Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Qui | 31.03.11

incompreendida :))

 

Quiche de quê??? Ahahahah, só mesmo tu…

Qualquer dia ainda te lembras de fazer sopa de urtigas ou isso. Não, espera! Já fizeste!!!

Pronto, isto resume mais ou menos a reacção dos outros às minhas experiências culinárias {#emotions_dlg.blushed}

 

Quiche de Grelos e Quejo Feta 

 

 

1 base de massa quebrada

4 fatias de mortadela de peru com azeitonas

grelos cozidos

50 grs de quijo Feta

3 ovos

1 iogurte natural

1 copo de iogurte de leite

sal

pimenta

 

Aquecer o forno.

Pôr a massa numa tarteira.

No fundo colocam-se as fatias de mortadela. Por cima espalham-se os grelos cozidos e esfarela-se o queijo Feta. Pode ser usado queijo de cabra em substituição.

Numa taça bater os ovos com o iogurte e o leite e temperar com sal e pimenta moida na altura. Deitar este preparado sobre a tarte e levar ao lume até estar cozido e dourado, cerca de 25 minutos.

 

Nota: Os ingredientes podem ser alterados, em vez de mortadela pode ser usado fiambre, em vez de iogurte natas, etc. Os escolhidos aqui serviram para 'limpar' o frigorífico de pequenas quantidades de ingredientes que não dariam para outra coisa.

 

Qua | 30.03.11

cool gadgets

 

Acho que não tinha falado ainda deste livrinho maravilha!

Foi presente de Natal de uma Amiga e agora, em vez de andar a escrevinhar ingredientes em folhas soltas ou costas de envelopes que acabam por desaparecer, passo logo a escrever aqui à medida que vou fazendo.

Além de que é excelente para colar recortes daquelas receitas que encontramos em cantinhos de revistas.

Ainda está muito vazio mas sei que a pouco e pouco vai ficar recheado de coisas boas.

 

Moleskine

 

 

 

Ter | 29.03.11

docinho

Esta sobremesa é daquelas que não vem carregada de culpa {#emotions_dlg.blink}

Sim, afinal leite, limão, açúcar e ovos, que mal há nisso? Principalmente se as quantidades forem parcimoniosas, como é o caso aqui.

E fica mesmo a saber a limão, para quem gosta (ou para quem tem uma árvore carregadinha deles) esta é a sobremesa ideal para ir saboreando ao longo da semana.

 

Creme de Limão

 

 

¾ de copo de açúcar

¼ de copo de farinha maizena

¼ de colher de chá de sal

Sumo e raspa de um limão

2 copos de leite + 3 colheres de sopa

2 gemas de ovo

 

Numa caçarola misturar o açúcar com a farinha maizena, o sal e a raspa de limão. Adicionar o leite e mexer bem de modo a não ficar com grumos. Levar ao lume mexendo sempre  até engrossar. Ter cuidado para não agarrar ao fundo da caçarola.

Entretanto batem-se as gemas com um bocadinho de leite (3 colheres de sopa). Juntam-se ao creme de limão que entretanto já engrossou. Mexer bem e não deixar levantar fervura após adicionar as gemas.

Deitar em tacinhas e deixar arrefecer.

 

Seg | 28.03.11

rápido e bom

A panela de pressão é um utensílio que ainda não consegui definir se gosto ou não.

Passo a explicar: gosto da rapidez com que as coisas são cozinhadas mas D.E.T.E.S.T.O. solenemente o barulho que a panela faz quando começa a chiar. Acho sempre que aquilo está prestes a entrar em modo auto destruição...

No entanto, e já que tenho uma, de vez em quando ponho-a a uso e os resultados não podiam ser melhores.

 

Coelho super rápido

 

 

No fundo da panela de pressão dispõem-se em camadas:

1 cebola cortada em meias luas grossas

4 dentes de alho cortados em palitos

50 grs de bacon cortado em tirinhas

½ coelho

6 batatas médias inteiras (descascadas e com um golpe)

1 cenoura cortada em rodelas grossas

1 ramo de salsa

1 haste de tomilho

1 malagueta

½ copo de vinho branco

1 copo de água

½ copo de azeite

Sal q.b.

