Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Qua | 31.03.10

sobras não são restos

Restos são aquilo que fica no prato de cada um, depois de terminada a refeição.

Sobras são aquilo que não se consumiu e que não saíu do tacho ou travessa.

Mas toda a gente sabe isto, claro...

Isto leva-nos aos aproveitamentos de sobras. Neste caso foram sobras de um cozido, normalmente são duas ou três rodelas de chouriço, um bocado de carne de vaca, outro de porco mais um bocadinho de frango, coisas que pela quantidade não dão para grande coisa mas tudo misturado sempre dá para um excelente empadão e assim não se desperdiça.

Aliás, tenho um problema com estragar comida, acho que não podemos nem o devemos fazer. Como diz um irmão meu: mais vale fazer mal que estragar :))

 

Empadão de Carnes

(receita para duas pessoas)

 

 

sobras de cozido

arroz cozido

1 cebola

1 tomate

1 talo de aipo

1 raminho de salsa

1/2 copo de vinho branco

temperos a gosto

azeite

sal

1 ovo batido

 

Num tacho refoga-se a cebola e o talo de aipo picados em azeite, junta-se o tomate picado e o vinho branco. Deixa-se apurar. Misturam-se as carnes previamente picadas na picadora, a salsa, os temperos (pimenta, colorau, noz moscada, etc) e o sal.

Deixa-se apurar e entretanto coloca-se metade do arroz no fundo de um pyrex. O arroz pode também ser de aproveitamento ou então coze-se arroz em água e sal para esta receita.

Por cima do arroz deita-se o preparado da carne com o molho que tiver e cobre-se com o restante arroz. Por cima espalha-se o ovo batido e enfeita-se com algumas rodelas sobrantes de morcela ou outro enchido do cozido.

Vai a forno bem quente por cerca de 30 minutos.

 

Ter | 30.03.10

Há quanto tempo...

É mesmo, já nem me lembro de comer salame de chocolate. Costumava adorar. Uma cunhada minha costumava fazer sempre que havia festa e eu dispensava tudo o resto (quase tudo, vá lá...) só para comer salame até fartar. Fui procurar a receita e cá está, ou melhor, já esteve :))

 

Salame de Chocolate

 

 

 

200 grs de margarina

200 grs deaçúcar

4 ovos

1 chávena de café forte

1 cálice de vinho do Porto

250 grs de chocolate

3 colheres de sopa de chocolate em pó

3 pacotes de bolacha Torrada

100 grs de miolo de amêndoa lascado

100 grs de sultanas

 

Ralam-se as bolachas e o chocolate.

Bate-se a margarina com o açúcar. Adicionam-se os ovos, um a um. Junta-se o café, o vinho do porto, os chocolates, a bolacha ralada, a amêndoa e as sultanas.

Corta-se um rectangulo grande de papel vegetal e molha-se com vinho do Porto. Põe-se a massa no papel vegetal e enrola-se um salame do tamanho desejado. Vai ao frigorífico, de preferência de um dia para o outro. Serve-se cortado às rodelas.

 

Nota: Fiz apenas 1/3 da receita e não usei sultanas.

 

Seg | 29.03.10

verdura mai'linda

Não me canso de vos dizer: se puderem, experimentem espargos verdes. Não são lá muito baratos, um molhinho com 12 custa cerca de 2,50€ o que eu acho um bocado excessivo mas nem que seja só uma vez, experimentem.

 

Da maneira mais fácil, não tem que saber e permite saborear o gosto que não é igual ao de qualquer outra verdura que eu conheça.

 

Põe-se um bocadinho de azeite numa frigideira larga, espalham-se os espargos para que não fiquem sobrepostos e tapam-se com uma tampa anti-salpicos. De quando em quando dá-se uma abanadela à frigideira para que vão mudanado de posição e fiquem tostadinhos por todo. Não leva mais que dez minutos. Temperam-se com sal e pimenta fresca ou uns salpicos de adobo.

 

Estão prontos a comer, nada de faca e garfo, é mesmo à mão, pega-se num, mergulha-se a ponta num bocado de maionese e saboreiam-se, acompanhados de hmmms, ahhhhs e ohhhs :)) 

 

 

 

 

Qua | 24.03.10

ah febras...

As febras de porco podem servir para fazer uma coisa maravilhosa.

