Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Qui | 30.06.11

bacalhuças & acelgas

É tão versátil o bacalhau, por mais receitas que façamos ou inventemos é sempre uma maravilha o resultado final.

Acho que à excepção de Bacalhau à Espanhola, um prato que era muito costume lá em casa quando eu era miúda, gosto de todos os pratos de bacalhau, conhecidos e por conhecer {#emotions_dlg.smile}

 

Bacalhau com Acelgas e Natas

 

 

1 cebola grande

4 dentes de alho

1 embalagem de migas de bacalhau

6 batatas médias

1 molho de acelgas (ou espinafres)

azeite

vinagre

pimenta preta

sal

1 dl de natas

 

Alourar a cebola e o alho cortados em rodelas em bastante azeite. Quando estiver louro salpica-se com vinagre e juntam-se as migas de bacalhau demolhadas e escorridas.

Mexe-se bem e adicionam-se as acelgas cortadas em juliana grossa (apenas as folhas ou então espinafre, também apenas as folhas) e tempera-se de sal e pimenta.

Entretanto cozem-se as batatas em rodelas médias e escorrem-se.

Num tabuleiro fazem-se camadas de cebolada com bacalhau e acelgas, batatas às rodelas, novamente a cebolada e por cima põem-se as natas. Leva-se ao forno o tempo suficiente para alourar.

 

Nota: Usei natas de soja do Pingo Doce

 

Qua | 29.06.11

mais...

Sempre que posso escolho receitas diferentes para os mesmos ingredientes. Gosto de curgetes de qualquer maneira (ainda não experimentei cruas, humm) e já fiz a minha conta de pastelinhos de curgetes. Mas, como todos sabemos, são tão proliferas a produzir que todas as receitas são de menos para as usar…

Esta espécie de pataniscas foi adaptada desta receita. O resultado final não tem nada a ver com a receita original, apenas os ingredientes são comuns mas nem por isso deixou de ser uma maneira excelente de gastar umas tantas.

 

Pataniscas de Curgete

 

 

1 colher de café de caril em pó
1 colher de sopa de sementes de sésamo trituradas
1 colher de chá de óleo de sésamo
1 ovo
4 colheres de sopa de farinha de grão de bico
2 colheres de sopa de flocos de aveia
1 cenoura ralada
1 cebola ralada
1 curgete pequena ralada
pimenta preta moída
azeite para fritar

Misturar todos os ingredientes excepto o azeite.
Aquecer o azeite numa frigideira e fritar a massa às colheradas.
Escorrer em papel absorvente.

 

Ter | 28.06.11

ainda agora começou...

E para as curgetes não vai nada, nada, nada???

Vai sim, vai este bolo!!!

 

Bolo de curgete e chocolate

 

 

170 grs de farinha
1 colher de chá de fermento em pó
30 grs de cacau em pó
1/2 colher de chá de 'mixed spice'
90 ml de azeite extra virgem
190 grs de açúcar amarelo
2 ovos pequenos
1 colher de chá de baunilha
250 grs de curgete ralada
70 gr de avelãs
sal q.b.

Aquecer o forno.
Tostar ligeiramente as avelãs numa frigideira e cortar aos bocados.
Numa taça grande misturar a farinha, fermento, cacau, 'mixed spice' e sal.
Noutra taça misturar o azeite, ovos, açúcar e baunilha e curgete ralada com a casca.
Juntar esta mistura à farinha e combinar bem todos os ingredientes. Adicionar as avelãs e deitar numa forma untada.
Levar ao forno por 35 a 40 minutos.
Retirar do forno e deixar arrefecer.
 

Nota: A 'mixed spice' pode ser substituída por canela em pó. Receita retirada daqui.

 

Seg | 27.06.11

Marinhas de Arroz

Na zona onde vivo existem marinhas de arroz e alguns lavradores ainda cultivam, para seu consumo e pouco mais, arroz carolino.

Aqui há uns dias houve um Mercado à Moda Antiga cá na terra e aproveitei para comprar do tal arroz. Mais caro do que aquele que compramos normalmente mas este dá para saber quem o cultivou, apanhou e preparou para consumo.