 

Tapar a panela e levar ao lume. Deixar cozer por 40 minutos após levantar fervura.

Servir com grelos cozidos.

 

Sex | 25.03.11

tradições

Com a Páscoa a aproximar-se a passos largos, o melhor é começar a testar receitas de folar na máquina de fazer pão.

Esta receita tinha-a há bastante tempo e costumava fazê-la à mão mas agora já não me apetece amassar e tornar a amassar por isso usei exactamente os mesmos ingredientes e quantidades só que desta vez a máquina fez o trabalho quase todo. Ficou excelente.

Este folar é o tradicional da zona onde vivo, diferente daqueles mais a norte que normalmente levam carnes. 

É costume oferecer um folar de quatro ovos aos afilhados no dia de Páscoa.

 

Folar de Ovos

 

 

1,5 dl de leite

2 ovos pequenos

40 grs de margarina

100 grs de açúcar

500 grs de farinha

10 grs de fermento de padeiro

1 colher de chá de canela

1 colher de chá de erva doce em pó

sal q.b.

2 ovos cozidos com casca de cebola

 

Na cuba da máquina de fazer pão colocam-se os ingredientes pela ordem indicada (excepto os ovos cozidos, claro!). Escolhe-se o programa de amassar (na minha máquina demora uma hora e meia).

Retira-se a massa da máquina e moldam-se os folares. No meio põe-se um ovo cozido e cruzam-se duas tiras de massa sobre os ovos.

Pincelam-se com leite e deixam-se levedar mais meia hora, enquanto o forno aquece.

Cozem por cerca de 25 minutos.

 

Qui | 24.03.11

amizades virtuais

Pertenci a um grupo de receitas virtual onde existiam pessoas de vários países: Austrália, Inglaterra, Irlanda, Chipre, Canadá, Estados Unidos, África do Sul, França, Nova Zelândia e penso que era tudo. Ah, e eu, de Portugal.

A ideia era trocar receitas, usos e costumes. Durante alguns anos houve muita camaradagem e cheguei mesmo a conhecer pessoalmente algumas das pessoas, aquando das suas passagens por Portugal em férias e ainda mantemos quase todos o contacto.

Um dos eventos que costumávamos organizar era uma refeição cujo menu era previamente definido com entrada, prato principal e sobremesa e num determinado dia, ao jantar, todos os elementos do grupo faziam aquelas receitas e depois trocavam comentários, fotos e quais as reacções da família e amigos que tivessem comido aquela refeição.

Era muito engraçado e, apesar da distância, sabíamos que naquele dia ao longo do globo havia várias famílias a seguir exactamente as mesmas receitas.

Uma delas foi esta.

 

Frango à Marroquina

 

 

1/2 frango do campo cortado em pedaços

2 colheres de sopa de óleo de girassol

1 cebola ralada ou picada muito finamente

½ colher de chá de açafrão das Índias

1 colher de chá de gengibre fresco ralado

½ colher de chá de canela em pó

Sal q.b.

Pimenta moída q.b.

1 raminho de coentros, picados

1 raminho de salsa, picada

1 limão em conserva

 

Saltear o frango no óleo e acrescentar os restantes ingredientes à excepção do limão e mexer bem.

Cobrir com água e deixar ferver lentamente até o líquido reduzir substancialmente criando um molho espesso. Isto demora cerca de hora e meia.

Retirar a polpa ao limão em conserva e passar as cascas por água. Juntar ao frango, deixar apurar mais uns minutos e servir.

Vai muito bem com couscous.

 

Nota:

Receita de Sophie Grigson publicada no The Times

 

Qua | 23.03.11

empadão

Para aproveitar arroz Basmati que se cozeu em grande quantidade num momento de distracção, um empadão vai sempre bem.

E os filetes, que estão sempre a fugir à frigideira, acharam aqui uma roupinha que lhes assentou que nem uma luva.

 

Empadão de Filetes

  

 

3 filetes de pescada

Sal

Sumo de 1 limão

Leite q.b.