Isto:

 

Tirinhas de Febras Crocantes

(receita para duas pessoas)

 

 

 

2 febras de porco

sumo de uma lima

1 colher de chá de orégãos

sal

1 copo de farinha

1 copo de cornflakes (sem açúcar)

1 colher de sopa de sementes de linhaça (opcional)

1 ovo

3 colheres de sopa de leite

 

Cortam-se as febras de porco em tirinhas, colocam-se num prato e temperam-se com o sumo da lima (pode usar-se limão) o sal e os orégãos. Reservar por uma ou duas horas para tomar o gosto.

Numa picadora moem-se os cornflakes. Não devem ficar em pó, devem ficar com bocadinhos pequenos. Moem-se também as sementes de linhaça e estas sim devem ficar em pó que se mistura aos cornflakes moidos num prato.

Noutro prato bate-se o ovo e adiciona-se o leite.

Noutro prato coloca-se a farinha.

Parece que se suja muita louça mas vale a pena.

Passam-se as tirinhas de porco por farinha, a seguir passam-se no ovo e depois passam-se pela mistura de linhaça e cornflakes. Colocam-se num tabuleiro e levam-se a forno bem quente por cerca de 30 minutos, até ficarem bem tostadinhas.

 

Para que não seja preciso lavar mais louça, deve-se forrar o tabuleiro com papel de ir ao forno. Depois é só recolher e deitar para o lixo e arrumar o tabuleiro :))

Ter | 23.03.10

tempo ameno?

No sábado chegou a Primavera. No meu jardim já começam a aparecer umas florzitas que, como não dão ainda para encher grandes jarras, são usadas para mini arranjos.

Este serviu para enfeitar o cenário da fotografia de uns biscoitos que fiz.

 

Biscoitos de Melaço

 

 

1/2 copo de açúcar

1/2 copo de melaço

1/4 de copo de margarina

1 ovo

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1/2 copo de água a ferver

2 copos de farinha

1 colher de chá de gengibre

1 colher de chá de canela

1/2 colher de chá de 'mixed spice' (opcional)

 

Bater o açúcar, o melaço, a margarina e o ovo numa taça até estar bem misturado. Dissolver o bicarbonato na água a ferver e adicionar à mistura anterior mexendo bem. Adicionar a farinha e as especiarias e mexer bem. Deixar repousar por uma hora no frigorífico. Isto vai ajudar a que os bolinhos não se colem às mãos quando os moldarmos.

Moldar bolinhas do tamanho de nozes e colocar num tabuleiro forrado com papel de ir ao forno.

Levar a forno quente por cerca de dez minutos, retirar e deixar arrefecer numa rede.

 

Esta receita deu para 47 biscoitos.

Seg | 22.03.10

para variar

Quando se pensa em filetes de pescada normalmente associamos a filetes passados por farinha e ovo e fritos em óleo. É muito bom, então acompanhado de uma salada russa, maravilha mesmo.

Para não ficar com a casa a cheirar a fritos, optei por dar uma roupa nova a uns filetes de pescada. Esta receita pode também ser feita com medalhões, tranches, postas, lombos e outros nomes que basicamente querem dizer o mesmo: pescada congelada.

 

Filetes de Pescada Gratinados

receita para duas pessoas

 

 

 

 

3 filetes de pescada congelados

sumo de 1 limão

sal para temperar

2 ovos

molho

1 colher de sopa de margarina

1 colher de sopa de farinha

1/2 copo de água de cozer os filetes

1/2 copo de leite

pimenta

noz moscada

 

Temperam-se os filetes com o sal e o sumo de limão e reservam-se por cerca de uma hora.

Cozem-se os filetes num tachinho com água por 10 minutos. Retiram-se da água e separam-se em lascas.

Põe-se dois ovos a cozer retirando da água 4 minutos depois de começar a ferver para que o centro dos ovos esteja ainda líquido.

Noutro tachinho faz-se um molho bechamel. Derrete-se a margarina e junta-se a farinha mexendo bem. Adiciona-se a água de cozer os filetes (meio copo) e o leite (meio copo). Tempera-se de pimenta moida na altura e noz moscada também ralada no momento. Se necessário adiciona-se mais água ou leite, o molho não deve ficar muito grosso pois ainda vai ao forno. Ajustar os temperos, se necessário.

Num tabuleiro de barro dispõem-se as lascas da pescada, por cima os dois ovos cortados ao meio (depois de descascados...) e com a parte da gema virada para cima.  Sobre os ovos e a pescada verte-se o molho bechamel. Polvilhar novamente com noz moscada.