Para experimentar este arroz, de grão miúdo, fiz uma receita que o deixasse malandrinho pois acho que é nesta condição que o arroz carolino melhor se dá a conhecer. 

 

Arroz Malandrinho de Frango e Açafrão

 

 

1 cebola icada
1 alho picado
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de sopa de manteiga
1 peito de frango do campo cortado em cubinhos
4 colheres de sopa de vinho branco seco
1 copo de arroz carolino lavado
1 envelope de estames de açafrão
1 mão cheia de ervilhas
sal
1,5 litros de caldo de galinha

Aquecer o caldo de galinha até ferver e juntar os estames de açafrão. Reservar.
Refogar a cebola e o alho no azeite e manteiga.
Juntar o frango e mexer bem. Adicionar o vinho e deixar evaporar.
Juntar o arroz e as ervilhas e deixar fritar mexendo sempre.
Acrescentar uma concha de caldo de galinha a ferver. Mexer e deixar evaporar. Ir acrescentando o caldo aos bocados, deixando evaporar entre cada adição.
Quando estiver cremoso e os grãos de arroz cozidos, servir de imediato enfeitando com cebolinho.

Nota: Adaptada de uma receita da revista La Cucina Italiana, edição especial  Riso & Risotti, 2007

 

Sex | 24.06.11

mão na massa

Por alturas da Páscoa, além dos tradicionais Folares, experimentei esta receita adaptada da que está no livro Modern Classics Book 2 da Donna Hay.

Ficaram uns pãezinhos excelentes e passado mais de uma semana ainda se comiam com muito agrado, torrados em fatias besuntadas de manteiga. E ficaram tão lindinhos...

 

Hot Cross Buns

 

 

Para os pãezinhos:

1 colher de sopa de fermento de padeiro (granulado)

½ copo de açúcar

1 ½ copos de leite morno

4 ½ copos de farinha peneirada

2 colheres de chá de Pimenta da Jamaica

2 colheres de chá de canela em pó

50 grs de manteiga derretida

1 ovo

1 copo de passas douradas

 

Para as cruzes:

½ copo de farinha

1/3 copo de água

 

Para a cobertura:

½ copo de açúcar

¼ copo de água

 

1) Colocar o fermento, 2 colheres de chá de açúcar e o leite morno numa bacia grande; Reservar por 5 minutos até começar a formar uma espuma.

2) Juntar a farinha, pimenta da Jamaica, canela em pó, manteiga, ovo, passas e restante açúcar à mistura do fermento. Mexer com uma colher até misturar tudo muito bem.

3) Retirar a massa da bacia e amassar por 8 minutos (ou até a massa estar bem elástica e não se agarrar às mãos) na bancada ou mesa da cozinha.

4) Colocar a massa a repousar numa bacia grande ligeiramente untada com óleo. Deixar estar até dobrar o volume, cerca de uma hora.

5) Dividir a massa em 12 bolas.

6) Colocar as bolas de massa numa tabuleiro forrado com papel vegetal. Tapar com um pano da louça limpo e deixar levedar novamente por cerca de 30 minutos.

7) Entretanto, liga-se o forno à temperatura de 200ºC e prepara-se a massa para as cruzes: misturar farinha e água e meter num saquinho de plástico para sanduíches, cortar uma pontinha do saco para deitar a massas sobre os pãezinhos a formar uma cruz.

8) Levar ao forno por 30 a 40 minutos até estar cozido e dourado.

9) Para a cobertura leva-se o açúcar e a água numa caçarola ao lume para derreter o açúcar. Pincela-se sobre os pãezinhos mal saem do forno.

 

Nota: Pimenta da Jamaica é uma pimenta de bagas grandes cujo sabor se assemelha a uma mistura de noz moscada, canela e cravinho. Vende-se nos supermercados. Também conhecida por allspice.

 

Qua | 22.06.11

ora atenção!

 

Algumas pessoas dizem-me que uso ingredientes difíceis de encontrar em algumas receitas do blogue. Fico sempre admirada porque para mim são ingredientes comuns mas na realidade, alguns dos ingredientes usados são desconhecidos para a maioria das pessoas.