2 colheres de sopa de manteiga

2 colheres de sopa de farinha

Noz moscada

Arroz Basmati cozido

1 ovo cozido

1 gema de ovo

 

Previamente temperam-se os filetes com sal e sumo de limão.

Cobrem-se os filetes com leite e levam-se ao lume, deixam-se ferver e cozer por 5 minutos.

Retiram-se do lume, côa-se o leite e reserva-se.

Desfiam-se os filetes em lascas grandes.

Com o leite, faz-se um molho branco. Primeiro derrete-se a manteiga e adiciona-se a farinha mexendo bem. Junta-se o leite em fio e continua a mexer-se até engrossar mas sem ficar muito espesso. Tempera-se com noz moscada raspada na altura.

Num tabuleiro pequeno de barro põe-se metade do arroz. Por cima do arroz as lascas de filete e o ovo cortado em rodelas. Sobre estes deita-se o molho branco. Por cima novamente o arroz que se pincela com uma gema de ovo batida com umas gotas de leite.

Vai ao forno até dourar.

 

Nota: Usei margarina Becel Cozinha

 

Ter | 22.03.11

consenso ou não

Uns dizem que o nome vem dos carvoeiros dos montes Apeninos, outros que é porque está salpicado de pimenta e fica a parecer carvão (?!?), outros que é o bacon que ao fritar fica escuro como carvão.

Depois há a corrente que diz que já existia na Roma antiga e outra ainda que diz que apareceu por volta da Segunda Grande Guerra quando os italianos tinham como ingredientes os ovos e toucinho fornecidos pelos soldados americanos.

Enfim, sem consenso à vista. O que é certo é que é delicioso e super rápido de preparar!

 

Esparguete à Carbonara

 

 

100 grs de bacon

2 ovos

2 colheres de sopa de natas

2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado na altura

pimenta fresca moída

esparguete q.b. para duas pessoas

 

Cozer o esparguete.

Cortar o bacon em quadradinhos pequenos e saltear numa frigideira até derreter a gordura. Reservar.

Numa taça bater os ovos com as natas e o queijo parmesão ralado.

Na mesma frigideira salteia-se o esparguete por um minuto e adicionam-se os quadradinhos de bacon.

Desliga-se o lume e juntam-se à massa os ovos batidos com as natas e mexe-se bem e rapidamente. Os ovos acabam por cozer com o calor.

Polvilhar com pimenta fresca moída.

 

Nota:

As orquídeas vieram da minha irmã {#emotions_dlg.happy}

 

Seg | 21.03.11

caril

Os cogumelos são mesmo versáteis e servem perfeitamente como ingrediente principal neste prato.

A receita foi adaptada de um livro que me deram e que tem apenas receitas de caril.

Um prato leve, para receber a Primavera. 

 

Caril de Cogumelos

 

 

 

1 colher de sopa de óleo de wok

1 colher de sopa de óleo de sésamo

3 dentes de alho

1 bocado de gengibre

1 colher de chá de caril

1 colher de chá de açafrão das Índias

¼ de colher de chá de cominhos

1 colher de chá de tahini

1 colher de sopa de molho de peixe

1 dl de água

2 dl de leite de coco

Sal q.b.

Coentros

 

Saltear o alho e o gengibre cortados em palitos na mistura de óleos. Juntar as especiarias e o tahini.

Saltear os cogumelos e salpicar com o molho de peixe. Acrescentar a água e temperar de sal. Deixar levantar fervura e juntar o leite de coco. Ferve mais uns minutos para engrossar o molho.

Servir com arroz basmati cozido em água temperada de sal com 2 vagens de cardamomo.

Polvilhar com coentros frescos picados finamente.

 

Notas:

Para substituir o leite de coco, fervi duas colheres de sopa de coco ralado em leite e coei

Os óleos mencionados podem ser substituídos por óleo de girassol

 

Sex | 18.03.11

muito bons

Para repor as reservas de biscoitos nas latas e para acabar com os restos de frutos secos que sobraram dos doces de Natal, nada melhor do que estes biscoitos. Foi uma mistura de duas receitas e que acabou por resultar muito bem.

