Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Sex | 29.07.11

Frittata di Zucchini

É bom quando queremos fazer uma refeição rápida e com meia dúzia de ingredientes sai uma beleza que até dá pena comer…

A inspiração veio daqui.

 

Pastelão de Curgete

  

 

4 ovos grandes

½ copo de queijo ricotta (ou requeijão)

2 colheres de sopa de queijo parmesão

1 pitada de sal

1 pitada de pimenta preta

1 colher de chá de manjericão picado

1 colher de chá de cebolinho picado

Azeite para fritar q.b.

2 curgetes pequenas cortadas em rodelas fininhas

 

Batem-se os ovos numa tigela e adicionam-se os queijos parmesão e ricotta. Juntam-se o sal, pimenta, manjericão e cebolinho e mexe-se bem. Reserva-se.

Numa frigideira aquece-se azeite e salteiam-se as rodelas fininhas de curgete. Deixam-se amolecer por cinco ou seis minutos e retiram-se da frigideira.

Juntam-se à mistura de ovos e queijo e mexe-se.

Volta-se a colocar a frigideira ao lume com o restinho do azeite no fundo (se necessário acrescenta-se mais um bocadinho) e deita-se a mistura de ovos e curgete na frigideira. Deixa-se fritar de um lado, com uma tampa maior do que a frigideira vira-se o pastelão ao contrário, volta-se a colocar na frigideira, desta feita o lado que não está ainda frito fica virado para baixo e acaba de se fritar.

 

Servir com umas cenouras cozidas temperadas com azeite e sumo de limão e uma salada de tomate.

 

Qui | 28.07.11

outro bolo de pêssego

Os pêssegos ainda caem da árvore açoitados pelo vento que não nos deixa em paz. Têm mesmo que ser gastos rapidamente senão vão para o lixo e deitar comida fora é sacrilégio para mim… por isso cá está mais uma variação em bolo, este ligeiramente picante com o gengibre e a noz moscada.

Muito bom!

 

Bolo de Pêssego e Gengibre

  

 

2 ¾ copos de farinha com fermento

1 copo de açúcar amarelo

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 colher de chá de gengibre

1 colher de chá de canela

1 pitada de noz moscada

1 ovo

Raspa de um limão

1 copo de leite com uma colher de sopa de sumo de limão (repousar 5 minutos)

½ copo de óleo

2 copos de pêssegos cortados em quadrados

 

Aquecer o forno e untar uma forma.

Numa taça combinar os primeiros 6 ingredientes (secos).

Noutra taça juntar os seguintes 4 ingredientes.

Misturar os conteúdos das duas taças e mexer. Juntar os pêssegos e envolver bem.

Levar ao forno médio cerca de 40 minutos. Verificar com um palito no centro a ver se está cozido.

 

Qua | 27.07.11

cool gadgets

Este utensílio veio do Brasil, não sei se há por todo o país ou apenas na zona de onde veio, Aquiraz, no nordeste.

É usado como espremedor/medida para fazer caipirinhas.

Num lado põem-se limas em metades, aperta-se com a parte de cima e sai o sumo pelos furinhos.

A parte concava serve para medir as partes de cachaça que vão servir para a caipirinha.

Isto se quisermos estar com preciosismos já que quando faço caipirinhas o que quero mesmo é encher o copo!!!

 

Espremedor/medidor

 

  

 

 

Ter | 26.07.11

bikkies

Se até no pino do verão com calor ligo o forno e faço assados, bolos e biscoitos, imaginem com este tempo, em que parece que o verão foi passar as férias para outras latitudes e deixou em sua substituição um outono rancoroso…

 

Biscoitos de Cacau e Sésamo

 

 

¾ de copo de farinha

¼ de copo de cacau em pó

1 copo de aveia

¾ de copo de sementes de sésamo

¾ de copo de açúcar amarelo

100 grs de margarina

3 colheres de sopa de Golden Syrup (ou mel)

1 colher de sopa de água a ferver

1 colher de chá de bicarbonato de soda

 

Aquecer o forno e preparar um tabuleiro com papel vegetal.