Vai ao forno a gratinar cerca de 20 minutos.

 

Servido com arroz de bróculos roxos.

 

Qui | 18.03.10

cozy...

Mais um bolo daqueles que me enche as medidas (literalmente!).

De maçã e canela, o cheiro que fica no ar enquanto coze é mesmo o cheirinho do conforto e da felicidade.

 

Bolo de Maçã e Canela

 

 

2 ovos

1 copo de açúcar amarelo

1/2 copo de açúcar castanho

3/4 de copos de óleo

1/2 copo de leite

1 colher de chá de baunilha

1 colher de sopa de canela

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

2 copos de farinha com fermento

3 copos de maçãs cortadas aos quadradinhos

1 copo de nozes (opcional)

 

Numa tigela juntam-se os ovos, o açúcar, o óleo, o leite e a baunilha. Mexe-se bem.

Adicionam-se os ingredientes secos, mexe-se bem para não ficar com grumos e juntam-se os quadrados de maçã e as nozes. Eu não usei nozes, optei por adicionar mais um copo de maçã.

Deita-se a mistura num tabuleiro untado e leva-se a forno médio cerca de 40 minutos. Experimentar com um palito para ver se já está seco.

Retirar do forno, deixar arrefecer um bocado e cortar em quadrados.

 

 

Qua | 17.03.10

petisqueira

Não sou muito entusiasta de marisco, sinceramente não percebo porque fazem tanto alarido com sapateiras, gambas e afins. Mas, de vez em quando lá calha fazer um petisquito para enganar o jantar.

 

Camarões Fritos

 

 

 

400 gr de camarões grandes

3 dentes de alho

1 pedaço de gengibre

1 colher de chá de Harissa

2 dl de azeite

sal

1 cerveja mini

 

Numa frigideira larga aquece-se o azeite e alouram-se os dentes de alho e o gengibre cortados em fatias muito fininhas. Adiciona-se a colher de chá de Harissa (uma pasta MUITO picante) e os camarões. Deixam-se ganhar a cor alaranjada e regam-se com a cerveja. Se necessário tempera-se com sal. Deixa-se levantar fervura e cozer por cerca de 10 minutos.

Servir bem quente acompanhado de pão tostadinho para aproveitar o molho.

Uma sugestão é misturar 3 colheres de sopa de maionese com 3 colheres de sopa de mostarda, mexer bem e mergulhar cada camarão já descascado nesta mistura. É potente!!!

 

 

Seg | 15.03.10

coisa boa...

 

Fácil de fazer, com um efeito visual agradável e bem gostoso. É este doce.
 
Tiramissu
 
 
 
3 colheres de sopa de café solúvel
3 colheres de sopa de Kahlúa
3 dl de água a ferver
3 ovos
100 grs de açúcar
1 embalagem de queijo mascarpone (250 grs)
200 grs de palitos de champanhe
Cacau em pó para polvilhar
 
Num prato fundo fazer um café forte com o café solúvel, o licor de café Kahlúa (ou outro licor de café) e a água a ferver.
Preparar pequenos potes para colocar o doce de modo a ser servido individualmente. Utilizei embalagens de vidro de iogurte.
Na batedeira eléctrica, bate-se o açúcar com as gemas de ovo até ficar um creme esbranquiçado e com o dobro do volume. Adicionar o queijo mascarpone e continuar a bater até ficar um creme bem macio.
Embeber os palitos de champanhe no café e colocar no fundo do pote ou de um pyrex, no caso de se optar por servir desta forma. Por cima destes, coloca-se uma camada de creme de queijo. Volta a colocar-se uma camada de palitos de champanhe embebidos em café e novamente uma última camada de creme de queijo. Por cima polvilha-se com cacau em pó.
 
Nota: No caso de o café não ser suficiente para embeber todos os palitos, faz-se nova dose de café forte com licor de café. Quem não apreciar bebidas alcoólicas (difícil, difícil...), pode optar por não usar o licor.
Qua | 10.03.10

Ginger sem Fred

Enquanto o tempo frio permite faço uso do forno em pleno, embora seja conhecida por até em pleno verão o acender. Estas belezuras foram a mais recente experiência.