 

Biscoitos de Aveia, Chocolate e Avelãs 

 

 

100 grs de manteiga

100 grs de chocolate em tablete

½ copo de açúcar amarelo

1 e ½ copos de farinha

½ colher de chá de fermento em pó

½ colher de chá de sal

1 copo de flocos de aveia

2 ovos

1 colher de chá de baunilha

1 copo de avelãs

1 copo de pepitas de chocolate

 

Num tachinho derrete-se a manteiga com o chocolate partido em bocados. Deixa-se arrefecer ligeiramente.

Numa taça mistura-se a farinha, a aveia, o fermento e o sal.

Noutra taça batem-se os ovos, o açúcar e a baunilha. Junta-se a mistura da farinha e mexe-se bem. Adiciona-se também o chocolate derretido com a manteiga até formar uma massa espessa. A esta massa juntam-se as pepitas de chocolate e as avelãs cortadas aos bocadinhos.

Dispõem-se bolinhas da massa, do tamanho de uma noz, num tabuleiro forrado com papel de ir ao forno. Cozem por cerca de 10 minutos e retiram-se para uma rede para arrefecer.

 

Notas:

Usei margarina Becel Cozinha e não usei sal

Tostei ligeiramente as avelãs antes de as cortar em bocadinhos

Rendeu 62 biscoitos

 

Qui | 17.03.11

zé do pipo

Acredito que já toda a gente fez Bacalhau à Zé do Pipo… é um clássico da cozinha portuguesa.

No entanto, eu nunca tinha experimentado. Mas redimi-me e fiz esta receita exactamente (quase) como está no livrinho de receitas ‘Receitas de Todo o Ano’, editado em Dezembro de 1996 pelo Pingo Doce (acho que foi o 1º livro de receitas que editaram) e que tem uma vasta selecção de receitas tradicionais da nossa cozinha.

 

Bacalhau à Zé do Pipo

 

 

Cozer duas postas de bacalhau em leite por cerca de 10 minutos após levantar fervura.

Escorrer (coar e reservar o leite) e retirar peles e espinhas mas sem desfazer muito as postas.

Fazer um puré de batata aproveitando o leite da cozedura do bacalhau. Pode-se juntar uma gema de ovo e uma clara batida em castelo ao puré para ficar mais fofo.

Alourar em azeite uma cebola grande e três dentes de alho cortados em rodelas muito finas.

Num tabuleiro de barro ou pyrex dispõe-se o puré de batata a toda a volta deixando o meio livre. Deita-se metade da cebolada no espaço livre do tabuleiro e por cima dispõem-se as lascas do bacalhau que se cobrem com a restante cebolada. Sobre a cebolada dispõe-se maionese e enfeita-se com azeitonas pretas.

Leva-se ao forno bem quente para gratinar por cerca de 15 a 20 minutos.

 

Nota:

Não acrescentei o ovo no puré.

 

Qua | 16.03.11

miminhos

Estas bolinhas de peixe são mesmo apetitosas e fáceis de fazer.

Excelentes para petiscar ou como entrada, devem servir-se bem fresquinhas.

 

Bolinhas de Peixe

 

 

1 lata de filetes de cavala

3 colheres de sopa de queijo fundido

3 colheres de sopa de pão fresco ralado

1 colher de sopa de salsa finamente picada

1 colher de sopa de sumo de limão

3 colheres de sopa de amêndoa em pó

 

Com um garfo esmigalham-se bem os filetes de cavala. Junta-se o queijo, o pão ralado, a salsa e o sumo de limão. Mexe-se bem.

Formam-se bolas desta massa (do tamanho de nozes) e passam-se pela amêndoa em pó.

Guardam-se no frigorífico até servir.

 

Nota:

Usei queijo fundido marca branca tipo Philadelphia

 

Ter | 15.03.11

aromas bons

Este é daqueles pratos que apetece mesmo com o tempo frio, como ainda se mantém por aqui e parece que por mais uns tempos.