Misturar os ingredientes secos numa taça grande (da farinha ao açúcar).

Num tachinho derreter a margarina e o Golden Syrup (ou mel).

Mexer a água a ferver com o bicarbonato de sódio numa chávena pequena. Vai fazer muita espuma, é normal. Juntar à margarina derretida e mexer.

Misturar este preparado com os ingredientes secos e mexer bem.

Fazer bolas do tamanho de nozes e espalmar. Colocar no tabuleiro e cozer no forno de 12 a 15 minutos.

 

Nota: estes biscoitos não levam ovos, são bons para quem não os pode consumir.

Vi esta receita no livro Cookies, Muffins and Cakes, da Bay Books

 

Seg | 25.07.11

nostalgias

Quando trabalhava em Lisboa, costumava ir almoçar à cantina da empresa onde trabalhava. Um dos meus pratos favoritos era Goulash à Hungara que havia pelo menos uma vez por mês.

Acho que desde essa altura nunca mais voltei a comer e no outro dia, numa de revivalismo, lá fui desencantar uma receita que muito se parecia com a que comia lá.

 

Goulash à Hungara

 

 

1 kg de vitela cortada em cubos

2 cebolas grandes picadas

3 dentes de alho picados

2 colheres de sopa de pimentão vermelho em pó (paprika)

Caldo de carne (ou água)

Sal e pimenta q.b.

Alourar a carne no azeite bem quente. Juntar a cebola picada e os alhos também picados. Saltear até ficarem translúcidos. Adicionar o pimentão vermelho e mexer. Juntar o caldo de carne (ou água) e temperar com sal e pimenta. Deixar cozer por cerca de uma hora e meia a duas horas em lume baixo, até a carne estar bem cozida, quase a desfazer-se.

Servir com arroz solto ou puré.

 

Sex | 22.07.11

de forma diferente

Precisava de um bolo que fosse bom para o lanche, para levar para uma festa familiar. A escolha recaiu nesta receita que me pareceu muito prática (tudo o que leve óleo em vez de manteiga para mim é um ganhador!).

Ficou muito bom, o bolo na festa e os muffins lá em casa!

 

Bolo (ou Muffins) de Banana

 

 

1 e 2/3 de copos de farinha

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

¼ de colher de chá de canela

½ colher de chá de sal

1 copo de açúcar

2 ovos

½ copo de óleo de girassol

3 bananas grandes, bem maduras

2 colheres de sopa de iogurte ou crème fraiche

1 colher de chá de extracto de baunilha

2/3 de copo de nozes (opcional)

 

Aquecer o forno e untar as formas escolhidas.

Misturar a farinha, bicarbonato de sódio, canela e sal.

Bater o açúcar e os ovos até ficar um creme esbranquiçado. Misturar o óleo e bater. Adicionar as bananas esmagadas, o iogurte (ou crème fraiche - comprei no Intermarché 0% gordura) e a baunilha.

Adicionar os ingredientes secos e mexer sem bater demais. Adicionar também as nozes.

Deitar nas formas e levar ao forno por cerca de 30 a 40 minutos.

 

Nota: Usei uma forma de bolo inglês e um tabuleiro de muffins (rendeu um bolo e oito muffins).

Não usei nozes.

Nos muffins, antes de levar ao forno, deitei no meio uma colher de chá de chocolate derretido que tinha sobrado de uma cobertura de bolo de chocolate.

  

Qui | 21.07.11

tartiza ou pizarte???

É uma pizza! Não, é uma tarte! Não, é uma pizza!

É bom. É fácil.

Toca a fazer

 

Tarte Pizza

 

 

1 embalagem de massa folhada

4 tomates bem maduros

1 queijo de cabra (100 grs)

Orégãos

Azeitonas

Azeite

 

Pôr a massa numa forma de tarte.

Dispor as rodelas de tomate. Por cima as fatias bem finas do queijo e as azeitonas cortadas em bocados.

Polvilhar com os orégãos e deitar um fio de azeite sobre tudo.

