Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Seg | 31.10.11

macarronete

Gosto muito de cozinhados que se podem meter em cru na panela e depois é só deixar o poder do fogo fazer a sua mágica transformação.

 

Frango com Macarronete

 

 

150 grs de macarronete

2 coxas e pernas de frango, separadas

1 cebola média cortada em meias luas

4 dentes de alho

Azeite q.b.

1 malagueta

1 pedaço de gengibre em fatias

1 tomate grande

½ copo de água

½ copo de vinho branco

¼ de cubo de caldo de galinha

 

No tacho põe-se a cebola, os alhos (apenas esmagados mas com a casca), a malagueta, o gengibre e o tomate.

Por cima põe-se o frango e tempera-se com o sal e com o bocadinho de caldo de galinha esfarelado.

Juntar o vinho, a água e o azeite e levar ao lume a estufar. Se necessário acrescentar mais água para manter o molho.

Entretanto cozer o macarronete à parte em água com sal. Escorrer e juntar ao frango. Deixar apurar misturado por dez minutos.

 

Nota: Pode-se usar outro tipo de massa

 

 

Sex | 28.10.11

viva a diferença!

Nem todos os aniversários são festejados com um bolo. Alguns são com muitos bolinhos…

 

Bolinhos com pepitas de chocolate

 

 

200 grs de margarina

1 ½ copo de açúcar amarelo

2 ovos

1 colher de chá de baunilha

2 ¾ copos de farinha

1 pitada de sal

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 ½ colheres de chá de fermento em pó

150 grs de pepitas de chocolate

 

Aquecer o forno.

Bater a margarina com o açúcar até estar bem cremoso. Adicionar os ovos um a um e a baunilha e bater mais dois minutos. Juntar a farinha, sal, bicarbonato e fermento e mexer bem. Adicionar as pepitas de chocolate e misturar até que fiquem bem envolvidas.

Com uma colher de sopa deitam-se colheradas da massa num tabuleiro forrado com papel vegetal. Vai ao forno por cerca de 12 minutos. Retira-se do forno e deixa-se repousar dois ou três minutos antes de remover os biscoitos para uma rede para acabarem de arrefecer.

Guardar em latas ou frascos bem fechados.

 

Nota: pode-se usar chocolate em barra, cortado em pedacinhos, em substituição das pepitas de chocolate.

 

Qui | 27.10.11

isto nem receita é...

Este arroz foi feito sem olhar a medidas e por isso acabou por sobrar bastante. Para o gastar, numa noite em que não havia muito tempo para cozinhar, nada como uma anti-receita… é que convenhamos, não se pode chamar receita a isto, de tão fácil que é.

Mas muito bom!!!

 

Arroz com Atum

  

 

2 copos de arroz cozido

1 lata de atum

1 cebola

2 colheres de sopa de azeite

Salsa e coentros picados

 

Saltear a cebola picada no azeite.

Juntar o atum desfiado e o arroz. Mexer bem e deixar aquecer.

Servir polvilhado com a salsa e coentros picados.

 

Nota: Pode comer-se frio.

 

Qua | 26.10.11

cool gadgets

Há acessórios de cozinha que dão um jeito tremendo!

As colheres de medida são um desses acessórios, e nunca são demais (principalmente para quem não guarda as coisas no sítio…)

Claro que podemos sempre pegar numa colher de sopa, de chá, etc. e medir mas estas são certinhas, sempre do mesmo tamanho, ao passo que as que usamos em casa, os talheres, podem diferir de feitio para feitio.

Sempre que vejo uma receita em que as quantidades vêm classificadas em colheres ou copos em vez de gramas, esse é logo um ponto a favor para experimentar essa receita. Não é que custe usar a balança mas prefiro mesmo as medidas aos pesos.

Estas são algumas das que tenho e a que não dou descanso.

 

Colheres de medida

 

 

Ter | 25.10.11

outro...

Este é um dos bolos mais procurados no site da Martha Stewart (cozinheira/empresária norte-americana).

Chama-se Apple Spice Cake mas a única especiaria que leva é canela (por mim tudo bem!).

Alterei a receita para lhe retirar um pouco da gordura, que substitui por um iogurte natural e ficou muito bem.

