Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Sab | 21.03.09

fases...

Actualmente, por razões várias, como em casa apenas 3 ou 4 refeições por semana, tirando os pequenos-almoços. Quando posso tento caprichar e experimentar receitas novas. Esta é parecida com uma que li numa revista. Como não tomei nota na altura, é de memória. E a olho, esta deu para duas pessoas, gulosas...

 

 

Bacalhau com Espinafres e Broa

 

 

 

1 cebola grande às rodelas

1 alho francês às rodelas

5 dentes de alho picados

azeite

vinagre

bacalhau demolhado e desfiado

espinafres (congelados)

2 dls de natas

miolo de uma broa pequena, esmigalhado

sal e pimenta moída na altura

 

Num tacho refogar a cebola, o alho francês e três dentes de alho. Quando estiver alourado salpicar com vinagre e misturar o bacalhau, mexendo para cozer bem. Juntam-se os espinafres entretanto descongelados e mexe-se. Misturam-se as natas ao bacalhau e espinafres e também metade do miolo da broa e deixa-se apurar. Tempera-se com pimenta e um bocadinho de sal se for necessário.

Deita-se este preparado num tabuleiro e polvilha-se com a restante broa misturada com 2 dentes de alho picados e 2 colheres de sopa de azeite. vai ao forno para alourar cerca de 20 minutos. Acompanha-se com uma salada. Divino.

 

 

 

Dom | 15.03.09

ruibarbo

 

A ideia desta tarte veio daqui. Depois de algumas modificações, cheguei a esta receita, fácil e prática. Para quem não tiver ruibarbo, pode bem ser feita com maçãs Reineta ou Granny Smith já que a acidez delas se compara à do ruibarbo *.

 


Tarte de Ruibarbo

 

 

Ingredientes:

 

1 base de tarte de massa quebrada

 

3 copos de ruibarbo cortados aos cubinhos

1 copo de açúcar granulado

2 colheres de sopa de farinha

2 colheres de sopa de farinha maizena

1 colher de chá de canela

 

Numa taça misturar todos os ingredientes secos e juntar o ruibarbo. Colocar na tarteira forrada com a massa e com o excesso da massa recortam-se tiras que se colocam sobre a mistura para dar um efeito como o da foto.

 

 

*

Para quem não conhece, o ruibarbo é uma planta originária da Ásia e tem sido usado como planta medicinal há milhares de anos, principalmente na medicina chinesa. Como alimento começou a ser utilizado por volta do século XVII. Não tenho conhecimento de que exista à venda em Portugal e não conheço ninguém que o cultive. Pedi a uns familiares em Inglaterra que me trouxessem numa das suas visitas pois via muitas receitas com este ingrediente e não o conhecia. Trouxeram-me um pacote de sementes (não era o que tinha na ideia quando pedi para me trazerem ruibarbo...) e semei, esperei que crescesse, plantei e depois esperei três anos para o poder provar. É que demora esse tempo a produzir os talos que são utilizados e no início apenas podemos tirar um talo de cada planta. E as folhas são venenosas, não se podem consumir embora não pareçam fazer mal aos caracóis já que estão sempre cheias deles. A época em que dão mais é a partir de abril mas se  taparmos as plantas com vasos durante o inverno produzem uns talos de uma cor muito bonita. Estes da foto são uma das minhas plantas.

 

 

 

Dom | 08.03.09

dou-te um doce...

Destes:

 

 

1 kg de abóbora descascada

750 grs de açúcar

1 vagem de baunilha

casca fina de uma laranja

 

Num tacho grande põe-se a abóbora aos pedaços, por cima o açúcar e a baunilha e deixa-se levantar fervura mas em lume brando para não pegar. Entretanto tira-se a casca a uma laranja, com uma faca bem afiada para sair mesmo só a parte que tem a côr laranja e não o branco. Junta-se ao doce e deixa-se que este ferva por cerca de uma hora, mexendo de vez em quando, até atingir o ponto. Deita-se o doce em frascos bem lavados e secos enquanto está quente e tapam-se logo.

 

Dom | 01.03.09

de outro modo...

Quando temos tempo livre, podemos aproveitá-lo para inovar nos acompanhamentos das refeições. Hoje, domingo, decidi fazer batatas assadas no forno mas com nova roupagem.

 

Batatas no forno em ramequins

 

 

 

Em 4 ramequins untados com azeite coloquei rodelas de cebola muito fininhas, rodelas de alho também muito fininhas e rodelas de batata, adivinharam, muito fininhas. Ao fim de cada camada destes ingredientes, salpicava de azeite. No total coloquei três camadas e por fim polvilhei com sal grosso e pimenta moida. Mais um bocadinho de azeite e forno com eles, por cerca de uma hora, um bocadinho mais para ficar estaladiço.

 

Para quem não sabe, ramequins são formas pequenas (individuais) de barro que podem ir ao forno. Dão para fazer pudins individuais e também servem para salgados, como neste caso.