Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Ter | 31.08.10

italianices

Uma sobrinha minha trouxe uma mistura para risotto negro com cogumelos de Itália.

Experimentei e embora normalmente prefira fazer as coisas de base, neste caso a mistura provou ser de excelente qualidade. Apenas tinha que adicionar azeite e água para fazer o risotto.

Como tinha lá uns camarões cozidos (só tinha 12), descasquei-os e com cascas e cabeças fiz um caldo que usei para fazer o risotto, o que fez com que o sabor ficasse ainda mais apurado.

 

Risotto Nero al Funghi com Camarões Salteados

 

 

1 dl de azeite

200 grs de mistura de 'risotto nero al funghi'

4 copos de caldo de camarão

 

1 dl de azeite

3 dentes de alho

camarões descascados

 

Num tachinho aquece-se o azeite e adiciona-se o arroz, mexendo sempre. Junta-se um bocadinho do caldo, que deve estar a ferver. Mexe-se e deixa-se evaporar. Adiciona-se mais caldo, mexe-se novamente e deixa-se evaporar. Reptem-se estes passos até gastar 2/3 do caldo. Depois adiciona-se o restante de uma só vez e deixa-se acabar de cozinhar. Toda esta operação demora cerca de 15 a 18 minutos.

Entretanto salteiam-se os camarões em azeite e alho.

Para empratar põe-se o arroz, que deve ficar bem cremoso, e por cima dispõem-se os camarões.

O sabor do risotto é excelente.

Vou procurar pois por cá também deve haver à venda e apesar do cepticismo inicial, com a cor que apresentava, o resultado não podia ser melhor.

 

Seg | 30.08.10

bloody mary?

Não, é mesmo molho de tomate.

Pronto a levar ao congelador para usar naqueles meses em que o tomate que se vende nos supermercados parece de plástico...

 

Tomate passado 

 

 

 

2 kg de tomate

2 dl de azeite

 

Num tacho aquece-se o azeite e adicionam-se os tomates cortados em bocados, com pele e sementes.

Sim! Com peles e sementes.

Deixa-se refogar até estar mais ou menos desfeito e depois passa-se num passe-vite ou num coador.

Deita-se este molho em recipientes que posam ir ao congelador e guarda-se até ser necessário.

Pode ser utilizado para fazer arroz de tomate, para acrescentar em refogados, sopas, etc.

 

Sex | 27.08.10

fácil de fazer

Numa palavra: Deliciosa!!!

 

Quiche de Tomate e Queijo Cabra

 

 

1 embalagem de massa quebrada

1 tomate grande, maduro

1 queijo curado de cabra

1 dl de natas

1 dl de leite

2 ovos

orégãos

 

Numa tarteira põe-se a massa quebrada. Eu utilizo o papel onde a massa vem enrolada para servir de forro e assim não é necessário estar a untar a forma e também é mais prático para retirar a quiche da forma.

Sobre a massa põem-se rodelas de tomate. A base deve ficar toda coberta de rodelas mas não devem ficar sobrepostas.

Sobre o tomate esfarela-se o queijo. Este que usei é da marca Palhais, é bastante salgado e muito branquinho (uma embalagem traz dois).

Numa taça batem-se os ovos, leite e natas. Deitam-se sobre a base e por cima polvilha-se abundantemente com orégãos.

Vai ao forno médio cerca de 20 minutos, até dourar.

Servir com uma salada a gosto.

 

Qui | 26.08.10

almoços portáteis #3

Mais uma sugestão, neste caso é um aproveitamento de sobras, para servir fresquinho.

Agora que as courgetes já não crescem desmesuradamente, são tão tenrinhas que quase se podem comer cruas. Aqui foram muito ligeiramente grelhadas, cerca de 3 minutos, numa frigideira.

O restante são sobras de peito de frango de churrasco e um bocado de arroz basmati que sobrou de outra refeição.

 

Salada de Frango, Arroz, Courgetes, Maçã e Pinhões 

 

 

2 copos de arroz branco cozido

1 copo de peito de frango desfiado

2 courgetes mini (grelhadas)

1 talo de aipo em rodelinhas

1 maçã cortada em quadrados*

1 mão cheia de pinhões

1 colher de chá de piripiri seco

Molho vinagrete (azeite, vinagre, mostarda)

 

Numa taça misturam-se os ingredientes todos e por cima põe-se o molho.

