Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Sex | 30.12.11

Feliz Ano Novo

Ontem li uma frase que achei sublime: ‘O passado é uma ciência exacta’.

Mas o passado já foi futuro e dele não sabíamos com o que contar… apenas o que para ele desejávamos.

Para o futuro ano que se avizinha, desejo que a vida nos dê sempre motivos para sorrir...

 

Feliz 2012

 

 

Qui | 29.12.11

oatcakes

Estes biscoitos salgados de aveia são excelentes para acompanhamento de queijos.

Foram a companhia perfeita para os presentes que fiz de queijos em azeite.

 

Biscoitos de Aveia 

 

 

110 grs de aveia

110 grs de farinha de trigo

55 grs de manteiga

1 pitada de sal

água fria

 

1 ovo

1 colher de sopa de leite

1 colher de chá de açúcar

 

Juntar a aveia, farinha, sal e manteiga cortada em pedaços. Misturar bem com as mãos e adicionar água fria de modo a formar uma massa que não se pegue às mãos (cerca de 5 colheres de sopa de água).

Estender a massa com um rolo e cortar com um copo ou cortador de biscoitos.

Pincelar as bolachas com a mistura do ovo, leite e açúcar.

Leva-se ao forno em tabuleiro forrado com papel vegetal.

Cozem por cerca de 12 a 15 minutos, dependendo da grossura.

 

Numa outra versão, juntei uma colher de sopa de sementes de papoila à aveia e farinha.

 

 

Nota: Receita do James Martin

 

Qua | 28.12.11

mexe & ferve

Esta é uma versão ainda mais fácil do Bolo de Frutas porque neste caso mete-se tudo numa panela, vai ao lume, mexe-se e ferve, vai ao forno e pronto!

Eu sei que já parece uma empreitada mas como quase de certeza ainda há quem não saiba que doces há-de fazer para a passagem de ano, fica mais esta sugestão!.

 

Bolo de Frutas de Cacau

 

 

250 grs de tâmaras picadas

200 grs de sultanas douradas

170 grs de arandos cristalizados (cranberries)

175 grs de açúcar mascavado

170 ml de mel

125 ml de licor de café

Raspa e sumo de uma laranja

2 colheres de chá de canela em pó

½ colher de chá de noz moscada

½ colher de chá de cravinho

2 colheres de sopa de cacau em pó

3 ovos batidos

150 grs de farinha com fermento

75 grs de amêndoas moídas

½ colher de chá de fermento em pó

½ colher de chá de bicarbonato de sódio

 

Untar e forrar um a forma com papel de ir ao forno.

Aquecer o forno a 150ºC.

Pôr todos os ingredientes num tacho e levar ao lume até derreter a manteiga e o açúcar, mexendo sempre. Deixa-se fervilhar por cerca de 10 minutos, sempre a mexer para não agarrar ao fundo.

Verter a massa para a forma e levar ao forno por cerca de uma hora ou até o bolo estar cozido.

Deixar arrefecer numa rede e enfeitar como desejado.

  

Nota: esta receita foi encontrada aqui. É uma adaptação de um famoso bolo da Nigella Lawson, do seu livro Nigella Christmas.

 

 

Ter | 27.12.11

é mais bolos...

Este foi o bolo de frutas que usei este Natal. Foi uma solução de último recurso, porque já pensava não fazer nenhum. Agora, este vai ser o que vou fazer SEMPRE!

É facílimo e ficou espectacular.

Além disso pode ser feito ao longo do ano, quando apetecer, afinal bolo de frutas não tem que ser apenas no Natal…

 

Bolo de Frutas 'Ferve e Mexe'

  

 

175 grs de manteiga

200 grs de açúcar mascavado (escuro)

750 grs de mistura de frutas secas ou cristalizadas (alperces, sultanas, corintos, casca de laranja, arandos, cerejas)

Raspa e sumo de uma laranja

Raspa de um limão

100 ml de brandy (usei uma mistura de amêndoa amarga, triple sec e cachaça) + 4 colheres de sopa

85 grs de nozes ou nozes macadâmia

3 ovos grandes, batidos

85 grs de amêndoa moída

200 grs de farinha com fermento

½ colher de chá de fermento em pó

1 colher de chá de ‘mixed spice’

1 colher de chá de canela em pó

¼ de colher de chá de pimenta da Jamaica (allspice)

 

Numa panela põe-se a manteiga, açúcar, frutas, raspas de laranja e limão, sumo de laranja e o brandy.

