Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Ter | 31.05.11

belas lentilhas

As lentilhas devem ser um dos legumes que prefiro, embora estejam quase empatadas com o grão-de-bico...

Fazem uns pratos fabulosos, principalmente quando levam especiarias como cominhos e açafrão das Índias. Esta sopa é um desses casos, maravilhosa, e serve de prato principal pois é a estrela de uma refeição.

A receita descobri-a nesta revista

 

Aveludado de Lentilhas com Especiarias

 

 

1 cebola

1 dente de alho

1 dl de azeite

1 colher de café de cominhos moídos

1 colher de café de açafrão das Índias (curcuma)

10 grãos de coentros esmagados

250 grs de lentilhas

2 batatas grandes

2 cenouras

1 1/2 litros de água ou caldo de carne

 

Numa panela com o azeite estalam-se a cebola e o alho ligeiramente. juntam-se as especiarias e mexe-se. Adicionam-se as lentilhas, as batatas e as cenouras cortadas em pedaços e a água. Tempera-se de sal e deixa-se ferver. Baixa-se o lume e deixa-se cozer por 30 minutos.

Passa-se com a varinha mágica. Para ficar mais aveludaddo, deve-se coar a sopa num passador para que as cascas das lentilhas não fiquem na sopa.

Serve-se com um pão bem tostado.

 

Nota: A receita original usava manteiga em vez de azeite e no fim acrescentava natas à sopa. Não achei necessário pois é realmente muito cremosa

 

Seg | 30.05.11

de regresso

 

Ao fim de uns dias fora de casa, aquando do regresso apetece sempre a mesma coisa: pescada cozida!

Serve para desenjoar de outros sabores e aromas, de outras comidas, serve para 'fazer a cama' a novas receitas.

Desta vez, a pescada foi acompanhada por cenouras cultivadas por mim, pela primeira vez!!!

Ainda podem crescer mais um bocado mas desde já ficou a impressão de um sabor a sério...

 

 

As receitas voltam amanhã...

 

Sex | 20.05.11

em modo retiro...

Para o fim de semana, que se avizinha quente, aqui está uma bela sobremesa, fresquinha e muito agradável.

Volto daqui a uns dias, até lá, divirtam-se e façam uso dos ingredientes da época, que são os melhores!

 

Semi-Frio de Morango

 

 

200 grs de bolacha Maria Fibra

80 grs de manteiga

350 grs de queijo fresco batido

120 grs de iogurte grego natural

10 morangos

150 grs de açúcar em pó

3 folhas de gelatina

3 colheres de sopa de água a ferver

 

Triturar as bolachas e derreter a margarina. Misturar estes ingredientes e colocar na base de uma tarteira de fundo amovível.

Liquidificar os morangos. Reservar.

Demolhar as folhas de gelatina em água fria por 5 minutos.

Bater o queijo com o iogurte, a polpa dos morangos e o açúcar até ficar cremoso.

Escorrer as folhas de gelatina e dissolver na água a ferver. Juntar à mistura de queijo e deitar sobra a base de bolacha.

Levar ao frigorífico até solidificar.

 

Nota: usei o queijo fromage frais 0% gordura da marca Paturages, à venda no Intermarché

 

Qui | 19.05.11

à moda da minha Mãe

A minha Mãe é de uma freguesia que pertence a Sever do Vouga. Esta zona é muito afamada pela sua vitela assada e arroz de forno, normalmente feitos em forno de lenha (a minha Mãe tem um) onde também se coze a broa de milho.

Esta receita é à moda de lá, como já é feita há muitos anos e apesar da sua simplicidade, é excelente.

Não há festa ou ocasião especial que não tenha este prato à mesa.

Experimentem!

 

Vitela assada à Severense com Arroz de Forno

 

 

1 cebola cortada em quartos

1 tomate cortado em pedaços

1 folha de louro

1 naco de vitela

batatas descascadas com um golpe

vinho q.b.

água q.b.

azeite q.b.

pingue q.b.

sal

 

Arroz de Forno

1 copo de arroz

2 copos de água

sal

1 cebola pequena

1 pé de salsa

1 golpe de azeite

 

Para a Vitela:

Colocar os ingredientes num tabuleiro de barro pela ordem, temperar com sal grosso e levar ao forno bem quente por cerca de duas horas. A carne pode ser cortada em nacos grandes ou apenas numa peça. A meio da cozedura podem-se voltar as carnes e batatas para tostar por igual.