Mexe-se bem e serve-se.

 

*usei uma maçã ainda um pouco verde, das que já começaram a cair das minhas macieiras. Como estão ainda um pouco ácidas, é um sabor que contrasta na salada e fica muito fresco.

 

Ter | 24.08.10

ena frapè glico mè gala

Adoro a Grécia! É um dos países que prefiro e adorava viver lá.

Acho que a nossa gastronomia é muito boa mas a grega leva-nos a outros patamares e a sua cultura de comer na rua é um dos pontos que mais aprecio.

Eles conseguem vender as maiores delícias numa carreta num passeio de uma rua movimentada. Não têm a polícia das comidas, de certeza...

Existem muitas coisas que se encontram por todo o país, uma delas é esta bebida.

Existe em TODO o lado e é sempre servida acompanhada de um copo de água gelada.

Se quiserem fazer um brilharete, peçam-no em língua local:

ena frapè glico mè gala.

  

Bebida Grega de Nescafé com Açúcar e Leite

 

 

1 colher de sopa de café solúvel

1 colher de sopa de açúcar

1 copo de água gelada

1 copo de leite gelado

 

No liquidificador misturam-se todos os ingredientes até formar uma espuma, cerca de 3 minutos na velocidade máxima.

Deitar num copo e juntar gelo se necessário.

 

Seg | 23.08.10

em modo compota #3

Mais uma tentativa de guardar os excessos do verão. Desta vez foram os tomates. Cultivei quatro qualidades este ano: coração de boi, maçã, cherry e uns muito pequeninos e muito vermelhos, acho que nos Estados Unidos são conhecidos como Grape Tomato (tomate uva).

Os tomates cherry crescem espontaneamente na minha horta, nem preciso de os semear ou plantar porque como caem sempre sementes no ano anterior, quando chega a altura vêm cá para fora sozinhos. O único senão é crescerem em sítios onde não queria que eles estivessem mas enfim, quem sou eu para os contrariar...

 

Doce de Tomate com Anis Estrelado

 

 

1500 grs de tomate maduro

1200 grs de açúcar

4 estrelas de anis

1/2 pacote de pectina

 

Retirar a pele aos tomates. Os que usei estavam tão maduros que a pele saía facilmente, sem ser necessário o banho em água a ferver. Melhor, menos trabalho {#emotions_dlg.sarcastic}

Retirar as sementes e cortar os tomates em pedaços ou esmagar com as mãos para dentro de um tacho largo.

Juntar o açúcar e as estrelas de anis. Quem preferir pode substituir por outro sabor, canela em pau, casca de limão, etc.

Levar ao lume e deixar levantar fervura. Baixar o lume e deixar ferver por cerca de uma hora.

Retirar a espuma e adicionar a pectina. Mexer e deixar ferver mais 10 minutos.

Pôr em frascos esterilizados e tapar imediatamente.

 

Sex | 20.08.10

vai uma fatia?

Mais uma receita ganhadora!

A substituição da manteiga (ou margarina) da receita por tahini é excelente e abre um novo leque de possibilidades, já estou a imaginar alguns biscoitos com essa substituição.

Hmmmmm, ainda falta muito para o Outono???

 

Bolo de Banana com Tahini*

 

 

 

1 copo de pepitas de chocolate

2/3 de copo de açúcar amarelo

½ copo de nozes picadas

1 colher de sopa de canela

 

1 ½ copos de farinha

¾ de colher de chá de fermento

¾ de colher de chá de bicarbonato de sódio

¼ de colher de chá de sal

½ copo de açúcar granulado

¾ de copo de Tahini (usei apenas ½ copo)

1 ovo

½ colher de chá de baunilha

2 bananas grandes, muito maduras

 

Untar uma forma (usei uma forma de bolo inglês). Aquecer o forno.

Numa taça juntam-se as pepitas de chocolate com o açúcar amarelo, as nozes e a canela. Reservar.

Numa outra taça mistura-se a farinha, fermento, bicarbonato e sal.

