de Limão 

 

 

¾ de copo de açúcar

¼ de copo de amido de milho (farinha maizena)

2 e ½ copos de leite

2 gemas de ovo

2 colheres de sopa de raspa de limão

1 pitada de sal

½ copo de sumo de limão

2 colheres de sopa de manteiga

 

Num tacho ou fervedor mistura-se bem o açúcar e a farinha maizena. Adiciona-se o leite, as gemas, a raspa de limão e o sal. Leva-se ao lume e vai-se mexendo sempre até engrossar. Retira-se do lume e adiciona-se o sumo de limão e a manteiga. Mexe-se bem para ficar aveludado e deita-se em taças. Deixa-se arrefecer e leva-se ao frio até servir.

 

Nota: As claras podem ser congeladas para outro uso

 

Seg | 16.04.12

estilo à gomes de sá

Cada família deve ter a sua versão de bacalhau à Gomes de Sá. A que aprendi com a minha Mãe é esta, bem fácil de fazer.

Há quem leve este prato ao forno num estilo de ‘se podemos complicar para quê facilitar’ mas lá em casa sempre foi feita esta versão o que não é de admirar porque raramente seriamos menos de 9 ou 10 à mesa. A sorte é que naquela época o bacalhau era barato, até lhe chamavam o fiel amigo.

Agora, nem o pão é barato…

 

Bacalhau à Gomes de Sá

 

 

4 batatas cortadas em quadrados

1 posta grande de bacalhau ou duas pequenas

2 ovos

Sal

Pimenta

Salsa picada

1 cebola grande em meias luas

2 dentes de alho picados

Vinagre

2,5 dl de azeite

Azeitonas

 

Cozer as batatas, o bacalhau e os ovos em água. Se o bacalhau estiver bem demolhado, temperar com um pouco de sal.

Retirar a posta de bacalhau mal esteja cozida e desfiar removendo a pele e espinhas. Reservar.

Escorrer as batatas e descascar os ovos. Cortá-los em rodelas. Reservar.

Num tacho aloura-se a cebola no azeite, quando estiver quase juntam-se os dentes de alho picados e mexe-se, deixando amolecer por mais um minuto. Deita-se um esguicho de vinagre e adiciona-se o bacalhau. Mexe-se e juntam-se as batatas e a salsa e envolve-se bem. Envolvem-se também as rodelas de ovo e tempera-se com pimenta fresca moída. Enfeita-se com as azeitonas e serve-se.

 

Sex | 13.04.12

almendrados

Há que tempos andava para experimentar uma receita de Almendrados, que são uns bolinhos que me agradam muito. Mas não sabia onde encontrar a folha de obreia (hóstia) que levam por baixo. Encontrei à venda em Aveiro a 0,50€ a folha tamanho A3.

Entretanto descobri esta receita e dei-lhe uma jeitinho para ficar mais ao meu gosto. Ficaram espectaculares e até serviram para uns presentinhos na Páscoa. Ó p’ra eles

 

Almendrados

  

 

3 claras pequenas
175 grs de açúcar amarelo
200 grs de miolo de amêndoa moído
25 grs de farinha
1 colher de chá de canela
folha de obreia

amêndoas em metades

Cortar as folhas de obreia em rodelas e reservar.

Numa taça misturam-se o açúcar, o miolo de amêndoa, a farinha e a canela.

Batem-se as claras em castelo firme e adiciona-se a mistura de amêndoa.

Deitam-se colheradas desta massa nas rodelas de folha de obreia e põe-se meia amêndoa sobre a massa.

Leva-se ao forno a cozer por cerca de 15, 17 minutos.

 

Nota: as rodelas de folha devem ser um pouco maiores do que a quantidade de massa porque a massa ainda vai espalhar-se à medida que coze.

 

Qui | 12.04.12

anis?

Não gosto de anis mas confesso que esta receita me deixou curiosa.

Como não tenho anis em casa (já disse que não gosto?), usei uma aguardente de ‘hierbas’ galega, que é usada nos restaurantes na Galiza para digestivo ao fim da refeição. Chamam-lhe ‘chupito’ e é muito refrescante e embora tenha um ligeiro sabor a anis, por causa da erva-doce, é muito agradável.

O bolo ficou muito bom e a receita é uma cópia não fiel desta.

 

Bolo de Anis

 

 

 

 

4 ovos médios

1 dl de anis

½ dl de azeite

2 e ½ dl de leite

300 grs de açúcar

400 grs de farinha

1 colher de chá de fermento em pó

Raspa de um limão

 

Misturar açúcar, farinha, fermento e raspa de limão numa taça.

Bater os ovos com o anis, o azeite e o leite e adicionar à mistura de açúcar/farinha.