Antigamente achava que fazer bolachas ou biscoitos devia dar uma trabalheira daquelas. Bom, alguns até dão mas não é isso que me vai demover, e neste caso não há nada mais facil de fazer, são excelentes e deixam as papilas gustativas completamente atordoadas por causa do gengibre. Mas é um atordoado bom

 

Biscoitos de Gengibre

 

 

100 grs de manteiga

20 grs de mel

175 grs de açúcar amarelo

300 grs de farinha

2 colheres de chá de fermento em pó

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

3 colheres de chá de gengibre em pó

1 ovo batido

 

Aquecer o forno e colocar uma folha de papel de ir ao forno no fundo de um tabuleiro.

Numa caçarola derrete-se a manteiga (usei margarina), o açúcar e o mel. Mistura-se e deixa-se arrefecer ligeiramente.

Numa taça mistura-se a farinha, fermento, bicarbonato e gengibre. Deita-se sobre estes ingredientes a mistura da manteiga e mexe-se. Adiciona-se o ovo batido e volta-se a mexer bem.

Moldam-se bolinhas do tamanho de nozes pequenas. Colocam-se no tabuleiro ligeiramente afastadas. Se quisermos, podemos pressionar com um garfo para ficar com feitio. Levam-se ao forno por cerca de 10 a 15 minutos, até alourarem. Retiram-se para uma rede para arrefecer. No início estarão moles mas à medida que arrefecem ficam rijinhos. Colocam-se os restantes no tabuleiro para levar ao forno. Esta receita deu para 45 biscoitos, 3 tabuleiros.

 

Receita trazida daqui.

 

 

Ter | 09.03.10

queremos mais

 Ao contrário das lulas, o polvo é um favorito! A maneira como mais gosto é simplesmente cozido com batatas e ovo (as batatas ficam meias vermelhas pois agarram a cor do polvo) e também adoro a bela da salada de polvo ou o polvo à feira, como é servido na Galiza.

Aqui, foi assado no forno. Ficou muito bom.

 

Polvo assado no forno com batatas a murro

 

 

1 polvo médio

1 cebola

3 dentes de alho

1 folha de louro

1 raminho de salsa

1 raminho de coentros

10 batatas cozidas com a pele

1 copo de vinho branco

3 dl de azeite

sal q.b.

 

Coze-se o polvo em pouca água até estar tenro. Pode ser cozido na panela de pressão.

Escorre-se e separam-se as 8 pernas e a bolsa.

Cozem-se as batatas com a pele, escorrem-se e dá-se um murro em cada uma para abrir.

Num tacho de barro põem-se as cebolas às rodelas, os dentes de alho picados, a folha de louro, alguns pezinhos de salsa e coentros e por cima dispõe-se o polvo e as batatas.

Tempera-se de sal se for necessário e por cima deita-se o vinho e o azeite e os restantes pezinhos de salsa e coentros. Vai ao forno quente até estar bem lourinho, cerca de meia hora a 40 minutos.

Servir com grelos cozidos.

 

 

Dom | 07.03.10

fake-a-roons

 

A ideia era fazer macaroons. Boa ideia, péssimo resultado. Não ficou nem de longe nem de perto parecido com o que deveria ser... foi a primeira tentativa, não vai haver segunda. Há muitas mais receitas por esse mundo fora à espera de serem experimentadas, não vale a pena perder mais tempo com esta. Além disso, são excessivamente doces. Usei esta receita mas em vez de cacau em pó, usei corantes alimentares.

 

Macaroons

 

 

 

Sab | 06.03.10

fast food

A açorda é uma receita que leva poucos ingredientes e se faz num piscar de olhos. Às vezes é preciso algo rápido de fazer e eu raramente me lembro de fazer açorda. Confesso que não é dos meus pratos favoritos mas normalmente tenho os ingredientes à mão e sempre dá para desenrascar.

 

Açorda de Camarão

 

 

100 grs de camarão descascado

2 dentes de alho grandes

2 pães da véspera (tipo carcaça)

água qb

1 dl de azeite

1 ovo

sal e pimenta moida

 

Numa taça demolham-se os pães em água quente.

Num tachinho alouram-se os dentes de alho cortados em fatias, junta-se o camarão, deixa-se cozinhar por 3 minutos mexendo para não pegar e depois junta-se o pão demolhado e tempera-se com o sal e a pimenta moida. Mexe-se bem e adiciona-se um ovo batendo sempre.

Serve-se polvilhado com coentros picados.