Não é que sejam difíceis de encontrar, ou caros, mas como não são muito comuns acabam por passar despercebidos nas prateleiras dos supermercados.

Confesso que a primeira vez que comprei alguns não fazia a mínima ideia para o que serviam… e se calhar usei-os como não era suposto.

Por isso aqui fica uma pequena amostra de alguns ingredientes de que às vezes falo (com receita) e que podem ser comprados em hipermercados ou até em lojas de produtos naturais.

Experimentem, vá!

 

 

Molho de Peixe (Nam Pla)

 

 

Este molho cheira mal que tresanda! Mas é apenas no frasco porque mal toca o tacho ou a frigideira onde estamos a cozinhar parece que se transforma e dá um gosto muito particular a pratos asiáticos.

Lombos de Pescada Suada 

 

 

Molho de Ostras

 

 

Muito usado na cozinha chinesa, este molho é feito com ostras e é muito cremoso.

Massa Chinesa com Cogumelos 

 

 

Tahini

 

 

 

Pasta de sementes de sésamo.

Muito parecido em aspecto com a manteiga de amendoim, o seu sabor é fabuloso e pode ser usado em molhos, bolos, biscoitos, etc.

Lentilhas com Pasta de Sésamo 

 

 

Harissa

 

 

Pasta Tunisina com vários tipos de pimentos picantes e especiarias (cominhos, coentros, alho) muito usada na cozinha do Norte de África.

Atenção à quantidade, é super potente!

Camarões Fritos 

 

Como são usados em quantidades muito pequenas, um frasco pode durar anos (os meus já têm dois ou três anos).

E se me recordo, o preço de cada um destes ingredientes fica abaixo dos cinco euros pelo que podemos considerar que é um bom investimento, visto que demoram tanto a consumir.

 

Nota: Fotos retiradas da net

 

Ter | 21.06.11

Quem é???

É o Verão!!!

Ah, entre, entre, esteja à vontade, não se acanhe...

Estávamos todos à sua espera, agora não nos faça a desfeita de não ficar.

 

Sangria de Vinho Tinto

 

 

5 dl de vinho tinto

1 cálice de Triple Sec

3 colheres de sopa de açúcar amarelo

1 pau de canela

5 bagas de pimenta da Jamaica

1 limão em rodelas finas

1 laranja em rodelas finas

7,5 dl de gasosa

1 ramo de menta

gelo

 

Misturar o vinho, o licor, o açúcar, o pau de canela e as bagas de pimenta da Jamaica num jarro de vidro. Mexer bem e deixar repousar por uma hora.

Adicionar as rodelas de limão, de laranja, a gasosa, a hortelã e o gelo.

Servir muito fresco.

 

Nota: Pimenta da Jamaica é uma pimenta de bagas grandes cujo sabor se assemelha a uma mistura de noz moscada, canela e cravinho. Vende-se nos supermercados. Também conhecida por allspice.

 

Seg | 20.06.11

farinha e pão

Pão feito com farinha de centeio é um dos meus favoritos.

Compro a farinha de centeio numa loja onde se vende farinha para dar aos animais, além de farinhas para panificação. Além de ser muito mais barata posso comprar em quantidade, o que é muito prático.

Alguém me ensinou que se devia pôr a farinha no congelador de um dia para o outro para matar qualquer tipo de bicheza que por lá ande, e é isso que faço. Sim, não sei por que armazéns andou nem em que condições foi transportada e embora esteja embalada nunca é demais prevenir. 

 

Pão de Farinha Integral e Centeio

 

 

2 copos de farinha de trigo

1 copo de farinha de trigo integral

1/2 copo de farinha de centeio

sal q.b

1 colher de sobremesa de fermento

1 1/4 copos de água

 

Misturar todos os ingredientes numa bacia e deixar levedar por duas horas. Não é necessário amassar.

Pode ser usado após duas horas ou então guarda-se no frigorífico até uma semana.

Para cozer retira-se do frigorífico e põe-se num tabuleiro polvilhado com farinha de milho. Dá-se a forma desejada e leva-se a forno bem quente a cozer por 30 minutos.