A lista de ingredientes parece grande mas na realidade não é nada complicado de fazer e se prepararmos as coisas antes de começar, cortar as coisinhas todas em bocadinhos, é mesmo fácil e depois de entrar no forno sobra tempo para outros afazeres.

Acompanhar com um pão tostado no forno e um vinho tinto bem encorpado. 

 

Lasanha de carne, courgetes e cogumelos

 

 

 

1 cebola

1 colher de sopa de aipo picado

1 colher de sopa de pimento vermelho picado

1 dl de azeite

500 grs de carne de novilho picada

0,5 dl de vinho tinto

1 colher de chá de piri-piri

1 colher de sopa de molho inglês

Sal

150 grs de courgette

150 grs de cogumelos

1 embalagem 200 grs de polpa de tomate

1 copo de água

12 Placas de lasanha

1 embalagem de 500 grs de Molho Bechamel

2 dl de leite

Noz moscada

 

Amolecer a cebola, o aipo e o pimento vermelho no azeite. Juntar a carne picada e mexer. Deixar a carne perder o aspecto de crua e misturar o vinho, o piri-piri e o molho inglês. Temperar de sal e deixar fervilhar.

Juntar as courgettes picadinhas bem como os cogumelos, também picadinhos. Adicionar a polpa do tomate e um copo de água ou caldo de carne.

Enquanto apura, mais ou menos por 20 minutos, prepara-se o bechamel. Deitei o conteúdo de uma embalagem de molho bechamel comprado numa caçarola, misturei-lhe o leite, pouco a pouco para envolver bem e no fim temperei com noz moscada. Aqueci em lume brando. 

No fundo de um tabuleiro refractário ou pyrex deita-se uma colherada do molho da carne. Por cima arranjam-se três placas de lasanha. Sobre estas espalha-se uma parte da carne com molho e sobre este uma parte do molho bechamel. Voltam a repetir-se estas camadas até finalizar os ingredientes. Por cima de tudo deve ficar molho bechamel e as placas de lasanha devem ficar bem cobertas quer com molho da carne quer com bechamel.

Vai ao forno por 30 minutos até ficar dourado e borbulhante.

 

Notas:

Usei placas de lasanha com pré-cozedura mas mesmo assim optei por mergulhar as placas em água a ferver, por um minuto, antes de começar a preparar o tabuleiro. Assim não ficou tão seca como por vezes é costume.

O molho bechamel comprado é muito grosso pelo que para uma lasanha é preferível ficar um pouco mais líquido, além de que rende mais.

 

Seg | 14.03.11

gordura boa

Hoje não há receita, é apenas uma sugestão.

Às vezes antes da refeição vamos comendo pão com manteiga (aliás, nos restaurantes são normalmente as primeiras coisas a vir para a mesa).

Em casa podemos variar enquanto esperamos que o almoço ou jantar fiquem prontos. Que tal pôr numa tacinha um bocado de azeite e nele misturar orégãos ou outra erva aromática? Ou mesmo uma mistura de ervas da Provença?

Esta aqui é de azeite extra virgem e orégão, fortes, intensos.

E vai tão bem a mergulhar uns bocadinhos de pão tostadinho…

 

 

 

Sex | 11.03.11

depressa e bem

E que tal uma sobremesa com apenas quatro ingredientes (se contarmos com a água, senão são apenas três!!!)?

Tão fácil que até chateia {#emotions_dlg.rude}

 

Gelatina de Laranja e Natas

 

 

1,5 dl de água

1 pacote de gelatina de laranja

2,5 dl de sumo de laranja natural

1 pacote de natas (200 ml)

 

Ferver a água.

Bater as natas até ficarem espessas.

Dissolver a gelatina na água a ferver. Juntar o sumo de laranja. Envolver nas natas batidas.

Deitar numa taça ou em tacinhas pequenas, chávenas, copos, etc.

Pôr no frigorífico até solidificar (cerca de duas horas).

 

Qui | 10.03.11

apetece mesmo

A massa é a fast food saudável! Eu prefiro comer massa nem que seja apenas salteada em alho e azeite (os italianos têm um nome mais bonito para isso: pasta aglio & olio) do que um hamburguer ou pizza em 'praças de alimentação'.