Deixar derreter a manteiga em lume baixo até ferver, mexendo sempre e deixar fervilhar por dez minutos. Não esquecer de mexer para não agarrar ao fundo.

Retirar do lume e deixar arrefecer por 30 minutos.

Entretanto aquece-se o forno a uma temperatura de 150ºC (no meu caso no ‘maior mínimo’ possível).

Unta-se e forra-se uma forma quadrada ou redonda ou rectangular com papel de ir ao forno.

Tostam-se ligeiramente as nozes numa frigideira para libertarem os óleos e cortam-se em bocados mais pequenos.

Misturar os ovos, as nozes e a amêndoa moída à mistura de açúcar e frutas entretanto mais fria e mexe-se bem. Peneira-se a farinha, fermento e especiarias para a mistura e novamente mexe-se de modo a ficar tudo bem envolvido.

Deita-se a massa na forma e leva-se ao forno por cerca de 40 minutos, depois baixa-se ainda mais a temperatura se tal for possível (para 140ºC) e deixa-se cozer por mais uma hora (no caso do meu forno, o bolo cozeu muito bem em apenas uma hora no total).

À medida que vai cozendo, deve verificar-se se está a ficar escuro, se for necessário põe-se um papel de alumínio a tapar.

Quando estiver cozido (experimenta-se com um palito) retira-se do forno, pica-se com um palito e deitam-se as quatro colheres de brandy sobre o bolo. Deixar arrefecer na forma e depois desenformar.

 

Se for para esperar, deve-se ir ‘dando de beber’ ao bolo com mais brandy semana sim semana não. Neste caso guarda-se embrulhado em papel vegetal e pode esperar por cerca de três meses.

Pode ser consumido logo, como foi o caso deste que por razões várias não foi feito com a antecedência que é costume.

Para servir fiz uma cobertura com massapão (comprado) e enfeitei.

 

Notas:

A mixed spice pode ser substituída por ½ colher de chá de canela, ¼ de colher de chá de noz moscada e ¼ de colher de chá de cravinho

A foto de baixo foi do bolo da prova, sem enfeites

 

 

 

Qui | 22.12.11

mitos urbanos

Quem pesquisa receitas em inglês na inernet  já se deparou com certeza com uma história rocambolesca acerca de uma receita de biscoitos de uma cadeia de lojas americana.

Considerada um mito urbano, a história resume-se a uma cliente que pediu a receita de uns biscoitos que comeu e disseram-lhe que a vendiam, não a davam. Ela aceitou pensando que o preço eram dois dólares e meio mas quando recebeu a conta do cartão de crédito viu que lhe tinham cobrado duzentos e cinquenta dólares pela receita. Jurando vingança (!) decidiu divulgar a receita por toda a gente que conhecia.

Enfim, é apenas uma história nada credível até porque o site da cadeia de lojas tem lá a receita para quem a quiser ver.

Seja como for, estes são dos melhores biscoitos que já tive o prazer de fazer, e fazer, e fazer, e fazer… são assim tão bons!!!

 

Biscoitos Neiman Marcus

  

 

1 copo de manteiga

1 copo de açúcar castanho

1 copo de açúcar granulado

2 ovos

1 colher de chá de baunilha

2 copos de farinha

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

2 e ½ copos de aveia moída

½ colher de chá de sal

1 colher de chá de fermento em pó

350 grs de chocolate aos bocadinhos

1 copo de nozes picadas

 

Bater bem a manteiga com os açúcares. Juntar os ovos e a baunilha e bater bem. Adicionar a farinha, aveia, sal, bicarbonato e fermento. Juntar o chocolate partido em pedacinhos pequeninos (podem ser pepitas de chocolate) e as nozes picadas.

Moldar bolinhas do tamanho de nozes, achatar ligeiramente e pôr num tabuleiro forrado com papel de ir ao forno.

Leva-se a forno quente e deixam-se cozer por cerca de 10 a 12 minutos.

 

Nota: A receita que uso foi-me dada por uma amiga americana há anos e, curiosamente, não é nada parecida com a original

 

Qua | 21.12.11

ainda há castanhas?