Na batedeira mistura-se o açúcar granulado e a pasta de sésamo até ficar bem cremoso. Junta-se o ovo e bate-se bem e adiciona-se a baunilha e as bananas esmagadas.

Adiciona-se a esta mistura à mistura da farinha até ficar uma massa lisa.

Deita-se metade desta massa na forma e por cima metade da mistura das pepitas de chocolate. Coloca-se a restante massa e no topo espalha-se o resto das pepitas e nozes.

Vai ao forno cozer por cerca de 45 minutos.

 

Da próxima vez faço só metade da mistura das pepitas de chocolate e uso-a apenas como recheio. Achei que a parte de cima, como fica muito em pó, tem tendência a espalhar muito.

 

*O Tahini é uma pasta de sésamo e pode ser encontrado à venda em lojas de produtos naturais.

 

Qui | 19.08.10

cores que me agradam

Quem me conhece sabe que as minhas cores favoritas são lilás, roxo e outras do mesmo espectro.

Por isso esta bebida tem a minha cor! 

 

Batido de Amoras Silvestres

 

 

50 grs de amoras

2,5 dl de leite frio

 

No liquidificador, juntar os ingredientes e ligar.

Passar a mistura por um coador.

Servir.

 

Qua | 18.08.10

crumble crisp

Na senda de aproveitar o que a natureza nos dá de graça, no domingo fui apanhar amoras num terreno perto de casa. Existe lá um poço, daqueles que servem para regar o milho e à volta do poço tem silvas cheias de amoras. Quase que tapam o poço.

Embora muitas ainda estivessem verdes, já deu para apanhar umas boas mãos cheias delas, madurinhas, a tingir as mãos.

Algumas foram logo logo para esta receita!

 

Crumble de Amoras

  

 

 

base:

3 copos de amoras

1 colher de sopa de farinha maizena

2 colheres de sopa de açúcar granulado

sumo de meio limão

 

crumble: 

100 grs de farinha

75 grs açúcar amarelo

50 grs de aveia

2 colheres de sopa de sementes de sésamo

2 colheres de sopa de amêndoa granulada

100 grs de manteiga

 

Põem-se as amoras limpas no fundo de um pyrex. Por cima salpica-se com o sumo de limão e com a mistura da farinha maizena com o açúcar granulado.

Para o crumble, mistura-se a farinha com o açúcar amarelo e a aveia. Adicionam-se as sementes de sésamo e a amêndoa granulada (pode ser em lascas).

Junta-se a manteiga cortada em bocadinhos e com as mãos mistura-se tudo muito bem de modo a que o resultado final se fique a parecer com migalhas.

Dispor esta mistura sobre as amoras e levar a forno médio por 30 minutos, até o topo estar bem tostadinho.

Servir simples ou regar com um fio de natas.

Outra opção é acompanhar com uma bola de gelado de baunilha.

Ou não...

 

Ter | 17.08.10

ervas daninhas que se comem

Aproveitar o que a natureza nos dá, de graça, é das melhores coisas que pode acontecer.

Acontece com as beldroegas (Portulaca oleracea). Desde que me lembro nascem espontaneamente lá em casa. Apenas há poucos anos descobri que eram boas para comer e desde então, todos os anos no verão, em vez de as arrancar como fazia antigamente pois não eram mais do que ervas daninhas, aproveito-as em saladas. E que boas que são. Ricas em ácidos gordos (do tipo omega 3), vitaminas C e B e também magnésio, cálcio, potássio e ferro.

Não lhes falta nada!!!

 

Salada de Beldroegas e Tomate

 

 

1 molhinho de beldroegas, as folhas separadas

1 tomate grande, rijo, em rodelas

flor de sal

pimenta

azeite

vinagre de cidra

 

Numa taça dispor as rodelas de tomate. Por cima espalhar as folhas das beldroegas. Salpicar com flor de sal.

Adicionar o vinagre a gosto e regar com um fio de azeite.

Por cima de tudo polvilhar com pimenta acabada de moer.

 

 

 

Seg | 16.08.10

meia lua

Uma receita fácil de fazer e que tanto pode ser servida quente como fria, é igualmente gostosa além de poder ser levada para um piquenique ou para um lanche ao ar livre.