Por isso recorro à massa para muitas refeições e nunca me canso. Com mais ou menos variantes a massa permite uma refeição rápida, deliciosa e que nos deixa satisfeitos por algumas horas. Experimentem!

 

Esparguete com Atum, Ovo e Azeitonas

 

 

1 lata de atum natural

2 ovos cozidos

1 raminho de salsa

1 haste de aipo

1 raminho de cebolinho

1 cebola roxa

1 mão cheia de azeitonas

pimenta fresca

2 colheres de sopa de mostarda

Maionese q.b.

Esparguete integral cozido

 

Cozer o esparguete (aproveitar para cozer os ovos juntamente com o esparguete).

Enquanto coze preparam-se os restantes ingredientes.

Numa taça junta-se a cebola picada miudinha, a salsa, o aipo e o cebolinho também picadinhos, o atum escorrido e desfeito e as azeitonas.

Descascam-se e picam-se os ovos e juntam-se a esta mistura juntamente com a maionese e a mostarda.

Escorre-se o esparguete e envolve-se com a mistura do atum. Tempera-se com pimenta moida e serve-se.

Este prato também é excelente frio. Para isso basta passar o esparguete por água fria durante uns minutos. A restante preparação é igual.

Vai muito bem com uma cerveja fresca.

 

Notas:

A maionese pode ser caseira ou de compra. A quantidade é a que se desejar, deve ficar cremoso.

 

Qua | 09.03.11

que não falte o pão

Há coisas que tenho que ter em casa… aliás, começo a hiperventilar se faltarem {#emotions_dlg.barf}.

São: leite, ovos e pão.

Antigamente ía buscar leite a uma ordenha que havia perto de casa. Isto antes da CEE ou UE como agora se chama. Depois disso, o preço que pagavam aos pequenos produtores era tão baixo que a maioria decidiu fechar as explorações que tinha. Por isso, leite fresco e sem aditivos é coisa que não consumo há muitos anos.

Os ovos são outra questão. Dantes toda a gente tinha umas galinhitas no quintal, que punham ovos e davam belas refeições. Agora é mais difícil conseguir ovos caseiros mas onde vivo ainda encontro e não os dispenso.

E o pão, que noutros tempos era barato e ajudava a compor as refeições está cada vez mais caro embora agora possa ser encontrado em muito mais sítios do que antigamente, em que apenas havia em padarias e panificadoras.

Com as notícias que dão como mais que provável mais um aumento no preço do pão, o melhor é tirar as teias de aranha à máquina de fazer pão (ou mesmo investir numa, que já as há a preços acessíveis) e começar a fazer pães, pãezinhos, massa de pizzas, bolas, etc.

 

Pão de Centeio (MFP)

 

 

1 e 1/2 copos de leite

1 colher de sopa de vinagre

1 colher de sopa de óleo

1 colher de chá de açúcar amarelo

1 colher de chá de sal grosso

1 copo de farinha de centeio

1 copo de farinha de trigo integral

1 e 1/2 copos de farinha de trigo

2 colheres de chá de fermento granulado

sementes de sésamo

 

Na cuba da máquina de fazer pão colocam-se os ingredientes na ordem indicada, excepto as sementes de sésamo.

Ligar a máquina e escolher a opção pretendida (na minha escolho a opção 2 - cozedura média).

Depois de levedar pela segunda vez, salpica-se com as sementes de sésamo e deixa-se terminar o ciclo de cozedura.

 

Nota: MFP = Máquina de Fazer Pão

 

Seg | 07.03.11

ruibarbo

Cá está ele, lindo, os primeiros talos deste ano que nasceram assim tão vermelhinhos porque tapei a planta com vasos grandes.

Resulta!

Experimentei esta leva de ruibarbo com uma receita da Nigella Lawson que se chama Irish Tarte Tatin.

 

Tarte Tatin Irlandesa 

 

 

900 grs de ruibarbo

250 grs de açúcar

 

310 grs de farinha

20 grs de açúcar

1 colher de chá de fermento

55 grs de manteiga gelada

1 ovo

175 ml de leite

açúcar para polvilhar

 

Aquecer o forno.