 

Para o Arroz:

Colocar os ingredientes numa caçarola de barro e levar ao forno. Fica seco e tostado.

 

Nota: Esta foi temperada pela minha Mãe {#emotions_dlg.orangeflower}

 

Qua | 18.05.11

massa às cores

Ando um bocado em modo nem é carne nem é peixe.

É vegetariano, mais ou menos. 

 

Fusili Tricolor com Cogumelos

 

 

1 embalagem de cogumelos brancos

1 cebola

3 colheres de sopa de azeite

1 colher de sobremesa de Adobo

¼ de copo de vinho moscatel

½ copo de caldo de galinha

50 ml de natas

Salsa picada

250 grs de Massa Fusili Tricolor cozida

 

Cozer a massa e escorrer. Reservar.

Numa frigideira aloura-se a cebola. Juntam-se os cogumelos cortados em quartos e salpica-se com o moscatel. Tempera-se com o adobo (ou sal e pimenta).

Junta-se o caldo de galinha e deixa-se apurar por 5 minutos. Adiciona-se a massa cozida e juntam-se as natas. Envolve-se bem e polvilha-se com salsa picada.

 

 

Ter | 17.05.11

erva doce

Tenho umas plantas de funcho no quintal que agora se apresentam muito frondosas e libertam um aroma muito agradável. No entanto, se nos descuidamos por uns momentos, são capazes de tomar conta de todo o espaço e por isso ando sempre a arrancar novos pés que nascem até nas rachas do cimento! É bem persistente, a plantinha…

Por outro lado, dá uns bolbos que ficam muito bem em certas comidas. Não são tão redondinhos e lustrosos como os que se vêem nos supermercados mas têm muito mais presença em sabor e cheiro.

  

Quiche de Courgette e Funcho

 

 

1 base de massa quebrada

1 bolbo de funcho

1 courgette

2 dentes de alho

2 colheres de sopa de azeite

50 grs de queijo Feta

3 ovos

1 iogurte

1 dl de natas

25 grs de amêndoas em lascas

Adobo (ou sal e pimenta)

 

Saltear em azeite com o alho picado o funcho e a courgette. Deixar amolecer e reservar.

Forrar uma tarteira com a massa da tarte. No fundo colocar a courgette e funcho, o queijo Feta esfarelado e as lascas de amêndoa.

Numa taça batem-se os ovos, iogurte e natas e tempera-se com Adobo ou sal e pimenta fresca.

Deitar esta mistura sobre a tarteira e salpicar com mais algumas lascas de amêndoa.

Vai ao forno por 25 minutos.

Servir com uma salada.

 

Seg | 16.05.11

a despachar/almoços portáteis #4

Quando o tempo é pouco e é preciso uma refeição no momento!

Além disso, as sobras podem facilmente transformar-se em 'Almoços Portáteis'.

Ou então faz-se propositadamente para esse efeito já que esta salada é tão boa fria como quente.

 

Salada quente de Atum e Grão de Bico

 

 

1 cebola grande

1 haste de aipo

4 colheres de sopa de azeite

1 colher de sopa de vinagre

1 frasco de grão de bico

1 lata de atum

1 ovo cozido

Mistura de salsa, cebolinho e endro picados para polvilhar

 

Alourar a cebola e o aipo picados em azeite. Juntar o vinagre e mexer. Adicionar o atum e o grão de bico e deixar apurar por 5 minutos.

Retirar do lume e polvilhar com as ervas aromáticas. Enfeitar com o ovo cozido e servir com salada de alface, picles de beterraba e azeitonas.

 

Sex | 13.05.11

aquele!!!

A receita deste bolo surpreendeu-me pelo nome. “Aquele” bolo de chocolate!

Tive que o experimentar.

Se calhar mudo-lhe o nome para “O” bolo de chocolate!!!

 

Aquele Bolo de Chocolate

 

 

Bolo:

2 copos de açúcar

1 ¾ copos de farinha

¾ copo de cacau em pó

1 colher de chá de sal

1 ½ colheres de sobremesa de fermento em pó

1 ½ colheres de sobremesa de bicarbonato de sódio

2 ovos grandes, batidos ligeiramente

½ copo de óleo

1 copo de leite

1 copo de água a ferver

 

Misturar todos os ingredientes excepto a água a ferver e bater na batedeira por dois minutos. Acrescentar a água com cuidado. A massa vai ficar bastante líquida mas é mesmo assim.

Vai ao forno em forma sem buraco untada e com papel vegetal no fundo da forma.

Coze em forno médio por 35 minutos (experimentar com um palito após os 30 minutos).