Não costumo usar castanhas das congeladas. Normalmente quando é altura das castanhas, sempre que cozo ou asso guardo algumas já descascadas no congelador para usar mais tarde.

Esta receita deu para usar algumas das que preparava para guardar no congelador e ficou muito bem. 

 

Frango com Castanhas e Tomilho

  

 

2 peitos de frango

Sal

Pimenta

1 ramo de tomilho

Azeite q.b.

Castanhas assadas descascadas

 

Cortar o frango em tiras largas e temperar com sal e pimenta fresca moída e o tomilho. Deixar repousar por uma hora.

Aquecer o azeite na frigideira e fritar o frango em lume brando. Voltar as tiras para que dourem do outro lado e juntar as castanhas para que absorvam a gordura e aqueçam.

 

 

Ter | 20.12.11

de chá, para o chá...

Já vos disse que adoro chá? De todas as maneiras??? {#emotions_dlg.sarcastic}

 

Biscoitos de Chá

 

 

1 copo de farinha

¼ de copo de açúcar

¼ de copo de açúcar de pasteleiro

1 colher de sopa de folhas de chá*

¼ de colher de chá de sal

1 colher de chá de água

½ copo de manteiga (100 grs)

 

Aquecer o forno.

No processador põe-se os ingredientes secos e liga-se até pulverizar as folhas de chá.

Junta-se a baunilha, água e manteiga e continua a mexer-se até formar uma massa homogénea.

Rola-se a massa na banca da cozinha para formar um rolo comprido e envolve-se em pelicula aderente. Leva-se ao frigorífico por 30 minutos.

Retira-se do frio, descarta-se a pelicula e cortam-se bolachas com uma faca afiada.

Levam-se ao forno num tabuleiro por cerca de 12 a 15 minutos.

Deixa-se arrefecer e servem-se ou guardam-se numa caixa hermética.

 

*Usei uma saqueta de chá

 

Nota: o chá, na receita original, é Earl Grey mas usei chá preto normal.

Fiz a receita toda numa taça, não usei o processador porque as folhas de chá das saquetas já são muito miudinhas.

 

Seg | 19.12.11

sabores fortes

Eu achava que não gostava de sopa de peixe (bem, eu achava que não gostava de peixe!) até que uma colega de trabalho me deu esta receita há montes de anos.

Desde aí, tem sido uma sopa recorrente, especialmente quando há certas partes de peixe que são melhores desfiadas do que inteiras.

É fácil de fazer, é super saborosa, pode ser acompanhada com pão e um bom vinho que faz uma refeição maravilhosa! E ainda por cima é melhor no dia seguinte por isso toca a fazer em maior quantidade e usar como ‘almoços portáteis’!!!

 

Sopa de Peixe

 

 

 

1 cebola grande picada

2 dentes de alho

4 tomates grandes e bem maduros

½ folha de louro

1 raminho de salsa

1 malagueta

¼ copo de vinho branco

¼ de copo de azeite

Sal q.b.

3 postas de peixe

Água

Cotovelinhos

 

Numa panela larga põem-se a cebola grosseiramente picada, os tomates sem pele em pedaços, o louro, a salsa, a malagueta e o peixe. Usei uma posta pequena de tintureira e dois rabos de pescada mas podem ser usados outros peixes, a maruca fica muito bem nesta sopa. Tempera-se com sal e por cima deita-se o vinho e o azeite.

Leva-se ao lume e quando ferver põe-se em lume brando e deixa-se refogar por 20 minutos.

Retiram-se as postas de peixe, a salsa, a malagueta e o louro e passa-se o restante com a varinha mágica.

Desfia-se o peixe, retirando peles e espinhas.

Volta-se a pôr a panela ao lume, junta-se água, o peixe desfiado e a massa. Rectificam-se os temperos e deixa-se fervilhar até a massa estar cozida (cerca de 12 a 15 minutos).

 

Sex | 16.12.11

é só coisas boas!

As tâmaras são um alimento que é muito rico em vitaminas A, B, C e minerais como cálcio, ferro e potássio, magnésio e cobre.

São um calmante natural por serem ricas em ácido pantoténico, além de que estimulam a formação de melatonina que ajuda a evitar a insónia.