No fundo de uma forma de tarte põe-se o açúcar e o ruibarbo cortado em pedaços.

Numa taça misturam-se os ingredientes secos. Junta-se a manteiga cortada em cubos e com as mãos mistura-se bem com a farinha para ficar parecido com migalhas.

No meio destas migalhas abre-se um buraco e deita-se o leite batido com o ovo. Amassa-se até ficar uma massa homogénea.

Estende-se a massa com o rolo para formar um disco redondo que se coloca sobre o ruibarbo. Polvilha-se com açúcar e leva-se ao forno por cerca de 40 minutos.

Retira-se do forno e vira-se para um prato com cuidado para não queimar as mãos já que o molho está muito quente.

Servir com uma bola de gelado ou com natas frescas batidas.

 

 

Notas: A massa da tarte fica um bocado grossa, parece mais um scone do que massa de tarte.

Esta receita está no livro How to Eat da Nigella Lawson. 

 

Sex | 04.03.11

bolinho bom

Este bolo chama-se Hershey's 'Perfectly Chocolate' Chocolate Cake.

É muito bom e, melhor ainda, muito fácil de fazer.

Como não usei o chocolate que lhe dá nome, chamo-lhe apenas Bolo de Chocolate. Usei cacau de marca branca e, embora não tenha provado nunca o original, não deve ficar muito diferente deste.

Não fiz cobertura porque a ideia era ter um bolo que se fosse comendo quando apetecesse uma chávena de chá ou café. Ficou muito bom, húmido e super saboroso.

 

Bolo de Chocolate

 

 

2 copos de açúcar

1 e ¾ copos de farinha

¾ de copo de cacau em pó

1 e ½ colheres de bicarbonato de sódio

1 e ½ colheres de fermento

1 colher de chá de sal

2 ovos grandes

1 copo de leite

½ copo de óleo

2 colheres de chá extracto de baunilha

1 copo de água a ferver

 

Numa Taça misturam-se os primeiros seis ingredientes (do açúcar ao sal). A estes adicionam-se os ovos, leite, óleo e baunilha. Bater por 2 minutos com a batedeira.

Juntar a água a ferver, em fio enquanto vai batendo. A massa fica bem líquida.

Deitar numa forma redonda untada.

Vai a forno médio por cerca de 40 minutos (no meu forno levou exactamente 38 minutos a cozer).

Deixar arrefecer 10 minutos e remover da forma para uma grelha para acabar de arrefecer.

Polvilhar com açúcar em pó.

 

Qui | 03.03.11

sabores mediterrânicos

Para aproveitar que o tempo ainda pede forno e cozinhas quentinhas, esta receita é ganhadora!

E deixa o tempo livre para cirandar pela casa, quintal ou até para não fazer nada.

 

Frango no forno com alecrim

 

 

1 alho francês

3 cenouras pequenas

8 batatas pequenas

6 dentes de alho

12 pimentos Padrón

1 limão pequeno

4 pernas e coxas de frango

1 haste de alecrim

1 dl de vinho branco

1 dl de água

1 dl de azeite

Sal

Pimenta fresca

 

Num tabuleiro grande põe-se o alho francês cortado ao alto e depois em quatro bocados. Por cima espalham-se as cenouras cortadas ao alto, as batatas, também cortadas na vertical, os dentes de alho sem descascar, os pimentos de Padrón (podem ser substituídos por pimento verde ou mesmo omitidos) e o limão com a casca cortado em quartos.

No meio do tabuleiro arranja-se espaço para as coxas e pernas de frango. Por cima do frango parte-se a haste de alecrim em bocados e tempera-se tudo com sal e pimenta moída na altura.

Deita-se o vinho, a água e o azeite sobre os ingredientes no tabuleiro e tapa-se com papel de alumínio.

Vai a forno bem quente por 40 minutos, altura em que se retira o papel de alumínio e volta-se a colocar no forno por mais 30 minutos, até estar bem dourado e o frango bem assado.

Servir com esparregado.

 

Pág. 1/2