Levar ao forno por cerca de 30 minutos.

 

Nota: usei queijo Palhais (das embalagemos que trazem dois queijos de 100 gramas cada)

 

Qua | 20.07.11

afinal é tubarão

Esta receita foi-me dada por uma colega. O peixe utilizado era raia. Como não sou super fã de raia, decidi optar por tintureira.

A tintureira é uma espécie de tubarão que abunda ao longo da nossa costa e que se encontra nos congelados do supermercado.

É um peixe branco e saboroso e fica muito bem com esta roupagem.

 

Alhada de Tintureira 

 

 

6 dentes de alho

6 colheres de sopa de azeite

1 colher de sopa de farinha

1 colher de sobremesa de colorau

Sal q.b.

2 copos de água a ferver

2 postas grandes de tintureira

1 malagueta

1 haste de nêveda

1 raminho de coentros

 

Alourar os alhos no azeite. Juntar a farinha e o colorau, mexer bem e adicionar a água. Juntar as folhas de nêveda e a malagueta ao molho. Adicionar as postas do peixe e cozinhar por 20 minutos. Juntar os coentros picados e servir com batatas cozidas e curgetes salteadas.

 

Nota: A nêveda (Nepeta Cataria) é uma espécie de hortelã, ligeiramente sedativa, também conhecida por erva-gateira (os gatos adoram o seu cheiro).

 

Ter | 19.07.11

fruta da época...

Eu avisei, os pêssegos estão aí e têm mesmo que ser consumidos!!!

 

Batido de Pêssego

 

 

1 iogurte natural

2 pêssegos bem maduros

1 folha de limonete

 

Descascar os pêssegos e colocar no liquidificador. Juntar o iogurte e a folha de limonete e liquidificar tudo.

Verter para um copo e saborear.

 

Seg | 18.07.11

Bioria

Aqui há uns dias falei de um arroz que é cultivado nas marinhas da zona onde vivo.

Acho que a maioria das pessoas que não é de cá nunca ouviu falar da Bioria.

 

 

 

A Bioria é um conjunto de percursos inseridos no Baixo Vouga Lagunar, parte integrante da Ria de Aveiro.

Aqui, nestes percursos, podem-se observar campos, marinhas de arroz, esteiros, sapais, juncais, pássaros, lontras e vários tipos de vegetação como a chamada Bocage que existe apenas aqui e na Normandia.

É também habitat de certos tipos de libelinhas que não são encontradas em mais nenhum sítio, bem como de aves cujas últimas raridades homologadas no nosso país foram avistadas nestes percursos. Tem a maior colónia de garças-vermelhas do país e adoptou como mascote um boneco chamado Garci.

Para melhor ajudar os visitantes, existe um Centro de Interpretação Ambiental, com técnicos prontos a responder a qualquer questão e as visitas podem ser feitas a pé, de bicicleta, kaiak, veículo eléctrico existente na zona, e que podem ser alugados por um ou dois euros, consoante se é ou não estudante.

Agora que as férias estão à porta e toda a gente anda a tentar fazer férias mais em conta, porque não visitar este espaço que é fabuloso?

Traga um piquenique e vai ver que não se arrepende.

 

Nota: Fotos retiradas do site: http://www.bioria.com/

 

Sex | 15.07.11

cá estão eles, os pêssegos

Este bolo foi a minha primeira receita com pêssegos esta época.

Tenham medo, muito medo, porque ainda agora começou e já imagino imensas variações, compotas, batidos e afins…

Ficou um bolo hiper fofo (não no sentido de queriducho, mas de leve e esponjoso).

 

Bolo de Pêssego 

 

 

1 e 1/2 copos de farinha

2 colheres de chá de fermento em pó

1 pitada de sal fino

1/4 colher de chá de cardamomo moído

100 grs de manteiga sem sal, em temperatura ambiente

3/4 copo de açúcar amarelo

2 ovos

1/3 copo de óleo de girassol

4 a 5 pêssegos, cortados em fatias grossas

 

Unte com manteiga uma forma, pode ser uma tarteira ou forma de bolo.