 

Bolo de Maçã e Canela

 

 

3 copos de farinha de trigo com fermento

1 colher de sopa de canela em pó

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 colher de chá de sal

2 copos de açúcar

2/3 de copo de óleo de girassol

1 iogurte natural

3 ovos grandes

3 copos de maçã cortada em pedacinhos (com a casca)

 

Aquecer o forno.

Peneirar a farinha com a canela, o bicarbonato e o sal.

Na batedeira bate-se o açúcar com o óleo com o iogurte e os ovos até ficar cremoso. Adicionam-se os ingredientes peneirados e continua a bater-se. Por fim juntam-se os pedacinhos de maçã.

Deita-se a massa numa forma untada e vai ao lume a cozer por cerca de uma hora.

 

Nota: podem ser acrescentadas nozes ou outros frutos secos.

 

Seg | 24.10.11

simplicidade

Para ter uma refeição em tempo record, nada melhor do que a massa, não me canso de dizer.

Às vezes compro tortelinis ou raviólis dos frescos que guardo no frigorífico e, quando é preciso uma refeição num piscar de olhos, eles entram em acção.

A minha escolha recai sempre nos recheios de queijo, requeijão, espinafres, cogumelos… nunca escolho os de bacon ou carne, devem ser bons de certeza mas até agora não me cativaram.

 

Raviólis em molho cremoso

 

 

1 embalagem de raviólis de 250 grs

Água

Sal

 

1 cebola

4 colheres de sopa de azeite

1 dl de natas

Sal & pimenta

 

Cozer os raviólis por seis minutos em água a ferver temperada com sal.

Escorrer e reservar um pouco da água (cerca de uma concha).

Entretanto salteia-se a cebola bem picadinha em azeite até alourar. Tempera-se com sal e pimenta e junta-se as natas (usei das de soja) e um pouco da água de cozer a massa, se necessário, para que o molho não fique grosso demais.

Envolvem-se os raviólis no molho e polvilham-se com salsa picada.

 

Sex | 21.10.11

comida de sábado :)

O carapau frito às postas transporta-me para a infância, onde ao sábado de manhã se ía à praça e se comprava peixe fresco nas bancas (por cá ainda é assim) ou então passavam as peixeiras pela rua, de canastra sobre uma rodilha à cabeça a gritar: Olha o carapau fresquinho da nossa costa…

Era quase sempre frito temperado apenas com sal e acompanhado de arroz de tomate ou de feijão.

 

Carapaus fritos

 

 

1 carapau cortado em postas

Sal

Óleo para fritar

 

Temperar as postas do carapau com sal e reservar por uma hora.

Fritar em óleo bem quente até as postas ficarem tostadinhas.

Servir com quartos de limão para temperar e arroz malandrinho de tomate.

 

Qui | 20.10.11

coisa fácil

Para um lanche, uma entrada ou mesmo prato principal, este empadão é facílimo de fazer e sempre foge ao típico empadão feito com puré de batata, do qual não sou a maior fã. E ainda por cima dá para aproveitar algumas sobras que andem a precisar de nova apresentação.

 

Empadão de Liquidificador

 

 

½ copo de leite

1 iogurte natural

½ copo de óleo

3 ovos

1 pitada de sal

2 copos de farinha de trigo

1 colher de sopa de fermento em pó

1 colher de sopa de queijo parmesão ralado (opcional)

Recheio a gosto

 

Numa taça mistura-se a farinha com o fermento em pó e o queijo parmesão ralado.

No liquidificador batem-se o leite, o iogurte, o óleo, os ovos e o sal.

Envolve-se esta mistura na farinha de maneira a não fazer grumos.

Deita-se metade da massa numa forma pyrex untada. Por cima espalha-se o recheio (usei carne picada à bolonhesa que tinha sobrado de outra refeição). Sobre o recheio deita-se a restante massa e leva-se ao forno por cerca de 40 minutos, até estar bem fofo e dourado.

Servir quente ou frio, com uma salada a acompanhar.

 

Nota: O recheio podem ser enchidos, queijo, sobras de carne, etc. Fica uma espécie de bôla mas a massa é muito macia.