A receita original foi retirada daqui mas optei por fazer apenas metade. E dei-lhe a forma de meia lua, para comemorar o Ramadão, que os povos árabes agora observam.

 

Folhado de Atum

 

 

1 embalagem de massa folhada

1 lata de atum

1 ovo

1 cebola

1 dente de alho

1 bocado de gengibre

salsa picada

azeite

pimenta

 

Numa frigideira aquece-se o azeite e juntam-se a cebola, o alho e o gengibre. Deixa-se amolecer e junta-se a salsa picada.

Reserva-se esta mistura e deixa-se arrefecer. Adiciona-se o ovo e o atum desfiado.

Põe-se esta mistura em metade de uma rodela de massa folhada e polvilha-se com pimenta moida.

Dobra-se a outra metade por cima, em forma de meia lua e dobra-se a beirinha para fechar.

Com um garfo fazem-se uns feitios sobre esta dobra.

Vai ao forno cerca de 25 minutos, até estar bem dourado.

Servir com uma salada como refeição ou cortado em fatias como entrada ou petisco.

 

Sex | 13.08.10

bolo de verduras?

Sou conhecida por fazer iguarias com ingredientes invulgares.

Não diria que uma courgete é um ingrediente invulgar mas num BOLO DE CHOCOLATE,  se calhar já é...  {#emotions_dlg.sarcastic}

Mas experimentem, fica mesmo fofo e é super saboroso.

A receita foi-me dada há anos, quando eu ainda nem sabia muito bem o que eram courgetes, por uma senhora americana, da Carolina do Norte.

Embora seja Carolina do Norte, está situada no Sul dos Estados Unidos e por estes lados têm muito o hábito de plantar courgetes (eles chamam-lhes zucchini, o nome vem do italiano).

Como é sabido, as courgetes crescem desmesuradamente se deixadas ‘sem supervisão’ e nas terras pequenas do sul dos EUA, onde ainda há o hábito de não se trancarem os carros, na época das courgetes trancam-se pois o mais certo é ter uma sacada de courgetes no banco do pendura quando se retornar ao carro!

Não tarda ando por aí a ver se encontro carros abertos. Tenham medo, muito medo...

 

Bolo de Chocolate e Courgetes

 

 

100 gr de chocolate negro

1/2 copo de óleo

1/2 copo de margarina amolecida

1 ½ copos de açúcar

3 ovos batidos

1 colher de chá de baunilha

2 copos de farinha

1/3 copo de cacau em pó

2 colheres de chá de bicarbonato de sódio

2 colheres de chá de fermento em pó

1 colher de chá de sal

1/3 copo de buttermilk* ou natas

3 copos de courgetes raladas com a casca

1/2 copo de nozes (opcional)

 

Aquecer o forno.

 

Derreter o chocolate com o óleo numa caçarola em lume brando.

Bater a manteiga com o açúcar até ficar esbranquiçado. Juntar ovos e baunilha. Mexer bem. Adicionar o chocolate derretido com o óleo e mexer.

Peneirar os ingredientes secos (da farinha ao sal) e adicionar aos poucos à 1ª mistura. Juntar o buttermilk (ou as natas) e as courgetes. Mexer bem e adicionar as nozes (opcional).

Levar ao forno em forma redonda sem buraco untada, por cerca de 40 minutos em forno médio. Ver com um palito se já está cozido. Retirar do forno e barrar com natas batidas ou outro creme à escolha. Enfeitar.

Esta versão foi consumida ao natural, sem recheios ou coberturas mas este bolo presta-se muito a ser decorado para uma festa.

 

 

* Por cá não temos acesso a este produto lácteo mas podemos substiruir com o mesmo efeito da seguinte forma:

para 1/3 de copo de leite misturamos 1 colher de sobremesa de vinagre e deixamos repousar cinco minutos. Depois é só utilizar conforme a receita.

 

Qui | 12.08.10

gigantes sto fourno

Digo eu em Grego!!!

 

Estes feijões são tão bons que podem, digo mesmo, devem, ser comidos sem mais nada a estorvar. São tão saborosos e macios que são por si só uma refeição. Até servem para um almoço portátil!