Retirar do forno e deixar arrefecer por cinco minutos na forma. Desenformar e deixar arrefecer completamente.

 

Recheio:

300 grs de natas espessas

3 colheres de sopa de açúcar em pó

150 grs de morangos

 

Bater as natas com o açúcar em pó até ficar mais volumoso e cremoso. Misturar os morangos bem picadinhos e envolver.

 

Cobertura:

200 grs de chocolate de cobertura

200 grs de natas espessas

1 colher de sopa de manteiga

 

Derreter num tachinho estes ingredientes. Mexer bem para que fique um creme liso e brilhante.

 

Preparação:

Cortar o bolo ao meio depois de frio e rechear com o creme de morangos. Colocar a outra metade em cima e aplicar a cobertura com uma espátula. Pode-se alisar ou fazer algum efeito como escolhi fazer, parecem ondinhas.

Levar ao frigorífico para refrescar e endurecer ligeiramente a cobertura.

Servir.

 

 

 

Nota: Este bolo é para corajosos!!! (para os que têm a coragem de não se deixar abalar com as notícias da balança...)

 

Qui | 12.05.11

Forma Tiara

Como prometido, cá está a receita feita na forma Tiara!

Esta forma de tarte tem a particularidade de a massa a usar não ser massa de tarte mas sim uma massa de bolo, fácil de fazer (esta que fiz foi inventada com o que havia).

Na receita original a massa é das instantâneas, de pacote.

Como fico logo com 'brotoejas' mal penso em comprar um pacote de bolo instantâneo, achei melhor (e mais barato!) fazer eu mesma.

O resto da receita é como está onde a encontrei.

Fácil e bonita!

 

Tarte de Morangos

 

 

 

8 morangos bem maduros

Base:

1 copo de farinha

½ copo de açúcar

1/4 copo de óleo

1 colher de sopa bem cheia de queijo fresco batido (fromage frais)

1 ovo

 

Creme:

1 copo de açúcar granulado

¼ de copo de amido de milho (farinha Maizena)

¼ de copo de gelatina de morango

1 ½ copos de água

1 colher de sopa de sumo de limão

 

Base:

Misturar bem todos os ingredientes, colocar na forma e levar ao forno por 20 minutos.

Deixar arrefecer e desenformar com cuidado.

 

Creme:

Misturar bem estes ingredientes numa caçarola e levar ao lume. Mexer de vez em quando para não agarrar ao fundo e deixar ao lume até engrossar um pouco. Reservar até estar à temperatura ambiente.

 

Preparação:

Cortar os morangos ao meio (no sentido do comprimento) e dispor na base da tarte já fria.

Sobre os morangos espalha-se o creme gelatinoso e leva-se ao frigorífico para refrescar até servir.

 

Servir com natas batidas com açúcar.

 

Qua | 11.05.11

cool gadgets

Tenho esta forma há largos anos, aí uns 20. Usei-a uma vez e não correu bem.

Guardou-se e não mais voltou a ver a luz do dia. Minto, de vez em quando pegava nela e pensava que devia voltar a usá-la mas pura e simplesmente não sabia bem como.

Até que, na semana passada, vi uma receita que era feita numa forma destas e até dizia o nome da forma.

 

Chama-se Tiara!

Tantos anos a conviver com ela e nem o nome sabia {#emotions_dlg.blink}

 

 

    

 

Amanhã sai uma receita!

 

Ter | 10.05.11

outros ingredientes

 

De vez em quando dou uma volta à despensa e lá descubro alguns ingredientes que andavam esquecidos. Neste caso uma embalagem de folhas secas de lima kaffir, que me trouxeram de Inglaterra.

A lima kaffir é originária do sudoeste asiático. É uma fruta da família dos citrinos e muito parecida com a lima normal embora com casca rugosa e quase sem sumo. As folhas e a casca são muito usadas nas cozinhas tailandesa, indonésia, do Laos, Cambodja, etc.

As folhas podem ser usadas secas ou frescas e são duplas, uma mais pequena, outra maior.

 

Frango com Alho e Gengibre

 

 

4 dentes de alho picados

1 dedo de gengibre cortado em rodelas finas

4 colheres de sopa de azeite

½ copo de vinho

½ copo de água

3 folhas secas de lima kaffir

2 pernas e coxas de frango

Sal

Pimenta

 

Colocar tudo cru num tacho, pela ordem indicada. Vai a lume muito brando por 40 minutos.

Serve-se com cuscuz e uma salada.