Numa tigela misture a farinha, o fermento, o sal e o cardamomo.

Na batedeira, bate-se a manteiga com o açúcar amarelo até ficar cremoso. Juntam-se os ovos, um a um, batendo bem após cada adição. Junta-se o óleo e bate-se em velocidade média para incorporar.

Juntam-se os ingredientes secos de modo a ficar uma massa fofa. Deita-se a massa na forma preparada e por cima dispõem-se as fatias de pêssego.

Vai ao forno aproximadamente 30 minutos até ficar douradinho e um palito sair seco quando espetado na massa.

 

Nota: Usei apenas cardamomo embora na receita original leve raspa de laranja e baunilha mas como gosto muito do sabor do cardamomo, não queria mais nada a interferir.

A receita veio daqui.

 

Qui | 14.07.11

mais uma novidade

Este ano encontrei sementes de curgetes redondas à venda. Toca a semear, a ver o que era aquilo. A planta é idêntica à das curgetes que já conhecemos e os frutos são na mesma curgetes, só que estas são redondinhas, lindas!

A primeira experiência culinária foi esta. Ficaram muito boas mas têm ainda muito potencial a descobrir. Acho que é desta que as vou experimentar cruas, numa salada...

 

Curgetes Redondas Recheadas

 

 

4 curgetes redondas

200 grs de carne picada

2 cebolas picadas

1 dl de azeite

sal e pimenta q.b.

1 queijo mozarela fresco

 

Molho de Tomate

4 dentes de alho

1 dl de azeite

3 tomates maduros

1 dl de vinho branco

1 dl de água

Sal q.b.

 

Cortar umas tampinhas no topo das curgetes, do lado do cabo que as prende à planta. Com uma colher de sobremesa retirar a polpa e reservar.

Picar a polpa em quadradinhos pequenos.

Numa frigideira aloura-se a cebola no azeite, junta-se a carne picada. Mexe-se e adiciona-se a polpa das curgetes também picada e salsa. Temperar com sal e pimenta e deixar apurar, cerca de cinco minutos.

Retirar do lume e juntar o queijo cortado em bocados.

Rechear as curgetes com esta mistura e colocar as tampinhas.

Num tacho faz-se um refogado com o alho, tomate, vinho, água e sal. Quando ferver dispõem-se as curgetes sobre este molho e cozem-se com o tacho tapado por 30 minutos.

 

Nota: Podem ser usadas curgetes das normais, cortadas ao meio, beringelas ou pimentos

 

Qua | 13.07.11

almoços portáteis #5 / poupança #2

É raríssimo ir almoçar a centros comerciais, ao que se chama ‘Praças da Alimentação’. Quando tem mesmo que ser, costumo escolher uma cadeia que serve comida mais ou menos natural e com toque mediterrânico.

Não consigo, contudo, deixar de me sentir extremamente roubada pelo que me cobram por uma pequena embalagem com uma salada ou mesmo uma sandes!!! Só paga quem quer, é certo, mas não deixa de ser um exagero.

Aqui está uma réplica de uma salada que comi há algum tempo e digo-vos, fica muito mais em conta feita em casa.

 

Salada de Fusili Tricolor e Atum

 

 

1 lata de atum

150 grs Fusili tricolor cozido

1 ovo cozido

1 tomate maduro

Salsa picada q.b.

Cebolinho picado q.b.

3 colheres de sopa de azeite

1 colher de sopa de vinagre

 

Numa taça misturam-se os ingredientes (o tomate e o ovo devem estar picados em quadradinhos).

Tempera-se com azeite e vinagre e refresca-se.

 

Notas:

usei tomates mini cherry porque agora estão em grande produção na minha horta mas na salada comprada o que usaram foi tomate normal;

usei salsa e cebolinho mas na salada comprada o que usaram foi apenas salsa;

a salada comprada foi 4,50€. Como podem ver na ficha utilizada, a que fiz (já contemplando desperdícios e outros consumos [água, gás, etc.]) fica pela módica quantia 1,15€;

os preços dados são de marcas brancas de hipermercado (vistos on-line).