Mexer bem para não ficar com grumos e deitar em forma untada.

Levar ao forno por cerca de 30 a 40 minutos (no meu demorou 35) e verificar a cozedura com um palito.

Retirar do forno e desenformar para arrefecer.

 

Nota: Pode ser usado outro tipo de licor ou aguardente

 

 

Qua | 11.04.12

e mais uma...

Sempre que anda por casa uma base de massa folhada (sinceramente nunca tive coragem de a fazer e estão sempre tão à mão e tão baratas nos supermercados que acho que nem pelo trabalho…) acaba por ir ficando no frigorifico quase até à data limite (às vezes até passa…). E depois lá vem uma solução de recurso, normalmente a meio da semana, para o jantar, e que não  dê muito trabalho nem demore muito tempo.

 

Tarte Gratinada de Cogumelos

 

 

1 base de massa folhada

400 grs de cogumelos

3 dentes de alho em palitos

Azeite

Sal e pimenta (ou outro tempero)

Orégãos

50 grs de queijo da Ilha ralado

 

Cortar os cogumelos em fatias com cerca de meio centímetro. Saltear por cinco minutos numa frigideira com alho e azeite e temperar a gosto (usei adobo e orégãos).

Estender a massa na tarteira. Por cima espalham-se os cogumelos e alhos que se polvilham com o queijo ralado no momento.

Leva-se ao forno até a massa estar dourada e o queijo bem derretido.

 

Nota: Pode-se usar uma mistura de queijos para gratinar

 

Ter | 10.04.12

barriguitas

Por um azar a minha arca semi-descongelou e tive que usar as coisas que já estavam mais descongeladas do que congeladas quando as descobri. Basicamente tudo o que era pequeno ou fino estava descongelado (ou quase) enquanto que as coisas maiores ainda estavam bem congeladas.

Claro que teve que se arranjar uma solução de contingência e algumas coisas foram cozinhadas de maneira diferente do que aquilo para que estavam destinadas. O caso destas barrigas de porco.

 

Barriga de Porco 

 

 

6 dentes de alho

1 folha de louro

2 tiras de barriga (entremeada) de porco

1 colher de café de mostarda em pó

1 colher de café de colorau em pó

Sal q.b.

Sumo de uma lima ou limão

1 dl de azeite

Água q.b.

 

Numa frigideira põem-se os ingredientes (os alhos são descascados e esmagados mas inteiros).

Leva-se a lume brando com a frigideira tapada e deixa-se apurar lentamente durante 20 minutos. A meio viram-se as tiras e acrescenta-se um pouquinho de água (pode ser vinho ou cerveja) para manter um pouco de molho.

Servir com batatas cozidas e grelos.

 

Seg | 09.04.12

para acompanhar

Na maioria das vezes fazemos uma salada de alface em que os ingredientes são apenas alface e cebola e temperos. Mas podem-se usar outras ervas ou verduras e assim ficam as saladas muito mais ricas.

As folhas de beterraba são excelentes para usar em saladas, bem como as de espinafres, cebolinho, erva doce, salsa, a salsa que temos quase sempre em casa e nunca nos lembramos que pode ir para a saladeira!

Experimentem.

 

Salada Mista 

 

 

alface roxa

alface verde

folhas de beterraba

folhas de coentros

folhas de salsa

cebola roxa

sal grosso

vinagre de vinho tinto

azeite

 

Escorrer as folhas para a salada e juntar a cebola em rodelas. Temperar com sal.

Salpicar com um esguicho de vinagre e com o azeite a gosto.

 

Qui | 05.04.12

Folares para a Páscoa

Esta receita é uma mistura de uma que me foi dada por uma colega de Ílhavo e outra que saiu num livro emitido pela já extinta Região de Turismo da Rota da Luz, de nome Cozinha Regional.

Quem já esteve pela zona de Aveiro deve ter topado com estes folares, em algumas pastelarias estão à venda todo o ano e não apenas por altura da Páscoa. Nesta altura têm a particularidade de ter ovos, no resto do ano são um bolo sem ovos cozidos.

 

Folar do Vale de Ílhavo

 

 

 

 

 

 

 

1kg de farinha

40 gr de fermento de padeiro
5 ovos

375 gr de açúcar
1 colher de chá de canela
100 gr de manteiga
1/2 chávena de água a ferver
1 pitada de sal

Retira-se a quarta parte da farinha e mistura-se com o fermento, esfarelando bem. Depois vai-se juntando água morna de modo a formar um bolo que fica a levedar pelo menos uma hora.

Deita-se a restante farinha numa bacia grande e mistura-se o açúcar e a canela. Faz-se um buraco no meio e juntam-se os ovos um a um sempre a amassar com a mão. Deita-se também a manteiga derretida na água a ferver, o sal e o bolo de fermento. Amassa-se muito bem, sempre com a mão a sovar a massa até se despegar da bacia.

