Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Dom | 30.05.10

prolongar o fim de semana...

Com esta bebida!

 

Mojito

 

 

1 limão

2 colheres de sobremesa de açúcar

8 folhas de hortelã

10 cubos de gelo partidos

150 ml de rum

1 água tónica

 

Os ingredientes acima dão para duas bebidas.

No fundo de dois copos largos põe-se o sumo de limão, o açúcar e as fohas de hortelã. Esmagam-se com a ajuda de um pilão.

Junta-se o gelo aos bocados e o rum. Mexe-se e adiciona-se a água tónica bem fresquinha.

 

O Mojito é originário de Cuba, nas Caraíbas (podia ser no Alentejo...).

A sua autoria é atribuída a Sir Francis Drake, famoso pirata, por volta de 1500. Não sei se é verdade mas é uma bela bebida.

Para esta usei rum velho, daí a cor mais dourada.

Venha daí essa semana!!!

 

Sab | 29.05.10

fim de semana = descanso

Cá está outro fim de semana, bom para relaxar dos dias agitados da semana. E para isso, nada como refeições ligeiras. Atenção, não é por serem ligeiras e descontraidas que são menos boas, aliás, são normalmente as minhas preferidas!

 

Sandes de pasta de cavala

 

 

 

1 lata de lombos de cavala em óleo

2 colheres de sopa de picles picados

1 talo de aipo

1 raminho de salsa

1 cebola pequena picada

maionese

mostarda

pimenta fresca moida

 

folhas de alface

folhas de rúcula

pão

 

Numa tigela desfazem-se com um garfo os lombos de cavala. Misturam-se os restantes ingredientes excepto alface e rúcula e mexe-se bem.

A quantidade de maionese e mostarda é a olho, a pasta deve ficar espessa mas boa para espalhar.

Depois de escolhido o pão para fazer as sandes (pode ser pão da máquina, pão da avó, pão de centeio, etc.) põe-se uma folha de alface numa metade de pão, por cima espalha-se a pasta de cavala, sobre a pasta mais alface e folhas de rúcula.

Põe-se a outra metade de pão por cima e serve-se com uma cerveja fresquinha.

 

Esta pasta pode também ser feita com atum. A cavala tem um sabor mais intenso e fica muito bom. Costumo comprar no Lidl.

Qui | 27.05.10

vegetariano, outra vez

Sou fã de quiches, principalmente as que levam apenas qualquer tipo de legumes, sem adição de carne. Com a facilidade que há actualmente para ter à mão uma base de massa quebrada ou folhada, uma quiche faz-se num piscar de olhos e é um excelente jantar nas noites mais quentes, acompanhado de uma salada, ou então para levar para os piqueniques que aí se avizinham.

E não pensem que é preciso muita coisa para fazer uma quiche assim de repente, na maioria das vezes, o que está no frigorífico é o que dita a receita. Foi o caso desta.

 

Quiche de Cogumelos e Espargos

 

 

1 embalagem de massa folhada

1 embalagem de cogumelos laminados

2 dentes de alho

2 colheres de sopa de azeite

sal e pimenta fresca

4 espargos cozidos ao vapor*

3 ovos

100 ml embalagem de natas de soja

100 ml de leite

5 nozes picadas

 

Numa frigideira aquece-se o azeite e salteiam-se os alhos picados sem deixar queimar. Juntam-se os cogumelos e salpicam-se de sal e pimenta. Deixam-se amolecer, aí uns 4 ou 5 minutos. 

Numa taça batem-se os ovos com as natas e o leite e temperam-se de sal e pimenta. 

Coloca-se a massa numa tarteira. Por cima dispõem-se os cogumelos e sobre eles deita-se o creme de ovos, natas e leite. Enfeita-se com os espargos cortados ao meio e com as nozes picadas.

Leva-se ao forno médio cerca de 20 minutos, até dourar.

 

* os espargos eram sobra, se não houver, faz-se apenas com os cogumelos

 

Ter | 25.05.10

estrangeirices

Quando era adolescente não se pode dizer que gostasse de cozinhar. Gostava de fazer uns bolitos mas as comidas do dia-a-dia não me cativavam.

Um dos meus irmãos, mais velho do que eu, andava por essas alturas na fase dos 'inter-rails' e desaparecia meses seguidos parando em terras belgas, onde costumava arranjar trabalho.

Um desses trabalhos foi num restaurante italiano e quando voltou, ensinou-me a fazer essa receita que para a nossa vivência era completa novidade. O esparguete à bolonhesa.

Foi a minha primeira incursão na culinária de outros povos.