 

 

Qua | 03.03.10

Cogumelos

 

Eram para ser com esparguete, o costume, o que sai sempre bem. Mas enquanto juntava os ingredientes, decidi ser um bocadinho mais afoita e experimentar estes cogumelos num risotto. E não é que ficou mesmo mesmo bom?

Risotto lembra-nos logo Itália. Neste caso foi a modos que um risotto de 'fusão' já que lhe acrescentei umas coisitas asiáticas. E foi feito num wok.

Oferecido por uma amiga e que veio substituir um, velhinho já com mais de 16 anos que veio da América quando eu nem sequer sabia que se chamava wok, mas que era tão engraçado e diferente dos nossos tachos que tive que arranjar lugar na mala para ele.

 

Risotto de Cogumelos

 

 

1 embalagem de cogumelos Pleurotus

1 colher de sopa de óleo de sésamo

2 chalotas picadas

2 dentes de alho picados

1 copo de arroz

1 dl. de vinho branco.

1 colher de sopa de vinagre de arroz

1 colher de sopa de molho de peixe

sal

água a ferver

1 colher de sopa de manteiga

salsa picada

 

Num wok aquece-se o óleo de sésamo. Juntam-se as chalotas e os dentes de alho picados, deixam-se alourar. Adicionam-se os cogumelos e o arroz, mexendo bem e acrescenta-se 1 dl de vinho branco. Deixa-se evaporar e adiciona-se meio copo de água, mexendo  sempre. Quando a água evapora, junta-se mais um bocado, continuando a mexer. Juntam-se o vinagre de arroz e o molho de peixe e o sal.

Esta é uma receita que obriga a estar ao pé do fogão, sempre a mexer, mas compensa.

À medida que a água vai evaporando vai-se juntando mais água, nota-se que o molho vai ficando cremoso enquanto o arroz coze. No fim deve-se ter gasto cerca de cinco copos de água a ferver, um bocadinho de cada vez.

Quando estiver pronto, adiciona-se a manteiga e a salsa picada e serve-se de imediato.

 

A manteiga é para que o molho ainda fique mais macio e neste caso é usada em vez de queijo parmesão, normalmente utilizado em risottos mas que neste caso iria ofuscar os outros sabores mais suaves.

 

O arroz que utilizei foi da marca Caçarola, especial para risottos.

Os cogumelos Pleurotus existem à venda nos supermercados.

 

 

Ter | 02.03.10

batata, batota

Quando apetece mesmo comer batatas fritas e

a) não temos paciência para as fazer

b) não queremos ingerir óleo de as fritar às carradas

c) temos a mania que até percebemos disto

fazemos uma espécie de panquecas de batata, também conhecidas por batatas Rösti .

Já cá tenho, algures, uma receita, mas esta é ligeiramente diferente.

 

Batatas Rösti

 

 

 

2 batatas grandes

1 chalota

1 dente de alho

1 ovo

1 colher de sopa bem cheia de farinha de grão-de-bico

sal e pimenta

4 colheres de sopa de óleo de girassol

 

Descascar e ralar as batatas. Espremer o excesso de líquido. Juntar uma chalota ralada (pode ser substituida por uma cebola pequena) e um dente de alho ralado. Misturar um ovo, a farinha de grão-de-bico (também pode ser substituida por farinha de trigo) e o sal e a pimenta moída de fresco.

Fritar em óleo bem quente até ficar tostado.

Deliciar-se!

 

 

Seg | 01.03.10

hmmm....

Como o fim de semana esteve altamente impeditivo de saídas, foi excelente para gastar uns limões dos que o vento mandou ao chão. Impiedosamente...

 

Rodelas de Limão

 

 

Base:

1 copo de farinha

1/4 de copo de açúcar

100 grs de margarina.

 

Topo:

1 lata de leite condensado

4 ovos

sumo e raspa de um limão grande

1 colher de sopa de farinha

1 colher de chá de fermento

 

À mão ou com a ajuda do robot de cozinha, misturam-se bem os ingredientes da base de modo a ficarem parecidos com migalhas. Coloca-se esta mistura num tabuleiro, pressiona-se bem  e vai ao forno cerca de 15 minutos.

 

Entretanto, numa taça, bate-se o leite condensado com os ovos. Junta-se o sumo e a raspa de um limão, a farinha e o fermento e mexe-se bem. Deita-se sobre a base e volta ao forno por cerca de 20 minutos, até o topo ficar dourado.

 

Para desenformar podem cortar-se com moldes de biscoitos ou então cortam-se aos quadrados.