 

Qua | 19.10.11

cool gadgets

Por sistema não compro especiarias que já estejam moídas (à excepção daquelas a que não podemos chegar porque pura e simplesmente não encontramos à venda por cá, como por exemplo o açafrão das Índias).

As que posso, tenho em grão e moo ou desfaço à medida que necessito, como o cardamomo, a pimenta ou a noz-moscada, por exemplo.

Este é um ralador de noz-moscada. É excelente porque tem um sítio para guardar a noz que estamos a usar e está sempre à mão de ralar, umas pitadinhas, para qualquer receita, doce ou salgada!

  

Ralador de Noz Moscada

 

 

Ter | 18.10.11

experiências

A fim de encontrar uma receita de bolo que fosse boa para quem tem diabetes e também não pode ingerir gorduras, decidi fazer algumas substituições nesta receita para ver o que dava.

Deu um bolo super saboroso, com uma textura não tão fofa como o original mas mesmo assim um bolo que enganava quem não soubesse. Esta experiência foi feita a pensar na Cozinha de Solteira II que neste momento precisa de receitas sem gorduras.

As claras foram utilizadas para substituir a gordura na receita original porque, do ovo, são a parte que não tem gordura (está toda nas gemas).

 

Bolo Magro

 

 

1 1/3 de copos de farinha de trigo com fermento

1/3 de copos de farinha de trigo integral

3/4 copo de açúcar amarelo

1 ½ colheres de chá de allspice (pimenta da Jamaica)

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

½ copo de puré de maçã (applesauce)

½ copo de água

2 claras de ovo

1 colher de chá de vinagre

 

Aquecer o forno.

Mexer a farinha, açúcar, allspice (pode ser substituído por canela) e bicarbonato de sódio. Adicionar o puré de maçã, água, claras de ovo e vinagre e mexer bem.

Deitar em forma de bolo inglês levemente untada e levar ao forno por cerca de 40 minutos.

 

Nota: A farinha integral faz com que o bolo fique menos leve do que o original mas acrescenta-lhe um gosto a frutos secos que fica muito bem.

 

Seg | 17.10.11

das sobras

Como esta é uma época de não se desperdiçar nada, as sobras são bem-vindas e dão sempre para vestir uma roupa nova. Aqui, uma sobra de vitela assada equivalente a um bife transformou-se num belo pastelão (ou numa frittata, se quisermos ser cosmopolitas).

Buon Appetito !!!

 

Pastelão de Vitela e Cogumelos

 

 

100 grs de vitela assada

100 grs de cogumelos

1 cebola picada

1 malagueta fresca

3 colheres de sopa de azeite

4 ovos

1 colher de sopa de natas (ou leite)

Sal

Salsa

 

Saltear a cebola e a malagueta no azeite. Juntar os cogumelos cortados em quartos e a carne cortada em quadradinhos.

Saltear, juntar a salsa picada e temperar com sal.

Bater os ovos com as natas e deitar na frigideira. Deixar cozer de um lado por cerca de 5 minutos. Virar e deixar alourar do outro lado por mais três minutos.

Servir com uma salada de tomate.

 

Sex | 14.10.11

coisas boas

Uns amigos que vivem em Vila Franca de Xira costumam trazer-me umas broinhas de Mel e Erva-Doce quando vêm até cá de visita. Essas broinhas são mesmo boas, eles chamam-lhe broas do Elias do Carregado.

Numa tentativa de duplicar a receita, encontrei uma que adaptei e deu isto. Mesmo bom!

 

Broas de Mel e Erva-Doce

 

 

2 ovos
1 e ½ copos de açúcar
¼ copo de azeite
4 colheres de sopa de margarina derretida
2 colheres de sopa de mel
1 ½ colheres de sopa de erva doce
1 colher de sopa de canela
1 colher de chá de sal
farinha até tender (mais ou menos 4 copos)
1 gema para pincelar

 

Misturam-se todos os ingredientes e mexem-se bem. Junta-se mais farinha se necessário até que a massa não se agarre às mãos. Fazem-se bolinhas do tamanho de nozes e achatam-se ligeiramente. Pincelam-se com a gema de ovo e levam-se ao forno por cerca de 15 a 18 minutos.