 

Esparguete com molho Bolonhesa 

 

 

1 cebola

1 cenoura

1 dente de alho

1 raminho de aipo

azeite q.b.

500 grs de carne picada

1/4 de copo de vinho branco

1 lata de tomate picado

sal

pimenta

1 colher de sopa de molho inglês

1 copo de água

 

Num tacho aloura-se a cebola no azeite, mistura-se a cenoura ralada (não é em fios como para a salada, é mesmo aos bocadinhos minúsculos), o dente de alho picadinho e o ramo de aipo cortado em rodelas fininhas (sem a rama). Mexe-se e adiciona-se a carne picada mexendo bem para não ficar em grumos. Adiciona-se o vinho, deixa-se evaporar e mistura-se o tomate picado (se forem frescos devem ser bem maduros e sem a pele, uns 4 médios). Deixa-se refogar mais um pouco e adicionam-se os temperos (sal, pimenta e molho inglês) e a água. Deixa-se em lume brando por cerca de 30 a 45 minutos para apurar bem o sabor.

Servir como esparguete. Polvilhar com queijo parmesão ralado na altura (opcional).

 

Seg | 24.05.10

refrescante

Há certas frutas das quais gosto muito, mas têm que ser ao natural, como os morangos, a manga, o maracujá. Adoro maracujá acabado de apanhar, com uma colherinha tirar aquela polpa deliciosa e comer. Mas acho que nunca iria comprar uma lata de polpa de maracujá. Não saberia o que fazer com aquilo e não sou muito apreciadora de doces feitos com alguns frutos e o maracujá é um desses exemplos. Nem gosto de refrescos ou sumos de maracujá.

O que é certo é que tive mesmo que me desenrascar e gastar uma lata da dita polpa. No papel que envolve a lata vinha uma receita e foi mesmo essa que experimentei, depois de ter procurado outras e todas me parecerem dar trabalho demais.

Ficou boa, até era capaz de repetir outra vez (daqui a uns anos {#emotions_dlg.sarcastic}).

 

Doce de Maracujá

 

 

1 lata de polpa de maracujá (500grs)

1 lata de leite condensado

1 pacote de natas

4 folhas de gelatina*

 

As folhas de gelatina devem ser demolhadas em água fria por cerca de 5 minutos. Entretanto, passa-se a polpa de maracujá por uma passador de rede para que as sementes se separem do líquido (reservar duas ou três colheres da polpa para enfeitar).

Leva-se esse líquido ao lume até aquecer e dissolvem-se aí as folhas de gelatina. Deixa-se arrefecer.

Batem-se as natas com a batedeira até ficarem firmes, adiciona-se o leite condensado e o sumo de maracujá com as folhas de gelatina dissolvidas.

Deita-se este preparado em taças, enfeita-se com alguma polpa e leva-se ao frigorífico até solidificar.

 

* para a próxima uso apenas 3 folhas

 

Dom | 23.05.10

picles

As minhas beterrabas produziram todas ao mesmo tempo! E como andar a comer beterraba todos os dias pode cansar, o melhor é guardá-las para outra altura em que apeteçam com mais fervor. Foi o que fiz com estas.

 

Picles de Beterraba

 

 

 

6 beterrabas médias

1/2 litro de vinagre de vinho branco

1 colher de sopa de açúcar amarelo

1/4 de copo de água

10 grãos de pimenta da Jamaica

4 cravinhos

1 folha de louro

 

Cozer as beterrabas inteiras, com casca, por cerca de 30 minutos após levantar fervura. Deixar arrefecer na água de cozer (pode ser feito de véspera).

Quando estiverem frias, tira-se a casca das beterrabas com as mãos, basta empurrar que a casca sai. As mãos ficam completamente vermelhas mas a cor sai em duas ou três passagens por água.

Num tachinho levar ao lume o vinagre, açúcar, água, pimenta, cravinho e louro. Deixar ferver dois minutos após levantar fervura.

Cortam-se as beterrabas em quadrados ou rodelas e põem-se num frasco de boca larga. Por cima deita-se o vinagre ainda quente. Fecha-se bem o frasco e põe-se no frigorífico. Conserva-se por bastante tempo no frio.

Quando as beterrabas acabarem, podemos sempre comprar daquelas que vêm embaladas em vácuo, já cozidas, e voltar a por no resto do vinagre.

Sab | 22.05.10

rapidinho

Por mais que se goste de cozinhar, há alturas em que o que apetece mesmo é algo rápido, saboroso e que suje pouca louça.

São normalmente receitas de fim-de-semana, quando o calor aperta e a acompanhar queremos apenas muitos guardanapos e cerveja fresquinha!