 

Nota: Podem ser usados outros tipos de farinha, esta receita é bastante versátil.

 

Sex | 17.06.11

outra salada quente&fria

A pedido de várias famílias (umas Suspeitas, outras não), mais uma salada que na realidade é uma refeição.

Muito boa mesmo!

 

Salada quente&fria de Cogumelos Pleurotus

e Croutons

 

 

 

Num wok põe-se óleo de girassol e cebolinhas picadas. Deixa-se amolecer e junta-se uma embalagem de cogumelos Pleurotus em bocados e 200 grs de rebentos de soja. Salteia-se e adiciona-se molho de soja a gosto e salpica-se com vinagre de arroz.

Entretanto fazem-se uns croutons com pão seco cortado em cubinhos. Salteiam-se numa frigideira em azeite e alho até ficarem tostadinhos, temperam-se de sal e reservam-se.

Tostam-se também umas sementes de girassol numa frigideira antiaderente sem gordura. Reservam-se.

Numa travessa dispõe-se alface ou uma mistura de verduras para salada. Por cima põem-se os cogumelos e rebentos de soja e o molho que ficou no wok. Salpicam-se com as sementes de girassol, uvas passas e croutons.

Ajustam-se os temperos com mais molho de soja, azeite e vinagre de arroz, directamente sobre a salada.

 

Nota: Esta receita usou rebentos de soja criados em Portugal {#emotions_dlg.blink}

 

Qui | 16.06.11

sobremesa rapidinha

Durante a semana não dá muito jeito preparar sobremesas porque o tempo está quase todo destinado a outros afazeres.

Mas por vezes apetece qualquer coisa doce para rematar uma refeição mais ligeira ou para um lanchinho nocturno.

Este creme não é nada transcendente mas é tão fácil de fazer e fica tão gostoso que só por perguiça é que se pode dizer que não houve tempo para preparar algo docinho...

 

Creme de Custarda 

 

 

1/2 lt de leite

2 colheres e 1/2 de sopa de pó de custarda

3 colheres de sopa de açúcar

1 casca de limão

1 pau de canela

50 grs de manteiga

canela em pó

 

Misturar o pó de custarda com o açúcar e adicionar o leite, um pouco de cada vez para não formar grumos. Juntar a casca de limão e o pau de canela e a manteiga e levar ao lume, mexendo sempre, até engrossar.

Deitar em taças e polvilhar com canela em pó.

 

Nota: O pó de custarda (custard powder) vende-se nos hipermercados e está normalmente junto à farinha maizena, gelatinas, etc.

Imagem da embalagem do Custard Powder retirada do site www.ramazzotti.pt

 

 

Qua | 15.06.11

onde é que ele anda, o bom tempo?

Algures, que não aqui, há-de estar um calor daqueles que pede bebidas super frescas e sombra.

Para os que estão nesses sítios, aqui vai uma sugestão.

Uma sangria branca, das minhas favoritas, embora não despreze uma feita com vinho tinto! 

Do género: como o Jacinto {#emotions_dlg.blink}

 

 

Sangria de Vinho Branco e Limão

 

 

2,5 dl de vinho branco

1 cálice de Moscatel

2 colheres de sopa de açúcar amarelo

1 pau de canela

1 estrela de anis

1 limão às rodelas

5 dl de gasosa

gelo

1 ramo de hortelã

 

Misturar o vinho, o Moscatel, o açúcar, o pau de canela e a estrela de anis num jarro de vidro. Mexer bem e deixar repousar por uma hora.

Adicionar as rodelas de limão, fininhas, a gasosa, o gelo e a hortelã. Servir muito fresco.

 

Nota: uso mesmo gasosa, daquela à antiga que não tem sabor a lima nem limão

 

Ter | 14.06.11

misturas diferentes

Uma ideia que surgiu de uma entrada servida num restaurante na Galiza. Uma daquelas felizes descobertas, quando já estamos cheios de fome e decidimos, em desespero de causa parar no próximo restaurante que aparecer mesmo que não façamos ideia do que lá se pode comer... e aceitar a sugestão do dono, que nos serviu uma salada para entrada que foi uma das melhores que já comi.