 

Qui | 13.10.11

congelados

O camarão descascado congelado é uma boa opção para ter na arca ou congelador. Num instante permite fazer uma refeição ligeira e saborosa e se for acompanhada de qualquer tipo de massa, faz-se num piscar de olhos.

 

Talharim com Camarão

 

 

1 alho francês

3 colheres de sopa de azeite

1 malagueta

1 colher de sopa de soja

1 colher de sopa de molho de peixe

1 colher de sopa de molho de ostras

1 colher de sopa de vinagre de arroz

150 grs de camarão descascado

¼ de copo de água

1 dl de natas

Coentros

 

Saltear o alho francês cortado em rodelas finas em azeite com a malagueta também cortada em rodelas.

Juntar os temperos, a água e o camarão e deixar ferver por cerca de 5 minutos. Adicionar as natas e mexer até engrossar.

Servir com talharim cozido salpicado com coentros.

 

Nota: Se não gostam de picante, não usem a malagueta. A sério...

 

 

Qua | 12.10.11

mão na massa

Gosto muito de fazer tartes, quiches, tarteletes e afins. Confesso que a maior parte das vezes tenho preguiça de fazer a massa das tartes e acabo por usar da de compra, seja massa quebrada ou massa folhada. Mas o que é certo é que essas massas vêm carregadas de gorduras e se podemos fazer coisas boas e mais saudáveis, temos que vencer a preguiça e meter ‘a mão na massa’.

Foi o que fiz com esta massa, que saiu espectacular, super crocante e saborosa e mesmo fácil de fazer. Já não há desculpas!

 

Tarteletes de Bacon em Massa de Azeite

 

 

200 grs de farinha de trigo

50 grs de farinha de trigo integral

1 colher de sopa de sementes de linhaça moídas

1 pitada de sal

¼ de copo de azeite

½ copo de água

 

Misturar as farinhas, sal e linhaça numa taça. Fazer uma covinha no meio e deitar o azeite. Misturar bem e adicionar a água. Mexer com as mãos e formar uma bola. Estender a massa com um rolo da massa e forrar o fundo de uma tarteira.

 

Para o recheio salteei umas tirinhas de bacon numa frigideira sem gordura até tostar. Escorri e coloquei no fundo das formas, sobre a massa. Por cima deitei uma mistura de iogurte, leite e ovos temperados com sal e pimenta.

Foram ao forno por cerca de 30 minutos.

 

Nota: Esta quantidade de massa deu para uma forma redonda de tarte das grandes e para duas formas de tartelete.

 

Ter | 11.10.11

mais uma geleia

Foi com uvas americanas (morangueiras) que fiz esta geleia.

Adaptei a receita da Moira, da Tertúlia de Sabores.

Excelente forma de gastar umas quantas uvas que de outro modo não são da preferência cá de casa.

 

Geleia de uvas americanas 

 

 

 

2 kgs de uvas americanas

200 ml de água

100 ml de vinho moscatel

sumo de 2 limões

 

900 grs de açúcar por cada litro de líquido escorrido

 

Escolher e lavar bem as uvas. Esmagá-las e pôr dentro de um tacho com a água, o vinho moscatel e o sumo dos limões.

Levar ao lume até ferver, baixar o lume e deixar fervilhar por cerca de meia hora.

Escorrer as uvas numa gaze de um dia para o outro (ou pelo menos por umas seis horas) e com o líquido obtido fazer a geleia.

Por cada litro de líquido escorrido juntam-se 900 grs de açúcar e leva-se ao lume até ficar no ponto desejado. A minha demorou cerca de hora e meia a ficar na consistência certa. Retirar a espuma que se vai formando e deitar em frascos bem lavados e secos. Fechar logo os frascos (cuidado porque estarão muito quentes) e deixar arrefecer.

 

Sex | 07.10.11

destaque

Graças à chamada de atenção de um leitor aqui do Blogue, descobri que este espaço foi destacado como Blogue da Semana na página do Facebook do Masterchef, na semana passada!

Obrigada a quem escolheu.

 

Eu bem digo, se procurar nas minhas receitas todas, a maioria é de qualquer coisa de maçã!

Esta foi a minha primeira galette, ficou muito boa e durou muito pouco…

 

Galette de Maçãs 

 

 

1 embalagem de massa folhada

4 maçãs

2 colheres de sopa de açúcar amarelo

1 colher de sopa de farinha

1 colher de chá de canela

1 colher de sopa de manteiga

Raspa de noz-moscada

 

Aquecer o forno.

