Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Belita, a Rainha dos Couratos

Belita, a Rainha dos Couratos

Ter | 19.10.10

tachos diferentes

O tacho de barro da foto veio do Brasil. Também conhecido por Agdá (corruptela de alguidar) pode ir ao lume ou ao forno e o único cuidado que se deve ter é, antes da primeira utilização, fazer a queima que consiste em untá-lo com óleo, enchê-lo de água e levar ao lume até que a água ferva. Depois é deixar arrefecer e a partir daí está pronto a usar.

O sabor que deixa nos cozinhados é muito agradável e completamente diferente do sabor que a mesma receita tem quando feita num tacho normal.

 

Neste caso serviu para fazer frango estufado com pimentos de Arnoia. Ao contrário dos pimentos de Padrón, também da Galiza, os de Arnoia são grandes, verde clarinho e doces, ou seja, não são picantes. Têm um sabor muito suave e nada parecido com o dos pimentos verdes que estamos habituados a ver por cá que comparativamente têm um gosto muito agressivo de que muita gente se queixa pois ficam ‘a trabalhar’ no estômago.

 

Frango estufado com Pimentos de Arnoia

  

 

1 cebola

2 dentes de alho

Tomates maduros

6 coxas de frango sem pele

Salsa

Tomilho

3 pimentos de Arnoia

sal

1 dl azeite

50 ml vinho branco

50 ml água

 

Pôr os ingredientes no tacho pela ordem indicada.

A cebola deve ser cortada em meias luas, os dentes de alho cortados em laminas ao alto e os tomates, se forem dos pequeninos como usei, podem ir inteiros, se forem grandes bastam 2 cortados aos bocados com a pele.

Vai a lume médio até ferver, depois baixa-se para lume brando e deixa-se apurar por cerca de 40 minutos. Verificar o molho, se necessário acrescentar mais um pouquinho de água.

Acompanhar com esparguete cozido ou arroz branco.