Esta que aqui faço não tem muito a ver porque o único ingrediente em comum é a alface além da ideia da mistura quente/frio, mas ficou igualmente saborosa.

 

Salada Quente de Camarão  

 

 

 

200 grs de camarão descascado

2 alhos franceses pequeninos

azeite q.b.

1 colher de chá de soja

1 colher de chá de molho de peixe

1 colher de chá de vinagre balsâmico

1 dl de água ou vinho moscatel

 

1 alface

folhas de espinafre pequenas

folhas de beldroegas

1 colher de sopa bem cheia de passas douradas

1 colher de sopa bem cheia de amêndoas em lascas torradas

4 cogumelos grelhados

2 cornichons

sal q.b.

 

Numa frigideira alouram-se rodelas de alho francês (ou alho) em azeite. Adicionam-se os camarões e temperam-se com soja, molho de peixe e vinagre balsâmico. Deixa-se apurar e adiciona-se um pouquinho de água ou vinho moscatel.

 

Num prato de servir dispõem-se a alface em pedaços, as folhas de espinafre e as de beldroegas. Juntam-se os cogumelos cortados em quartos. Salpicam-se com as passas e as amêndoas e tempera-se de sal.

Por cima deita-se a mistura dos cogumelos, ainda quente e envolve-se bem. Enfeita-se com os cornichons. Pode-se adicionar um fiozinho de azeite para finalizar.

Servir de imediato.

 

Notas: Podem ser usados cogumelos de lata, usei frescos porque tinham sobrado de outra refeição.

 

Seg | 13.06.11

high expectations #2

 

Deram-me cerejas. Muitas cerejas!!!

  

 

Lembrei-me logo de um livro que tenho desde os doze anos. E que desde essa altura fiquei 'vidrada' numa receita que lá tinha e que era feita com cerejas. Esta era a altura certa para experimentar a tal sobremesa e ver se vinha de encontro às expectativas criadas há anos. Muitos anos... 

 

Toca a ir buscar o livro, o aspecto dele já não é o melhor mas isso significa apenas que foi muito usado, quanto mais não seja para ver as imagens e também para servir de livro de rabiscos de uma sobrinha minha (sim Joana, tu!!!) já que por quase todas as folhas está a prova de uma tentativa de escrita muito precoce... 

 

 

 

Balões Vermelhos (ou Clafoutis de Cerejas) 

 

     

 

500 grs de cerejas

100 grs de farinha de trigo

150 grs de açúcar

3 ovos

1 copo de leite

1 pitada de sal

 

Untar a forma.

Retirar os pés e caroços às cerejas e colocá-las no fundo da forma. 

Colocar a farinha numa tigela e fazer um buraco no meio. Deitar o açúcar, o sal e os ovos inteiros e misturar muito bem. Adicionar o leite ao preparado e mexer para não ficar com grumos.

Deitar esta mistura sobre as cerejas e levar ao forno por cerca de 40 minutos.

 

Nota: Acrescentei 50 grs de amêndoa em pó à farinha. Não retirei os caroços às cerejas.

 

Reflexão: A receita, na minha opinião, não veio de encontro às grandes expectativas criadas desde há muito tempo. De qualquer modo serviu para virar uma página e concluir uma coisa que andava para fazer há anos. 

 

Qui | 09.06.11

se hoje é dia de festa...

... Comemoremos!!! Afinal são 5 anos!

 

Bolo de Courgette com Pepitas de Chocolate 

 

 

2 ¼ copos de farinha

¼ copo de cacau em pó

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

¼ de colher de chá de sal

¾ de copo de óleo de girassol

1 ½ copos de açúcar

2 ovos grandes

1 colher de chá de extracto de baunilha

½ copo de leite com 1 colher de chá de vinagre

2 copos de courgette ralada (com a casca)

150 grs de mini pepitas de chocolate

Açúcar em pó (opcional)

 

Peneirar a farinha e misturar com o cacau em pó, o bicarbonato de sódio e o sal. Reservar.