 

Hamburguer (com todos?)

 

 

(receita para 2)

 

2 hamburguers de novilho (ou peru, porco, frango)

1 colher de sopa de azeite

sal

pimenta fresca

2 ovos

2 fatias de queijo

2 pães de hamburguer

alface

rúcula

cornichons

maionese

mostarda

 

Numa frigideira fritam-se os hamburguers no azeite, temperam-se de sal e pimenta. Quando estiverem fritos, põem-se as fatias de queijo sobre os hamburguers. Reservam-se.

Na mesma frigideira fritam-se os ovos. Reservam-se.

Tostam-se ligeiramente os pães de hamburguer e faz-se a montagem:

Sobre a base põe-se um bocadinho de maionese e de mostarda, por cima alface, cornichons, mais um bocadinho de maionese e mostarda, o hamburguer com o queijo (entretanto derretido), a rúcula, o ovo, pimenta fresca e por cima a tampa do hamburguer (a parte que tem as sementes de sésamo, para os distraídos...)

 

Sex | 14.05.10

de marrocos

Ainda a gastar o Limão em Conserva que fiz há tempos, experimentei uma receita que uma amiga me tinha dado há anos. Substitui as azeitonas da receita original por alperces e embora não seja muito apreciadora de frutas misturadas em pratos salgados, os alperces secos vão aqui muito bem (lindamente, como diria alguém que conheço), a contrastar com o sabor ácido que o limão dá ao prato.

 

Frango com Limão de Conserva e Alperces

 

 

2 colheres de sopa de azeite

4 coxas de frango

1 cebola grande picada

2 dentes de alho picados

1 colher de chá de curcuma (açafrão das Índias)

1/2 copo de vinho branco seco

1 copo de água

2 rodelas de limão em conserva

8 alperces

coentros q.b.

 

Num tacho aquece-se o azeite e aloura-se o frango.

Retira-se o frango do tacho e na gordura que ficou no fundo aloura-se a cebola, depois juntam-se os alhos picados, o açafrão e o vinho branco.

Deixa-se refogar um bocadinho e junta-se a água, as rodelas de limão (apenas a casca), os alperces e o frango.

Deixa-se cozinhar por uns 30 minutos.

Verificam-se temperos e se for necessário, acrescenta-se mais um bocadinho de de água para ter molho.

 

Servir com couscous ou arroz branco. Os coentros são para enfeitar :)

 

Qui | 13.05.10

peras

Desta vez foram umas peras já a pedir 'outra roupa'. Pesquisei e fiz esta sobremesa, retirada daqui. Adaptei ligeiramente a receita para acrescentar cardamomo em pó, que acho que vai muito bem com peras, e amendoas laminadas que no fim ficam tostadinhas e dão outra textura a esta sobremesa.

 

Clafoutis de Peras

 

 

3 peras maduras

1/4 de copo de margarina amolecida (cerca de 50 grs)

1/3 de copo de açúcar branco

1/3 de copo de farinha com fermento

1 colher de chá de extracto de baunilha

1 colher de chá de cardamomo em pó

3 ovos grandes

3/4 de copo de leite

50 grs de amendoas laminadas

açúcar em pó para polvilhar (opcional)

 

Acender o forno e untar uma tarteira de ir ao forno e à mesa (pode ser de pyrex).

Descascar as peras (usei 1 pera rocha e 2 peras williams), descaroçar e cortar em quartos e os quartos em fatias. Dispor as fatias na base da tarteira.

No liquidificador bater a margarina, o açúcar, a farinha, a baunilha, o cardamomo, os ovos e o leite. Bater bem até ficar com uma massa líquida e sem grumos.

Deitar a massa sobre as peras com cuidado e polvilhar com as amendoas laminadas. Levar ao forno cerca de 30 minutos e verificar se o centro já não está líquido, se ainda estiver, deixa-se estar mais uns 5 minutos. Retirar do forno e polvilhar com açúcar em pó.

 

Ter | 11.05.10

3 ingredientes

Não há caril mais fácil de fazer!!!

 

Tirinhas de bife com caril verde

 

 

2 colheres de sopa de azeite

2 colheres de sopa de pasta de caril verde

200 grs de tirinhas de bife de vaca

 

Numa frigideira aquece-se o azeite e adiciona-se a pasta de caril.

Juntam-se as tirinhas de carne (ou frango, ou camarões ou mesmo grão-de-bico cozido para um caril vegetariano) e dixa-se cozinhar, 15 a 20 minutos é suiciente.

 

Servir com arroz basmati.