Têm também alto teor de celuloses e outras fibras, não têm colesterol e ajudam o organismo a defender-se de gripes e outras viroses.

Com tantas coisas boas e mais alguma, do que é que estão à espera para fazer estes bolinhos??? 

 

Queques de Tâmaras 

 

 

250 grs de tâmaras sem caroço, picadas

1 e ¼  copos de água

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

¼ de copo de margarina (cerca de 50 grs)

2 ovos grandes

1 colher de chá de baunilha

1 e ¼ copos de farinha de trigo com fermento

2/3 de copo de açúcar amarelo

 

Colocar as tâmaras e a água num tachinho ao lume. Quando começar a ferver junta-se o bicarbonato de sódio (vai fazer espuma) e a margarina. Mexe-se e retira-se do lume. Deixa-se arrefecer por 25 minutos.

 

Aquecer o forno a 180ºC.

Untar uma forma redonda ou então colocar forminhas plissadas em formas de muffins. Não é preciso untar as formas de muffins.

Esmagar com um garfo as tâmaras para que os bocados fiquem mais pequenos. Juntar os ovos e a baunilha à mistura das tâmaras e mexer bem.

Numa taça mistura-se a farinha com o açúcar. Adicionam-se as tâmaras com o líquido e mexe-se para envolver.

Deita-se a massa na forma ou formas e leva-se ao forno. Se for numa forma grande, leva cerca de 45 a 50 minutos a cozer. Em formas de muffins e no meu forno que não tem medidor de temperatura, levou 18 minutos até estar bem cozido.

 

Qui | 15.12.11

blhackkkk

Das comidas que conheço, penso que apenas uma não consigo comer. A sua textura faz-me tanta impressão que não consigo sequer mastigar.

Falo dos fígados, sejam eles de aves, porco, vaca, o que for. Não sou capaz de comer qualquer tipo de fígado!

Mas há quem adore, por isso de vez em quando tenho de fazer e, quem diria, adoro o cheiro e fico cheia de pena por não conseguir comer…

 

Iscas ‘com elas’

 

 

4 bifinhos de fígado (vitela, vaca ou porco)

4 dentes de alho

1 malagueta

½ folha de louro

¼ de copo de vinho tinto

Sal q.b

1 colher de sopa de pingue

2 colheres de sopa de azeite

 

Temperar o fígado com os alhos em lascas finas, o louro e a malagueta em pedaços e o sal. Por cima deita-se o vinho e mexe-se. Deixa-se repousar por cerca de uma hora.

Numa frigideira aquece-se o pingue e o azeite, quando bem quente põem-se os bifes a fritar. Deixa-se fritar em lume médio por cinco minutos, depois voltam-se os bifes para o outro lado e junta-se o que restar da marinada. Deixa-se acabar de fritar, mais três ou quatro minutos e serve-se sobre batatas cozidas.

Acompanhar com uma salada ou legumes cozidos (cozi nabiças).

 

 

Qua | 14.12.11

cool gadgets

Este utensílio é excelente se utilizado em queijos que não sejam muito rijos. Mediante a abertura que se der, faz fatias mais grossas ou mais finas.

Óptimo para ter numa tábua de queijos, já agora na companhia de um ‘ratinho’ {#emotions_dlg.blink}

 

Cortador de Queijo 

 

 

Ter | 13.12.11

batata-doce

Mais uma sugestão: Quando temos que usar o forno, podemos aproveitar também para assar batatas-doces. Embrulham-se em papel de alumínio e põem-se dentro do forno até estarem assadas. Não tem manutenção nenhuma e podem depois ser comidas assim ou usadas noutras comidas, como esta.

 

Sopa de Batata-doce assada

 

 

1 alho francês

Azeite q.b.

2 batatas médias

1 curgete pequena

1 batata-doce assada

4 dentes de alho assados

750 ml de água

Sal q.b.

Sementes de abóbora

 

Numa panela salteia-se o alho francês em rodelas no azeite.

Juntam-se as batatas cortadas em pedaços, a curgete (sem casca) também cortada em pedaços, a batata-doce assada e sem pele e a polpa dos alhos assados. Mexe-se bem e junta-se a água. Tempera-se com sal a gosto e deixa-se cozer por 20 minutos.