Bater o açúcar com o óleo. Misturar os ovos, um de cada vez,  e adicionar a baunilha.

Juntar os ingredientes secos alternadamente com a mistura de leite e vinagre, batendo bem. Adicionar a courgette ralada e espremida do excesso de líquido e também as pepitas de chocolate.

Deitar numa forma untada e levar ao forno por cerca de 45 minutos. Verificar com um palito.

Polvilhar com açúcar em pó (opcional).

 

Nota:

A receita (ligeiramente adaptada) veio daqui.

Em vez de cacau em pó usei farinha de alfarroba. A ideia surgiu quando vi esta receita. Ficou excelente e vou continuar a fazer desta maneira.

Já tinha feito esta alteração noutra receita mas nem disse nada para não espantar a freguesia {#emotions_dlg.sarcastic}

 

Qua | 08.06.11

sabores exóticos

Aqui há uns dias, a ver um programa no canal de cabo Travel, estavam a fazer esta receita e, não tenho a certeza, mas acho que era na Martinica ou nas Antilhas Holandesas. Era nas Caraíbas de certeza.

Ora nas Caraíbas há rum. Muito rum!!! E esta receita levava rum e pareceu-me bem por isso lá a escrevinhei num papel (as quantidades são minhas) e logo que pude experimentei.

Bom. Muito Bom!!!

 

Caril de Frango com Rum 

 

 

500 grs de peito de frango

1 cálice de Rum

4 alhos picados

Sal q.b.

4 cebolinhas

2 colheres de sopa de óleo de girassol

2 colheres de sopa de óleo de sésamo

1 pé de erva príncipe

1 malagueta vermelha picante, comprida

1 colher de sobremesa de caril em pó

1 copo de leite de coco

 

Marinar o peito de frango cortado em cubos no rum, alho picado e sal. Reservar.

 

Numa frigideira ou wok saltear a cebolinha cortada em rodelas (pode ser substituída por uma cebola normal, picada) em óleo de sésamo e óleo de girassol. Juntar o pé de erva príncipe cortado em rodelas, a malagueta cortada em tiras finas e o caril. Mexer.

Adicionar o frango que esteve a marinar e deixar fritar mexendo para alourar por todo. Juntar o leite de coco e deixar apurar por 15 minutos.

Servir polvilhado de coentros picados.

 

Nota: como não tinha nenhuma lata de leite de coco à mão, fervi um copo de leite com duas colheres de sopa de coco ralado durante 5 minutos. Coei o líquido e usei como leite de coco. Fácil e barato!

 

Ter | 07.06.11

ainda as ervilhas tortas

As minhas ervilhas tortas já encerraram a produção deste ano. O leirão onde cresceram já aguarda a chegada de novos inquilinos mas para a despedida ainda pude fazer este prato, tão singelo mas tão reconfortante.

 

Ervilhas Tortas Salteadas e Ovos Estrelados

 

 

2 dentes de alho

1 dl de azeite

1 mão cheia de ervilhas tortas

sal e pimenta q.b.

endro picado

2 ovos estrelados

 

Saltear o alho no azeite. Juntar as ervilhas e deixar amolecer. Temperar com sal e pimenta e polvilhar com endro picado.

Servir com ovos estrelados mal passados e pão tostado.

 

Seg | 06.06.11

tempo farrusco

Hoje o dia amanheceu muito enevoado e ao longo da manhã a temperatura foi baixando e começou a cair uma chuva molha-tolos.

Estes dias são os ideais para matarmos saudades das sopas de inverno, neste caso com umas versões mais aligeiradas que podem ser comidas quentes mas, se o calor entretanto reaparecer, podem mesmo ser servidas frias. 

 

Sopa de Ervilhas Tortas

 

 

2 alhos franceses

1 dl de azeite

2 batatas grandes

1 courgette grande

100 grs de ervilhas tortas

sal

1 e 1/2 litros de água ou caldo de galinha

 

Alourar o alho francês cortado em rodelas no azeite. Juntar as batatas descascadas, courgette com casca e ervilhas em pedaços. Adicionar a água e temperar de sal.

Deixar ferver e cozer por 25 minutos.