Mas podem sempre servir de acompanhamento de carne grelhada ou peixe frito, que é como fazem os gregos.

 

Feijocas no Forno

 

 

1 dl de azeite

1 cebola picada

2 dentes de alho picados

1 cenoura picada

1 haste de aipo em rodelinhas

3 tomates pelados bem maduros

1 dl de vinho branco

1 frasco de feijocas cozidas

1 raminho de salsa picada

1 raminho de aneto picado

sal q.b.

1 pitada de açúcar

 

Num tacho aquecer o azeite e refogar cebola, alhos, aipo e cenoura. Adicionar os tomates cortados e sem sementes e o vinho branco. Deixar refogar uns minutos e adicionar os feijões, a salsa e o aneto. Temperar de sal e adicionar uma pitada de açúcar.

Nesta fase passava-se toda esta mistura para um pyrex e levava-se ao forno por cerca de 45 minutos.

Com este calor, optei por fazer toda a receita no fogão e ficou excelente. Embora vá experimentar no forno, mais tarde, acho que não deve alterar muito no resultado final.

 

Kali Orexi!

 

Qua | 11.08.10

tapas, topas?

Já começam a ser suficientes para um petisco, estes pimentos de Padrón (da minha horta).

Ainda não apareceu nenhum que fosse picante. E quando digo picante, é de fazer saltar as lágrimas nos olhos...

Para já são apenas uns belos e suaves pimentinhos, que dão um toque exótico a uma refeição.

 

Pimentos de Padrón

 

 

pimentos

azeite

sal grosso

 

Numa frigideira larga aquece-se o azeite. Quando estiver bem quente colocam-se os pimentos e deixam-se fritar.

Devem-se virar quando começarem a aparecer umas bolhas na pele. Cuidado para não deixar queimar.

Retiram-se do lume e salpicam-se com sal grosso.

Os pés dos pimentos não devem ser retirados porque vão dar jeito para depois lhes pegar para comer, aliás, é a única coisa que deve sobrar...

Vão bem com uma cerveja geladinha, unha caña, como dizem os Galegos.

 

Ter | 10.08.10

almoços portáteis #2

Mais uma ideia para almoços práticos para levar para o trabalho ou mesmo para um picnic.

Normalmente há sempre à mão um frasco de grão de bico na despensa para não falar do azeite e os restantes ingredientes também são fáceis de encontrar e versáteis na troca, ou seja, se não temos cebolinho a salsa é um bom substituto ou os coentros e o queijo também pode ser de outra qualidade, chèvre ou outro.

Mas esta é mesmo a minha combinação favorita.

 

Salada de Grão

 

 

1 frasco de grão de bico cozido

1 dl de azeite

Sumo de 1 limão

50 grs de queijo feta

2 hastes de cobolinho

tomates para enfeitar (opcional)

 

Passar o grão por água fria e deixar escorrer.

Colocar numa taça e espremer o limão por cima. Adicionar também o azeite e mexer bem para envolver.

Por cima esfarela-se o queijo e pica-se também o cebolinho.

Enfeita-se com tomatinhos.

Estes aqui usados são mais pequenos e vermelhos do que os tomates cherry, são do tamanho de berlindes.

 

Seg | 09.08.10

pizza

Há anos que não fazia pizzas. Confesso a preguiça de fazer a massa mas com as ofertas que há agora nos supermercados, de massa fresca, não podia adiar mais e tive que experimentar. Usei a do Pingo Doce e achei que ficou muito boa, fina e estaladiça. Claro que o recheio é que fez a diferença, mas mesmo assim... {#emotions_dlg.sarcastic}

 

Pizza de 2 Queijos e Cebola Roxa

 

 

1 base de pizza

1 dl de azeite

2 tomares maduros

1 colher de sopa de orégãos

1 cebola roxa

50 grs de queijo feta

150 grs de queijo mozzarela

 

Sobre a base da pizza verte-se um fio de azeite. Por cima põe-se as rodelas de tomate bem maduro, retirar o máximo de sementes. Polvilhar as rodelas de tomate com orégãos e por cima dispor rodelas de cebola roxa e queijo feta esfarelado. Por cima de tudo cobre-se com queijo mozzarela e leva-se a forno médio por 20 minutos ou até estar bem douradinho.