Segundo os entendidos, deve-se amassar até fazer suar, o que no meu caso não é de fiar porque ao fim de dois minutos já suava e pareceu-me pouco tempo para que a massa ficasse bem sovada.

Amassar por cerca de dez minutos, a massa acaba por se despegar das mãos e fica bem fácil de manejar.

Deixa-se a repousar na bacia, tapada, até ao dia seguinte.

Quando for para moldar os folares aquece-se o forno, o ideal é um forno a lenha mas o do fogão também serve bem.

Moldam-se os folares, cozi ovos com casca de cebola para ficarem castanhos e enfeitei os bolos com os ovos.

Levam-se a forno médio, não deve estar quente demais senão coze logo por fora e fica muito escuro. Coze por cerca de 40 minutos, se necessário tapar com um papel de alumínio para não queimar.

 

Nota: Há quem junte raspa de limão à massa

 

 

Qua | 04.04.12

cool gadgets

Para cozer ‘a vapor’ existem vários utensílios à venda que facilitam o nosso trabalho. Já tive um daqueles que se abre como uma flor mas ao fim de uns anos desfez-se. Era bastante prático e muito utilizado.

Aqui há uns anos, numa viagem ao Brasil, descobri esta panela que lá é usada essencialmente para fazer cuscuz (que não é o mesmo cuscuz que fazemos por cá, o do Médio Oriente, mas sim feito com milho (fubá) e leite de coco ou água).

Esta panela chama-se Cuscuzeira e mal a vi tive que a trazer comigo. Foi baratíssima (cerca de dois euros) e é espectacular para cozer a vapor.

 

Cuscuzeira

 

 

Aquela coisinha com furinhos tira-se para meter a água na parte de baixo e também para retirar o que se coze.

 

A cozedura de legumes e outros ingredientes a vapor é uma das mais saudáveis porque os nutrientes, em vez de se perderem na água da cozedura, se mantêm nos ingredientes o que faz com que estejamos a ingerir mais vitaminas e sais minerais.

Tudo do melhor, portanto!

 

 

 Aqui, brócolos roxos da minha horta.

 

Ter | 03.04.12

sabores exóticos

De vez em quando há receitas que apetece experimentar apenas pelo nome. Esta foi uma delas, Chicken Bhuna pareceu-me um nome interessante e como tinha em casa tudo o que era necessário, toca a experimentar.

Ficou muito bom, com um sabor muito forte a deixar um quentinho na boca com aromas exóticos. Tudo de bom!

 

Frango Bhuna

 

 

1 colher de sopa de óleo de girassol

2 cebolas picadas

25 grs de gengibre picado

2 malaguetas verdes finamente picadas (pouco picantes)

2 colheres de chá de sementes de cardamomo

2 colheres de chá de cominhos moídos (usei ½ colher de chá)

2 colheres de chá de coentros moídos

1 colher de chá de sementes de erva-doce

Sumo de meio limão

4 peitos de frango cortados me pedaços

400 grs de tomate picado sem pele

 

Alourar a cebola no óleo até ficar translúcida. Juntar o alho, o gengibre e a malagueta e cozer por dois minutos. Adicionar as especiarias e deixar ferver mais um minuto.

Adicionar o sumo de limão e o frango e cozer por dois minutos mexendo. Adicionar o tomate e 150 ml de água. Deixar cozer até estar pronto, cerca de 20 minutos.

Servir com arroz basmati.

 

Nota: receita da revista BBC Good Food Middle East Setembro 2011

 

Seg | 02.04.12

pizzarella

Os jantares de sexta são os que mais me agradam fazer.

Porque posso deitar-me mais tarde, porque já não sinto a pressão de um dia de trabalho, porque posso fazer coisas diferentes e mesmo que demorem não faz mal ou porque posso fazer coisas simples mas não menos deliciosas.

Como esta pizza!

 

Pizza de Azeitonas e Mozarela

 

 

1 base de pizza pronta a usar

Molho de tomate

1 mão cheia de azeitonas

1 queijo mozarela fresco

Orégãos

50 grs de queijo da Ilha

Azeite

 

Espalhar o molho de tomate sobre a base da pizza.

Por cima põe-se pedaços de queijo mozarela fresco e azeitonas sem caroço cortadas às tiras. Polvilha-se com orégãos.

Rala-se o queijo da Ilha sobre a pizza e por cima põe-se um fio de azeite.

Leva-se ao forno até o queijo estar derretido.

Servir com uma salada e cerveja (ou outra bebida) fresca.

 

Nota: Usei molho de tomate que tinha congelado mas pode-se usar de compra