Passar com a varinha mágica e servir acompanhado de tostas ou gressinos.

 

Sex | 03.06.11

bolo 'up-side-down'

Este bolo é mesmo bom. Pode usar-se maçã em vez do ruibarbo mas se puderem, façam mesmo com ruibarbo.

É excelente o travo ácido que o ruibarbo dá ao bolo, a contrastar com o doce meio caramelizado.

 

Bolo de Ruibarbo Caramelizado 

 

 

Para a base:

1/2 copo de açúcar amarelo

50 grs de manteiga

400 grs de ruibarbo

 

Para o bolo:

2 ¾ copos de farinha com fermento

1 copo de açúcar amarelo

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 colher de chá de sal

1 ovo

1 copo de leite com uma colher de sopa de vinagre (repousar 5 minutos)

½ copo de óleo

1 colher de chá de baunilha

 

Untar uma forma redonda. No fundo colocar uma rodela de papel vegetal e untar novamente.

Por cima do papel salpica-se o açúcar amarelo e a manteiga cortada em pedacinhos. Dispôr o ruibarbo cortado em palitos.

 

Para o bolo:

Numa taça combinar os primeiros 4 ingredientes.

Noutra taça juntar os seguintes 4 ingredientes.

Misturar os conteúdos das duas taças e mexer ligeiramente.

 

Deitar sobre o ruibarbo e levar a forno médio por cerca de 40 minutos, verificar com um palito se o bolo está cozido e retirar do forno.

Deixar arrefecer por 10 minutos e desenformar.

 

Qui | 02.06.11

mais uma

Além do Bacalhau à Gomes de Sá, que faço de vez em quando, as restantes receitas de bacalhau que faço são normalmente invenções do momento e do que anda por lá à espera de ser utilizado, como o funcho que agora está muito produtivo e umas fatias de bôla de azeite, um pão tradicional da zona de S. João da Pesqueira. E que bem ficou nesta receita!

 

Bacalhau com Funcho

 

 

1 cebola às rodelas

1 bolbo de funcho às rodelas

4 dentes de alho às rodelas

2,5 dl de azeite

8 talos de acelgas às rodelas

2 postas de bacalhau

8 batatas pequenas

2 ovos cozidos picados

8 fatias finas de bôla de azeite

salsa picada

azeitonas

rabanetes

 

Cozem-se o bacalhau e as batatas cortadas em quadrados em água temperada com sal. Escorre-se e reservam-se as batatas.

Retiram-se as espinhas e as peles ao bacalhau e separa-se em lascas grossas.

Alouram-se a cebola, funcho e alhos  em azeite. Adicionam-se os talos das acelgas e mexe-se. Juntam-se as lascas do bacalhau e as batatas e envolve-se bem. Misturam-se os ovos picados e a salsa e mexe-se.

No fundo de um tabuleiro dispõem-se as fatias de bôla de azeite. Por cima espalha-se a mistura de bacalhau e batatas e enfeita-se com azeitonas. Rega-se com azeite e leva-se ao forno por 20 minutos. Retira-se e serve-se com uma salada e rabanetes.

 

Nota: A quantidade de azeite pode ser ajustada se o bacalhau for seco.

 

Qua | 01.06.11

salada para um

Às vezes é preciso fazer uma refeição rápida e normalmente, quando é só para uma pessoa, não apetece estar a sujar tachos e panelas.

Não é que a gente não mereça, é mesmo o comodismo. Mas queremos comer bem na mesma por isso o melhor é dar asas à imaginação, fazer um raide ao frigorífico e ver o que se pode criar...

 

Salada com Mortadela de Azeitonas

 

 

Num prato põem-se bocados de alface, cebola em meias luas, azeitonas, queijo de cabra esfarelado, algumas rodelas de mortadela de azeitonas enroladas e cortadas em tiras grossas.

Salpica-se a salada com pimenta fresca moida.

Tempera-se com uma mistura de azeite, vinagre e mostarda bem mexidos.

 

Nota:
Podem-se usar outros ingredientes ou acrescentar alguns como sementes, passas de uva, beterraba, ovo, etc.