 

Nota: as folhas de lima kaffir podem ser substituídas por meia folha de louro

 

Seg | 09.05.11

favas contadas

Está na altura delas e vêem-se pelos mercados, debulhadas ou ainda dentro da casca.

As minhas já estão prontas para usar, umas maiores outras mais pequenas. As maiores serão usadas para fazer Favas Com Chouriço ou sopa (ando curiosa para experimentar uma receita de sopa onde as cascas também entram!).

As mais pequenas são para petiscos como este.

 

Favinhas Suadas

 

 

250 grs de favas pequeninas

4 dentes de alho

Azeite

Coentros

 

Alourar ligeiramente os alhos bem picadinhos em azeite e juntar as favinhas. Tapar o tachinho e baixar o lume para o mínimo. Deixar suar por cerca de 10 minutos (até as favas estarem tenrinhas) mexendo de vez em quando.

Servir polvilhado de coentros picados.

 

Sex | 06.05.11

hic...

Esta sobremesa é óptima para servir em doses individuais, de preferência em taças de vidro para se verem as camadas.

Neste caso, como era para levar para um jantar com amigos, fiz numa taça grande.

Atenção: Manter fora do alcance das crianças e adolescentes!!! (É que leva muito Rum…)

 

Sobremesa de Banana e Rum

 

 

 

 

2 bananas maduras

20 palitos La Reine fofos

2 cálices de Rum

Coco ralado tostado

 

Para o creme de chocolate

2 copos de leite

¾ copo de açúcar

20 grs de farinha

30 grs de cacau em pó

½ colher de chá de canela

1 gema de ovo

50 grs de chocolate negro

 

Numa caçarola misturam-se a farinha, o açúcar, o cacau, a canela, a gema de ovo e o leite. Mexe-se bem e leva-se ao lume para engrossar, mexendo continuamente para não agarrar ao fundo. Quando estiver a borbulhar e com uma consistência cremosa, desliga-se o lume e acrescenta-se o chocolate negro em bocados. Mexe-se bem até estar derretido e reserva-se até esfriar.

Numa frigideira tosta-se o coco até ficar douradinho e reserva-se.

Deitar o Rum no fundo de um prato de sopa e mergulhar lá os biscoitos.

Colocar os biscoitos no fundo da taça, por cima põem-se rodelas de banana e cobrem-se com o creme de chocolate. Repete-se até esgotar os ingredientes e polvilha-se com coco tostado.

 

Nota: Receita encontrada aqui.

Em vez de guarnecer com folhas de menta como indicava a receita original, optei por usar coco ralado tostado, acho que combina bem com bananas e rum.

 

Qui | 05.05.11

coelhinho

Não fui a tempo da foto mas não seja por isso, esta receita é mesmo boa por isso experimentem.

Se não gostarerm de coelho, façam antes com frango ou carne de porco que também fica bem.

Adaptada desta receita. 

 

Coelho com molho de mostarda

 

 

1 coelho

sal

2 colheres de sopa de manteiga

2 colheres de sopa de azeite

1 cebola

½ copo de vinho branco

½ copo de água

½ copo de mostarda (tipo Dijon)

1 haste de tomilho

3 hastes de carqueja

½ copo de natas

Salsa picada .b.

 

Temperar o coelho cortado em bocados pequenos com sal.

Aquecer a manteiga e o azeite num tacho e alourar os bocados de coelho que não devem estar amontoados. Se necessário aloura-se metade da quantidade de cada vez.

Retirar os pedaços de coelho para uma taça e no tacho junta-se a cebola bem picada à gordura. Mexe-se bem e raspa-se o fundo para soltar quaisquer bocadinhos queimados.

Junta-se o vinho, o tomilho e a carqueja e mexe-se, deixando evaporar por um minuto. Depois junta-se a mostarda e a água e deixa-se ferver. Adicionam-se os bocados de coelho e deixam-se cozinhar em lume brando por cerca de 45 minutos.

Finalmente adicionam-se as natas e mexe-se bem para envolver os bocados de coelho com o molho.

Salpica-se com a salsa picada e serve-se com arroz branco, puré ou cuscuz.

 

Notas: Usei margarina Becel Cozinha em vez da manteiga;

Usei natas de soja marca Pingo Doce.

 

 

 

Qua | 04.05.11

nostalgia

Uma das coisas de que tenho saudades do tempo em que vivi em Lisboa era ir comer um bifinho à Portugália quando este restaurante ainda só existia na Almirante Reis. Agora que ‘alastrou’ por todo o país e está em muitas das grandes superfícies comerciais, não me apetece… até porque perdeu aquele fascínio.