 

Antes de ir ao forno:

 

 

 

Sex | 06.08.10

ainda as ameixas

Tive que fazer esta receita! Ainda tinha muitas ameixas e aqui há uns dias, numa festa de família, uma sobrinha levou este bolo para sobremesa e estava espectacular.

A receita, tal como está, é de uma Teleculinária (a nº 1470 de Junho 2007) e embora leve muita manteiga para o meu gosto, é mesmo um bolo excelente. Até estou a pensar experimentar com pêssegos, para gastar os últimos da produção deste ano. Logo vejo…

 

Bolo de ameixas frescas com amêndoa

 

 

400 g de ameixas frescas 
250 g de farinha 
200 g de manteiga amolecida 
175 g de açúcar 
100 g de amêndoa moída 
50 g de amêndoa laminada 
3 ovos 
6 colheres (sopa) de leite 
2 colher (chá) de fermento em pó 
1 colher (chá) de essência de baunilha 
Manteiga para untar 
Açúcar em pó para polvilhar 
Papel vegetal

 

Ligue o forno a 180 graus. Forre uma forma com papel vegetal e barre-o com manteiga ou margarina. Lave e seque as ameixas, retire-lhes o caroço e corte-as em gomos grossos.

Numa tigela, bata a manteiga com o açúcar até ficar um creme liso. Junte os ovos um a um e batendo sempre, adicione o leite e mexa. Junte depois a baunilha, a farinha, o fermento e a amêndoa moída e bata bem.

Deite metade do preparado anterior dentro da forma, coloque por cima os gomos de ameixa e cubra com o resto da massa. Polvilhe com a amêndoa laminada e leve ao forno durante 45 minutos.

Verifique a cozedura com um palito, retire do forno, deixe arrefecer um pouco, desenforme, rejeite o papel e deixe arrefecer. Sirva polvilhado com açucare em pó e decorado a gosto.

 

Qui | 05.08.10

aromas do mediterrâneo

Para mim, tomate e orégãos lembram-me logo o mediterrâneo e as comidas de Itália.

Aqui, poucos ingredientes fazem uma refeição de sabor extra!

 

Bifes do Lombo com Orégãos

 

 

4 bifes finos de lombo de porco

1 cebola média

2 dentes de alho

3 colheres de sopa de azeite

2 tomates grandes coração-de-boi

1 colher de sopa de orégãos

Sal q.b.

 

Cortar a cebola em meias luas e os alhos em palitos. Cortar os tomates em rodelas (eu não retirei a pele).

Levar uma frigideira ao lume com o azeite e alourar ligeiramente cebola e alhos. Por cima colocar as rodelas de tomate, sobre o tomate os bifes. Temperar de sal (pouco) e polvilhar com os orégãos.

Deixar ferver, baixar o lume e cozer por cerca de 20 minutos (se necessário juntar um pouquinho de água mas esta qualidade de tomate é muito sumarenta por isso não foi preciso).

Servir com macarrão cozido.

 

O pimentinho verde que se vê na foto é o primeiro Pimiento de Padrón deste ano!!! Não era picante...

 

Qua | 04.08.10

saladas frescas

Com o calor não apetece, geralmente, estar ao alto com o fogão a cozinhar coisas elaboradas e que demorem a ficar prontas. O melhor mesmo é ter à mão massa cozida, ou arroz branco cozido, ou cuscus, e fazer rápidas saladas que se comem frias e podem ser tão variadas quantos os ingredientes que andam pelo frigorífico. Esta foi com poucos, mas bons. 

É quase fast food com a vantagem de ser bom e saudável!!!

 

Salada de Torcidinhos Tricolores

 

 

Massa cozida q.b. para duas pessoas

Mortadela com azeitonas cortada em quadradinhos

Queijo em fatias cortado em quadradinhos

1 tomate maduro cortado em quadradinhos

1 ovo cozido cortado em quadradinhos

Cebolinho picado

Estragão picado

 

Molho:

1 parte de vinagre de framboesa

3 partes de azeite

 

Juntar os ingredientes da salada numa taça.

Misturar os ingredientes do molho. Deitar por cima da salada e mexer.

Servir.

 

Pág. 1/2