Descascar e cortar as maçãs em fatias finas. Misturar com o açúcar, a farinha, a canela e a noz-moscada. Misturar bem e deitar numa forma de tarte já forrada com a massa folhada. Distribuir a manteiga aos pedacinhos sobre as maçãs e dobrar o excesso de massa sobre as maçãs para formar a galette.

Vai ao forno por cerca de 40 minutos, até estar a massa bem dourada.

 

Qui | 06.10.11

almoços portáteis #6

Mais um almoço ‘de levar’ que acaba por ser feito com sobras e com cuscuz.

Fica igualmente saboroso se for com massa ou arroz cozido mas para variar os cuscuz são uma boa opção e são tão fáceis de preparar que só com desculpas esfarrapadas não temos almoço para levar…

 

Salada de Cuscuz 

 

 

1 copo de cuscuz

1 copo de água a ferver

Frango desfiado

Queijo em cubinhos

Tomates cherry

Azeitonas

Salsa picada

Molho vinagrete

 

Fazem-se os cuscuz de acordo com as instruções da embalagem. É necessária apenas metade da quantidade indicada mas se fizermos um copo já fica para a próxima salada.

Juntam-se aos cuscuz o frango desfiado, o queijo em cubinhos, os tomates, azeitonas e salsa picada.

Para temperar faço um molho vinagrete com uma mistura de azeite, vinagre e mostarda.

 

Para a sobremesa, melancia fresquinha...

 

Ter | 04.10.11

pescada

O bacon é um ingrediente que uso muito raramente, muito mesmo, sou capaz de usar meia dúzia de vezes por ano e na maioria das vezes, como esta, é usado para finalizar a embalagem que foi especificamente comprada para fazer outra coisa

Esta receita é uma adaptação das receitas de bacalhau com broa. Se fica bem com bacalhau, não pode falhar com lombinhos de pescada. E é mesmo!

 

Lombinhos de Pescada com Broa

 

 

4 lombinhos de pescada

4 fatias de bacon

1 cebola

3 dentes de alho

100 grs de miolo de broa

3 colheres de sopa de salsa picada

1 colher de chá de sal

¼ de copo de vinho branco

¼ de copo de água

¼ de copo de azeite

 

Cortar a cebola em meias luas fininhas e dispor num pyrex.

Por cima põem-se os lombinhos de pescada.

Numa taça misturam-se a broa, o bacon, os alhos e a salsa, tudo muito bem picadinho. Tempera-se de sal e espalha-se sobre a pescada. Por cima verte-se o vinho, a água e o azeite.

Leva-se a forno médio por cerca de 30 minutos, até a broa estar dourada.

Servir com batatas e feijão-verde cozidos.

 

Nota: pode-se polvilhar com pimenta

 

Seg | 03.10.11

HOT! HOT! HOT!

Este ano a minha produção de malaguetas foi muito prolífera! Tanto que agora ando a utilizar malaguetas em quase tudo o que cozinho já que prefiro utilizá-las frescas do que quando estão secas.

Esta sopa de lentilhas até faz suar! Ficou muito boa, o que não é de admirar já que as lentilhas são das leguminosas que prefiro e com um pão estaladiço e uma taça de vinho é uma refeição mais do que completa!

 

Sopa de Lentilhas Vermelhas

 

 

 

1 cebola roxa

3 colheres de sopa de óleo de girassol

2 tomates maduros

1 malagueta

1 colher de chá de garam masala

1 colher de chá de curcuma (açafrão das Índias)

¼ de colher de chá de cominhos em pó

1 salpico de vinho branco

1 copo de lentilhas

1 cenoura

1 curgete

Água q.b.

Sal

Coentros

 

Picar a cebola e alourar no óleo com a malagueta e as especiarias.

Juntar os tomates pelados e sem sementes e salpicar com o vinho branco.

Adicionar a cenoura e a curgete descascadas e a água (cerca de 1 litro).

Temperar de sal e deixar cozer. Retirar a malagueta e passar com a varinha mágica.

Servir com os coentros picados.