Uma colega de trabalho deu-me esta receita e diz que é igualzinha à da Portugália. Provavelmente é igual à que se serve agora, por todo o lado, por isso, mais vale fazê-la em casa. 

 

Bife à Portugália

 

 

2 bifes de vitela

4 dentes de alho

Sal & pimenta

4 colheres de sopa de margarina

2 cálices de leite

1 cálice de café de cevada

1 colher de sobremesa de mostarda

1 colher de sobremesa de farinha

 

Numa frigideira levam-se os bifes ao lume em margarina e deixam-se fritar. Retiram-se da frigideira e reservam-se.

Em lume brando acrescenta-se o leite e deixa-se ferver. Seguidamente acrescenta-se a cevada, a mostarda e a farinha e mexe-se bem para não criar grumos. Rectificam-se os temperos e juntam-se novamente os bifes ao molho deixando apurar por mais dois minutos.

Servir com batatas fritas e ovo estrelado.

 

Nota: usei duas colheres de margarina e duas de azeite

 

Ter | 03.05.11

oh que bom

Já vos aconteceu andarem para experimentar uma receita há muito tempo e depois, quando finalmente a fazem, alteram tanto a dita que sai completamente diferente?

Esta receita era para ser com massa folhada a tapar o creme de peixe. Mas quando decidi experimentá-la, acabei por fazer antes um puré de batata e abóbora, ligeiramente inspirada numa receita do Rick Stein.

Se ficou melhor? Não sei. Mas lá que ficou uma maravilha, lá isso...

 

Pie de Peixe

 

 

Creme de peixe

4 postas de peixe branco

2 ovos

2 alhos franceses

Azeite q.b.

2 colheres de sopa de farinha

1 ½ copos de água de cozer o peixe

½ copo de leite

1 raminho de salsa e endro

Sal & pimenta

 

Puré

250 grs de abóbora

750 grs de batatas

Sal

1 colher de sopa de manteiga

½ copo de leite quente

Noz moscada

 

Cozer o peixe e os ovos em água temperada de sal (usei pescada e abrótea). Escorrer e reservar a água.

Retirar peles e espinhas ao peixe e reservar. Descascar os ovos e cortar em rodelas.

Num tachinho aloura-se o alho francês cortado em rodelas em azeite. Salpica-se com a farinha e adiciona-se líquido (água de cozer o peixe e leite) mexendo sempre de modo a ficar um creme não muito grosso. Adiciona-se o peixe em lascas e a salsa e o endro picadinhos. Tempera-se de sal e pimenta e reserva-se.

Entretanto prepara-se o puré. Coze-se a batata e a abóbora em água com sal. Escorrem-se e passam-se no passe-vite ou num aparelho de esmagar batatas para puré. Adiciona-se a manteiga e mexe-se bem. Junta-se o leite mexendo para ficar cremoso e leve e tempera-se com noz moscada.

 

Num tabuleiro ou forma refractária para tartes põe-se o creme de peixe no fundo, por cima espalham-se as rodelas de ovo cozido e sobre isto o puré.

Vai ao forno por cerca de 20 minutos até fervilhar.

Servir com legumes cozidos.

 

Nota: O endro também é conhecido por funcho fedorento, dada a sua parecença com o funcho embora o cheiro e sabor sejam completamente distintos.

 

Seg | 02.05.11

bem bom

Estas tarteletes são mesmo simples e apenas levam fruta, açúcar e canela. Por isso podem perfeitamente ser acompanhadas de uma bola de gelado cremoso ou mesmo de umas natas batidas.

 

Tarteletes de Maçã e Ruibarbo

 

 

1 embalagem de massa folhada

100 grs de ruibarbo

2 maçãs

4 colheres de sopa de açúcar amarelo

1 colher de sobremesa de canela em pó

 

Cortar o ruibarbo e as maçãs descascadas em quadradinhos. Misturar o açúcar e a canela e envolver a fruta nesta mistura.

Cortar a massa folhada em quatro com ela forrar quatro forminhas de tartelete. Cortar o excesso e reservar.

Por cima da massa da tarte divide-se a mistura de maçãs e ruibarbo. Tapam-se com tirinhas da massa folhada que sobrou.

Vai a forno quente por cerca de 25 minutos, até estar tostado.

Servir morno com uma bola de gelado de nozes.

 

Nota: Pode ser feito apenas com maçã