Passa-se com a varinha mágica e serve-se com sementes de abóbora salteadas numa frigideira sem gordura (cuidado que saltam como se fossem pipocas…)

 

Seg | 12.12.11

é típico

É raríssimo fazer pratos que levem batatas fritas, como a carne de porco à alentejana ou o bacalhau com natas.

Por norma não fazia batatas fritas em casa, até ter descoberto uma maneira mais saudável de as fazer. E isso permite-me saborear alguns pratos tradicionais da nossa gastronomia, que são mesmo bons.

 

Carne de Porco à Portuguesa

 

 

400 grs de carne de porco cortada em quadrados

1 colher de sopa de massa de pimentão

1 dl de vinho branco

1 folha de louro

Sal

Pingue

Azeite

Batatas fritas em quadrados

Coentros

 

Pôr a carne com a massa de pimentão, o sal, o louro e o vinho branco a marinar por umas horas (pode ser de véspera).

Numa frigideira, põe-se uma colher de sopa bem cheia de pingue e duas colheres de azeite. Quando estiver quente, frita-se a carne. Vai-se mexendo para que a carne aloure por todos os lados. Se necessário vai-se acrescentando líquido da marinada para ficar com molho.

Juntam-se as batatas previamente fritas e envolve-se bem. Polvilha-se com coentros e serve-se com uma boa salada.

 

Nota: As batatas foram fritas usando este método.

 

Sex | 09.12.11

pasta de grão

Uma maneira de gastar o alho assado é esta.

O Hummus é um prato tradicional do Médio Oriente e é excelente para servir de entretém além de que é muito mais saudável do que a manteiga ou patés de compra que é o que normalmente usamos enquanto esperamos pela refeição.

 

Hummus

 

 

1 lata pequena de grão de bico

4 dentes de alho assados

1 colher de sopa de tahini (pasta de sésamo)

1 pitada de sal

Raspa de ½ limão

1 dl de azeite

1 colher de chá de pimentão-doce em pó (opcional)

 

No liquidificador põe-se o grão-de-bico cozido (reservar um bocadinho da água da lata) a polpa dos dentes de alho, o tahini (pode ser substituído por manteiga de amendoim), o sal, a raspa do limão e o azeite.

Triturar tudo (se necessário acrescentar um bocadinho da água do grão, duas ou três colheres de sopa).

Pôr numa taça e polvilhar com pimentão-doce em pó (paprica) e um fiozinho de azeite.

 

Nota: Servir com gressinos ou tostas

 

Qua | 07.12.11

não é cabeça de alho chocho

 

Isto não é uma receita, é mais uma sugestão.

Quando temos que usar o forno para fazer algum assado, aproveitamos e embrulhamos uma cabeça de alho inteira num bocado de papel de alumínio, vai ao forno por cerca de 40 minutos.

A utilização deste alho assado é muito vasta e uma das coisas boas é que não ficamos com aquele hálito de afasta vampiros que tem o alho cru…

Para usar basta apertar um dente de alho que a polpa sai toda, maravilhosa!

 

Cabeça de Alho assada

 

 

Depois darei receitas para usar o alho assado mas posso desde já dizer que barrado em pão estaladiço é um luxo!!!

 

Ter | 06.12.11

Pollo en Pepitoria

É uma receita típica da gastronomia espanhola e crê-se que seja de origem árabe. Antigamente era feito apenas com os miúdos do frango ou galinha.

Este tipo de preparação ‘en pepitoria’ pressupõe que o molho seja engrossado com uma pasta feita de gema de ovo cozida e amêndoas. É muito bom, vale mesmo a pena experimentar!

 

Frango com molho de Amêndoas

 

 

4 coxas e sobrecoxas de frango

1 ovo cozido

1 cebola

½ copo de vinho branco

4 dentes de alho

20 amêndoas sem pele

Farinha

Azeite

Sal

Pimenta preta

Estames de açafrão

Água ou caldo de galinha

 

Temperar o frango com sal e pimenta. Passar por farinha e reservar.