 

 

  

 

Ter | 12.07.11

todas diferentes, todas iguais...

 

Sim, todas são curgetes, embora com feitios e cores diferentes. Como as pessoas...

Brevemente estas redondinhas vão aparecer recheadas!

 

Curgetes 

 

 

Nunca é demais lembrar o potencial da curgete!

Rica em vitaminas (C, A, K), em Manganésio, Magnésio, Potássio, Cálcio, Ferro, etc. são mesmo um daqueles vegetais (fruto, na realidade) que não podemos dispensar.

Como tem um sabor muito suave (ok, não sabe a nada…) pode ser usada em milhentas combinações culinárias, das doces às salgadas. E pode-se comer toda, ou seja, da casca às sementes!!!

 

Seg | 11.07.11

fora de época

Eu sei que estamos quase em meados de Julho, oficialmente é verão e essas coisas todas mas o que é certo é que por aqui neste bocadinho onde vivo e trabalho, as temperaturas não têm ido muito além dos 22ºC, o que faz com  que isto mais pareça um outono antecipado...

 

Sopa de Abóbora, Cenoura e Vagens

 

 

2 batatas

1 curgete

200 grs de abóbora

2 cenouras

1 cebola

1 tomate maduro

1 mão cheia de vagens

1,5 lt de água

sal q.b.

azeite .b.

 

Levar uma panela ao lume com a batata, a curgete, a abóbora, cenoura, cebola e tomate. Temperar de sal e deixar cozer bem.

Passar com a varinha mágica.

Levar novamente ao lume e quando voltar a levantar fervura juntam-se as vagens cortadas em rodelas fininhas. Tempera-se com um fio de azeite e deixa-se ferver até as vagens estarem cozidas, uns 10 minutos.

Servir com broa de milho.

 

Sex | 08.07.11

coisas que nos fazem bem...

 

Se não houvesse mais nada que me fizesse ir a correr para casa ao fim do dia de trabalho (felizmente há!!!), esta sobremesa de certeza que preenchia os requisitos {#emotions_dlg.blink}

 

Sobremesa de Queijo e Morangos

 

 

 

Para a base:

200 grs de bolachas Digestive moídas

2 colheres de sopa de manteiga derretida

2 colheres de sopa de açúcar

1 colher de sopa de raspa de casca de laranja

3 colheres de sopa de sumo de laranja

 

Para a camada de morango:

1 colher de sopa de sumo de limão

1 colher de sopa de água

2 colheres de chá de farinha Maizena

100 grs de açúcar

500 grs de morangos

 

Para a camada de queijo:

2 folhas de gelatina

2 colheres de sopa de sumo de limão

200 grs de queijo creme (tipo philadelphia)

225 grs de açúcar

300 grs de iogurte grego

 

Para a base:

Misturar todos os ingredientes e reservar.

 

Para a camada de morango:

Misturar o sumo de limão com a água e a farinha Maizena. Mexer bem e levar ao lume até ferver. Misturar o açúcar e os morangos cortados em rodelas e reservar.

 

Para a camada de queijo:

Amolecer as folhas de gelatina em água e dissolver no sumo de limão e água aquecidos.

Bater o queijo creme e o açúcar na batedeira, juntar o iogurte e continuar a bater. Adicionar a gelatina dissolvida. Reservar.

 

Para a montagem:

Numa taça de vidro põe-se a camada das bolachas, seguida da camada do queijo e iogurte e por fim a camada dos morangos.

Leva-se ao frigorífico, de preferência até ao dia seguinte.

 

Nota: substituí o iogurte grego por quatro iogurtes naturais que escorri num filtro para café por duas horas.

 

Receita descoberta aqui!

 

Qui | 07.07.11

Aproveitar enquanto dura

As minhas plantas de manjericão são das roxas, embora também tenha por lá um pé das verdes mas o molho fica mais escuro por causa da cor das folhas.