 

E sim, podem-me chamar batoteira {#emotions_dlg.sarcastic}

 

Seg | 10.05.10

um prato de lentilhas

Dizem que as lentilhas dão sorte. Talvez por serem redondinhas e achatadas, parecem mini moedas.

São uma das leguminosas que prefiro, fáceis de cozinhar não precisam de estar de molho de um dia para o outro e depois horas a cozer como o feijão ou o grão. Num instante se preparam e são um excelente prato vegetariano.

 

Lentilhas com Pasta de Sésamo (Tahini*)

 

 

 

1 cebola grande picada

2 dentes de alho picados

3 colheres de sopa de azeite

1 colher de café de curcuma (açafrão das Índias)

1 colher de café de caril

1 colher de sopa de tahini

1 copo de lentilhas demolhadas

2 a 3 copos de água a ferver

sal q.b.

 

Num tacho levam-se a cebola e o alho picados a alourar ligeiramente no azeite, sem deixar tostar, é apenas para amolecer.

Juntam-se as especiarias e a pasta de sésamo e mexe-se bem. Adicionam-se as lentilhas que estiveram a demolhar cerca de meia-hora.

Mexe-se e adiciona-se um pouco de água e tempera-se de sal. Vai-se deixando refogar em lume brando e adiciona-se mais água sempre que esteja sem molho. Deixa-se cozer cerca de 40 minutos, as lentilhas devem ficar ligeiramente crocantes, não devem ficar espapaçadas.

No final deve haver algum molho cremoso juntamente com as lentilhas. Servir com arroz basmati cozido ou comer apenas as lentilhas com pão.

 

*O Tahini pode ser encontrado à venda em lojas de produtos naturais.

 

Seg | 03.05.10

festas populares

Este fim-de-semana pediram-me para fazer um ou dois bolos para vender num arraial. Fiz dois, um deles este que aqui deixo.

Mais uma boa opção para gastar aquelas bananas que já estão a 'incomodar' na fruteira.

 

Bolo de Banana Caramelizado

 

 

 

 

Para o caramelo:

200 grs de açúcar

0,5 dl de água

 

Deixar ferver até ficar dourado. Não deixar queimar muito porque ainda vai ao forno e escurece mais.

Deitar num tabuleiro e por cima dispôr 5 bananas bem maduras cortadas em fatias no sentido do comprimento.

 

Para o bolo:

250 grs de farinha com fermento

80 grs de farinha maizena

4 ovos

50 grs de margarina amolecida

200 grs de açúcar

250 ml de leite

 

Bater o açúcar com as gemas até ficar um creme bem esbranquiçado. Adicionar a margarina amolecida e continuar a bater. Entretanto batem-se as claras em castelo e peneiram-se as farinhas em conjunto.

Adiciona-se a farinha intercalada com o leite ao creme de ovos até ficar uma massa leve. Adicionam-se por fim as claras batidas em castelo e deita-se a massa sobre o caramelo e as bananas.

Vai ao forno médio por cerca de 30 minutos ou até um palito espetado na massa sair seco.

Deixar arrefecer ligeiramente e desenformar.

 

Sab | 01.05.10

um bom dia

Mais uma novidade da época: as ervilhas tortas (ou ervilhas de quebrar). São muito tenrinhas e a sua época é bastante curta por isso o melhor é aproveitar enquanto há!

 

Bacalhau no forno com ervilhas tortas

 

 

 

2 postas grandes de bacalhau

8 batatas

250 grs de ervilhas tortas

2 ovos

2 cebolas

2 dentes de alho

1 haste de aipo

2 dl de azeite

1 colher de sopa de vinagre

12 azeitonas

 

Cozer o bacalhau por 20 minutos. Retirar da água e nessa mesma água cozer as batatas descascadas e cortadas em rodelas grossas. Quando levantar fervura, adicionam-se as ervilhas tortas e os ovos. Deixar cozer por 15 minutos e escorrer.

Descascar os ovos e limpar o bacalhau de peles e espinhas, separando em lascas grandes.

Entretanto prepara-se uma cebolada numa frigideira com as cebolas cortadas em rodelas fininhas, o aipo cortado também em rodelas e os dentes de alho picados. Deixa-se alourar e adiciona-se uma colher de sopa de vinagre.

Num tabuleiro deitam-se umas colheres de cebolada, por cima põe-se uma camada de batatas, ervilhas e ovos. Sobre esta camada põem-se as lascas do bacalhau e tempera-se de pimenta fresca. Mais uma camada de cebolada e novamente batatas, ervilhas e ovos. Por cima põe-se a restante cebolada e enfeita-se com azeitonas. Volta-se a polvilhar com pimenta.

Vai ao forno quente alourar por 20 minutos.