Colocar um tacho ao lume com um fundo de azeite. Quando quente fritam-se os dentes de alho inteiros. Retiram-se do tacho e reservam-se. A seguir aloura-se o frango passado por farinha no azeite sem deixar tostar. Junta-se a cebola bem picada e mexe-se para não pegar. Seguidamente adiciona-se o vinho e deixa-se reduzir. Quando o vinho tiver quase evaporado junta-se a água ou caldo de galinha até cobrir o frango e deixa-se levantar fervura. Reduz-se o fogo e deixa-se cozer por uns 20 minutos.

Entretanto preparamos a pasta que se vai adicionar. Num almofariz põem-se os alhos inteiros (que estão fritos) a gema do ovo cozido, as amêndoas cruas e os estames de açafrão. Com o pilão esmagam-se estes ingredientes muito bem de modo a formar uma pasta.

Verificam-se os temperos do frango e ajustam-se se necessário. Depois mistura-se a pasta que está no almofariz e mexe-se. Esta pasta vai fazer o molho engrossar. Deixa-se ferver por mais 10 a 15 minutos, até o frango estar cozido.

Para servir pica-se muito finamente a clara de ovo cozida e polvilha-se sobre o frango.

Servir com arroz branco ou puré.

 

Nota: acrescentei salsa picada

 

 

Seg | 05.12.11

a prazo

Gosto de ter no frigorífico uma base de tarte de massa folhada, pronta a usar. Normalmente é comprada sem ter destino marcado e por vezes está mesmo no fim do prazo e ainda nem foi usada.

Foi o caso desta que teve que ser gasta à pressa e a maneira de a gastar foi esta, pensada à medida que se ía fazendo.

 

Tartinhas de atum 

 

 

 

1 embalagem de massa folhada

1 lata de atum

Azeite q.b.

1 cebola

1 colher de sopa de passas

10 azeitonas

Pimenta

Salsa picada

2 ovos

1 dl de leite

sal e pimenta (ou Adobo)

 

Dividir a massa pelas formas aproveitando o papel para forrar.

Alourar a cebola cortada em meias luas muito fininhas no azeite. Juntar o atum desfiado, as passas e a salsa picada e temperar com pimenta.

Numa taça batem-se os ovos com o leite e os temperos.

No fundo da massa da tarte põem-se as azeitonas picadas. Por cima espalha-se a mistura de atum e cobre-se com o ovo e leite batidos.

Vai a forno médio por cerca de 25 minutos, até alourar.

 

Sex | 02.12.11

outras gastronomias

Há mais de 20 anos fui a França e estive na zona da Bretanha por uma semana. Uma das duas refeições que ainda recordo com saudade foi esta que comi numa Galetterie. A outra foi um pato caseiro assado numa quinta rural.

As outras, infelizmente não me consigo esquecer delas, de tão más que foram…

 

Galettes Bretonnes

 

 

Para fazer os crepes:

250 grs de farinha de trigo-sarraceno

1 ovo

Sal

4 a 5 dl de água

 

Numa taça põe-se a farinha de trigo-sarraceno e o sal, faz-se um buraco no meio e parte-se o ovo. Mistura-se bem, adicionando a água pouco a pouco. Esta mistura fica sem grumos e deve ser batida no mínimo por cinco minutos para que entre bastante ar na massa. Deixa-se repousar por uma hora ou mais.

 

Para fazer os crepes, aquece-se uma frigideira grande (untar com um bocadinho de gordura antes de fazer o primeiro crepe), mexe-se bem a massa novamente e deita-se uma concha de massa na frigideira. Roda-se para espalhar a massa e deixa-se cozer por dois ou três minutos (fica com uns furinhos na massa). Vira-se o crepe para o outro lado e deixa-se acabar de cozer, mais dois minutos.

Fazer crepes até gastar a massa. Guardam-se num prato largo tapado com papel de alumínio para se manterem quentes. Os crepes que sobrarem podem ser congelados ou usados noutras preparações.

 

Para cada Galette Bretonne

1 ovo

Fiambre

Queijo ralado

 

Põe-se um crepe na frigideira, espalha-se o fiambre no centro, por cima abre-se um ovo e cobre-se com queijo ralado. Dobra-se o crepe no formato desejado e deixa-se estar ao lume até o ovo estar ‘frito’ e o queijo derretido.

 

Nota: O trigo-sarraceno, também conhecido como trigo mourisco, não contém glúten. Pode ser comprado em lojas de produtos naturais.