Esta é uma versão mais ligeira do molho pesto, o tradicional leva queijo parmesão mas prefiro este assim.

 

Molho Pesto de Sementes de Abóbora 

 

 

1 molhinho de manjericão, separar as folhas

1 dente de alho

2 colheres de sopa de sementes de abóbora

2 dl de azeite

 

Triturar tudo com a varinha mágica e servir com massa cozida ou mesmo para apaladar sandes ou outras saladas.

 

Nota: As sementes podem ser tostadas previamente.

 

Qua | 06.07.11

natas do céu revisitadas

Há uma data de anos, havia uma revista chamada Guia, cujo editor da secção culinária era o Manuel Luís Goucha (quando ele ainda não vestia casacos às flores) {#emotions_dlg.sarcastic}

Havia um espaço para os leitores, se quisessem colocar questões ou enviar receitas. Nessa época eu não tinha o menor gosto pela cozinha e apenas sabia fazer bem Esparguete à Bolonhesa e Natas do Céu.

E foi essa receita, das Natas do Céu, que enviei para a revista e que foi publicada!!! 

Ó p’ra ela:

 

 

Natas do Céu

  

 

200 grs de bolacha torrada

4 ovos

2,5 dl de natas

12 colheres de sopa de açúcar

½ litro de leite

1 colher de sopa de farinha maizena

1 vagem de baunilha

Canela em pó

 

Colocar as bolachas partidas em pedaços, ou trituradas, no fundo de uma taça de vidro.

Bater as natas juntamente com quatro colheres de sopa de açúcar até obter um chantilly espesso.

Bater as claras em castelo firme. Adicionar quatro colheres de sopa de açúcar e continuar a bater até estar com a consistência de suspiro. Incorporar as claras nas natas batidas. Deitar esta mistura sobre as bolachas e levar ao frigorífico.

Com o leite, as gemas, a farinha Maizena, a baunilha e o restante açúcar (quatro colheres de sopa) preparar um leite creme.

Depois de frio, deitar o leite creme sobre o doce na taça. Polvilhar com canela em pó.

 

Nota: Se quiser preparar esta sobremesa para o próprio dia deve salpicar as bolachas com uma chávena de café bem forte para as amolecer.

 

Ter | 05.07.11

alternativas

 

Muitas vezes apetece comida que não leve carne nem peixe.

 

Lasanha de Cogumelos e Courgettes

 

 

500 grs de cogumelos

300 grs de courgettes

5 dentes de alho

1 dl de azeite

1 dl de moscatel

sal

pimenta

1 requeijão

1 ovo

2 colheres de sopa de cebolinho picado

placas de lasanha frescas

 

Molho Bechamel

2 colheres de sopa de margarina

2 colheres de sopa de farinha

2 1/2 copos de leite

sal

noz moscada

 

Fazer o Molho Bechamel:

Faça um molho bechamel com 2 colheres de sopa de margarina derretida num tachinho, adicione-lhe 2 colheres de farinha mexendo sempre e adicione o leite um bocado de cada vez. Mexa sempre até engrossar, ajuste o líquido se necessário e tempere com sal, pimenta e noz moscada. 

 

Numa frigideira salteiam-se no azeite com alho picado os cogumelos e as courgettes descascadas, tudo cortado em quadrados. Junta-se o moscatel (ou água) e deixa-se evaporar. Tempera-se de sal e pimenta.

 

Mistura-se numa taça o requeijão com um ovo e cebolinho picado.

 

Num tabuleiro pyrex põe-se uma colherada de bechamel no fundo. Por cima uma camada de placas de lasanha. Sobre a massa deita-se um terço da mistura de cogumelos e courgettes, um terço da mistura de requeijão e molho bechamel. Novas camadas até acabarem os ingredientes. A última camada é de molho bechamel que cobre tudo. Vai ao forno por 25 minutos até borbulhar e estar dourado.

 

Servir com um pão de centeio e uma salada de alface.

 

Nota: usei placas de lasanha frescas de marca branca de supermercado.

 

Pág. 1/2